Narrativas de uma Bacharela sobre a Construção de suas Práticas de Professora na Universidade Pública Outros Idiomas

ID:
49575
Resumo:
Este estudo de caso objetiva traçar reflexões acerca da formação de professores, especificamente em uma universidade pública, com base nos relatos obtidos por meio das histórias pedagógicas de uma bacharela que se tornou professora. Constatou-se que a identidade profissional da participante foi construída e calcada em seus modelos de professores durante a vida escolar bem como em métodos de ensino. Observou-se, também, que suas crenças a respeito de ensino e aprendizagem foram adquiridas e fortificadas ao longo do tempo. Mais precisamente, a ênfase de nossa análise é dada nas ligações significativas entre as experiências passadas e as práticas atuais dessa profissional em uma universidade pública que não teve formação específica para atuar como professora durante sua graduação.
Citação ABNT:
SOUZA, R. B.; RIBEIRO, D. C. Narrativas de uma Bacharela sobre a Construção de suas Práticas de Professora na Universidade Pública. Revista de Gestão e Secretariado, v. 9, n. 1, p. 90-107, 2018.
Citação APA:
Souza, R. B., & Ribeiro, D. C. (2018). Narrativas de uma Bacharela sobre a Construção de suas Práticas de Professora na Universidade Pública. Revista de Gestão e Secretariado, 9(1), 90-107.
DOI:
http://dx.doi.org/10.7769/gesec.v9i1.731
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49575/narrativas-de-uma-bacharela-sobre-a-construcao-de-suas-praticas-de-professora-na-universidade-publica/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Sacristán, J. G. (2005). O aluno como invenção. Porto Alegre: Artmed.

Almeida Filho, J. C. P. (2005). Linguística aplicada: Ensino de línguas e comunicação. Campinas, São Paulo: Pontes Editores e Artelíngua.

Barcelos, A. M. F. (2006). Cognição de professores e alunos: tendências recentes na pesquisa de crenças sobre ensino e aprendizagem de línguas. In Abrahão, Maria Helena Vieira & Barcelos, A. M. F. (orgs.). Crenças e ensino de línguas: foco no professore, no aluno e na formação de professores. Campinas, São Paulo: Pontes Editores, 15-42.

Borg, S. (2003). Teacher cognition in language teaching: A review of research on what teachers think, know, believe and do. Language Teacher, 36, 81-109.

Celani, M. A. A. (2001). Ensino de línguas estrangeiras: ocupação ou profissão? In Leffa, V. J. (Org.) O professor de línguas estrangeiras: construindo a profissão. Pelotas: Educat/Alab. 21-40.

Ernest, P. (1989). The mathematics related belief systems of student primary school teachers. Texto divulgado no 13th Annual Meeting of PME.

Freeman, D. & Johnson, K. (1998). Reconceptualizing the knowledge-base of language teacher education. TESOL Quarterly, 32(3). 397-417.

Goodman, J. (1988). Constructing a practical philosophy of teaching: a Study of preservice teachers’ professional perspectives. Teaching and Teacher Education, 4, pp.121-137.

Grisi, R. (1971). Didática mínima (3a ed.) São Paulo: Nacional. Disponível em: http://www.conteudoescola.com.br/site/content/view/132/31/1/0/

Libâneo, J. C. (2002). Reflexividade e formação de professores: outra oscilação do pensamento pedagógico brasileiro? In Pimenta, S. G. & Ghedin, E. (orgs). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 53-79.

Mateus, E. F. (2002). Educação contemporânea e o desafio da formação continuada. Em Gimenez, T. (org.). Trajetórias na formação de professores de línguas. Londrina: Eduel, 3-14.

Nespor, J. (1987). The role of beliefs in the practice of teaching. Journal of Curriculum Studies, 19(4), 317-328.

Nisbett, R. E., & Ross, L. (1980). Human Inference; Strategies and Shortcomings of Social Judgment. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall.

Pajares, M. F. (1992). Teachers’ beliefs and educational research: cleaning up a messy construct. Review of Educational Research, 62(3), 307-332.

Siqueira, R. A. R., & Messias, R. A. L. (2008). Reflexão e ações na formação e atuação do professor de língua portuguesa: o diálogo como condição de autoria na prática educativa. Linguagem & Ensino, 11(2), 377-392. Disponível em: rle.ucpel.tche.br/edições/v11n2/05Rosana.pdf

Souza, R. B. & Ribeiro, D. C. (2018).

Tarone, E. & Allwright, D. (2005). Second language teacher learning and student second language learning: shaping the knowledge base. In Tedick, D. J. (Org.). Second language teacher education. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum, 5-23.

Telles, J. A. (2004). Reflexão e identidade profissional do professor de LE: Que histórias contam os futuros professores? RBLA, 4(2), 57-83. Disponível em: http://www.letras.ufmg.br/rbla/2004_2/03JoaoTelles.pdf

Vieira-Abrahão, M. H. (2006). Metodologia na investigação das crenças. In Barcelos, A. M. F., & Vieira-Abrahão, M. H. (orgs.). Crenças e ensino de línguas: foco no professor, no aluno e na formação de professores. Campinas: Pontes, 219-230.

Zeichner, K. M. (2003). Educating reflective teachers for learner centred-education: possibilities and contradictions. In Gimenez, T. (Org.) Ensinando e aprendendo inglês na universidade: formação de professores em tempos de mudança. Londrina: Abrapui, 3-19.