O estado e a generalização da forma empresa: uma análise da percepção de agentes públicos acerca do papel da Secult em Pelotas/RS Outros Idiomas

ID:
50415
Periódico:
Resumo:
Este estudo buscou analisar como o Estado, representado aqui pela Secretaria de Cultura da Prefeitura Municipal de Pelotas (Secult), contribuicom o processo de empresarização no campo da cultura da cidade de Pelotas. Para isso, foi realizada uma pesquisa qualitativa, do tipo descritivo-interpretativa a partir da técnica de estudo de caso. Ao se optar por uma abordagem foucaultiana, na qual o alinhamento ao ideário neoliberal contribui para a generalização da forma empresa, buscou-se descrever como ocorreram as transformações na orientação do Estado frente ao campo da cultura. Diante disso, foi possível perceber a existência de elementos neoliberais que caracterizam a ação do Estado e compõe o processo de empresarização, principalmente relacionado à publicação de editais, de descentralização e de formação cultural, o que acaba por contribuir para disseminar a ideia de reproduzir múltiplos indivíduos-empresa, compondo o tecido social.
Citação ABNT:
BORGES, J. C. P.; RODRIGUES, M. O estado e a generalização da forma empresa: uma análise da percepção de agentes públicos acerca do papel da Secult em Pelotas/RS. Sinergia, v. 21, n. 2, p. 81-94, 2017.
Citação APA:
Borges, J. C. P., & Rodrigues, M. (2017). O estado e a generalização da forma empresa: uma análise da percepção de agentes públicos acerca do papel da Secult em Pelotas/RS. Sinergia, 21(2), 81-94.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/50415/o-estado-e-a-generalizacao-da-forma-empresa--uma-analise-da-percepcao-de-agentes-publicos-acerca-do-papel-da-secult-em-pelotas-rs/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português