A Utilização da Etnografia na Pesquisa em Contabilidade Outros Idiomas

ID:
50232
Resumo:
A pesquisa em contabilidade passa pelo estudo do conhecimento ou da epistemologia dessa ciência, que pode ocorrer mediante a aplicação de abordagens metodológicas distintas, dependendo do assunto e da área estudados. O processo que desencadeia na escolha da metodologia a ser aplicada envolve diversos conceitos fundamentais, tais como paradigma, teoria e ciência, que serão abordados ao longo deste ensaio, que busca discutir e analisar ainda a utilização da etnografia na pesquisa em contabilidade, em detrimento apenas da abordagem mainstream, amplamente utilizada nessa área. Por se tratar de uma ciência social, a contabilidade deve também ser estudada levando-se em consideração a interação dos agentes sociais, os contadores, que são influenciados pela cultura do local em que trabalham, vivem e socializam. A utilização da pesquisa quantitativa, apesar de extremamente relevante e necessária para entendermos o funcionamento do mercado de capitais, não leva em consideração em profundidade o fator humano, tratando a contabilidade como uma ciência exata, sem considerar a influência da ação humana. Busca-se através deste trabalho sugerir que a pesquisa contábil não necessita utilizar apenas a abordagem quantitativa, ou mainstream, havendo muitas contribuições ao conhecimento contábil ao utilizarmos outras abordagens metodológicas, tais como a qualitativa, ou ainda ao fazermos uma combinação de metodologias, que poderão auxiliar no desenvolvimento desta ciência.
Citação ABNT:
COSTA, R. S. L. F.; FONSECA, A. C. P. D. A Utilização da Etnografia na Pesquisa em Contabilidade. Sociedade, Contabilidade e Gestão, v. 13, n. 1, p. 40-56, 2018.
Citação APA:
Costa, R. S. L. F., & Fonseca, A. C. P. D. (2018). A Utilização da Etnografia na Pesquisa em Contabilidade. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 13(1), 40-56.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21446/scg_ufrj.v13i1.14173
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/50232/a-utilizacao-da-etnografia-na-pesquisa-em-contabilidade/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ARAÚJO, I. L. Curso de Teoria do Conhecimento e Epistemologia. São Paulo: Minha Editora, 2012.

ATKINSON, P.; HAMMERSLEY, M. Ethnography and Participant Observation. IN: DENZIN, N.; LINCOLN, Y. Handbook of Qualitative Research : 1a. Edição. Thousand Oaks: Sage, 1994.

BAKER, C. R.; BETTNER, M.S. Interpretive and Critical Research in Accounting: a Commentary on its Absence from Mainstream Accounting Research. Critical Perspectives in Accounting, v. 8, p. 293-310, 1997.

BASZANGER, I.; DODIER, N. Ethnography: relating the part to the whole. In: SILVERMAN, D. Qualitative Research: Theory, Method and Practice. 2nd. Ed.London: Sage, Cap2, p. 9-34, 1997.

BREWER, J. D. Ethnography. IN: Cassell, C.; Simon, G. Essential Guide to Qualitative Methods in Organizational Research. Cap. 25, p. 312-322, 2004.

BUZZELL, D. R. Is Marketing a Science? Harvard Business Review, v. 41, p. 37, 1963.

COELHO, P. S.; SILVA, R. N. S. Um Estudo Exploratório sobre as Metodologias Empregadas em Pesquisas na Área de Contabilidade no EnANPAD. Revista Contemporânea de Contabilidade, v. 1, n.8, 2007.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS CPC (2015). Website: www.cpc.org.br, 2015.

CORWIN, Z. B.; CLEMENS, R. F. Analysing Fieldnotes: a practical guide. IN: IN: Delamont, S. Handbook of qualitative research in education, London: Edgar Elgar, 2012.

CRESWELL, J. W. Qualitative Inquiry and Research Design: Choosing Among Five Traditions. Thousand Oaks: Sage, 1998.

FETTERMAN, D. M. Ethnography step by step. Thousand Oaks: Sage, 2010.

FEYERABEND, P. K. Contra o Método. 3ª ed. São Paulo: Editora Unesp, 2007.

FIELDS, T. D.; LYS, T. Z.; VINCENT, L. Empirical research on accounting choice. Journal of Accounting and Economics, v. 31, p. 255-307, 2001.

FONSECA, A. C. P. D. Percepções de Incerteza em um Sistema de Planejamento e Controle: Um Estudo Etnográfico Brasil – Inglaterra. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1997.

GRAY, S. J. Towards a Theory of Cultural Influence on the Development of Accounting Systems Internationally. Abacus, v. 24, n. 1, p 1-15, 1988.

HARRISON, G. L.; MCKINNON, J. L. Cultural and Accounting Change: A New Perspective on Corporate Reporting Regulation and Accounting Policy Formulation. Accounting, Organizations and Society, v. 11, n. 3, 1986.

HOFSTEDE, G. National Cultures in Four Dimensions: A Research-based Theory of Cultural Differences among Nations. International Studies of Management & Organization, v. 13, n. 1-2, pp. 46-74, 1983.

HOMERO JR., P. A Constituição do Campo Científico e a Baixa Diversidade da Pesquisa Contábil Brasileira. REPEC, v.11, n.3, 2017.

IUDÍCIBUS et al. Uma reflexão sobre a contabilidade: caminhando por trilhas da “teoria tradicional e teoria crítica”. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v. 8, nº 4, p. 274-285, out./dez. 2011.

IUDÍCIBUS, S. Teoria da Contabilidade: Evolução e Tendências. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, Rio de Janeiro, v. 17, n. 2, p. 513, mai/ago, 2012.

IUDÍCIBUS, S.; MARTINS, E.; CARVALHO, L. N. Contabilidade: Aspectos Relevantes da Epopéia de Sua Evolução. Revista Contabilidade e Finanças, São Paulo, nº 38, p. 7-19, mai./ago. 2005.

JUPP, V. The Sage Dictionary of Social Research Methods. Londres: Sage, 2006.

KUHN, T. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Editora Perspectiva, 1998.

LEE, B.; HUMPHREY, C. More than a numbers game: qualitative research in accounting. Management Decision, v. 44, n. 2, pp. 180-197, 2006.

LOPES, A. B.; MARTINS, E. A. Teoria da Contabilidade: Uma Nova Abordagem. São Paulo: Editora Atlas, 2013.

LOURENÇO, R. L.; SAUERBRONN, F. F. Revistando possibilidades epistemológicas em contabilidade gerencial: em busca de contribuições de abordagens interpretativas e críticas no Brasil. Revista Contemporânea de Contabilidade, v. 13, n. 28, p. 99-122, jan./abr. 2016.

LUKKA, K. The roles and effects of paradigms in accounting research. Management Accounting Research, v. 21, p. 10–115, 2010.

MARTINS, E. A. Pesquisa Contábil Brasileira: Uma Análise Filosófica. 2012. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis). Departamento de Contabilidade e Atuária, Universidade de São Paulo, São Paulo.

MINTZBERG, H.; AHLSTRAND, B.; LAMPEL, J. Safári de Estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre: Bookman, 2010.

POPPER, K. A Lógica da Pesquisa Científica. São Paulo: Editora Cultrix, 1972.

RIAHI-BELKAOUI, A. Accounting Theory. Boston: Cengage Learning EMEA, 2004.

RYAN, B.; SCAPENS, R. W.; THEOBALD, M. Research Method and Methodology in Finance and Accounting. 2ª ed. London: South-Western, 2002.

SMITH, M. Research Methods in Accounting. London: SAGE Publications, 2003.

SZUSTER, N. Temos do que nos orgulhar na Contabilidade brasileira. Revista Contabilidade e Finanças, USP, São Paulo, v. 26, n. 68, p. 121-125, mai./jun./jul./ago. 2015.

THEOPHILO, C. R.; IUDÍCIBUS, S. Uma Análise Crítico-Epistemológica da Produção Científica em Contabilidade no Brasil. UnB Contábil, Brasília, v. 8, nº 2, p. 147-175, jul./dez. 2005.