Caminhos Sinuosos: Os Deslizes nos Estudos em Administração Pública e de Empresas Outros Idiomas

ID:
50239
Resumo:
Este ensaio discute sobre 13 deslizes comuns encontrados em estudos no campo de Administração Pública e de Empresas no Brasil, agregando-os em três dimensões. A primeira dimensão, “Deslizes por Falta de Reflexão”, inclui deslizes por falta de reflexão dos autores, como, por exemplo, usar a palavra Metodologia na seção que discute Método; ou autores economizarem em palavras para apresentar a relevância do trabalho. Já na segunda dimensão, “Deslizes na Utilização do Método”, discutimos aspectos referentes ao Método em um trabalho científico, deixando claro, por exemplo, alguns erros cometidos, tais como nomear um Método (Netnografia) e, na prática, usar outro (Observação Não Participante). A terceira dimensão, “Deslizes no Sentido de Fazer Ciência”, apresenta os deslizes relacionados à relevância de um texto ao fazer Ciência. Por exemplo, um texto que não apresenta implicações gerenciais e teóricas no campo da Administração Pública e de Empresas ou que não discute questões para futuras pesquisas deixa a desejar no sentido de ser relevante para a Ciência e para as organizações.
Citação ABNT:
CRUZ, B. P. A.; ROSS, S. D. Caminhos Sinuosos: Os Deslizes nos Estudos em Administração Pública e de Empresas. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 19, n. 2, p. 200-242, 2018.
Citação APA:
Cruz, B. P. A., & Ross, S. D. (2018). Caminhos Sinuosos: Os Deslizes nos Estudos em Administração Pública e de Empresas. Administração: Ensino e Pesquisa, 19(2), 200-242.
DOI:
10.13058/raep.2018.v19n2.1106
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/50239/caminhos-sinuosos--os-deslizes-nos-estudos-em-administracao-publica-e-de-empresas/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABBAGNANO, N. Dicionário de Filosofia. Martins Fontes: São Paulo, 2007.

ARAÚJO, M. A. D. de; BORGES, D. F. Autonomia universitária: implicações gerenciais para as instituições federais de ensino superior. RAP, v. 33, n. 4, 1999 p. 7-23.

BANDEIRA-DE-MELLO, R.; CUNHA, C. J. C. de A. Grounded Theory. In: GODOI, C. K.; BANDEIRA-DE-MELLO, R.; SILVA, A. B. Pesquisa Qualitativa em Estudos Organizacionais: Paradigmas, Estratégias e Métodos. São Paulo: Editora Saraiva, 2006.

BARLEY, S. R. When I write my masterpiece: thoughts on what makes a paper interesting. Academy of Management Journal, v. 49, n. 1, p. 16-20, 2006.

BARTUNEK, J. M.; RYNES, S. L.; IRELAND, D. What makes Management Research interesting, and why does it matter? Academy of Management Journal, v. 49, n. 1, p. 9-15, 2006.

BERNARDO, M. H. et al. Brand Love no Setor de Cosméticos: Uma Análise Comparativa das Revendedoras de uma Marca Global do Brasil e do México. Brazilian Journal of Marketing, v. 17, n. 3, p. 19-30, 2018.

BERQUÓ, E. S.; SOUZA, J. M. P. de; GOTLIEB, S. L. D. Bioestatística. São Paulo: E.P. U- 1981.

BIANCHI, E. P. G.; IKEDA, A. A. Usos e Aplicações da Grounded Theory em Administração. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, v. 6, n. 2, 231-248, 2008.

BISPO, M de S.; COSTA, F. J. da. Artigos como avaliação discente em disciplinas de pós-graduação: Marcelo de Souza Bispo instrumento educativo ou subsistema de linha de montagem? Cadernos Ebape, v. 14, n. 4, p. 1007-1010, 2016.

BOAVENTURA, P. S. M. et al. Desafios na formação de profissionais em Administração no Brasil. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 19, n. 1, p. 1-31, 2018.

BRESLOW, N. A generalized Kruskall-Wallis test for comparing K samples subject to unequal patternes of censorship. Biometrika, v. 57, n. 3, p. 579-594, 1970.

BROWN, M. B.; FORSYTHE, A. B. Robust tests for the Equality of Variances. Journal of the American Statistical Association, v. 69, n. 74, p. 364-367, 2012.

BYRNE, D. W. Common reasons for rejecting manuscripts at medical journals: a survey of editors and peer reviewers. Science Editor, v. 23, n. 2, p. 39-44, 2000.

CARTON, G.; MOURICOU, P. Is management research relevant ?A systematic analysis of the rigor-relevance debate in top-tier journals (1994-2013). M@n@gement, v. 20, n. 2, p. 166-203, 2017.

CASSUNDÉ, F de S. A. et al. [Re]Pensando o Estágio na formação profissional dos estudantes de Administração: um estudo sobre a produção científica brasileira na área. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 18, n. 3, p. 594-623, 2017.

CAVASSANI, A. P.; CAVASSANI, E. B.; BIAZIN, C. C. Qualidade vida no trabalho: fatores que influenciam as organizações. In: SIMPEP, XIII, 2006. Anais... Bauru/SP: Unesp, 2006.

CHARNET, R. et al. Análise de Modelos de Regressão Linear com Aplicações. Campinas: Editora da Unicamp, 1999.

COOK, J. A.; FONOW, M. M. Knowledge and women’s interests issues of epistemology and methodology in feminist sociological research. Sociological Inquiry, v. 56, n. 1, p. 2-19, 1986.

COTA, M F de M.; IKEDA, A. A.; SBRAGIA, R. Lições Aprendidas no Desenvolvimento de Dissertações e de Teses em Administração. In: SEMEAD, XI, 2008. Anais... São Paulo: FEA-USP, 2008.

CRUZ, B de P. A.; PINTO, G. V.; OLIVEIRA, V. A. de. Capturo Pokémons. “Logo Existo”.Realidade Aumentada e Consumo à Luz das Experiências dos Usuários do Pokémon Go. ReMark, v. 16, n. 4, 2017.

CRUZ, B de P. A.; ZOUAIN, D. M. Atuação de consórcios de exportação brasileiros no segmento de moda praia. RAM - Rev. Adm. Mackenzie, v. 9, n. 2, p. 11-30, 2008.

DAFT, R. L. Learning the Craft of Organizational Research. The Academy of Management Review, v. 8, n. 4, p. 539-546, 1983.

DAS, H.; LONG, B. S. What Makes Management Research Interesting? An Exploratory Study. Journal of Managerial Issues, v. XXII, n. 1, p. 127-144, 2010.

DATTALO, P. Determining Sample Size - Balancing Power, Precision and Practicality. Oxford: Oxford University Press, 2008.

DENISI, A. From the editor. Academy of Management Journal, v. 37, 3, p. 465, 1994.

DIAS, C. A. Grupo Focal: técnica de coleta de dados em pesquisas qualitativas. Informação e Sociedade: Estudos, v. 10, n. 2, p. 1-12, 2010.

DICK, B. Reflections on the SAGE Encyclopedia of Action Research and what it says about action research and its methodologies. Action Research, v. 13, n. 4, p. 431-444, 2015.

EERINGA, S. G.; WEST, B. T.; BERGLUND, P. A. Applied Survey Data Analysis. Florida: CRC Press, 2010.

FALASER, C.; FERREIRA, M. P. Motivos de Rejeição dos Artigos nos Periódicos em Administração. Organ. Soc., v. 23, n. 77, p. 285-306, 2016.

FERNANDES, A. R. de; FONSECA, S. E.; CUNHA, C. L. Responsabilidade Social e Influências sobre Retornos de Cotações: um estudo a cerca do Desempenho de Índices de Sustentabilidade. Revista Administração em Diálogo, v. 20, n. 1, p. 25-39, 2018.

FERREIRA, M. A. S. P. V.; CANELA, R.; PINTO, C. F. O Processo Editorial nos periódicos e sugestões para publicação. Revista de Gestão e Secretariado, v. 5, n. 2, p. 1-22, 2014.

FIALHO, C. B; ROSA, Á. F. da; GAI, M. J. P.; PAZ, A de F. N. Empoderamento e Gênero: um estudo com mulheres que ocupam cargos de gestão em uma universidade federal. Administração em Diálogo, v. 20, n. 1, p. 01-24, 2018.

FINI, M. I. Inovações no Ensino Superior - Metodologias Inovadoras de Aprendizagem e suas relações com o mundo do trabalho: desafios para a transformação de uma cultura. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 19, n. 1, p. 176-183, 2018.

FIORI, F. C.; BEZERRA, C. A. Relações entre Tipos de Bolsas e Número de Publicações de Bolsistas de Iniciação Científica em Ciências Sociais Aplicadas: um estudo na Universidade Federal do Paraná. Revista Administração em Diálogo, v. 20, n. 1, p. 57-81, 2018.

FLATES, G. G. S.; SERRA, F. A. R.; MARTINS, C. A aptidão dos pesquisadores brasileiros pertencentes aos programas de pós-graduação Stricto Sensu em Administração para pesquisas quantitativas. Rausp, v. 49, n. 2, p. 384-398, 2014.

FOWLER JR, F. J. Survey Research Methods. 4. ed. California: SAGE Publications, 2009.

GEBIN, L. G. G. et al. Análise dos determinantes do Índice Combinado das maiores seguradoras brasileiras: um estudo econométrico entre os anos de 2005 a 2014. In: SIGET, XII, 2015. Anais… Resende/RJ: AEDB, 2015.

GODOI, C. K.; BANDEIRA-DE-MELLO, R.; SILVA, A. B. Pesquisa Qualitativa em Estudos Organizacionais: Paradigmas, Estratégias e Métodos. São Paulo: Saraiva, 2006.

GUJARATI, D. N. Econometria Básica. 3. ed. São Paulo: Pearson Education, 2000.

HAMES, I. The current state of peer review: criticisms, challenges and innovations. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDITORES CIENTÍFICOS, 7- 2012. Anais… Florianópolis/SC: ABEC, 2012.

HARDING, S. Feminism and Methodology. Blomington: Indiana University Press, Bloomington, 1987.

HENRY, G. T. Practical Sampling. California: SAGE Publications, 1990.

JAPIASSÚ, H.; MARCONDES, D. Dicionário Básico de Filosofia. 3. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.

KENNEDY, J. B.; NEVILLE, A. M. Basic Statistical Methods for Engineers and Scientists. 3. ed. New York: Harper e Row, Publisheres, 1986.

KOZINETS, R. V. Netnography - Doing Ethnographic Research Online. London: Sage Publications, 2010.

LEVIN, J. Estatística Aplicada às Ciências Humanas. 2. ed. São Paulo: Harbra, 1987.

MARTINS, H. H. T. de Souza. Metodologia qualitativa de pesquisa. Educação e Pesquisa, v. 30, n. 2, p. 289-300, 2004.

MASCARENHAS, A. O.; BARBOSA, A. C. Q. Produção Científica Brasileira em Gestão de Pessoas no Período 200-2010. RAE, v. 53, n. 1, p. 35-45, 2013.

MASHORCA, K. S. et al. A Beleza e a Vaidade em Relação a Novos Tipos de Alimentos: Um Estudo sobre o Mercado de Nutricosméticos. Brazilian Journal of Marketing, v. 15, n. 3, p. 401-417, 2016.

MCGREGOR, S. L. T.; MURNANE, J. A. Paradigm, methodology and method: intelectual integrity in consumer scholarship. International Journal of Consumer Studies, v. 34, p. 419-427, 2010.

MCMAHON, A. D. Study control, violators, inclusion criteria and defining explanotory and pragmatic trials. Statistics in Medicine, v. 21, n. 10, p. 1365-1376, 2012.

MENDES, S. Matos. Colaboração Externa no Processo de Inovação de uma Fashion Industry. Revista Administração em Diálogo, v. 20, n. 1, p. 103-120, 2018.

MINGERS, J. Combining IS Research Methods: Towards a Pluralist Methodology. Information System Research, v. 12, n. 3, p. 240-259, 2015.

MODANEZ, P. S. et al. Segmentação Psicográfica e estilos de vida de consumidores de venda direta por catálogo. REMark, v. 8, n. 1, p. 138-163, 2009.

MONTGOMERY, D C. Design and Analysis of Experiments. 2. ed. Toronto: John Wileye Sons, Inc. 1984.

MORGAN, D. L. Planing Focus Groups. Newbury Park, CA: Sage Publications, 1997.

MOSER, P. K.; MULDER, D. H.; TROUT, J. D. A Teoria do Conhecimento - uma introdução temática. 2. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

OLIVEIRA, B. A.; TOLEDO, A. C.; LOPES, E. L. Evolução da Experiência no Varejo de Serviços: um exemplo do setor de Telecomunicações brasileiro. REMark, v. 12, n. 1, p. 223-250, 2013.

OTT, R. L. et al. Statistics - a tool for the Social Sciences. 5. ed. Belmont: Duxburry Press, 1992.

PAES DE PAULA, A. P. Para além dos paradigmas nos Estudos Organizacionais: O Círculo das Matrizes Epistêmicas. Cadernos Ebape, v. 14, n. 1, p. 27-46, 2016.

PATRUS, R.; DANTAS, D. C.; SHIGAKI, H. B. O produtivismo acadêmico e seus impactos na pós-graduação sirito sensu: uma ameaça à solidariedade entre pares? Cadernos Ebape, v. 13, n. 1, p. 1-18, 2015.

PATRUS, R.; DANTAS, D. C.; SHIGAKI, H. B. Pesquisar é preciso. Publicar não é preciso: história e controvérsias sobre a avaliação por pares. Avaliação, v. 21, n. 3, p. 799-820, 2016.

PENALOZA, V.; DIÓGENES, C. G.; SOUSA, S. J. A. Escolha Profissional no Curso de Administração: Tendências Empreendedoras e Gênero. Revista de Administração Mackenzie, v. 9, n. 8, p. 151-167, 2008.

PIACENTINI, M. T. de. A forma em evidência: estilo e correção em trabalhos acadêmicos. In: BIANCHETTI, L.; MEKSENAS, P. (Orgs.). Teoria, Método e Escrita em Ciência e Pesquisa. Campinas, SP: Papirus, 2008. v. 1.

QUINTELLA, H. M.; BOGADO, Savio Domingos Coube. Análise Bibliográfica e Mapeamento da produção de um grupo de pesquisa sobre o uso competitivo da tecnologia de informação. Engevista, v. 6, n. 2, p. 36-47, 2004.

RAZALI, N. M.; WAH, B. W. Power Comparisons of Shapiro-Wilk, Kolmogorov-Smirnov, Lillefors and Anderson-Darling testes. Journal of Statistical Modeling and Analytics, v. 2, n. 1, p. 21-33, 2011.

RÍMOLI, T. T.; MELO, D de C. A Voz dos consumidores em redes sociais: proposição de um modelo eficaz de Gestão de Reclamações às empresas. Brazilian Journal of Marketing, v. 17, n. 1, p. 49-64, 2018.

ROSA, T. A.; FAGUNDES, A. F. de A.; PAULO, R. R. D. Comunicação Interna: uma avaliação da Intranet Corporativa do Grupo X. In: ENANGRAD, XVIII, 2017. Anais... Brasilia/DF, EnAngrad, 2017.

SAAT, T. L.; PENIWATI, K. Group Decision Making: Drawing out and Reconciling Differences. Pittsburgh: RSW Publications, 2013.

SAMPAIO, N A de S.; OLIVEIRA, A.; OLIVEIRA; S. Análise Estatística para Fidelização de Clientes. In: SEGET, XI, 2014. Anais... Resende/RJ: AEDB, 2004.

SANTOS, B. M. dos et al. A Importância e o uso da Estatística na área empresarial: uma pesquisa de campo com empresas do município de Elói Mendes - MG. In: SEGET, XIII, 2016. Anais... Resende/RJ: AEDB, 2016.

SEIFE, C. Os números (não) mentem. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

SHUGAN, S. M. Defining Interesting Research Problems. Marketing Science, v. 22, n. 1, p. 1-15, 2003.

SILVA, I. S.; VELOSO, A. L.; KEATING, J. B. Focus group: Considerações teóricas e metodológicas. Revista Lusófona de Educação, v. 26, n. 26, p. 175-190, 2014.

SILVA, T. L. F. da et al. A motivação no Ensino Superior: um estudo com alunos dos cursos de Administração e Direito. Journal of Management Analysis, v. 3, n. 1, p. 104-113, 2014.

SILVA, T. M. B. da. “Não preciso de coleira eletrônica!”: um estudo sobre o movimento de resistência ao celular em blogs e comunidades virtuais. REMark, v. 9, n. 2, p. 113-136, 2010.

SILVA, T. M. B. da; BAUER, H.; ASSIS, M. A. Cibertativismo e Comunidades Virtuais: um estudo sobre o movimento Anti-Globo. REMark, v. 10, n. 3, p. 84-105, 2011.

SILVEIRA, A. et al. Empreendedorismo em Diferentes Tipos de Organizações: Análise da Produção Científica na Base de Dados SciELO: 2004-2008. Faces Journal, v. 9, n. 3, p. 13-32, 2010.

SPINK, P. K. O pesquisador conversador do cotidiano. Psicologia e Sociedade, v. 20 (spe), p. 70-77, 2008.

TOMAKEN, A. J.; SERLIN, R. C. Comparision of ANOVA alternatives under variances heterogenity and specific non centrality structures. Psychological Bulletin, v. 99, n. 1, p. 90-99, 1986.

TROCOLLI, I. Ra. E os Pesquisadores Brasileiros que Praticam Grounded Theory: O que Fazem? Rev. Digita. Bibliotecon. Cienc. Inf., v. 12, n. 2, p. 20-37, 2014.

VIEIRA, V. A.; TIBOLA, F. Pesquisa qualitativa em marketing e suas variações: trilhas para pesquisas futuras. Revista de Administração Contemporânea, v. 9, n. 2, p. 9-33, 2005.

VIZEU, F.; MACADAR, M. A.; GRAEMLL, A. R. Produtivismo acadêmico baseado em uma perspectiva habermasiana. Cadernos Ebape, v. 14, n. 4, p. 984-1000, 2016.

VOSS, G. B. Formulating Interesting Research Questions. Journal of the Academy of Marketing Science, v. 31, n. 3, p. 356-359, 2003.

WELCH, B. L. On the Comparison of Several Mean Values: An Alternative Approach. Biometrika, v. 38, n. 3, p. 330-336, 1951.