Controle Interno em Empresas Familiares de Pequeno Porte: Uma Aplicação do Modelo COSO II

ID:
49321
Resumo:
A utilização do controle interno nas empresas tem, entre seus objetivos, salvaguardar os ativos da empresa e sua utilização pode ajudar no desenvolvimento das mesmas. Dessa forma, o presente estudo objetivou evidenciar os procedimentos do controle interno da empresa familiar, em relação ao modelo COSO II, e demonstrar os pontos de aderências e/ou divergências do controle interno da entidade. A pesquisa se caracterizou como descritiva e quali-quantitativa. Em relação aos métodos, foram utilizadas fontes bibliográficas, através da consulta em materiais relacionados ao estudo, e classificado como estudo de caso por ter sido realizado dentro de uma empresa com a participação de todos os setores envolvidos no processo. A coleta de dados foi realizada através de questionário, com perguntas objetivas aplicadas aos donos e funcionários da empresa em estudo. As informações coletadas foram tratadas e trabalhadas a fim de se chegar à resposta da questão: Como são utilizados os procedimentos operacionais do controle interno na empresa familiar em relação ao modelo COSO II? A partir das análises dos dados, conclui-se que os procedimentos operacionais do controle interno da empresa, em relação ao modelo COSO II, estão aderentes em 89,37% dos procedimentos. Entretanto, alguns procedimentos não estão de acordo com o modelo, apresentando a necessidade de melhorias e atualizações, visto que, na prática, o controle interno em pleno funcionamento ajuda aos gestores na tomada de decisões da organização.
Citação ABNT:
AYRES, L. C. N.; CRUZ, V. L.; SANTOS, R. R. D.; LEONE, R. J. G. Controle Interno em Empresas Familiares de Pequeno Porte: Uma Aplicação do Modelo COSO II . Revista da Micro e Pequena Empresa, v. 12, n. 1, p. 3-17, 2018.
Citação APA:
Ayres, L. C. N., Cruz, V. L., Santos, R. R. D., & Leone, R. J. G. (2018). Controle Interno em Empresas Familiares de Pequeno Porte: Uma Aplicação do Modelo COSO II . Revista da Micro e Pequena Empresa, 12(1), 3-17.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21714/19-82-25372018v12n1p317
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49321/controle-interno-em-empresas-familiares-de-pequeno-porte--uma-aplicacao-do-modelo-coso-ii-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ATTIE, W. Auditoria: um curso moderno e completo, 8. ed. Atlas, 2012.

BARBOSA, T. A. M. Os sistemas de controles internos utilizados nas contas a receber das empresas de comércio de autopeças: o caso da empresa Eletropel Distribuidora de Autopeças LTDA. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Contábeis), Universidade Federal de Goiás, Goiás, 2014.

BORGES, A. F.; LESCURA, C.; OLIVEIRA, J. L. de. O campo de pesquisas sobre empresas familiares no Brasil: análise da produção científica no período 1997-2009. Organizações & Sociedade Salvador, v.19 n.61, p. 315-332 – Abr./Jun. 2012.

BORNHOLDT, Werner. Governança na empresa familiar: implementação e prática. Porto Alegre: Artmed, 2005.

BRASIL. Lei Complementar nº 123, de 14 de Dezembro de 2006. Institui o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte; altera dispositivos das Leis no 8.212 e 8.213, ambas de 24 de julho de 1991, da Consolidação das Leis do Trabalho CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, da Lei no 10.189, de 14 de fevereiro de 2001, da Lei Complementar no 63, de 11 de janeiro de 1990; e revoga as Leis no 9.317, de 5 de dezembro de 1996, e 9.841, de 5 de outubro de 1999. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LCP/Lcp123.htm> Acesso em 26 ago. 2017.

CANNAVINA, V. C.; PARISI, C. Gestão pública em entidades brasileiras: adequação dos procedimentos de controles internos às normas COSO/INTOSAI. Revista Universo Contábil, v. 11, n. 3, p. 6-26, 2015.

CARVALHO NETO, A. A. de; SILVA; L. de C. Critérios gerais de controle interno na administração pública – um estudo dos modelos e das normas disciplinadoras em diversos países. 2009.

COMISSION. Gerenciamento de riscos corporativos estrutura Integrada: Sumário Executivo. São Paulo: PriceWaterHouseCoopers, 2007.

COMISSION. Internal Control. Executive Summary United States of America, 2013a.

COMISSION. Internal Control – Integrated Framework. Executive Summary United States of America, 2013.

COSO – COMMITTEE OF SPONSORING ORGANIZATIONS OF THE TREADWAY

COSO – COMMITTEE OF SPONSORING ORGANIZATIONS OF THE TREADWAY

COSO – COMMITTEE OF SPONSORING ORGANIZATIONS OF THE TREADWAY

CREPALDI, S. A. Auditoria contábil: teoria e prática. 9. ed. Atlas, 2013

FARIAS, R. P; DE LUCA, M. M. M.; MACHADO, M. V. V. A metodologia COSO como ferramenta de gerenciamento dos controles internos. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 12, n. 3, p. 55-71, 2010.

FREITAS, E. C.; BARTH, M. Profissionalização da gestão das empresas familiares: estagnar ou inovar? G&DR. v. 7, n. 3, set./dez//2011. p. 158-185.

FRUTUOSO, André Luiz. Sistema de Controle Interno em Empresa Familiar: um estudo de caso. 2004. 55f. Monografia (Bacharel em Ciências Contábeis) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

GANDRA, I. Empresas Familiares Brasileiras. São Paulo: Negócio, 1999.

IIA The Institute of Internal Auditors. Práticas para o Exercício Profissional da Auditoria Interna. São Paulo: Audibra, 2016.

LEONE, R. J. G.; LEONE, N. M. de C. P. G. Pequenas e Médias Empresas: Contribuições para a discussão sobre por que e como medir o seu tamanho. RaUnP. Ano IV, n. 1 out. 2011/mar. 2012.

LORENZONI, R.; VIEIRA, E. T. V. O controle interno e a auditoria como ferramenta de desenvolvimento nas micro e pequenas empresas. Revista Gestão e Desenvolvimento em Contexto. v. 1, n. 1, 2013.

MORAES FILHO, A. C. T. Gestão e sucessão de empresas familiares: uma revisão de literatura. Dissertação (Mestrado em Gestão Empresarial). Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2009.

NUNES, W. Sistemas de Controle Interno em Empresas de Pequeno Porte. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharel em Ciências Contábeis). Centro Socioeconômico, Universidade Federal de Santa Catarina, 2012.

OLIVEIRA, A. G. de. Controladoria e Empresas Familiares Brasileiras: um estudo de caso em uma organização do agronegócio do estado de Mato Grosso. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis). Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado – FECAP. São Paulo, 2017.

OLIVEIRA, A. G. de.; MÜLLER, A. N.; NAKAMURA, W. T. A utilização das informações geradas pelo Sistema de Informação Contábil como subsídio aos processos administrativos nas pequenas empresas. Rev. FAE, Curitiba, v.3, n.3, p.1-12, set./dez. 2000.

OLIVEIRA, D. de P. R. de. Empresa familiar. São Paulo: Atlas, 2010.

PEREZ, J.; HERNANDEZ, J. H. Auditoria de Demonstrações Contábeis: normas e procedimentos, 5. ed. Atlas, 2011.

SILVA, F. C. da. O Controle Interno nas Pequenas e Medias Empresas. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Contábeis). Faculdade Cearense – FAC. Fortaleza, 2013.

SILVA, P. C. da. Controles Internos Importantes para a gestão de micro e pequenas empresas: estudo multicaso em empresas do setor de serviços e suprimentos de informática. 2007. 68p. Monografia (Bacharel em Ciências Contábeis) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.

SOUZA JUNIOR, M. de; SILVA, M. Gestão Pública Estadual: Percepção dos gestores sobre a qualidade dos controles internos. Revista Catarinense da Ciência Contábil. v. 15, n. 46, 2016.