Produção Científica do Grupo de Pesquisa em Secretariado Executivo Bilíngue Rumo ao 'Stricto Sensu: Mutatis Mutandis' Outros Idiomas

ID:
49572
Resumo:
O Grupo de Pesquisa em Secretariado Executivo Bilíngue – GPSEB, da Unioeste, busca contribuir com a área secretarial, desenvolvendo uma proposta de programa stricto sensu. Para tanto, é fundamental que haja estreita relação entre as produções científicas dos membros pesquisadores e as linhas de pesquisa do grupo. Assim, este estudo tem como objetivo analisar a compatibilidade existente entre as produções científicas dos pesquisadores do GPSEB e as linhas de pesquisa do grupo no quadriênio (2013-2016). Este estudo é importante para o referido grupo, dada a possibilidade de ajustes e realinhamentos nas produções desenvolvidas. Para alcançar o objetivo, o referencial teórico discorre sobre o cenário da produção científica secretarial no Brasil e ainda sobre aspectos fundamentais para a abertura de programas stricto sensu, a partir da análise da Capes. Em termos metodológicos, realizou-se uma pesquisa de abordagens qualitativa e quantitativa, sendo um estudo de caráter estatístico-descritivo. O objeto de análise contemplou as produções científicas dos pesquisadores do GPSEB no período de 20132016, a partir de busca nos currículos Lattes dos pesquisadores. Os principais resultados apontam que os pesquisadores apresentam possibilidades para ofertar um programa de mestrado, contudo, aspectos importantes necessitam ser realinhados. Dentre eles, especial atenção deve ser dada a uma maior quantidade de publicações em periódicos e também na área específica de Secretariado.
Citação ABNT:
SCHMIDT, C. M.; WENNINGKAMP, K. R.; CIELO, I. D.; SANCHES, F. C. Produção Científica do Grupo de Pesquisa em Secretariado Executivo Bilíngue Rumo ao 'Stricto Sensu: Mutatis Mutandis' . Revista de Gestão e Secretariado, v. 9, n. 1, p. 18-41, 2018.
Citação APA:
Schmidt, C. M., Wenningkamp, K. R., Cielo, I. D., & Sanches, F. C. (2018). Produção Científica do Grupo de Pesquisa em Secretariado Executivo Bilíngue Rumo ao 'Stricto Sensu: Mutatis Mutandis' . Revista de Gestão e Secretariado, 9(1), 18-41.
DOI:
http://dx.doi.org/10.7769/gesec.v9i1.732
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49572/producao-cientifica-do-grupo-de-pesquisa-em-secretariado-executivo-bilingue-rumo-ao--stricto-sensu--mutatis-mutandis--/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Andrade, A. & Soares, S. (2016). Docência na educação superior: área de atuação para o profissional de Secretariado Executivo. In Barros, C; Silva, J. & Dias, A. (orgs.). Secretariado executivo e educação: temas que se articulam pela formação, docência na educação superior e pesquisa científica. Fortaleza: Edições UFC.

Bifano, M. R. (2009). Normalização de trabalhos acadêmicos: considerações sobre o impacto ambiental e o consumo responsável. Dissertação de Mestrado. Programa de Pósgraduação em Metrologia da PUC-Rio.

Bíscoli, F. R. V. & Bilert, V. S. S. (2013). A evolução do Secretariado Executivo: caminhos prováveis a partir dos avanços da pesquisa científica e dos embates teóricos e conceituais na área. Revista Expectativa. Toledo: Unioeste, vol. 12, n.12.

Bíscoli, F. R. V. (2012). A evolução do Secretariado Executivo: caminhos prováveis a partir dos avanços da pesquisa científica e dos embates teóricos e conceituais na área. In Durante, D. G (Org.). Pesquisa em secretariado: cenários, perspectivas e desafios. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo.

Borges, M. M., & Casado, E. S. (2009). A ciência da informação criadora do conhecimento. Coimbra: IDIBCIC.

Brasil. (2005). Resolução n. 3, de 23 de junho de 2005 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Secretariado Executivo e dá outras providências. Ministério da Educação, Brasília.

Brito, D. & Barros, C. (2016). Avaliação da aprendizagem na educação superior: quais as concepções de docentes de secretariado executivo? In Barros, C; Silva, J., & Dias, A. (orgs.). Secretariado executivo e educação: temas que se articulam pela formação, docência na Educação Superior e pesquisa científica. Fortaleza: Edições UFC.

Cantarotti, A. (2016). Formação, mercado de trabalho e pesquisa científica: por onde começamos? In Durante, D. G.; Martins, C., & Cantarotti, A. (orgs.). Pesquisa em Secretariado: reflexões acerca da construção o conhecimento. Fortaleza: Edições UFC.

Capes. (2016). Requisitos para a apresentação de propostas de cursos novos (APCN): Administração, Ciências Contábeis e Turismo. MEC.

Capes. (2017). Cursos recomendados e reconhecidos. Recuperado em 25 junho, 2017, de .

Carneiro Jr., S., & Lourenço, R. (2003). Pós-graduação e pesquisa na universidade. In Viotti, E. B; & Macedo, M. M. Indicadores de ciência, tecnologia e inovação no Brasil. Campinas: Unicamp, pp. 41-88.

Cirani, C. B. S; Campanario, M. De A., & Silva, H. H. M. (2015 março). A evolução do ensino da pós-graduação senso estrito no Brasil: análise exploratória e proposições para pesquisa. Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, vol. 20, n. 1, pp. 163-187, mar.

CNPQ. (2017). Diretórios dos grupos de pesquisa. Recuperado em 10 maio, 2017, de .

Daher, S. (2016). Mestres e doutores 2015: estudos da demografia da base técnico-científica brasileira. Brasília, DF: CGEE.

Durante, D. G. (2012). A evolução da profissão secretarial por meio da pesquisa. In Durante, D. G (Org.). Pesquisa em secretariado: cenários, perspectivas e desafios. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo.

Durante, D. G.; Gonçalves, O. B.; Nascimento, D. E. L. & Pontes, E. S. (2016). Produção científica em secretariado: Percepções a partir das publicações da Revista Expectativa. In Durante, D. G; Martins, C., & Cantarotti, A. (Orgs.). Pesquisa em Secretariado: reflexões acerca da construção o conhecimento. Fortaleza: Edições UFC.

Fávero, A. B. (2012). “Decifra-me ou te devoro”: pesquisa na sociedade do conhecimento. In Durante, D. G (Org.). Pesquisa em secretariado: cenários, perspectivas e desafios. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo.

Maçaneiro, M. B. (2011). Antecedentes, consequências e desafios da cientificidade da área de Secretariado Executivo. Revista Expectativa. vol. 10, n. 10.

Martins, C. & Zanon, M. (2013). A pesquisa na área do Secretariado. Em D’Elia, B.; Amorim, M. & Sita, M. (Orgs.). Excelência no Secretariado: A importância da profissão nos processos decisórios. Como assessorar e atingir resultados corporativos e pessoais com competência e qualidade. São Paulo: Ser Mais.

Menandro, P. R. M. (2003, abr./jun.). Linha de pesquisa: possibilidades de definição e tipos de utilização do conceito. RAC, 7(2), abr./jun., 177-182.

Müller, R. & Sanches, F. C. (2013). Pesquisa acadêmica em Secretariado Executivo: um estudo de caso na Revista Expectativa. Revista Expectativa, 13(13).

Nascimento, E. P. (2012). Pesquisa aplicada e interdisciplinaridade: da linguística ao secretariado. In Durante, D. G (Org.). Pesquisa em Secretariado: cenários, perspectivas e desafios. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo.

Neiva, E. G.; D’Elia, M. E. (2014). As novas competências do profissional de Secretariado (3a ed.). São Paulo: IOB.

Oliveira, N. & Durante, D. (2016). Os cursos de Secretariado Executivo incentivam a pesquisa? In Durante, D. G; Martins, C., & Cantarorri, A. (Orgs.). Pesquisa em Secretariado: reflexões acerca da construção o conhecimento. Fortaleza: Edições UFC.

Piccoli, Á. L.; Gonçalves, J. F. T.; Soares, S. V., & Martins; C. B. (2016). Secretariado Executivo e a pesquisa acadêmica: uma análise sobre a necessidade da criação de curso stricto sensu. In Durante, D. G; Martins, C. B., & Cantarotti, A. (Orgs.). Pesquisa em Secretariado: reflexões acerca da construção o conhecimento. Fortaleza: Edições UFC.

Pontes, E. & Durante, D. (2016). Estado do conhecimento em secretariado executivo: um estudo bibliométrico na Revista de Gestão e Secretariado (GeSec). In Barros, C; Silva, J., & Dias, A. (Orgs.). Secretariado executivo e educação: temas que se articulam pela formação, docência na Educação Superior e pesquisa científica. Fortaleza: Edições UFC.

Sanches, F. C.; Schmidt, C. M,. & Dias, A. H. (2017). Os avanços da pesquisa em Secretariado Executivo: uma análise nos periódicos científicos nacionais. In Souza, C. K., & Pereira, E. O conhecimento científico em Secretariado: reflexões sobre a produção acadêmica da área secretarial. João Pessoa: Ideia.

Sanches, F. C.; Schmidt, C. M.; Cielo, I. D., & Wenningkamp, K. R. (2016). Grupos de pesquisa em Secretariado Executivo: uma análise sobre a cooperação científica internacional. In Durante, D. G; Martins, C. B. & Cantarotti, A. (Orgs.). Pesquisa em Secretariado: reflexões acerca da construção o conhecimento. Fortaleza: Edições UFC.

Schmidt, C. M., & Sanches, F. C. (2011). Editorial. Revista Expectativa. Toledo, 10(10), 7-8

Schmidt, C. M., Wenningkamp, K. R., Cielo, I. D. & Sanches, F. C. (2018) Cruz, C. H. de B. (2010 jun.). Ciência, tecnologia e inovação no Brasil: desafios para o período 2011 a 2015 (4a. ed.). Interesse Nacional.

Schmidt, C. M.; Cielo, I. D., & Sanches, F. C. (2012). Mapeamento de redes: um estudo sobre as relações entre universidades e docentes em cursos de Secretariado Executivo. In Durante, D. G. (Org.). Pesquisa em Secretariado Executivo: cenários, perspectivas e desafios (1a ed.). Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo.