Gestão Estratégica de Pessoas no Setor Público: Percepções de Gestores e Funcionários Acerca de seus Limites e Possibilidades em uma Autarquia Federal Outros Idiomas

ID:
50756
Resumo:
A gestão de pessoas no setor público vivenciou profundas transformações, principalmente após a década de 1990, quando adota uma perspectiva estratégica orientada para resultados. Tais modelos enfrentam desafios de implantação devido às características inerentes à administração pública, como a burocracia e impessoalidade. Assim, torna-se relevante analisar o impacto dessas mudanças na dinâmica interna de organizações públicas. Desse modo, o objetivo deste trabalho foi analisar a percepção e atitudes de gestores e funcionários acerca da gestão de pessoas em uma autarquia federal. O estudo consistiu na aplicação e análise de entrevistas semiestruturadas e de técnicas de construção de desenhos. Os resultados apontaram para a ausência de um modelo estratégico de gestão de pessoas, devido a características peculiares do setor público representadas subjetivamente através dos desenhos produzidos. Para estudos futuros, sugere-se a ampliação da utilização da técnica de construção de desenhos para análise de percepções e atitudes no âmbito do setor público.
Citação ABNT:
CARMO, L. J. O.; ASSIS, L. B.; MARTINS, M. G.; SALDANHA, C. C. T.; GOMES, P. A. Gestão Estratégica de Pessoas no Setor Público: Percepções de Gestores e Funcionários Acerca de seus Limites e Possibilidades em uma Autarquia Federal. Revista do Serviço Público, v. 69, n. 2, p. 163-191, 2018.
Citação APA:
Carmo, L. J. O., Assis, L. B., Martins, M. G., Saldanha, C. C. T., & Gomes, P. A. (2018). Gestão Estratégica de Pessoas no Setor Público: Percepções de Gestores e Funcionários Acerca de seus Limites e Possibilidades em uma Autarquia Federal. Revista do Serviço Público, 69(2), 163-191.
DOI:
https://doi.org/10.21874/rsp.v69i2.1759
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/50756/gestao-estrategica-de-pessoas-no-setor-publico--percepcoes-de-gestores-e-funcionarios-acerca-de-seus-limites-e-possibilidades-em-uma-autarquia-federal/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Amaral, R. M. Gestão de pessoas por competências em organizações públicas. In: Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias, 15., 2006, São Paulo. Anais... São Paulo: Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), 2006.

Antonello, C. S.; Pantoja, M. J. Aprendizagem e o desenvolvimento de competências. In: Pantoja, M. J.; Camões, M. R. S.; Bergue, S. T. (Orgs.). Gestão de pessoas: bases teóricas e experiências no setor público. Brasília: Enap, 2010.

Barbieri, U. F. Gestão de pessoas nas organizações: práticas atuais sobre o RH estratégico. São Paulo: Atlas, 2012

Barbosa, L. Meritocracia à brasileira: o que é desempenho no Brasil?. Revista do Serviço Público, Enap, v. 47, n. 3, p. 59-102, set-dez. 1996.

Bardin, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2002. (Obra original publicada em 1977).

Barros, A. J. P.; Lehfeld, N. A. S. Projeto de pesquisa: propostas metodológicas. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 1997.

Blonski, F. et al. Decreto nº 5.707, de 23 de fevereiro de 2006. Institui a Política e as Diretrizes para o Desenvolvimento de Pessoal da administração pública federal direta, autárquica e fundacional, e regulamenta dispositivos da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 24 de fevereiro de 2006.

Blonski, F. et al. Decreto nº 7.133, de 19 de março de 2010. Regulamenta os critérios e procedimentos gerais a serem observados para a realização das avaliações de desempenho individual e institucional e o pagamento das gratificações de desempenho. [Internet]. Brasília; 2010 [citado 2011 ago. 22]. Disponível em: http://www.planalto. gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7133.htm Acesso em: 10 de jan de 2017.

Blonski, F. et al. O controle gerencial na perspectiva do New Public Management: o caso da adoção do Balanced Scorecard na Receita Federal do Brasil. Administração Pública e Gestão Social, v. 9, n. 1, p. 15-30, 2017.

Brasil. Decreto nº 200, de 25 de fevereiro de 1967. Dispõe sobre a organização da Administração Federal, estabelece diretrizes para a Reforma Administrativa e dá outras providências. Brasília, DF, 25 fev. 2001.

Bresser-Pereira, L. C. Brasil: um século de transformações. In: Pinheiro, P. S.; Wilheim, J.; Sachs, I. (Orgs.). Brasil: um século de transformações. S. Paulo: Cia. Das Letras, 2001.

Bresser-Pereira, L. C. Do Estado patrimonial ao gerencial. Revista do Serviço público, v. 120, n. 1,p.7-40, jan-abr. 1996.

Bresser-Pereira, L. C. Reforma do Estado para a cidadania. Rio de Janeiro: FGV, 1998.

Camargo, E. J. B. et al. Gestão de pessoas na administração pública federal: análise dos modelos adotados no período 1995 a 2010. Revista Interdisciplinar de Gestão Social, v. 5, n. 1, p. 63-87, 2016

Castor, B. V. J.; José, H. A. A. Reforma e contra-reforma: a perversa dinâmica da administração pública brasileira. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 32, n. 6, p. 97-111, nov./dez. 1998.

Cavalcante, P. L. Orçamento por desempenho: uma análise comparativa do modelo de avaliação dos programas governamentais no Brasil e nos Estados Unidos. REGE Revista de Gestão, v. 17, n. 1, p. 13-25, 2010.

Coelho, E. M. Gestão do conhecimento como sistema de gestão para o setor público. Revista do Serviço Público (RSP), v. 55, n. 1 e 2, p. 89-115, jan./jun. 2004.

Costa, F. L. Brasil: 200 anos de Estado; 200 anos de administração pública; 200 anos de reformas. Revista de Administração Pública — Rio de Janeiro, v. 42, n. 5, p. 82974, 2008.

Goode, W. J.; Hatt, P. K. Métodos em pesquisa social. 7. ed. São Paulo: Nacional, 1979.

Lakatos, E. M.; Marconi, M. A. Metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

Longo, F. Mérito e flexibilidade: a gestão de pessoas no setor público. São Paulo: Fundap, 2007.

Mascarenhas, A. O. Gestão estratégica de pessoas: evolução, teoria e crítica. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

Matias-Pereira, J. Manual de gestão pública contemporânea. São Paulo: Atlas, 2007.

Mello, C. H. P.; Silva, C. E. S.; Turrioni, J. B. ISO 9001: 2008: sistema de gestão da qualidade para operações de produção e serviços. São Paulo: Atlas, 2009.

Moura, A. L. N.; Souza, B. C. Gestão estratégica de pessoas na administração indireta do setor público federal: na prática, ainda um discurso. Revista do Serviço Público, v. 67, n. 4, p. 575-602, 2016.

Nascimento, A. L.; Emmendoerfer, M.; Gava, R. Comprometimento no trabalho de gestores públicos em uma autarquia estadual no Brasil. Revista do Serviço Público, v. 65, n. 2, p. 199-226, 2014.

Nogueira, R. P.; Santana, J. P. Human resources management and public sector reforms: trends and origins of a new approach. Discussion Paper, n. 115. Brasília: Ipea, jan. 2015. Disponível em: < http://migre.me/vcUAg >. Acesso em: 06 set, 2016.

Odelius, C. C.; Santos, P. Avaliação de desempenho individual na administração pública federal: aspectos intervenientes no processo e nos resultados. Revista Economia & Gestão, v. 7, n. 15, p. 10-30, 2007.

Pacheco, R. S. Mensuração de desempenho no setor público: os termos do debate. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, v. 14, n. 55, p. 149-161, 2009.

Peci, A.; Pieranti, O. P.; Rodrigues, S. Governança e New Public Management: convergências e contradições no contexto brasileiro. Revista O&S: Organizações e Sociedade, v. 15, n. 46, p. 39-55, jul./set. 2008.

Peters, B. G. Os dois futuros do ato de governar: processos de descentralização e recentralização no ato de governar. Revista do Serviço Público, v. 59, n. 3, p. 289307, 2008.

Richardson, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999. 334 p.

Salles, M. A. S. D.; Villardi, B. Q. O desenvolvimento de competências gerenciais na prática dos gestores no contexto de uma IFES centenária. Revista do Serviço Público, v. 68, n. 2, p. 467-492, 2017.

Schikmann, R. Gestão estratégica de pessoas: bases para a concepção do curso de especialização em gestão de pessoas no serviço público. In: Camões, M. R. de S.; Pantoja, M. J.; Bergue, S. T. (Orgs.). Gestão de pessoas: bases teóricas e experiências no setor público. Brasília: Enap, 2010.

Secchi, L. Modelos organizacionais e reformas da administração pública. Revista de Administração Pública, RAP-FGV, v. 43, n. 2, p. 347-369, 2009.

Silva, F. M.; Mello, S. P. T. A implantação da gestão por competências: práticas e resistências no setor público. Revista Eletrônica de Administração e Turismo-ReAT, v. 2, n. 1, p. 110-127, 2013.

Silva, F. M.; Mello, S. P. T. A noção de competência na gestão de pessoas: reflexões a partir de casos do setor público. Revista do Serviço Público, v. 62, n. 2, p. 167-183, 2011.

Tinoco, D. S. A influência do novo gerencialismo público na política de educação superior. Interface, Natal, v. 10, n. 1, p. 4-15, 2013.

Vergara, S. C. A utilização da construção de desenhos como técnica de coleta de dados. In: Vieira, Marcelo Milano Falcão; Zouain, Deborah Moraes (Orgs.). Pesquisa qualitativa em administração – teoria e prática. Rio de Janeiro: FGV, 2005