Contradições entre Essência e Aparência nos Processos de Empoderamento de Gays em Organizações de Trabalho Outros Idiomas

ID:
49686
Resumo:
Neste artigo se problematizam os processos de empoderamento de minorias sociais, com foco em homossexuais masculinos (gays) em espaços organizacionais privados. Tais espaços são marcados pelo discurso da heteronormatividade, atrelando à masculinidade hegemônica os ideais de competência, força e determinação, a quem caberiam, portanto, o poder e o reconhecimento. Como os gays são “diferentes” pela sua orientação sexual, que pode ser omitida nas relações formais, eles se mobilizam subjetivamente para o pertencimento organizacional, anulando elementos identitários e subjetivos. Percebe-se, assim, que seu empoderamento se traduz como submissão às avessas, caracterizando, dialeticamente, a ideologia da diversidade: ao se marcar que os sujeitos sociais são iguais, ratifica-se a intolerância pela negação das diferenças constitutivas entre sujeitos no discurso da inclusão e do empoderamento, tendo em vista a angústia ocasionada pela mudança ou novidade que as diferenças trazem a um contexto de “semelhantes”.
Citação ABNT:
MAGALHÃES, A. F.; SARAIVA, L. A. S. Contradições entre Essência e Aparência nos Processos de Empoderamento de Gays em Organizações de Trabalho . Revista Gestão & Planejamento, v. 19, n. 1, p. 159-176, 2018.
Citação APA:
Magalhães, A. F., & Saraiva, L. A. S. (2018). Contradições entre Essência e Aparência nos Processos de Empoderamento de Gays em Organizações de Trabalho . Revista Gestão & Planejamento, 19(1), 159-176.
DOI:
10.21714/2178-8030gep.v19.4669
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49686/contradicoes-entre-essencia-e-aparencia-nos-processos-de-empoderamento-de-gays-em-organizacoes-de-trabalho-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALVES, M. A.; GALEÃO-SILVA, L. G. A crítica da gestão da diversidade nas organizações. Revista de Administração de Empresas, v. 44, n. 3, p. 20-29, jul./set. 2004.

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Rio de janeiro: Jorge Zahar, 2001.

CAPRONI NETO, H. L.; SARAIVA, L. A. S.; BICALHO, R. A. Diversidade sexual nas organizações: um estudo sobre coming out. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 8, n. 1, p. 86-103, jan./mar. 2014.

CARRIERI, A. P.; SARAIVA, L. A. S. (Org.). Simbolismo organizacional no Brasil. São Paulo: Atlas, 2007.

CODO, W. Um diagnóstico do trabalho – em busca do prazer. In: CODO, W. (Org.). Por uma psicologia do trabalho: ensaios recolhidos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006. p. 75-97.

COX, T. Cultural diversity in organiztions: theory, research and pratice. San Francisco: Berrett-Koehler, 1993.

DINIZ, A. P. R., CARRIERI, A. P., GANDRA, G., BICALHO, R. A. Políticas de diversidade nas organizações: as relações de trabalho comentadas por trabalhadores homossexuais. Economia & Gestão, v. 13, n. 31, p. 93114, jan./abr. 2013.

FARIA, J. H.; MENEGHETTI, F. K. O sequestro da subjetividade. In: FARIA, J. H. (Org.). Análise crítica das teorias e práticas organizacionais. São Paulo: Atlas, 2007, p. 45-67.

FARIA, J. H. Poder real e poder simbólico: o mundo das intrigas e tramas nas organizações. In: CARRIERI, A. P.; SARAIVA, L. A. S. (Org.). Simbolismo Organizacional no Brasil. São Paulo: Atlas, 2007. p. 61-86.

FARIA, J. H. Teoria crítica em estudos organizacionais no Brasil: o estado da Arte. Cadernos EBAPE.BR, v. 7, nº 3, p. 510-515, set. 2009.

FERREIRA, R. C. O gay no ambiente de trabalho: uma análise dos efeitos em ser gay nas organizações contemporâneas. 2007. 126 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Gestão de Políticas Públicas, Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. 25. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2012.

FREITAS, M. E.; DANTAS, M. (Org.). Diversidade sexual e trabalho. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

GARCIA, A.; SOUZA, E. M. Sexualidade e trabalho: estudo sobre a discriminação de homossexuais masculinos no setor bancário. Revista de Administração Pública, v. 44, n. 6, p. 1353-1377, 2010.

GOULART, I. B. Subjetividade nas organizações. In: VIEIRA, A.; GOULART, I. B. (Coord.). Identidade e subjetividade na gestão de pessoas. Curitiba: Juruá, 2009. p. 13-26.

GUARESCHI, P. A. Ideologia. In. JACQUES, M. G. et al. Psicologia social contemporânea. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. p. 89-103.

HALL, S. Identidade cultural na pós-modernidade. 7. ed. São Paulo: DP&A, 2002.

HOROCHOVSKI, R. R.; MEIRELLES, G. Problematizando o conceito de empoderamento. In: SEMINÁRIO NACIONAL MOVIMENTOS SOCIAIS, PARTICIPAÇÃO E DEMOCRACIA, 2, 2007, Florianópolis, Brasil. Anais... Florianópolis: UFSC, 2007.

IASI, M. L. Ensaios sobre consciência e emancipação. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

IRIGARAY, H. A. R.; FREITAS, M. E. Estratégia de sobrevivência dos gays no ambiente de trabalho. Revista Psicologia Política, v. 13, n. 26, p. 75-92, abr. 2013.

IRIGARAY, H. A. R.; FREITAS, M. E. Sexualidade e organizações: estudo sobre lésbicas no ambiente de trabalho. Organizações e Sociedade, v. 18, n. 59, dez. 2011.

LIMA, M. A. M.; FROTA, S. A. O empowerment e a teoria organizacional: um incremento no quantum de poder? Revista Eletrônica de Administração, ano I, n. 3, jul. 2002.

MAGALHÃES, A. F.; ANDRADE, C. R.; SARAIVA, L. A. S. Inclusão de minorias nas organizações de trabalho: análise semiótica de uma estratégia de recrutamento de uma multinacional de fast food. Revista Teoria e Prática em Administração, v. 7, n. 2, p. 12-35, 2017.

MARTINS, C. H. B. Trabalhadores na reciclagem do lixo: dinâmicas econômicas, socioambientais e políticas na perspectiva de empoderamento. 2003. 211 f. Tese (Doutorado em Sogiologia) Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2003.

MELO, M. C. O. L.; LOPES, A. L. M. Empoderamento de mulheres gerentes: a construção de um modelo teórico de análise. Gestão & Planejamento, v. 12, n. 3, p. 648-667, set./dez. 2012.

MORGAN, G. Imagens da organização. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

MOSCOVICI, S. Representações sociais. Investigações em psicologia social. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

PAGÉS, M.; BONETTI, M.; GAULEJAC, V.; DESCENDRE, D. O poder das organizações. São Paulo: Atlas, 1993.

PAULA, A. P. P. Repensando os estudos organizacionais. Por uma nova teoria do conhecimento. Rio de Janeiro, FGV, 2015.

PAULA, A. P. P. Teoria crítica nas organizações. São Paulo: Thomson Learning, 2008.

PIZZI, J. O desenvolvimento e suas exigências morais. Site UCPel, Pelotas, 2004.

ROMANIELLO, M. M. O exercício do poder nas organizações: estratégias de dominação e auto-regulação de conflitos nas relações de trabalho. Revista Symposium, v. 1, n.2, p. 24-34, 2004.

SARAIVA, L. A. S. Além dos estigmas profissionais. In: FREITAS, M. E.; DANTAS, M. (Org.). Diversidade sexual e trabalho. São Paulo: Cengage Learning, 2012. p. 149-168.

SARAIVA, L. A. S.; IRIGARAY, H. A. R. Políticas de diversidade nas organizações: uma questão de discurso? Revista de Administração de Empresas, v. 49, n. 3, p. 337-348, jul./set. 2009.

SEN, A. K. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SIQUEIRA, M. V. S.; ANDRADE, A. Em busca de uma pedagogia gay no ambiente de trabalho. In: FREITAS, M. E.; DANTAS, M. (Org.). Diversidade sexual e trabalho. São Paulo: Cengage Learning, 2012. p. 99-120.

SIQUEIRA, M. V. S. Gestão de pessoas e discurso organizacional. 2. ed. Curitiba: Juruá, 2009.

SIQUEIRA, M. V. S.; ZAULI-FELLOWS, A. Diversidade e identidade gay nas organizações. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, v. 4, n. 3, nov./dez. 2006.

SOUZA, E. C. P.; MARTINS, C. B.; SOUZA, R. B. As representações sociais de secretários executivos gays: questões de gênero e diversidade no trabalho. Revista Gestão & Conexões, v. 4, n. 1, p. 116-139, jan./jun. 2015.

SOUZA, E. M.; PEREIRA, S. J. N. (Re)produção do heterossexismo e da heteronormatividade nas relações de trabalho: a discriminação de homossexuais por homossexuais". Revista de Administração Mackenzie, v. 14, n. 4, p. 76-105, 2013.