Cannabis Sativa: Aspectos Relacionados ao Consumo de Maconha no Contexto Brasileiro Outros Idiomas

ID:
49774
Resumo:
Atualmente, a Cannabis Sativa é a terceira substância mais utilizada em todo o mundo, ficando atrás apenas do álcool e do cigarro. Mediante a este cenário, o presente estudo tem como objetivo identificar quais são os principais aspectos relacionados ao uso da cannabis sativa, segundo a percepção de usuários e não usuários declarados. Para tanto, realizou-se uma pesquisa descritiva de abordagem quantitativa, por meio de uma survey aplicada em 499 indivíduos brasileiros. Os dados foram analisados por meio da Análise Fatorial Exploratória. A partir dos resultados alcançados neste estudo tornou-se possível questionar até que ponto a responsabilidade pelo abuso de substâncias proibidas, não apenas a cannabis sativa, mas outras que podem se classificar como psicoativas, é prioritariamente de cunho dos governos. A partir do presente artigo pode-se refletir acerca do papel da sociedade para a inclusão de determinados grupos que são mais vulneráveis a associação com a substância.
Citação ABNT:
PEREIRA, J. R.; SOUSA, C. V.; SHIGAKI, H. B.; LARA, J. E. Cannabis Sativa: Aspectos Relacionados ao Consumo de Maconha no Contexto Brasileiro . Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, v. 15, n. 1, p. 1-1, 2018.
Citação APA:
Pereira, J. R., Sousa, C. V., Shigaki, H. B., & Lara, J. E. (2018). Cannabis Sativa: Aspectos Relacionados ao Consumo de Maconha no Contexto Brasileiro . Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, 15(1), 1-1.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21450/rahis.v15i1.4573
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49774/cannabis-sativa--aspectos-relacionados-ao-consumo-de-maconha-no-contexto-brasileiro-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ANDREASEN, A.R. Social marketing in the social change marketplace. Journal of Public Policy & Marketing, Chicago, v. 21, n. 1, p. 3-13. 2002.

BARROS, A.; PERES, M. Proibição da maconha no Brasil e suas raízes históricas escravocratas. Periferia, Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, p. 1-20. 2011.

BÖTTGER, T.; RUDOLPH, T.; EVANSCHITZKY, H.; PFRANG, T. Customer Inspiration: Conceptualization, Scale Development, and Validation. Journal of Marketing, v. 81, p. 116-131. 2017.

BRANDÃO, M.D. Ciclos de atenção à maconha no Brasil. Revista da Biologia, São Paulo, v. 13, n. 1, p. 1-10. 2014.

BROWN, T.A. Confirmatory fator analysis for applied research. New York: The Guilford Press, 2006.

CARDOSO, T.Q. Legalização da maconha: opinião dos estudantes de medicina. 2016. 71 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Neuropsiquiatria e Ciências do Comportamento, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2016.

CARLINI, E.A. A história da maconha no Brasil. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, Rio de Janeiro, v. 55, n. 4, p. 314-317. 2006.

CASTRO, I M.; SANTOS, P.M.F. O Efeito de Campanhas de Marketing Social com Apelos Negativos no Comportamento de Risco das Pessoas que Ingerem Bebidas Alcoólicas. In: Encontro de Administração Pública e Governança, 2014, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte, 2014.

DÓRIA, J.R.C. Os fumadores de maconha: efeitos e males do vício. Congresso Cientifico PanAmericano, 1915, Washington. Anais... Washington, 1915, 2.

GONTIÈS, B.; ARAÚJO, L.F. Maconha: uma perspectiva histórica, farmacológica e antropológica. Revista de Humanidades, Fortaleza, n. 4, v. 7, p. 47-63. 2003.

HAIR Jr., J.F.; BLACK, W.C.; BABIN, B.J.; ANDERSON, R.E.; TATHAM, R.L. Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HALL, W; WEIER, M. Assessing the Public Health Impacts of Legalizing Recreational Cannabis Use in the USA. Clinical Pharmacology & Therapeutics, Filadelfia, v. 97, n. 6, p. 607-615. 2015.

HAUSENBLAS, H.A.; CARRON, A.V.; MACK, D.E. Application of the theories of reasoned action and planned behavior to exercise behavior: a meta-analysis. Journal of Sport & Exercise Psychology¸ Londres, v. 19, n. 1, p. 36-51. 1997.

HONÓRIO, K.M.; ARROIO, A.; SILVA, A.B.F. Aspectos terapêuticos de compostos da planta Cannabis Sativa. Química Nova, São Paulo, v. 29, n. 2, p. 318-325. 2006.

KOTLER, P.; LEE, N. Marketing no setor público. Porto Alegre: Bookman, 2008.

KOTLER, P.; ROBERTO, E.L. Social marketing: strategies for changing public behavior. New York: Free Press, 1989.

KOTLER, P.; ZALTMAN, G. Social Marketing. Journal of Marketing, Chicago, v. 35, n. 3, p. 3-12. 1971.

LARANJEIRA, R. Legalização de drogas e a saúde pública. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 3, p. 621-631. 2010.

LARANJEIRA, R.; NICASTRI, S. Abuso e dependência de álcool e drogas. In ALMEIDA, O.P. (org.). Manual de Psiquiatria. Rio de Janeiro: Guanabara Roogan, 1996, p. 83-112.

MACCOUN, R.J. Drugs and the law: a psychological analysis of drug prohibition. Psychological Bulletin, Washington, v. 113, n. 3, p. 497-512, 1993.

MACIEL, C.O.; PÉPECE, O.M.C. O consumo proibido: fatores influenciadores do consumo de drogas. Revista Alcance, 1v. 18, n. 4, p. 481-497, 2011.

MANGUEIRA, R.T.C. O uso de cannabis sativa (maconha) pelo filho e suas repercussões nas relações familiares. 2005, 95 f. Dissertação (Mestrado), Centro de Teologia e Ciências Humanas, Universidade Católica de Pernambuco, Recife, 2005.

MESQUITA, J.M.C. Estatística multivariada aplicada à administração: guia prático para utilização do SPSS. Curitiba: CRV, 2010.

MILLER, L.; BRANCONNIER, R.J. Cannabis: effects on memory and the cholinergic limbic system. Psychological Bulletin, Washington, v. 93, n. 3, p. 441-456. 1983.

MORAIS, P.C.C. Drogas e políticas públicas. 2005. 306 f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2005.

NEVES, M. Marketing Social no Brasil: a nova abordagem na era da gestão empresarial globalizada. Rio de Janeiro: E-papers, 2001.

PAMPLONA, F.A.; MALCHER-LOPES, R. 2014, o ano da mudança. Revista da Biologia, São Paulo, v. 13, n. 1, editorial, 2014.

PEREIRA, J.R.; SOUSA, C.V.; MATOS, E.B.; LARA, J.E.; REZENDE, L.B.O. Vidas que salvam vidas: fatores influenciadores da intenção de doar sangue e proposição de um modelo à luz do marketing social. In: Encontro de Marketing da Anpad, 2016, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte, 2016, 7.

POPE Jr. H.G.; YURGELUN-TODD, D. The residual cognitive effects of heavy marijuana use in college students. JAMA, v. 275, n. 7, p. 521-527, 1996.

RIBEIRO, M.; MARQUES, A.C.P.R. Abuso e dependência: maconha. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Psiquiatria, 2002.

ROSENBERG, M.F.; ANTHONY, J.C. Early clinical manifestations of cannabis dependence in a community sample. Drug and Alcohol Dependence, Irlanda, v. 64, n. 2, p. 123-131, 2001.

SEIBEL, S.D.; TOSCANO Jr., A. Dependência de drogas. São Paulo: Atheneu, 2001.

SOLOWIJ, N. Acute effects of cannabis on cognitive functioning. In Solowij, N. (ed.). Cannabis and cognitive functioning. Cambrigde: Cambridge University Press, 1998, p. 29-39.

TABACHNICK, B.G.; FIDEL, L.S. Using multivariate statistics. 4 ed. Harper Collins: New York, 2001.

THRASH, T.M.; ELLIOT, A.J. Inspiration as a Psychological Construct. Journal of Personality and Social Psychology, v. 84, n. 4, p. 871–89, 2003.

UNODC. United Nations Office on drugs and crime. (2016). Drogas: campanhas. Disponível em: . Acesso em 25 nov. 2016.

VAN OS, J.; BAK, M.; HANSSEN, M.; BIJL, R.V.; GRAAF, R.; VERDOUX, H. Cannabis use and Psychosis: a longitudinal population based study. American Journal of Epidemiology, Londres, v. 156, n. 4, p. 319-327, 2002.

VIDAL, S. A regulamentação do cultivo de maconha para consumo próprio: uma proposta de redução de danos. In NERY FILHO, E; MACREA, E; TAVARES, L.A.; RÊGO, M. (orgs.). Toxicomanias: incidências clínicas e socioantropológicas. Salvador: EDUFBA; Salvador: CETAD. 2009, p. 61-96.

WAGNER, M.; OLIVEIRA, M.S. Estudo das habilidades sociais em adolescentes usuários de maconha. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 14, n. 1, p. 101-110, 2009.