A Percepção dos Atuais e Futuros Gestores da Região do Triângulo Mineiro sobre as Práticas de Corrupção no Cotidiano e no Ambiente Organizacional Outros Idiomas

ID:
49548
Resumo:
Este estudo analisou a percepção dos atuais e futuros gestores em relação às diferentes condutas ilícitas cotidianas e organizacionais, classificando-as em corrupção branca (jeitinho), cinza (malandragem) ou preta (ato de corrupção). Foi realizada uma Survey com estudantes de universidades públicas e privadas da região do Triângulo Mineiro. Os resultados evidenciaram que 75,7% da amostra alegaram utilizar-se do “jeitinho” para se dar bem e que há uma maior rigor com atos corruptos (corrupção preta) nas organizações que nas situações cotidianas, classificadas como malandragem (corrupção cinza). Revelou, ainda, diferenças de percepção em relação aos dados demográficos.
Citação ABNT:
FREIRE, D. A. L.; MARTINS, R. M.; LOPES, V. R. A Percepção dos Atuais e Futuros Gestores da Região do Triângulo Mineiro sobre as Práticas de Corrupção no Cotidiano e no Ambiente Organizacional. Revista de Carreiras e Pessoas, v. 8, n. 2, p. 227-238, 2018.
Citação APA:
Freire, D. A. L., Martins, R. M., & Lopes, V. R. (2018). A Percepção dos Atuais e Futuros Gestores da Região do Triângulo Mineiro sobre as Práticas de Corrupção no Cotidiano e no Ambiente Organizacional. Revista de Carreiras e Pessoas, 8(2), 227-238.
DOI:
http://dx.doi.org/10.20503/recape.v8i2.36069
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49548/a-percepcao-dos-atuais-e-futuros-gestores-da-regiao-do-triangulo-mineiro-sobre-as-praticas-de-corrupcao-no-cotidiano-e-no-ambiente-organizacional/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABRAMO, C.W. Percepções pantanosas. A dificuldade de medir a corrupção. Novos EstudosCebrap, n. 73, p. 33-37, nov. 2005.

ALBRECHT, C., MALAGUENO, R., HOLLAND, D., SANDERS, M., A cross-country perspective on professional oversight, education standards and countries perceived level of corruption. An International Journal, v. 19, n. 4, p. 433-454, 2012.

ALCADIPANI, R.; CRUBELLATE, J. M. Cultura organizacional: generalizações improváveis e conceituações imprecisas. Revista de Administração de Empresas, v. 43, n. 2, p. 64-77, 2003.

ALMEIDA, A. C.; YOUNG, C. Corrupção: com jeitinho parece que vai. In: ALMEIDA, A. C. A cabeça do brasileiro. Rio de Janeiro, 2007.

BEZERRA, M.O. Corrupção: um estudo sobre o poder público e relações pessoais no Brasil. Rio de Janeiro: Anpocs/ RelumeDumara, 1995.

BORINI, F. M.; GRISI, F. C. A corrupção no ambiente de negócios: survey com as micro e pequenas empresas da cidade de São Paulo. Revista de Administração RAUSP, v. 44, n. 2, p. 102-117, 2009.

BREI, Z. Corrupção: dificuldades para definição e para um consenso. Revista de Administração Pública, v. 30, n. 1, p. 64-77, 1996.

CHU, R. A.; WOOD JR, T. Cultura organizacional brasileira pós-globalização: global ou local?. Revista de Administração Pública, v. 42, n. 5, p. 969-991, 2008.

DA MATTA, R. O que faz o brasil, Brasil?. Rio de Janeiro: Rocco, 1984.

FILGUEIRAS, F. A corrupção na política: perspectivas teóricas e metodológicas. Cadernos Cedes, v. 5, 2006.

FILGUEIRAS, F. A tolerância à corrupção no Brasil: uma antinomia entre normas morais e prática social. Opinião Pública, Campinas, v. 15, n. 2, p. 386-421, 2009.

FLACH, L. O jeitinho brasileiro: analisando suas características e influências nas práticas organizacionais. Revista Gestão e Planejamento, v. 12, n. 3, p. 299-514, 2012.

FREITAS, A. B. de. Traços brasileiros para uma análise organizacional. In: MOTTA, F. P.; CALDAS, M. Cultura Organizacional e Cultura Brasileira. São Paulo: Atlas, p. 38-54, 1997.

GNOATO, G. A lei do “jeitinho brasileiro”: um estudo longitudinal. Revista do Instituto do Direito Brasileiro, v. 3, n. 5, p. 3439-3461, 2014.

HEIDENHEIMER. A.J. Perspectives in the perception of corruption. In: HEIDENHEIMER, A.J. Political Corruption: Readings in Comparative Analysis. New York: Hold, Rinehart and Wilston, p.18-28, 1970.

JANZANTTI, P. H. F. Jeitinho brasileiro: corrupção. In: IX Concurso Econoteen de Ensaios FEA/USP. São Paulo, 2013. Disponível em: . Acesso em: 19 ago. 2016.

JOHNSTON, M. The search for definitions: the vitality of politics and the issue of corruption. International Social Science Journal, v. 48, n. 3, p. 321-335, 1996.

MOTTA, F. C. P. Cultura e organizações no Brasil. São Paulo: Núcleo de Pesquisas e Publicações EAESP/FGV. 1996. 18 p. Relatório de pesquisa.

MOTTA, F. C. P.; ALCADIPANI, R. Jeitinho brasileiro, controle social e competição. Revista de Administração de Empresas, v. 30, n. 1, p. 6-12, 1999.

MOTTA, F. P. Organizações e sociedade: a cultura brasileira. Organizações & Sociedade, v. 10, n. 26, p. 13-17, 2003.

NYE, J. S. Corruption and political development: a cost benefit analysis. American Political Science Review, v. 61, n. 2, p. 417-427, 1967.

OLIVEN, R. G. Cultura Brasileira e Identidade Nacional (O Eterno Retorno). In: MICELI, Sérgio. O que ler na ciência social brasileira, p. 15-43, 1970.

ORTIZ, R. Imagens do Brasil. Revista Sociedade e Estado, v. 28, n. 3, p. 609-633, 2013.

PEDROSO, J. P. P.; MASSUKADO-NAKATANI, M. S.; MUSSI, F. B. A relação entre o jeitinho brasileiro e o perfil empreendedor: possíveis interfaces no contexto da atividade empreendedora no Brasil. Revista de Administração Mackenzie, v. 10, n. 4, p. 100-130, 2009.

PIRES, J. C. S.; MACÊDO, K. B. Cultura organizacional em organizações públicas no Brasil. Revista de Administração Pública, v. 40, n. 1, p. 81-105, 2006.

PRADO, M. C. A. ‘Jeitinho’ e cultura organizacional brasileira: ultrapassando a abordagem de integração. São Paulo, FGV-EASP/GVPesquisa. 2005. 60p. Relatório de Pesquisa.

SCOTT, J. C. Comparative political corruption. Englewood Cliffs: Prentice-Hall, 1972.

SILVA, M.F.G. Corrupção e desempenho econômico. Cadernos Adenauer, n. 10, 2000.

SILVA, M.F.G. da. A economia política da corrupção: o escândalo do orçamento. In: Relatório ESASP/ FGV/NPP. São Paulo: Fundação Getúlio Vargas, n.3, 1995.

SPECK, B.W. Mensurando a corrupção: uma revisão de dados provenientes de pesquisas empíricas. Cadernos Adenauer, n. 10, 2000.

THEOBALD, R. Corruption, development and underdevelopment. Durham, North Carolina: Duke University Press, 1990.

VIEIRA, C. A.; COSTA, F. L. da; BARBOSA, L. O. O ‘jeitinho’ brasileiro como um recurso de poder. Revista de Administração Pública, v. 16, n. 2, p. 5-31, 1982.

VIEIRA, V. A. As tipologias, variações e características da pesquisa de marketing. Revista da FAE, v. 5, n. 1, p. 61-70, 2002.

WILLIAMSON, O. The mechanisms of governance. Oxford: Oxford University Press, 1996.