Assédio sexual no contexto acadêmico da administração: o que os lábios não dizem, o coração não sente?

ID:
50151
Resumo:
A objetificação histórica das mulheres na sociedade naturalizou os seus corpos como objeto de satisfação dos desejos masculinos. Neste contexto em que a hierarquia social baseada no gênero é criada e reforçada, será prudente pensar em uma academia isenta desta violência? Afinal, falamos de uma academia que, queiramos ou não, reproduz as relações históricas androcêntricas que colocam a mulher como um ser subalterno e inferior aos homens. É com este pensamento que temos como principal objetivo neste estudo analisar os elementos discursivos originados a partir da temática de assédio sexual no âmbito específico da academia brasileira em Administração. Para isso, trouxemos as narrativas de duas mulheres docentes e pesquisadoras que possuem uma trajetória acadêmica no campo de estudos da Administração que foram analisadas por meio da abordagem teórico-metodológica da Análise do Discurso de Linha Francesa. Os resultados ratificam a dificuldade de discutir o assunto neste campo acadêmico.
Citação ABNT:
TEIXEIRA, J. C.; RAMPAZO, A. S. V. Assédio sexual no contexto acadêmico da administração: o que os lábios não dizem, o coração não sente?. Farol - Revista de Estudos Organizacionais e Sociedade, v. 4, n. 11, p. 1151-123, 2017.
Citação APA:
Teixeira, J. C., & Rampazo, A. S. V. (2017). Assédio sexual no contexto acadêmico da administração: o que os lábios não dizem, o coração não sente?. Farol - Revista de Estudos Organizacionais e Sociedade, 4(11), 1151-123.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/50151/assedio-sexual-no-contexto-academico-da-administracao--o-que-os-labios-nao-dizem--o-coracao-nao-sente-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português