Avaliação de Desempenho Organizacional: Um Estudo em um Hospital Universitário Público Outros Idiomas

ID:
49230
Resumo:
Este trabalho teve como objetivo avaliar como elementos do sistema de avaliação de desempenho organizacional são utilizados na rotina gerencial de um hospital universitário. Para atingir os objetivos de pesquisa foi utilizada a metodologia de estudo de caso único, tendo como fontes de dados uma entrevista com o gestor responsável pela avaliação de desempenho e pesquisa documental. Os resultados encontrados demonstraram que ainda que a avaliação de desempenho na instituição estudada apresente grande parte das características que, segundo a literatura, um sistema de avaliação deve conter, alguns desafios persistem. Isto é, mesmo que exista a relação direta da avaliação de desempenho com os resultados financeiros da instituição, o alto nível de participação da alta administração e dos setores da instituição na avaliação de desempenho, alguns problemas existem. O principal deles é o desalinhamento na escolha e categorização de alguns indicadores quando confrontados com a missão e objetivos. Propõe-se que podem ser causas desse desalinhamento a existência de feedback pontual e não global do sistema de avaliação de desempenho (SAD), o foco prioritário em controles e não em metas e objetivos e a orientação prioritária à legitimação e controle do SAD sobre a tomada de decisão estratégica.
Citação ABNT:
CHIARETO, J.; CORRÊA, H. L.; CUNHA, J. A. C. Avaliação de Desempenho Organizacional: Um Estudo em um Hospital Universitário Público. Revista Ibero-Americana de Estratégia, v. 17, n. 1, p. 112-129, 2018.
Citação APA:
Chiareto, J., Corrêa, H. L., & Cunha, J. A. C. (2018). Avaliação de Desempenho Organizacional: Um Estudo em um Hospital Universitário Público. Revista Ibero-Americana de Estratégia, 17(1), 112-129.
DOI:
10.5585/riae.v17i1.2471
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49230/avaliacao-de-desempenho-organizacional--um-estudo-em-um-hospital-universitario-publico/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Adams, C., & Neely, A. (2000). The performance prism to boost M&A success Measuring Business Excellence, 4(3), 19–23.

Ballard, D. J. (2003). Indicators to improve clinical quality across an integrated health care system. International Journal for Quality in Health Care : Journal of the International Society for Quality in Health Care / ISQua, 15 Suppl 1(October 2001), i13-23.

Behn, R. D. (2003). Why measure performance? Different purposes require different measures. Public Administration Review, 63(October), 586– 606.

Bled, Slovenia, June 15–18. Machado, S. P., & Kuchenbecker, R. (2007). Desafios e perspectivas futuras dos hospitais universitários no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 12(4), 871– 877.

Bonacim, C. A. G. & Araujo A. M. P. De. (2010). Gestão de custos aplicada a hospitais universitários públicos : a experiência do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP. Revista de Administração Pública, 44(4), 903–931.

Bonacim, C. A. G., & Araujo, A. M. P. De. (2011). Avaliação de desempenho econômico-financeiro dos serviços de saúde : os reflexos das políticas operacionais no setor hospitalar. Ciência & Saúde Coletiva, 16(Supl. 1), 1055–1068.

Bonacim, C. A. G., Araujo, A. M. P. De, Alberto, C., Bonacim, G., & Araujo, P. De. (2009). Valor econômico agregado por hospitais universitários públicos. Revista de Administração de Empresas, 49(4), 419–433.

Brasil. Ministério da Educação. (2018). Apresentação: Hospitais universitários. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/hospitais-universitarios Acesso em: 3 Abr. 2018.

Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. Secretaria de atenção a saúde. (2014). DATASUS. Recuperado em 18 abril, 2014, de http://cnes.datasus.gov.br

Carneiro da Cunha, J. A. & Correa, H. L. (2013). Avaliação de desempenho organizacional: um estudo aplicado em hospitais filantrópicos. Revista de Administração de Empresas, 53(5), 485-499.

Carneiro da Cunha, J. A., Yokomizo, C. A. & Bonacim, C. A. B. (2013). Miopias de uma lente de aumento: as limitações da análise de documentos no estudo das organizações. Revista Alcance, 20(4), 431-446.

Cervo, A. L., Bervian, P. A. & Silva, (2007). Metodologia científica. (6ª ed.). São Paulo: Pearson.

Chenhall, R. H., & Langfield-Smith, K. (2007). Multiple Perspectives of Performance Measures. European Management Journal, 25(4), 266–282. Compromisso com a qualidade hospitalar. (2014). Recuperado em 8 setembro, 2014, de http://www.cqh.org.br/portal/pag/inicial.php

Corrêa, H. L. (1986). O estado da arte da avaliação de empresas estatais. Tese de doutorado, Administração de Empresas, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo Universidade de São Paulo, São Paulo.

Davies, H. T., & Lampel, J. (1998). Trust in performance indicators? Quality in Health Care : QHC, 7(3), 159–62.

Denis, J., Langley, a, & Lozeau, D. (1991). Formal strategy in public hospitals. Long Range Planning, 24(1), 71–82.

Denton, D. K. (2005). Measuring relevant things. International Journal of Productivity and Performance Management, 54(4), 278–287.

Denzin, N. K. & Lincoln, Y. S. (Eds). (2008). Collecting and interpreting qualitative materials. 3a ed. Sage Publications.

Eddy, D. M. (1998). Performance measurement: problems and solutions. Health Affairs, 17(4), 7–25.

Edenburg, L., Hermalin, B. E., Weisbach, M. S. & Wosinska, M. (2004). Governance, performance objectives and organizational form: evidence from hospitals. Journal of Corporate Finance, 10(4), 527-548.

Edvinsson, L. & Malone, M. S. (1998). Capital intelectual: descobrindo o valor real de sua empresa pela identificação de seus valores internos. São Paulo: Makron Books.

Gerring, J. (2006). Case study research: principles and practices. Cambridge: Cambridge University Press.

Grigoroudis, E., Orfanoudaki, E., & Zopounidis, C. (2012). Strategic performance measurement in a healthcare organisation: A multiple criteria approach based on balanced scorecard. Omega, 40(1), 104–119.

Halachmi, A. (2002). Performance measurement and government productivity. Work Study, 51(2), 63– 73.

Hermann, R.C., Leff, H.S., Palmer, R.H., Yang, D., Teller, T., Provost, S., Jakubiak C. & Chan, J. (2000). Quality measures for mental health care: results from a national inventory. Medical Care Research and Review, 57(2), 136-154. Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP. Relatório de atividades 2013. Recuperado em 20 fevereiro, 2014, de http://www.hcrp.fmrp.usp.br/sitehc/informacao.asp x?id=130&ref=1&refV=1

Hourneaux Jr., F., Carneiro-da-Cunha, J. A. & Corrêa, H. L. (2017). Performance measurement and management systems: different usages in Brazilian manufacturing companies. Managerial Auditing Journal, 32(2), 148-166.

Hsieh, H. & Shannon, S. E. (2005). Three approaches to qualitative content analysis. Qualitative Health Research, 15(9), 1277-1288.

Ioan, B., Nestian, A., & Tiţă, S.-M. (2012). Relevance of Key Performance Indicators (KPIs) in a Hospital Performance Management Model. Journal of Eastern Europe Research in Business & Economics, 2012, 1–15.

ISQua, 15(6), 523–30. Marinho, A. (2001). Hospitais Universitários: indicadores de utilização e análise de eficiência. Rio de Janeiro: IPEA Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Texto para Discussão n. 833.

Jarrar, Y., & Schiuma, G. (2007). Measuring performance in the public sector: challenges and trends. Measuring Business Excellence, 11(4), 4–8.

Kaplan, R. S., & Norton, D. P. (1992). The balanced scorecard--measures that drive performance. Harvard Business Review, 70(1), 71–9.

Lebas, M. J. (1995). Performance measurement and performance management. Int. J. Production Economics, 41, 23-35.

Lins, M. E., Lobo, M. S. C., Silva, A. C. M., Fiszman, R. & Ribeiro, V. J. P. (2007). O uso da Análise Envoltória de Dados (DEA) para avaliação de hospitais universitários brasileiros. Ciência & Saúde Coletiva, 12(4), 985-998.

Lobo, M. S. C., Lins, M. P. E., Silva, A. C. N. & Fiszman, R. (2010). Avaliação de desempenho e integração docente-assistencial nos hospitais universitários. Revista de Saúde Pública, 44(4), 581-590.

Luijsterburg, J., Ham, M. V., Brouwers, E. & Smits, M. (2008). Towards Performance Indicators for the Health Care Sector. 21th Bled eConference eCollaboration: Overcoming Boundaries Through Multi-Channel Interaction.

Mainz, J. (2003). Defining and classifying clinical indicators for quality improvement. International Journal for Quality in Health Care : Journal of the International Society for Quality in Health Care /

Mariotto, F. L., Zanini, P .P. & Moraes, G. H. S. M. (2014). What is the use of a single case study in Management research? Revista de Administração de Empresas, 54(4), 358-369.

Mcdonald, B. (2012) Review of the Use of the Balanced Scorecard in Healthcare. BMcD Consulting, April.

Medici, A. C. (2001). Hospitais universitários : passado , presente e futuro. Revista Da Associação Médica Brasileira, 47(2), 149–156.

Mikušová, M., & Janečková, V. (2010). Developing and Implementing Successful Key Performance Indicators. World Academy of Science, Engineering and Technology, 42, 969–981.

Neely, A., Gregory, M., & Platts, K. (2005). Performance measurement system design: A literature review and research agenda. International Journal of Operations & Production Management, 25(12), 1228–1263.

Olson, E. M., & Slater, S. F. (2002). The balanced scorecard, competitive strategy, and performance. Business Horizons, 45(3), 11–16.

Ondategui-Parra, S., Bhagwat, J. G., Gill, I. E., Nathanson, E., Seltzer, S., & Ros, P. R. (2004). Essential practice performance measurement. Journal of the American College of Radiology : JACR, 1(8), 559–66.

Ozcan, Y. a., Lins, M. E., Lobo, M. S. C., da Silva, A. C. M., Fiszman, R., & Pereira, B. B. (2009). Evaluating the performance of Brazilian university hospitals. Annals of Operations Research, 178(1), 247–261.

Passos, C. A. & Spers, R. G. (2014). Modelo de avaliação de desempenho organizacional para pequenas e médias empresas. Revista IberoAmericana de Estratégia, 13(4), 44-58.

Perera, R., Dowell, T., Crampton, P., & Kearns, R. (2007). Panning for gold: an evidence-based tool for assessment of performance indicators in primary health care. Health Policy, 80(2), 314–27. Plataforma Brasil. Recuperado em 25 junho, 2014, de http://aplicacao.saude.gov.br/plataformabrasil/login.jsf

Rede Intergerencial de Informação para Saúde. (2008). Indicadores básicos para a saúde no Brasil: conceitos e aplicações. 2. ed. – Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde.

Rossi, G. B., Serralvo, F. A. & João, B. N. (2014). Análise de conteúdo. Revista Brasileira de Marketing, 13(4), 39-48.

Sampieri, R. H., Collado, C. F. & Lucio, P. B. (2006). Metodologia de pesquisa. 3a ed. São Paulo: McGraw-Hill.

Self, J. (2004). Metrics and management: applying the results of the balanced scorecard. Performance Measurement and Metrics, 5(3), 101–105.

Triviños, A. N. S. (2008). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas.

Urrutia, I., & Eriksen, S. D. (2005). Application of the Balanced Scorecard in Spanish private health-care management. Measuring Business Excellence, 9(4), 16–26.

World Health Organization. (2003). Measuring hospital performance to improve the quality of care in Europe: a need for clarifying the concepts and defining the mais dimensions. Report on a WHO Workshop. Barcelona, Spain, 10-11 January.

Yin, R. K. (2010). Estudo de caso: planejamento e métodos. 4a ed. Porto Alegre: Bookman.

Zhonghua, C., & Ye, W. (2012). Research Frontiers in Public Sector Performance Measurement. Physics Procedia, 25, 793–799.

Zucchi, P. & Bittar, O. J. N. V. (2002). Funcionários por leito: estudo em alguns hospitais públicos e privados. Revista de Administração em Saúde, 4(14),