Assessoria Secretarial: Atuação na Atualização da Matriz Curricular do Curso de Graduação de Ciências da Administração de uma IES Pública Federal Outros Idiomas

ID:
49459
Resumo:
Nas últimas décadas, a globalização incutiu profundas mudanças no mercado de trabalho e essa nova realidade pressionou as instituições de ensino a formularem suas matrizes curriculares com uma frequência maior, para atender às novas demandas inerentes à formação profissional do acadêmico. Dessa maneira, neste estudo, o objetivo é verificar como o profissional de Secretariado Executivo pode assessorar a Coordenação do curso de graduação em Ciências da Administração da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), na atualização do currículo do curso. No que se refere aos métodos e às técnicas de pesquisa, o estudo adota a abordagem qualitativa e é descritivo quanto aos objetivos. No que se refere à estratégia, é um estudo de caso, que utilizou como técnicas de coleta de dados a bibliográfica, a documental e a observação participante. O processo de assessoria foi realizado em quatro etapas, a quais tinham como objetivo comparar matrizes curriculares de cursos de excelência de graduação em Administração com a matriz do curso de administração da UFSC, a fim de identificar elementos diferenciadores. Ao fim dos trabalhos, identificou-se que a matriz curricular não pode ser utilizada como base única para atualização do curso da UFSC, visto que não foram encontradas diferenças consideráveis entre os currículos. Desse modo, acredita-se que o fato de as demais instituições estarem ranqueadas com pontos superiores aos da UFSC deve-se a uma combinação de fatores, dentre os quais pode ou não estar incluída a questão da matriz curricular.
Citação ABNT:
GRASEL, A. C.; MARTINS, C. B.; MOREIRA, K. D.; GHELLER, M. G.; SILVA, A. O. Assessoria Secretarial: Atuação na Atualização da Matriz Curricular do Curso de Graduação de Ciências da Administração de uma IES Pública Federal . Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, v. 10, n. 1, p. 27-54, 2018.
Citação APA:
Grasel, A. C., Martins, C. B., Moreira, K. D., Gheller, M. G., & Silva, A. O. (2018). Assessoria Secretarial: Atuação na Atualização da Matriz Curricular do Curso de Graduação de Ciências da Administração de uma IES Pública Federal . Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, 10(1), 27-54.
DOI:
10.24023/FutureJournal/2175-5825/2018.v10i1.320
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49459/assessoria-secretarial--atuacao-na-atualizacao-da-matriz-curricular-do-curso-de-graduacao-de-ciencias-da-administracao-de-uma-ies-publica-federal-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Administradores.com. (2016). Administração é o maior curso do Brasil em número de ingressantes, aponta INEP. http://www.administradores.com.br/noticias/academico/administracao-eo-maior-curso-do-brasil-em-numero-de-ingressantes-aponta-inep/114111

Barella, T. (2015). Estrutura e funcionamento do ensino superior brasileiro – Paulo Nathanael P. Souza. https://pt.scribd.com/doc/61089595/Estrutura-e-Funcionamento-DoEnsino-Superior-Brasileiro-1

Bertero, C. O. (2006). Ensino e pesquisa em Administração. GVPesquisa. http://gvpesquisa.fgv.br/sites/gvpesquisa.fgv.br/files/publicacoes/Ensino%20e%20Pesquisa%20em%20Administra%C3%A7%C3%A3o.pdf

Braga, G. B.; Olher, B. S.; Reis, F. N. S. C.; de Oliveira, A. R. (2011). Análise da formação curricular dos cursos de administração oferecidos por instituições federais na Zona da Mata mineira à luz da resolução CNE/CES n 4 de 13 de julho de 2005. Revista Administração em Diálogo - RAD, 13(3). https://revistas.pucsp.br/index.php/rad/article/viewFile/7796/5688

Brasil. (2001). Decreto nº 3.860, de 9 de julho de 2001. https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2001/d3860.htm

Brasil. (2005). Resolução nº 4, de 13 de julho de 2005. http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces004_05.pdf

Brun, A.; Cechet, G.; Neumann, S. (2012). Gestão secretarial: a evolução das funções do profissional de secretariado e a efetividade da inteligência emocional nos processos de trabalho. Revista do Secretariado Executivo, 8(8), 36-51. http://www.upf.edu.br/seer/index.php/ser/article/view/3024/2030

Caldas, J. B.; Santos, M. F. S. (2012). As ferramentas da prática da gestão secretarial utilizadas pelos profissionais de secretariado executivo egressos na Universidade do Estado do Pará. Revista do Secretariado Executivo, (8), 62-74. http://www.seer.upf.br/index.php/ser/article/view/3026/2032

Camargo, M.; Warmuth, D.; Maito, E. A.; Angnes, J. S. (2015). O perfil do profissional de secretariado executivo frente às organizações que praticam a responsabilidade social. Revista Capital Científico-Eletrônica - RCCҽ, 13(2), 96-111.

Conselho Federal de Administração. (2016). História da profissão. http://www.cfa.org.br/administracao/historia-da-profissao

D’Elia, M. E. S. (2000). Perfil atual do profissional do secretariado. http://www.fenassec.com.br/c_artigos_perfil_atual_profissional_secretaria do.html

Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas - Ebape. (2016). História. http://ebape.fgv.br/institucional/historia

Faria, D. A. A.; Pacheco, F. L. (2013). O secretário executivo e a tomada de decisão em uma instituição de ensino superior do estado de Sergipe. Revista de Gestão e Secretariado, 4(1), 104-125. https://www.revistagesec.org.br/secretariado/article/view/141/pdf

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. (4a ed.). São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. (2012). Como classificar as pesquisas? http://www.ngd.ufsc.br/files/2012/04/ric_CLASSIFICAPESQUISAGIL.doc

Jesus, A. R. D. (2008). Currículo e educação: conceito e questões no contexto educacional. http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2008/anais/pdf/642_840.p df

Lemos, D. C.; Bazzo, W. A. (2011). Administração como uma ciência social aplicada: integrando ciência, tecnologia e sociedade no ensino de administração. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 5(3), 1-14. http://www.redalyc.org/html/4417/441742843001/

Lima, M. A. D. D. S.; Almeida, M. C. P. D.; Lima, C. C. (1999). A utilização da observação participante e da entrevista semi-estruturada na pesquisa em enfermagem. Revista Gaúcha Enfermagem, 20(n. esp.), 130-142. http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/23461/000265980.pdf ?sequenc

Mata, M. A. (2009). O papel do secretário executivo na estrutura organizacional e na condução das relações humanas. In K. A. Portela, & A. Schumacher (Orgs.), Gestão secretarial: o desafio da visão holística. (pp. 221-245). Cuiabá: Adeptus.

Monteiro, C.; Cecatto, Q. C.; Gardin, D. A. O. (2015). O profissional de secretariado e a responsabilidade socioambiental: a importância da assessoria executiva. Revista de Gestão e Secretariado, 6(2), 134-157. http://www.redalyc.org/html/4356/435643524007/

Morais, C. M. M. (2005). Escalas de medida, estatística descritiva e inferência estatística. https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/7325/1/estdescr.pdf

Neves, C. E. B. (2012). A estrutura e funcionamento do ensino superior no Brasil. Construindo um aprendizado. https://construindoumaprendizado.files.wordpress.com/2012/11/aestrutura-e-o-funcionamento-do-ensino-superior-no-brasil.pdf

Nicolini, A. M. (2003). Qual será o futuro das fábricas de administradores? Revista de Administração de Empresas - RAE, 43(2), 44-54. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S003475902003000200003&script=sci_arttext

Nonato Júnior, R. (2009). Epistemologia e teoria do conhecimento em secretariado executivo: a fundação das ciências da assessoria. Fortaleza: Expressão Gráfica.

Oliveira, A. l.; Lourenço, C. D. S.; Castro, G. C. (2015). Ensino de administração nos EUA e no Brasil: uma análise histórica. Revista Pretexto, 16(1), 11-22. http://www.fumec.br/revistas/pretexto/article/view/1830

Ordorika, I.; Gómez, R. R. (2010). El ranking Times en el mercado del prestígio universitario. Perfiles Educativos, XXXII(129), 8-22. http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S018526982010000300002

Pinto, V. R. R.; Motter Júnior, M. D. (2012). Uma abordagem histórica sobre o ensino da administração no Brasil. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 6(4), 1-28. http://www.redalyc.org/pdf/4417/441742847002.pdf

Sacristán, J. G. (1999). Poderes instáveis em educação. Porto Alegre: Artmed.

Scherer, C.; Rempel, C.; Martins, S. N.; Haetinger, C. (2012). Importância de um secretário executivo no preenchimento do aplicativo coleta de dados Capes. Revista de Gestão e Secretariado, 3(1), 54-67. https://search.proquest.com/openview/f20ce581b2f527c39512622f610e9 1c5/1?pq-origsite=gscholar&cbl=1686336

Silva, M. R.; Fischer, T. (2008). Ensino de Administração: um estudo da trajetória curricular de cursos de graduação. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração – ENANPAD, 32, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Silva, T. T. D. (2007). Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. (2a ed.). Belo Horizonte: Autêntica.

Souza, E. X. D.; Salgueiro, M. A. D. A.; Silva, D. S. D. (2013). Estudo comparativo das matrizes curriculares das IES de Alagoas frente ao resultado do Exame de Suficiência para Contadores. Convibra. http://www.convibra.com.br/upload/paper/2013/81/2013_81_6962.pdf

Yin, R. K. (2001). Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman.