A Interação entre os Sujeitos (Comunicação) e o Processo de Construção da Sustentabilidade nas Organizações Outros Idiomas

ID:
49255
Periódico:
Resumo:
As interações sociais são frequentes e necessárias nas organizações para que diferentes atividades ocorram, por exemplo, a aplicação de um conceito, o desenvolvimento de um processo e a tomada de decisões. Para que a sustentabilidade seja vivenciada no âmbito organizacional entende-se que o desenvolvimento de processos e práticas sustentáveis depende da compreensão dos sujeitos e, necessariamente, tal entendimento perpassa pela comunicação. Diante disso, o presente ensaio busca compreender de quais maneiras a comunicação pode contribuir para a construção da sustentabilidade em contextos organizacionais. Para tal, faz-se uma análise da sustentabilidade e das abordagens comunicacionais nas organizações entendendo que a comunicação entre os sujeitos a partir de uma perspectiva interacional e, portanto, construtiva permite abarcar maior profundidade para a compreensão desse conceito nas organizações, considerando o desenvolvimento de práticas em prol da sustentabilidade na contemporaneidade.
Citação ABNT:
CAVENAGHI, L. S.; DIAS, L. S.; MARCHIORI, M. A Interação entre os Sujeitos (Comunicação) e o Processo de Construção da Sustentabilidade nas Organizações. Gestão e Sociedade, v. 12, n. 32, p. 2232-2256, 2018.
Citação APA:
Cavenaghi, L. S., Dias, L. S., & Marchiori, M. (2018). A Interação entre os Sujeitos (Comunicação) e o Processo de Construção da Sustentabilidade nas Organizações. Gestão e Sociedade, 12(32), 2232-2256.
DOI:
10.21171/ges.v13i32.2189
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49255/a-interacao-entre-os-sujeitos--comunicacao--e-o-processo-de-construcao-da-sustentabilidade-nas-organizacoes/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BALDISSERA, Rudemar. Por uma compreensão da comunicação organizacional. In: SCROFERNEKER, Cleusa M. A. (Org.). O diálogo possível: comunicação organizacional e paradigma da complexidade. Porto Alegre: Edipurs, 2008.

BALDISSERA, Rudemar. Reflexões sobre Comunicação Organizacional e Relações Públicas: Tensões, Encontros e Distanciamentos. In: XXXII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. 2009. Curitiba. Anais... Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Curitiba: Intercom/Universidade Positivo, 2009.

BARONI, Margaret. Ambigüidades e Deficiências do Conceito de Desenvolvimento Sustentável. RAE – Revista de Administração de Empresas –, v. 32, n. 2, abr.-jun., p.14-25, 1992.

BAZERMAN, M.; HOFFMAN, A. Sources of environmentally destructive behavior: Individual, organizational and institutional perspectives. Research in Organizational Behavior, 21, p. 3979, 1999.

BORIM-DE-SOUZA, R. O alinhamento entre sustentabilidade e competências em contexto organizacional. 2010. 199 fls. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de PósGraduação em Administração, Universidade Estadual de Maringá (UEM)/Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina, 2010.

CAJAZEIRA, J. E. R.; CARDOSO, C. Comunicação e ino vação: correlações e dependências.In: MARCHIORI, M. (org.). Comunicação e organização: reflexões, processos e práticas. São Caetano do Sul: Difusão, p. 269-286. 2010.

CAVENAGHI-SARÁBIA, L. Sentido Atribuído ao Processo Decisório referente a sustentabilida de em contexto organizacional. 2016. 138 fls. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina, 2016. Disponível em: < http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code =vtls000207005 > Acesso em: 20 fev./2017.

COMISSÃO MUNDIAL SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO (CMMAD). Nosso futuro comum. Rio de Janeiro: Fundação Getulio Vargas, 1988.

DEETZ, Stanley. Comunicação organizacional: fundamentos e desafios. In: MARCHIORI, M arlene (Org.). Comunicação e organização: reflexões, processos e práticas. São Caetano do Sul, SP: Difusão, p. 83-101, 2010.

DOVERS, Stephen. Sustainability: Demands on Policy . Journal of public policy. v. 16, n. 3, p.303-318, 1996.

DOVERS, Stephen; HANDMER, J. W. Uncertainty, sustainability and change. Global Environmental Change, v. 2, n. 4, p. 262-276, 1992.

FERNANDES, Karina R; ZANELLI, José Carlos. O processo de construção e reconstrução das identidades dos indivíduos nas organizações. Revista de Administração ContemporâneaRAC, v.10, n.1, p.55-72, 2006.

GODMAN, Jasmin & MICHELSEN, Gerd. Sustainability Communication – An Introduction. In: Sustainability Communication: Interdisciplinary Perspectives and Theoretical Foundations. Nova York: Springer, p. 3-11, 2011.

GOLOBOVANTE, Maria da Conceição. Sustentabilidade, cultura e comunicação: triplo desafio para as organizações. Revista Famecos, v. 17, n. 2, p. 98-107, 2010.

HABERMAS, Jürgen. Theorie des kommunikativen Handelns. 2 Bde. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1981.

HANDMER, J; DOVERS, S. A typology of resilience: rethinking i nstitutions for sustainability . Industrial and Environmental Crisis Quarterly. 9: 482 -511.1996

HANDMER, J; DOVERS, S. A typology of resilience: rethinking institutions for sustainability . Industrial and Environmental Crisis Quarterly. v9: 482 -511, 1996.

JACOBI, P. Educar para a Sustentabilidade: complexidade, reflexividade, desafios. Educação e Pesquisa. FEUSP, v.31, n.2, 2005.

JAMALI, D. Insights into the triple bottom line integration from a learning organization perspective. Business Process Management Journal , v.12, n.6, p.809-821, 2006.

JIMÉNEZ HERRERO, L. M. Desarrollo sostenible: transición hacia la coevolución global . Madrid: Pirámide Ediciones, 2000.

KUNSCH, Margarida M. Krohling. Comunicação organizacional: conceitos e dimensões dos estudos e das práticas. In: MARCHIORI, Marlene (Org). Faces da cultura e da comunicação organizacional. São Caetano do Sul: Difusão Editora, 2006.

KUNSCH, Margarida M. Relações Públicas e Comunicação Organizacional: das práticas à institucionalização acadêmica. Revista Brasileira de Comunicação Organizacional e Relações Públicas – Organicom. Ano 6, n°. 10/11. São Paulo: ECA-USP, 2009.

LEFF, Enrique. Discursos Sustentáveis. São Paulo. Cortez, 2010.

LOURENÇO, M. R.; MARCHIORI, M. Comunicação Sustentável um processo de construção da consciência dos sujeitos sobre sustentabilidade. In: I Congresso Brasileiro de Estudos Organizacionais, 2013, Fortaleza. Anais... Fortaleza: SBEO, 2013.

MARCHIORI, Marlene. Reflexões Iniciais sobre a Comunicação como Processo nas Organizações da Contemporaneidade. In: XXXIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2010, Caxias do Sul. Anais.... São Paulo: Intercom, 2010.

MEBRATU, D. Sustainability and sustainable development: historical and conceptual review. Environmental Impact Assessment Review, v. 18, n. 6, p. 493–520, 1998.

MIKHAILOVA, I.. Sustentabilidade: evolução de conceitos teóricos e problemas da mensuração prática. Economia e Desenvolvimento (Santa Maria), v. n.16, p. 22-41, 2004

MONTIPELLER FILHO, G. Empresas, desenvolvimento e ambiente: diagnóstico e diretrizes de sustentabilidade. Barueri: Manole, 2007

MUNCK, L; BORIM-DE-SOUZA, R. Responsabilidade social empresarial e sustentabilidade organizacional: a hierarquização de caminhos estratégicos para o desenvolvimento sustentável. REBRAE. Revista Brasileira de Estratégia, Curitiba, v. 2, n. 2, p. 185-202, 2009.

MUNCK, Luciano. Gestão da Sustentabilidade nas organizações: um novo agir frente à lógica das competências. São Paulo, 2013.

OLIVEIRA, Ivone de Lourdes; MOURÃO, Isaura. Comunicação Organiz acional: Análise dos Constructos Teóricos e a Práxis no discurso. Conexão: comunicação e cultura, Caxias do Sul, v. 15, n. 29, jan./jun.p. 189-208. 2016.

OLIVEIRA, Ivone Lourdes; PAULA, Maria Aparecida de. O que é comunicação estratégica nas organizações? São Paulo: Paulus, 2007.

OSORIO, Leonardo Alberto Rios; LOBATO, Manuel Ortiz; CASTILLO, Xavier Alvarez Del. Debates on sustainable development: towards a holistic view of reality. Environment, Development and Sustainability, v. 7, p. 501-518, 2005.

PACHANO, Yeraldyne. Comunicación para la sustentabilidad. Proyección del paisaje cultural. Quórum Acadêmico. Universidad del Zulia,V. 9, n 2, p. 315 – 331, 2012.

REDCLIFT, Michael R. Sustainable development (1987 -2005) – an oxymoron comes of age. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, n. 25, p. 65-84, jan.-jun. 2006.

REIS, Maria Carmo; COSTA, Dulcemar. A zona de interseção entre o campo da comunic ação e o dos estudos organizacionais. In: XV Encontro da COMPÓS 2006. Brasil: Bauru, São Paulo. Anais... Bauru: UNESP, 2006 I CD-ROM (Trabalho apresentado no GT Epistemologia da Comnicação).

REPA, Luiz. Jurgen Habermas e o Modelo Recontrutivo de Teoria Crítica. In. NOBRE, Marcos. Curso livre de Teoria Crítica. Campinas, Papirus, 2008.

RIBEIRO, Regiane R.; MARCHIORI, Marlene; CONTANI, Miguel . Comunicação e reflexividade nas organizações. Faces da Cultura e da Comunicação Organizacional. Sao Caetano: Difusão Editora, 2010, v. 2.

ROSSETTI, Regina; Giacomini Filho, Gino. Comunicação, consenso social e consumo sustentável. Comunicação, Mídia e Consumo. São Paulo, v.7 n.18 p.153-169 mar. 2010.

SACHS, I. Caminhos para o desenvolvimento sustentável . Rio de Janeiro. 2002.

SACHS, Ignacy. Desenvolvimento includente, sustentável, sustentado . Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

SANTA CRUZ, Lucia. O lugar da Comunicação na sust entabilidade. Desafio Sustentável, v. 1, p. 4, 2009.

SHWOM, R. Strengthening Sociological Perspectives on Organizations and the Environment.