A Relação entre Comunicação e Comprometimento nas Organizações

ID:
49753
Resumo:
O objetivo principal do estudo é explorar as relações entre a comunicação organizacional e a comunicação interpessoal, além das relações entre a comunicação e o comprometimento. Por meio de estudo quantitativo, foi analisada a percepção de oitocentos empregados de empresas de quatro setores de atuação distintos, ocupantes de cargos operacionais, técnicos e administrativos. Entre os resultados, destaca-se a influência da comunicação organizacional sobre a comunicação dos líderes e sobre a comunicação entre colegas. Enquanto a comunicação organizacional influencia o comprometimento, a comunicação dos líderes e a comunicação entre colegas não apresentam esse potencial de influência.
Citação ABNT:
SILVA, R. C.; VELOSO, E. F. R.; TREVISAN, L. N.; DUTRA, J. S. A Relação entre Comunicação e Comprometimento nas Organizações. Revista de Administração da UFSM, v. 11, n. 1, p. 102-116, 2018.
Citação APA:
Silva, R. C., Veloso, E. F. R., Trevisan, L. N., & Dutra, J. S. (2018). A Relação entre Comunicação e Comprometimento nas Organizações. Revista de Administração da UFSM, 11(1), 102-116.
DOI:
10.5902/19834659 14447
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49753/a-relacao-entre-comunicacao-e-comprometimento-nas-organizacoes/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BAMBACAS, M.; PATRICKSON, M. Interpersonal communication skills that enhance organisational commitment. Journal of Communication Management, v. 12, n. 1, p. 51-72, 2008.

BECKER, T. E. Foci and bases of commitment: are they distinctions worth making? Academy of Management Journal, v. 35, n. 1, p. 232-244, 1992.

CARVALHO, P. et al. Comprometimento afetivo, de continuação e entrincheiramento organizacional: estabelecendo limites conceituais e empíricos. Psicologia: Teoria e Prática, v. 13, n. 2, p. 127-14, 2011.

CASADO, T. O papel da comunicação interpessoal. In: Fleury, M. T. (Org.) As pessoas na organização. São Paulo: Gente, 2002.

CHAUI, M. Convite à filosofia. 13. ed. São Paulo: Ática, 2003.

COHEN, A. Commitment before and after: an evaluation and reconceptualization of organizational commitment. Human Resource Management Review, v. 17, p. 336-354, 2007.

FARIA, J. H.; BARBOSA, S. L. Comprometimento: uma avaliação crítica sobre a práxis organizacional. In: Faria, J. H. (Org.). Análise crítica das teorias e práticas organizacionais. São Paulo: Atlas, 2007.

FLEURY, M. T. L.; FISCHER, R. M. Cultura e poder nas organizações. São Paulo: Atlas, 1989.

HAIR JR., J. F. et al. Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman, 2009.

KLINE, R. B. Principles and practice of structural equation modeling. 2. ed. New York: The Guilford Press, 2005.

LEITE, N. R. P.; ALBUQUERQUE, L. G. Gestão estratégica de pessoas, estratégia de retenção de profissionais e comprometimento organizacional em uma estrutura organizacional remota. Revista de Administração da UFSM, v. 6, n. 4, p. 803-822, 2013.

MEYER, J. P.; ALLEN, N. J. A three-component conceptualization of organizational commitment. Human Resource Management Review, v. l, p. 61-89, 1991.

MINICUCCI, A. Dinâmica de grupo: teorias e sistemas. São Paulo: Atlas, 2012.

MOSCOVICI, F. Competência interpessoal no desenvolvimento de gerentes. Revista de Administração de empresas, v. 21, n. 2, p. 17-25, 1981.

MOWDAY, R.; PORTER, L.; STEERS, R. Employee – Organization Linkages: the psychology of commitment, absenteeism, and turnover. New York: Academic Press, 1982.

NARS, F. C. F.; FERREIRA, M. A. A.; FISCHER, A. L. A motivação do homem para o trabalho: um estudo sobre o impacto da crise econômica mundial. Revista de Administração da UFSM, v. 6, n. 2, p. 333-352, 2013.

ROBBINS, S. P.; JUDGE, T. A.; SOBRAL, F. Comportamento organizacional: teoria e prática no contexto brasileiro. 14. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

RODRIGUES, A. C. A.; BASTOS, A. V. B. Problemas conceituais e empíricos na pesquisa sobre comprometimento organizacional: uma análise crítica do modelo tridimensional de J. Meyer e N. Allen. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, v. 10, n. 2, p. 129-144, 2010.

SCHEIN, E. H. Organizational culture and leadership: a dynamic view. San Francisco: Jossey-Bass, 1989.

SIQUEIRA, M. M. M.; GOMIDE, S. Vínculos do indivíduo com o trabalho e com a organização. In: Zanelli, J. C.; Borges-Andrade, J. E.; Bastos, A. V. (Org.). Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2004.

SOLINGER, O.; OLFFEN, W.; ROE, R. Beyond the three-component model of organizational commitment. Journal of Applied psychology, v. 93, n. 1, p. 70-83, 2008.

SWAILES, S. Organizational commitment: a critique of the construct and measures. International Journal of Management Reviews, v. 4, n. 2, p. 155-178, 2002.

TASSIGNY, M. M.; BRASIL, M. V. O.; BUGARIM, M. C. Blog: ferramenta estratégica de comunicação organizacional. Revista de Administração da UFSM, v. 5, n. 2, p. 262-276, 2012.

TREVISAN, L. N.; VELOSO, E. F. R. Formação pré-empresa: as ofertas de política educacional e a demanda do “cardápio de atitudes” nas organizações. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 28., 2004, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ENANPAD: ANPAD, 2004.

VELOSO, F. F. R. et al. Pesquisas de clima organizacional: o uso de categorias na construção metodológica e análise de resultados. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓSGRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 31., 2009, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ENANPAD: ANPAD, 2007.

ZARIFIAN, P. Objectif compétence. Paris: Liaisons, 1999.

ZEFFANE, R.; TIPU, S. A.; RYAN, J. C. Communication, commitment & trust: exploring the triad. International Journal of Business and Management, v. 6, n. 6, p. 77-87, 2011