Dinâmica da Difusão de Inovações no Contexto Brasileiro Outros Idiomas

ID:
50304
Resumo:
Inovação e difusão são conceitos imbricados. Compreender a difusão de inovações significa avançar no entendimento do progresso tecnológico. Há na literatura o entendimento de que a difusão é contexto-dependente. O objetivo do estudo é analisar a difusão de inovações no Brasil, considerando suas particularidades socioeconômicas. Com dados de consumo retirados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) para seis produtos em diferentes períodos, estimaram-se curvas de difusão, baseadas em Rogers (1962), e calcularam-se coeficientes, conforme Bass (1969). Os principais resultados foram: o modelo mostrou-se útil para a análise da difusão no Brasil, demonstrando que as teorias de Rogers e Bass são relevantes também para este contexto; a difusão dos produtos investigados encontra-se em diferentes estágios e caracteriza-se por ser, essencialmente, um processo de imitação; e devem-se considerar as peculiaridades da difusão para a economia brasileira, pois há fatores endógenos que a tornam diferenciada.
Citação ABNT:
FERREIRA, J. L.; RUFFONI, J.; CARVALHO, A. M. Dinâmica da Difusão de Inovações no Contexto Brasileiro. Revista Brasileira de Inovação, v. 17, n. 1, p. 175-200, 2018.
Citação APA:
Ferreira, J. L., Ruffoni, J., & Carvalho, A. M. (2018). Dinâmica da Difusão de Inovações no Contexto Brasileiro. Revista Brasileira de Inovação, 17(1), 175-200.
DOI:
https://doi.org/10.20396/rbi.v16i4.8650852
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/50304/dinamica-da-difusao-de-inovacoes-no-contexto-brasileiro/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AUBERT, J. E. Promoting innovation in developing countries: a conceptual framework. Washington DC: World Bank Institute, 2005. (World Bank Policy Research Working Paper, n. 3554). .

BASS, F. A new product growth for model consumer durables. Management Science, Maryland, v. 15, n. 8, p. 215-227, 1969.

BATTHI, S. H.; NAUMAN, S.; EHSAN, N. The dominant patterns of innovation. Journal of Quality and Technology Management, v. 9, n. 1, p. 31-55, 2013.

BEMMAOR, A. C.; LEE, J. The impact of heterogeneity and ill-conditioning on diffusion model parameter estimates. Marketing Science, v. 21, n. 2, p. 209-220, 2002.

BOALCH, G. A preliminary model of internet diffusion within developing countries. In: THIRD AUSTRALIAN WORLD WIDE WEB CONFERENCE. Proceedings… Queensland, Austrália, 1997. .

BRASIL.Ministério da Educação.Sistema Educativo Nacional de Brasil. Portal do MEC, 2016.

CONSUL. Quem é a Consul. 2015. .

DAVID, P. A. A contribuition to the theory of diffusion. 1 ed. Stanford: Stanford University, 1969.

DAVIES, S. The diffusion of process innovations. 1 ed. Cambridge: Cambridge University Press, 1979.

EARP, F de S.; PAULANI, L. M. Mudanças no consumo de bens culturais no Brasil após a estabilização da moeda. Nova Economia, v. 24, n. 3, p. 469-490, 2014.

EMMANOUILIDES C. J.; DAVIES, R. B. Modelling and estimation of social interaction effects in new product diffusion. European Journal of Operational Research, v. 177, n. 2, p. 1253-1274, 2007.

FERRARI, C. G. M. R. S. O surgimento da informática e sua chegada ao Brasil. Portal Educação, 2013. .

FIGUEIREDO, J. C. B. de. Modelo de difusão de Bass: uma aplicação para a indústria de motocicleta no Brasil. 1 ed. São Paulo: Centro de Altos Estudos da ESPM, 2014.

FILHO, G. G.; GOULART, E. E.; CAPRINO; M. P. Difusão de inovações: apreciação crítica dos estudos de Rogers. Revista FAMECOS, n. 33, p.41-47, 2007.

FUCK, M. P. Ideias fundadoras. Revista Brasileira de Inovação, v. 12, n. 2, p. 241-250, 2013.

FURTADO, A. Difusão tecnológica: um debate superado? In: PELAEZ, V.; SZMRECSÁNYI, T. Economia de inovação tecnológica. 1 ed. São Paulo: Hucitec, 2006.

GOLDENBERG, J.; LIBAI, B.; SOLOMON, S.; JAN N, S. D. Marketing percolation. Physical A: Statistical Mechanics and its Applications, v. 284, n. 1/4, p. 335-347, 2000.

GRILICHES, Z. Hybrid corn: an exploration in the economics of technological change. Econometrica, v. 25, n. 4, p. 501-522, 1957.

HALL, B. H. Innovation and diffusion. Cambridge, MA: The National Bureau of Economic Research, 2004. (Working paper, n. 10212). .

HAMANN, R. O preço da informática: o computador já custou mais que um carro. Tecmundo, 2011. .

HISTÓRIA da Internet no Brasil. Wikipedia, a enciclopédia livre. [S.l., 2017?]. . Acesso em: 20 ago. 2017.

HOHNISCH, M.; PITTNAUER, S.; STAUFFER, D. A percolation-based model explaining delayed takeoff in new-product diffusion. Industrial and Corporate Change, v. 17, n. 5, p. 1001-1017, 2008.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro, 2010. .

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). Rio de Janeiro, 2016. / . Acesso em: 25 mar. 2016.

KAPUR, P. K.; SINGH, O.; CHANDA, U.; BASIRZADEH, M. Determining adoption pattern with pricing using two-dimensional innovation diffusion model. Journal of High Technology Management Research, v. 21, p. 136-146, 2010.

KOHLI, R.; LEHMANN D. R.; PAE, J. Extent and impact of incubation time in new product diffusion. Journal of Product Innovation Management, v. 16, n. 2, p. 134-144, 1999.

KONZEN, G. Difusão de sistemas fotovoltaicos residenciais conectados à rede no Brasil: uma simulação via modelo de Bass, 2014, 109 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

LECHMAN, E. ICTs diffusion trajectories and economic development - an empirical evidence for 46 developing countries. Gdańsk, Polônia., 2013. (GUT FME Working Paper Series A, n. 18/2013). . Acesso em: 05 maio 2015.

LEE, T. T. Nurses’ adoption of technology: application of Rogers’ innovation-diffusion model. Applied Nursing Research, v. 17, n. 4, p. 231-238, 2004.

LIMA, S de C. Da substituição de importações ao Brasil potência: concepções do desenvolvimento 1964-1979. Revista Aurora, São Paulo, v. 5, n. 7, p. 34-44, 2011.

MAIENHOFER, D.; FINHOLT, T. Finding optimal targets for change agents: a computer simulation of innovation diffusion. Computational and Mathematical Organization Theory, v. 8, n. 4, p. 259-280, 2002.

MANSFIELD, E. Technical change and the rate of imitation. Econometrica, v. 29, n. 4, p. 741-766, 1961.

MATSUYAMA, K. The rise of mass consumption societies. Journal of Political Economy, v. 110, p. 1035 -1070, 2002.

METCALFE, J. S. Impulse and diffusion in the study of technical change. Futures, v. 13, n. 5, p. 347-359, 1981.

MOLINA FILHO, J. Difusão de inovações: críticas e alternativas ao modelo dominante. Cadernos de Ciência & Tecnologia, v. 6, n. 1, p. 101-115, 1989.

NANDAKUMAR, A. K.; BESWICK, J.; THOMAS, C. P.; WALLACK, S. S.; KRESS, D. Pathways of health technology diffusion: the United States and low-income countries. Health Affairs, v. 28, n. 4, p. 986-995, 2009.

NOGUEIRA-CAMPOS, M. A.; GAMA, J. L. C. N. da; PINTO, M de M. O processo de adoção e difusão de novas tecnologias nas edificações: uma revisão bibliográfica. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 17. Anais... Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Engenharia de Produção - Agepro. 2008. .

PAULICS, V. A. T. Disseminação do Programa de Garantia de Renda Mínima no Brasil (1991-1997), 2003. 170 f. Dissertação (Mestrado em Administração Pública e Governo) - FGV/ EAESP. São Paulo,. 2003.

PEREIRA, L. C. B. A estratégia brasileira de desenvolvimento entre 1967 e 1973. Revista de Administração Empresarial, v. 17, n. 4, p. 17-26, 1977.

RAHMANDAD, H.; STERMAN, J. Heterogeneity and network structure in the dynamics of diffusion: comparing agent-based and differential equation models. Management Science, v. 54, n. 5, p. 998-1014, 2008.

ROGERS, E. M. Diffusion of innovations. 1 ed. New York: The Free Press. 1962.

ROSENBERG, N. Perspectives on technology. 1 ed. Cambridge: Cambridge University Press, 1976.

SAMPAIO, D. C.; HATEM, F. A relação entre efeitos de rede e ciclos de feedback - aplicação prática em uma rede de apostadores, 2013, 90 f. Monografia (Graduação em Engenharia de Produção) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

SCHUMPETER, J. A. A teoria do desenvolvimento econômico. 1 ed. São Paulo: Abril Cultural, 1912.

SILVERBERG, G. Modeling economic dynamics and technical change: mathematical approaches to self-organization and evolution. In: DOSI, G.; FREEMAN, C.; NELSON, R.; SILVERBERG, G.; SOETE, L. Technical change and economic theory. 1 ed. Londres: Pinter, 1988.

SOARES, D de Q. Inovação tecnológica: desafios e perspectivas dos países subdesenvolvidos. Desigualdade & Diversidade - Revista de Ciências Sociais da PUC-Rio, v. 8, p. 101-117, 2011.

STONEMAN, P. The economic analysis of technologial change. 1. ed. New York: Oxford University Press, 1983.

STRANG, D.; MACY, M. W. In search of excellence: fads, success stories, and adaptive emulation. American Journal of Sociology, v. 107, n. 1, p. 147-182, 2001.

SULTAN, F.; FARLEY, J. U.; LEHMANN, D. R. A meta-analysis of applications of diffusion models. Journal of Marketing Research, v. 27, n. 1, p. 70-77, 1990.

TELEVISOR. Wikipedia, a enciclopédia livre. [S.l., 2017?]. . Acesso em 20-08-2017.

TELLIS, G. J.; STREMERSCH, S.; YIN, E. The international take-off of new products: the role of economics, culture, and country innovativeness. Marketing Science, Maryland, v. 22, n. 2, p. 188-208, 2002.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ. História dos computadores no Brasil. Portal do Projeto Museu do Computador da UEM. [2017?]. . Acesso em: 20 jul. 2017.

VAN DEN BULTE, C.; LILIEN, G. L. Bias and systematic change in the parameter estimates of macro-level diffusion models. Marketing Science, v. 16, n. 4, p. 338-353, 1997.

VAN DEN BULTE, C.; STREMERSCH, S. Social contagion and income heterogeneity in new product diffusion: a meta-analytic test. Marketing Science, v. 23, n. 4, p. 530-544, 2004.

VIEIRA FILHO, J. E. R.; SILVEIRA, J. M. F. J. da. Mudança tecnológica na agricultura: uma revisão crítica da literatura e o papel das economias de aprendizado. Revista de Economia e Sociologia Rural, Brasília, v. 50, n. 4, p. 721-742, 2012.

WHIRLPOOL. Whirlpool atinge a marca de 150 milhões de lavadoras produzidas. Site institucional, 2017. .

WILSON, E. J. Liderança e difusão da internet: o caso do Brasil. DataGramaZero, v. 1, n. 2, 2000. .

ZETTELMEYER, F.; STONEMAN, P. L. Testing alternative models of new product diffusion. Economics of Innovation and New Technology, v. 2, p. 283-308, 1993.