Análise dos Critérios Utilizados em Relação aos Estoques Obsoletos em uma Empresa Atacadista Outros Idiomas

ID:
49388
Resumo:
Considerando que a gestão e o controle dos estoques são processos fundamentais para organizações que querem seguir competitivas no mercado atual tão concorrido, o presente estudo teve como objetivo conhecer os procedimentos utilizados por uma empresa do ramo atacadista, em relação à provisão de estoques obsoletos, bem como verificar se as regras aplicadas estão de acordo com a legislação vigente. Para tanto, o método de trabalho adotado foi o indutivo-dedutivo, com abordagem quanti-qualitativa, por meio de pesquisa de campo do tipo estudo de caso, empregando como referencial os documentos da própria empresa, além de livros e artigos relevantes à temática. Como resultado, foi possível constatar que o conceito de estoque obsoleto utilizado pela empresa diverge dos conceitos apresentados na literatura e também na legislação contábil. No entanto, não foi possível mensurar os impactos dos estoques obsoletos sobre o resultado, devido à utilização de conceito comercial para apurar o valor para provisão.
Citação ABNT:
LEMES, E. A.; LIMA, E. M. Análise dos Critérios Utilizados em Relação aos Estoques Obsoletos em uma Empresa Atacadista. Revista Mineira de Contabilidade, v. 19, n. 1, p. 68-79, 2018.
Citação APA:
Lemes, E. A., & Lima, E. M. (2018). Análise dos Critérios Utilizados em Relação aos Estoques Obsoletos em uma Empresa Atacadista. Revista Mineira de Contabilidade, 19(1), 68-79.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49388/analise-dos-criterios-utilizados-em-relacao-aos-estoques-obsoletos-em-uma-empresa-atacadista/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ACCIOLY, Felipe; AYRES, Antônio de Pádua S.; SUCUPIRA, Cezar. Gestão de estoques. Rio de Janeiro: FGV, 2008.

ARNOLD, J. R. Tony. Administração de materiais. São Paulo: Atlas, 2009.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ATACADISTAS E DISTRIBUIDORES DE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS (ABAD). 2016. Dados do setor. Disponível em: . Acesso em: 25 ago. 2016.

BALLOU, Ronald H. Gerenciamento da cadeia de suprimentos/logística empresarial. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

BOWERSOX, Donald J.; CLOSS, David J.; COOPER, M. Bixby. Gestão da cadeia de suprimentos e logística. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

BRASIL. Decreto n. 3.000, de 26 de março de 1999. Regulamenta a tributação, fiscalização, arrecadação e administração do Imposto de Renda e Proventos de Qualquer Natureza. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2016.

BRASIL. Lei n. 9.249, de 26 de dezembro de 1995. Altera a legislação do imposto de renda das pessoas jurídicas, bem como da contribuição social sobre o lucro líquido, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2016.

CAMAROTTO, Márcio Roberto. Gestão de atacado e varejo. Curitiba: IESDE Brasil, 2009.

CATTI, James P. IFRS: guia de aplicação do valor justo. Porto Alegre: Bookman, 2013.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS (CPC). CPC 16 – Estoques. Disponível em: . Acesso em: fev. 2017.

DANNORITZER, Cosima. A história secreta da obsolescência programada: comprar, tirar, comprar. Disponível em: . Acesso em: 5 set. 2016.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia da ciência. São Paulo: Atlas, 1985.

DIAS, Marco Aurélio P. Administração de materiais: princípios, conceitos e gestão. São Paulo: Atlas, 2010.

DONATO, Felipe Alberto Simas; BARON, Guilherme Daudt; PEREZ, André da Costa. O impacto do planejamento e gerenciamento de estoque no resultado financeiro: estudo de caso Whirlpool S. A. – Unidade Embraco. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 27, 2007, Foz do Iguaçu. Anais... Foz do Iguaçu: ENEGEP, 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2016.

FEMENICK, Tomislav R. Controladoria e auditoria de estoques: para negócios globalizados. Curitiba: Juruá, 2011.

FIGUEIREDO, Kleber Fossati; FLEURY, Paulo Fernando; WANKE, Peter. (Orgs.). Logística empresarial: a perspectiva brasileira. São Paulo: Atlas, 2003.

GITMAN, Lawrence J. Princípios de administração financeira. 10. ed. São Paulo: Pearson Adison Wesley, 2004.

HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Salles. Minidicionário da língua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004.

MARTINS, Eliseu; GELBKE, Ernesto Rubens; SANTOS, Ariovaldo dos; IUDÍCIBUS, Sérgio de. Manual de contabilidade societária (aplicável a todas as sociedades). 2. ed. São Paulo: Atlas, 2013.

MARTINS, Gilberto de Andrade; THEÓPHILO, Carlos Renato. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 2007.

MOREIRA, Daniel Augusto; IHY, Mauro Takeo. Gerenciamento do abastecimento de mercadorias: estudo de caso da reposição automática do Makro Atacadista S. A. Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 3, n. 2, p. 5-22, 2006.

OLIVEIRA, Luís Martins de; PEREZ JR., José Hernandez; CHIEREGATO, Renato; BEZERRA, Marliete Gomes. Manual de contabilidade tributária. 12. ed. São Paulo: Atlas, 2013.

POZO, Hamilton. Administração de recursos materiais e patrimoniais: uma abordagem logística. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

ROSSETTI, Eraida Kliper; BARROS, Mauricio Sebastião de; TÓDERO, Mirele; DENICOL JÚNIOR, Silvio; CAMARGO, Maria Emilia. Sistema Just In Time: Conceitos imprescindíveis. Revista Qualit@s vol. 7, n. 2 (2008).

TADEU, Hugo Ferreira Braga (Org.). Gestão de estoques: fundamentos, modelos matemáticos e melhores práticas aplicadas. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

TOMASELLI, Mauro. Estoques obsoletos: melhor sem eles. Revista Intelog, dez. 2007. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2016.

VIANA, João José. Administração de materiais: um enfoque prático. São Paulo: Atlas, 2010.

WOLF, Wagner Rossales; GOMES, Leonardo de Carvalho. Estudo sobre obsolescência de produtos e principais causas: o caso de uma rede de farmácias do Rio Grande do Sul. Revista de Gestão UPDATE, Porto Alegre, n. 1, jan./jun. 2015. Disponível em: . Acesso em: 17 ago. 2016 .

ZUFFO, João Antonio. A sociedade e a economia do novo milênio: os empregos e as empresas no turbulento alvorecer do século XXI. Barueri: Manole, 2004.