Produção sobre Educação Corporativa no Brasil: Um Estudo Bibliométrico Outros Idiomas

ID:
49576
Resumo:
Este artigo tem como objetivo identificar e analisar a produção acadêmica sobre o tema “Educação Corporativa” nos últimos 20 anos. O procedimento metodológico utilizado foi a pesquisa bibliométrica. Para tanto, foram pesquisados os trabalhos acadêmicos através das plataformas portal Spell, periódicos Capes e nos periódicos ligados a Anpad, como a BAR – Brazilian Administration Review, a RAC – Revista de Administração Contemporânea, a TAC – Tecnlogia de Administração e Contabilidade e a RAC Eletrônica. E, a partir da análise dos dados, pode-se afirmar que a pesquisa vai ao encontro do que os principais autores do tema Educação Corporativa e Gestão de Pessoas têm apontado em suas obras contemporâneas, nas quais eles têm apontado que a educação corporativa e sua estrutura vêm deixando de ser meras coadjuvantes e desfrutadoras de recursos financeiros para, finalmente, terem seus valores estratégicos reconhecidos e assim serem geridas como tal. Os estudos reforçam, cada vez mais, que a gestão de pessoas, desde que bem definido seu papel e alinhamento com a estratégia da organização, pode gerar e aumentar o desempenho e a produtividade.
Citação ABNT:
TOLEDO, G. S.; DOMINGUES, C. R. Produção sobre Educação Corporativa no Brasil: Um Estudo Bibliométrico. Revista de Gestão e Secretariado, v. 9, n. 1, p. 108-127, 2018.
Citação APA:
Toledo, G. S., & Domingues, C. R. (2018). Produção sobre Educação Corporativa no Brasil: Um Estudo Bibliométrico. Revista de Gestão e Secretariado, 9(1), 108-127.
DOI:
http://dx.doi.org/10.7769/gesec.v9i1.755
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49576/producao-sobre-educacao-corporativa-no-brasil--um-estudo-bibliometrico/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Albertin, A. L., & Brauer, M. (2012 set./out.). Resistência à educação a distância na educação corporativa. Rev. Adm. Pública, Rio de Janeiro: set./out.

Albuquerque, L. G., & Fischer, A. L. (2000). Pesquisa RH 2010: uma análise das tendências em gestão de pessoas para os próximos 10 anos. São Paulo: FIA/FEA-USP.

Albuquerque, L. G., & Oliveira, P. M. (2001). Competências ou cargos: uma análise das tendências das bases para o instrumental de recursos humanos. Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, 8 (4), out/dez.

Antonini, L. S., & Saccol, A. I. C. Z. (2010). Desafios enfrentados por pequenas e médias empresas do setor de software nos seus processos de educação corporativa. Enanpad – Encontro Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração, Rio de Janeiro.

Eboli, M. (1999, out.,/dez.). Universidade corporativa: ameaça ou oportunidade para as escolas tradicionais da administração? Revista de Administração, 34(4), pp. 56-64, out./dez.

Eboli, M. (2002). O desenvolvimento das pessoas e a educação corporativa. In Fleury, M. T. (org.) As pessoas na organização. São Paulo: Editora Gente.

Eboli, M. (2004). Educação corporativa no Brasil: mitos e verdades. São Paulo: Gente.

Eboli, M., Horneaux Júnior, F., & Cassimiro, W. T. (2008). Educação corporativa: governança, dinâmica e estrutura das universidades corporativas no Brasil. ENGPR Encontro Nacional de Gestão de Pessoas, João Pessoa.

Fonseca, E, N. (Org). (1986). Bibliometria: teoria e prática. São Paulo: Cultrix, Ed. da USP.

Gil, A. C. (2016) Métodos e técnicas de pesquisa social (6a ed.). São Paulo: Atlas.

Marcelo, J. F., & Hayashi, M. C. P. I. (2013, set./dez.). Estudo bibliométrico sobre a produção científica no campo da sociologia da ciência. Revista UEL, 18(3), pp. 138-153, set./dez.

Meister, J. C. (1999). Educação corporativa: a gestão do capital intelectual através das universidades corporativas. São Paulo: Makron Books.

Moretti, S. L. A., & Campanario, M. de A. (2009). A produção intelectual brasileira em responsabilidade social empresarial RSE sob a ótica da bibliometria. Revista de Administração Contemporânea, Edição Especial, 13, pp. 68-86.

Moscardini, T. N., & Klein, A. Z. (2015, março). Estratégias de educação corporativa e suas relações com os diferentes níveis de aprendizagem organizacional. Rev. Adm. UFSM, 8, pp. 89-102, mar.

Moura, G. L., Galhano, P. P. P., & Polo, E. F. (2006). Organização estratégica e educação corporativa. Enanpad – Encontro Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração, Salvador.

Toledo, G. S. & Domingues, C. R. (2018).