O Desempenho dos Burocratas de Médio Escalão: Determinantes do Relacionamento e das suas Atividades Outros Idiomas

ID:
49175
Periódico:
Resumo:
Embora os pesquisadores venham estudando a burocracia há bastante tempo, os burocratas de médio escalão (BME) recebem menos atenção da literatura. Para preencher essa lacuna, o artigo explora a questão da heterogeneidade dos BME em relação ao seu perfil, sua experiência profissional e, principalmente, seu desempenho. O principal objetivo é investigar os determinantes do desempenho dos BME a partir de duas dimensões: o nível de relacionamento dos BME e o nível de complexidade de suas atividades. Essas dimensões são muito valorizadas atualmente, considerando o crescimento da sua importância em contextos de governança em rede e accountability burocrática. Primeiro, realizamos uma análise descritiva dos dados coletados em 2014 junto a servidores federais que ocupavam cargos comissionados. Para tanto, elaboramos índices sintéticos das duas dimensões: relacionamento e atividades da burocracia. Posteriormente, empregamos modelos de análise multivariados para explicar seus determinantes. Os resultados empíricos mostram que o desempenho dos burocratas de médio escalão é afetado tanto por fatores estruturais do governo, como também por suas próprias características individuais. No entanto, os efeitos das variáveis mudam consideravelmente. As evidências empíricas sugerem que os BME mais conectados e que realizam mais atividades são aqueles que ocupam cargos comissionados mais elevados. Eles têm maior nível educacional e mais capacidade de influenciar diretamente as decisões dos processos de trabalho e atuam em áreas finalísticas de políticas públicas, especialmente na área social.
Citação ABNT:
CAVALCANTE, P. L.; LOTTA, G. S.; YAMADA, E. M. K. O Desempenho dos Burocratas de Médio Escalão: Determinantes do Relacionamento e das suas Atividades. Cadernos EBAPE.BR, v. 16, n. 1, p. 16-34, 2018.
Citação APA:
Cavalcante, P. L., Lotta, G. S., & Yamada, E. M. K. (2018). O Desempenho dos Burocratas de Médio Escalão: Determinantes do Relacionamento e das suas Atividades. Cadernos EBAPE.BR, 16(1), 16-34.
DOI:
http://dx.doi.org/10.1590/1679-395167309
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49175/o-desempenho-dos-burocratas-de-medio-escalao--determinantes-do-relacionamento-e-das-suas-atividades/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
LIPSKY, M. Street-level bureaucracy: dilemmas of the individual in public services. 30 ed. Nova Iorque: Russell Sage Foundation. 2010.

ABERS, R. N. Ativismo na burocracia?O médio escalão do Programa Bolsa Verde. In: CAVALCANTE, P.; LOTTA, G. (Orgs.). Burocracia de médio escalão: perfil, trajetória e atuação. Brasília: ENAP. 2015. p. 143-175.

ABERS, R. N.; KECK, M. E. Practical authority: Agency and institutional change in Brazilian water politics. Oxford University Press, 2013.

ALEXANDER, D.; LEWIS, J. M.; CONSIDINE, M. How politicians and bureaucrats network: a comparison across governments. Public Administration, v. 89, n. 4, p. 1274-1292, 2011.

BENZÉCRI, J. P. Correspondence analysis handbook. New York: Marcel Dekker Inc. 1992.

BEVIR, M.; RHODES, R. A. W. The state as cultural practice. Oxford: Oxford University Press, 2010.

CAVALCANTE, P.; CARVALHO, P. Profissionalização da burocracia federal brasileira (1995-2014): avanços e dilemas. Revista de Administração Pública, v. 51, n. 1, p. 1-26, 2017.

CAVALCANTE, P.; LOTTA, G. Burocracia de Médio Escalão: perfil, trajetória e atuação. Brasília: ENAP. 2015.

CHAREANPUNSIRIKUL, S.; WOOD, R. C. Mintzberg, managers and methodology: some observations from a study of hotel general managers. Tourism Management, v. 23, n. 5, p. 551-556, 2002.

CHRISTENSEN, T.; LÆGREID, P. The whole-of-government approach to public sector reform. Public administration review, v. 67, n. 6, p. 1059-1066, 2007.

CURRIE, G.; PROCTER, S. J. The antecedents of middle managers’ strategic contribution: The case of a professional bureaucracy. Journal of management studies, v. 42, n. 7, p. 1325-1356, 2005.

DALTON, M. Men who manage. New York: John Wiley & Sons. 1959.

DEMIR, T.; REDDICK, C. G. Understanding Shared Roles in Policy and Administration: An Empirical Study of Council-Manager Relations. Public Administration Review, v. 72, n. 4, p. 526-535, 2012.

FOSSESTØL, K. et al. Managing institutional complexity in Public Sector Reform: Hybridization in front-line service organizations. Public Administration, v. 93, n. 2, p. 290-306, 2015.

GREENACRE, M. Correspondence analysis in practice. Boca Raton: CRC Press. 2017.

GREENACRE, M. Theory and applications of correspondence analysis. London: Academic Press, 1984.

GREVE, C.; LÆGREID, P.; RYKKJA, L. H. The Nordic Model Revisited: Active Reformers and High Performing Public Administrations. In: GREVE, C.; LÆGREID, P.; RYKKJA, L. H. (Ed.). Nordic Administrative Reforms: Lessons for Public Management. Basingstoke: Palgrave Macmillan. 2016. p. 189-212.

HAIR, J. F. et al. Análise Multivariada de Dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HOWLETT, M. Public managers as the missing variable in policy studies: An empirical investigation using Canadian data. Review of Policy Research, v. 28, n. 3, p. 247-263, 2011.

HUISING, R.; SILBEY, S. S. Governing the gap: Forging safe science through relational regulation. Regulation & Governance, v. 5, n. 1, p. 14-42, 2011.

JOHANSSON, V. Negotiating bureaucrats. Public Administration, v. 90, n. 4, p. 1032-1046, 2012.

KAUFMAN, H. The forest ranger: A study in administrative behavior. Londres: Routledge, 1960.

KEISER, L. R. Understanding Street-Level Bureaucrats’ Decision Making: Determining Eligibility in the Social Security Disability Program. Public Administration Review, v. 70, n. 2, p. 247-257, 2010.

KELLY, J.; GENNARD, J. Business strategic decision making: the role and influence of directors. Human Resource Management Journal, v. 17, n. 2, p. 99-117, 2007.

KURATKO, D. F. et al. A Model of Middle-Level Managers’ Entrepreneurial Behavior. Entrepreneurship theory and practice, v. 29, n. 6, p. 699-716, 2005.

LOTTA, G. S. Implementação de políticas públicas: o impacto dos fatores relacionais e organizacionais sobre a atuação dos burocratas de nível de rua no Programa Saúde da Família. 2010. Tese (Doutorado em Ciência Política) - Departamento de Ciência Política, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

LOTTA, G. S.; PIRES, R. R. C.; OLIVEIRA, V. E. Burocratas de médio escalão: novos olhares sobre velhos atores da produção de políticas públicas. Revista do Serviço Público, v. 65, n. 4, p. 463-492, 2014.

MENICUCCI, T.; GONTIJO, J. G. L. Gestão e políticas públicas no cenário contemporâneo: tendências nacionais e internacionais. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2016.

MEYER, R. E. et al. Of bureaucrats and passionate public managers: Institutional logics, executive identities, and public service motivation. Public Administration, v. 92, n. 4, p. 861-885, 2014.

MINTZBERG, H. The nature of managerial work. New York: Harper & Row. 1973.

NENADIC, O.; GREENACRE, M. Correspondence analysis in R, with two-and three-dimensional graphics: The ca package. Journal of Statistical Software, v. 20, n. 3, maio 2007.

NETO, W. J. S.; DE MARTINO JANNUZZI, P.; DO NASCIMENTO SILVA, P. L. Sistemas de Indicadores ou Indicadores Sintéticos: do que precisam os gestores de programas sociais? In: ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 16, 2016. Anais… Caxambu: ENEP, p. 1-14, 2016.

OLIVEIRA, V. E. Instituições, burocracia e produção de políticas públicas: o caso da política estadual de saúde. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 33, 2009. Anais... Caxambu, MG, 2009.

OLIVEIRA, V. E.; ABRUCIO, F. L. Entre a política e a burocracia: a importância dos burocratas de médio escalão para a produção de políticas públicas em saúde e educação. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 35, 2011. Anais... Caxambu, MG, p. 347-375, 2011.

OSBORNE, S. (Ed.). The new public governance: Emerging perspectives on the theory and practice of public governance. Londres: Routledge, 2010.

PIRES, R. Burocracias, gerentes e suas “histórias de implementação”: narrativas do sucesso e fracasso de programas federais. In: FARIA, C. A. P. (Org.). Implementação de políticas públicas: teoria e prática. Belo Horizonte: Editora PUC Minas, 2012. p. 182-220.

PIRES, R. Por Dentro do PAC: arranjos, dinâmicas e instrumentos na perspectiva dos seus operadores. In: CAVALCANTE, P.; LOTTA, G. (Orgs.). Burocracia de Médio Escalão. Brasília: ENAP, 2015.

POLLITT, C.; BOUCKAERT, G. Public Management Reform: A comparative analysis-new public management, governance, and the Neo-Weberian state. Oxford: Oxford University Press, 2011.

SCANDAR NETO, W. J. Síntese que organiza o olhar: uma proposta para construção e representação de indicadores de desenvolvimento sustentável e sua aplicação para os municípios fluminenses. Dissertação (Mestrado em Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais) - Escola Nacional de Ciências Estatísticas, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Rio de Janeiro, 2006.

VAKKURI, J. Struggling with ambiguity-public managers as users of NPM instruments. Public Administration, v. 88, n. 4, p. 999-1024, 2010.

VIE, O. E. Have post-bureaucratic changes occurred in managerial work? European Management Journal, v. 28, n. 3, p. 182-194, 2010.

WILSON, J. Q. Varieties of Police Behavior: The Management of Law and Order in Eight Communities, With a New Preface by the Author. Cambridge, Massachusetts: Harvard University Press, 1968.

WOOLDRIDGE, J. M. Introdução à econometria: uma abordagem moderna. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2006.