Potencialidades para o Turismo Rural Acessível: Um Levantamento na Região de Planaltina - Distrito Federal Outros Idiomas

ID:
50776
Periódico:
Resumo:
Este trabalho tem como objetivo discutir o turismo rural na região de Planaltina DF, tendo como foco de análise a acessibilidade nos principais locais voltados a este segmento. Para tanto, optou-se primeiramente por uma pesquisa bibliográfica a respeito das peculiaridades do turismo rural e o turismo acessível. c semiestruturado. Ao todo foram entrevistados 2 clubes, 2 hotéis, 2 pesque e pagues, 5 restaurantes e 2 pousadas, totalizando 13 estabelecimentos rurais, que foram analisados na sua totalidade de forma qualitativa. A pesquisa apontou que os estabelecimentos investigados apresentam alguns itens voltados para a acessibilidade como rampas, estacionamento, portas e corredores mais largos, sobremaneira voltados para limitação motora e carecem de estrutura voltada para os outros tipos de limitações. As entrevistas e observações feitas nesses estabelecimentos revelaram os problemas, as dificuldades e os desafios que a região de Planaltina DF enfrenta para o desenvolvimento de um turismo rural acessível. Dentre esses, citam-se a falta de informação a respeito das adaptações necessárias, a inexistência de orientação, além da falta de conscientização a respeito do tema.
Citação ABNT:
DUARTE, D. C.; OLIVEIRA, G. A. Potencialidades para o Turismo Rural Acessível: Um Levantamento na Região de Planaltina - Distrito Federal . Revista Hospitalidade, v. 15, n. 1, p. 1-25, 2018.
Citação APA:
Duarte, D. C., & Oliveira, G. A. (2018). Potencialidades para o Turismo Rural Acessível: Um Levantamento na Região de Planaltina - Distrito Federal . Revista Hospitalidade, 15(1), 1-25.
DOI:
https://doi.org/10.21714/2179-9164.2018v15n1.796
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/50776/potencialidades-para-o-turismo-rural-acessivel--um-levantamento-na-regiao-de-planaltina---distrito-federal-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AZEVEDO, R. M. M.; RODRIGUES, C.G.O. Políticas públicas e turismo rural: um estudo acerca das possibilidades e limitações no município de Apodi (RN). Caderno Virtual de Turismo. Rio de Janeiro, v. 15, n. 2, p.131-145, ago. 2015.

BENI, M. C.; MÖESCH, M. Do discurso sobre a ciência do turismo para a ciência do turismo. In: XII Seminário da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo, 2015, Natal. Anais do Seminário ANPTUR. São Paulo: ANPTUR, v. XII. p. 1-12, 2015.

BOER, L.; REJOWSKI, M. Dimensões da hospitalidade em um restaurante comercial. Turismo e Sociedade, v. 9, p. 1-23, 2016.

BRASIL. lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, n. 127, 7 jul. 2015.

BRASIL. Ministério do turismo. Secretaria Nacional de Políticas de Turismo. Turismo Rural: Orientações Básica. Brasília, 2010. 19 p.

BRASIL. Secretaria de Direitos Humanos. Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência. Acessibilidade Brasília: SNPD. Disponível em: < http://www.pessoacomdeficiencia.gov.br/app/acessibilidade-0 >. Acesso em 10 ago. 2015.

CORREA NETTO, E. Profissão: assistente social [online]. São Paulo: Editora .... nível em . acesso em 10/4/2009. CORREA NETTO, E. Secretaria ..... Serviço Social & Sociedade (São Paulo), ano X, n.30, p.89 102, abr. 1989.

DEVILE, E. “O Desenvolvimento do Turismo Acessível: dos Argumentos Sociais aos Argumentos de Mercado”. In, Revista Turismo & Desenvolvimento, Journal of Tourism and Development “Turismo Acessível”,2009, pp.39;40.

DORNELES, V. G.; AFONSO, S.; ELY, V. H. M. B. O desenho universal em espaços abertos: Uma reflexão sobre o processo de projeto. Gestão & Tecnologia de Projetos, v. 8, n. 1, p. 55, 2013.

DUARTE, D. C.; BORDA, G. Z. Acessibilidade e sustentabilidade: a experiência da hotelaria de Brasília. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, v. 7, n. 3, p. 365-383, 2013.

DUARTE, D. C. et al. Turismo acessível no Brasil: um estudo exploratório sobre as políticas públicas e o processo de inclusão das pessoas com deficiência. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo. São Paulo, v. 9, n. 3, p. 537-553, 2015

FERNANDES, A. P. C.; SANTOS, D. R.; REJOWSKI, M. Hospitalidade e a produção científica em língua inglesa sobre guias de viagem. Revista Hospitalidade. vol. 14, no. 2, p. 02-21, ago. 2017.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 1991

GOMES, B. L. R. Preservação do patrimônio histórico cultural: um repositório para o Museu Histórico e Artístico de Planaltina DF, 2009.

HEYLIGHEN, A.; BIANCHIN, M. Can crap design be inclusive? in: Cambridge workshop on universal access and assistive technology, 5., 2010, Cambridge. Proceedings... Cambridge, 2010. p. 55-62.

LOPES, A.; BARBOSA, A. L.; SONDA, M. P. Educação para o Trabalho em Serviços de Hospitalidade. In: 1º Seminário em Colóquio: Pesquisa e Ensino, 8., 2015, Universidade Federal de Pelotas. Anais Roda Conversações sobre Hospitalidade. Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 2015. p. 1-124.

LUNARDI, R.; DE SOUZA, M.; PERURENA, F. O trabalho de homens e mulheres no turismo rural em São Jose dos Ausentes: o "leve" e o "pesado". Turismo-Visão e Ação, v. 17, n. 1, p. 179-209, 2015.

MENDES, X. A Bacia do Rio São Bartolomeu Antes e Depois de Brasília. Fundação Banco do Brasil (FBB), Fundação Pró-Natureza (Funatura), Brasília – DF , 2009. Disponível em: . Acesso em 22 jan. 2017.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8. ed. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Abrasco, 2004.

MOSCOSO, M. C. Estação Ecológica Águas Emendadas. Portal Eco.tur.br. Abril ,2016. Disponível em < http://www.eco.tur.br/ecoguias/planalto/areas/aguas emend.htm>Acesso em 11 abr. 2016

PAULINO, F. O. et al. Extensão, comunicação e accountability na promoção do patrimônio histórico de Planaltina. 2012.

PEIXOTO, N.; NEUMAN, P. “Factores de Sucesso e Propostas de Acções para implementar o “Turismo para Todos”. Relevância Económicosocial”. In, Revista Turismo & Desenvolvimento, Journal of Tourism and Development Edição especial: “Turismo Acessível”, 2009, p.147.

ROCHA, E. S.; PETRY, T. R. E. Acolhimento e Hospitalidade: o caso do Museu Comunitário Engenho do Sertão –Bombinhas, SC. In: 1º Seminário em Colóquio: Pesquisa e Ensino, 8., 2015, Universidade do Vale do Itajaí. Anais Roda Conversações sobre Hospitalidade. Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 2015. p. 1-124.

SANTOS, A. F. L. Hospitalidade: a chave para aumentar as vendas e potencializar relacionamentos. Disponível em: http://www.portaleducacao.com.br/turismo-ehotelaria/artigos/59440/hospitalidade-a-chave-para-aumentar-as-vendas-e-potencializarrelacionamentos Acesso em 30 jun. 2017.

STEFANINI, C. J.; ALVES, C. A.; MARQUES, R. B. Vamos Almoçar? Um estudo da relação hospitalidade, qualidade em serviços e marketing de experiência na satisfação dos clientes de restaurantes. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo. 12 (1), p. 57-79, jan./abr. 2018.

WADA, E. K.; GOLDENBERG, C. Movilidad Corporativa: Relaciones de hospitalidad entre los stakeholders y la nueva clase media Un estudio de casos múltiples. Estudios y Perspectivas em Turismo, v. 26, p. 804-825, 2017.