Feira Nacional do Cavalo: Dinâmica Identitária e Turística em Golegã, Portugal Outros Idiomas

ID:
49234
Resumo:
O presente artigo pretende refletir sobre a importância da Feira de S. Marinho / Feira Nacional do Cavalo / Feira Internacional do Cavalo Lusitano no contexto do reforço identitário e turístico da região do Ribatejo. Em consequência, apresenta a evolução histórica da Feira, apoiada em termos metodológicos numa análise de conteúdo de notícias e artigos de jornais entre 2004 e 2015, nomeadamente O Mirante e Público online, e na programação anual da Feira, publicada no período em análise. Paralelamente, o artigo em questão faz, ainda, uma abordagem entre a Feira e o turismo, designadamente o turismo equestre.
Citação ABNT:
JOAQUIM, A. C. P.Feira Nacional do Cavalo: Dinâmica Identitária e Turística em Golegã, Portugal . Rosa dos Ventos - Turismo e Hospitalidade, v. 10, n. 2, p. 230-249, 2018.
Citação APA:
Joaquim, A. C. P.(2018). Feira Nacional do Cavalo: Dinâmica Identitária e Turística em Golegã, Portugal . Rosa dos Ventos - Turismo e Hospitalidade, 10(2), 230-249.
DOI:
http://dx.doi.org/10.18226/21789061.v10i2p230
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49234/feira-nacional-do-cavalo--dinamica-identitaria-e-turistica-em-golega--portugal-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Associação Portuguesa de Criadores do Cavalo Puro-Sangue Lusitano (2011). Catálogo 2011.

Baetica, 1(28), 413-433. Könyves, E. & Suta, E. (2009). The Importance of equestrian tourism enterprises in tourism destination management in Hungary. Applied Studies in Agribusiness and Commerce, 3(4), 25-28.

Câncio, F. (1939). Ribatejo histórico e monumental, II. Junta de Província do Ribatejo.

CMG Câmara Municipal da Golegã (2000). Golegã, na rota do cavalo, do touro e do vinho. Golegã: Município da Golegã.

Deloitte (2015a). Plano de Intervenção para Turismo Equestre no Alentejo e Ribatejo.

Deloitte (2015b). Plano de Intervenção para Turismo Equestre no Alentejo e Ribatejo.

Faria, S. (2002). O ginete ibérico. Portugal: Elo

Figueira, L. M.(2007). Desenvolvimento do turismo equestre: mitos e realidades. Estudo de caso na região de influência do Município de Golegã. Anais... I Congresso Internacional de Turismo Leiria e Oeste, Peniche, Portugal.

FITE Fédération Internationale de Tourisme Equestre (n.d.). Tourisme Equestre.

FNC Feira Nacional do Cavalo (2004; 2015). Catálogos. Município da Golegã e Associação Feira Nacional do Cavalo.

GiL, A. M. L. (2006). Las rutas ecuestres como actividad deportiva, recreativa y turística.

Lusa (2008). Turismo equestre poderá criar mais de 20 mil postos de trabalho em Portugal, 16 maio 2008.

Magalhães, N.(2015). Potencialidades do turismo equestre em Portugal. Tese. Mestrado. Instituto Politécnico de Viseu, Portugal.

Maltez, J. (2009). Relatório da Atividade Municipal-2009. Município da Golegã O Mirante (2015). Arquivo do mês de novembro entre 2004-2015.

Oliveira, C. (2010). Turismo equestre. Diagnóstico e perspectivas de desenvolvimento em Portugal. Comunicação apresentada no CIT2010 Congresso Internacional de Turismo, Património & Inovação.

Oliveira, P. (2005). A Feira da Golegã. Das origens à atualidade. Subsídios para a sua História. Golegã: Município da Golegã e Associação Feira Nacional do Cavalo.

Oliveira, P. (2006). A Vila da Golegã nos últimos 250 Anos. Golegã: Município da Golegã.

Patrão, L. (2008). A tradição equestre como elemento de valorização da oferta turística. Anais... Congresso Internacional de Turismo Equestre, Alter do Chão, Portugal.

Pickel-Chevalier S. (2015) Can equestrian tourism be a solution for sustainable tourism development in France? Loisir et Société / Society and Leisure, 38(1), 110-134.

Pla, J. A. C. (2015). Equestrian tourism in Europe. EUUQUS. Estratégia de Consolidação. Publico. (2004-2015). Arquivo do mês de novembro entre 2004-2015.

Sousa, J. (2003). Golegã, terra onde nasci.

TURIHAB (2012). Itinerários de turismo equestre. Metodologia de implementação: Estudo de caso Minho-Lima.

UNWTO World Tourism Organization (2016). A roadmap for celebrating together!

Valente, F. (2008). Turismo equestre: faltam programas e infraestruturas adequadas.