A Expressividade da Dança Circular Busca Hospitalidade, Acolhimento e Amorosidade nas Relações Outros Idiomas

ID:
50781
Periódico:
Resumo:
Esta pesquisa propõe a dança circular, como expressão de vínculos de acolhimento e amorosidade, em condições de oferecer sinalizadores para a hospitalidade. Tem como objetivos específicos: apresentar a dança circular num contexto relacional entre os sujeitos; relacionar os conceitos de acolhimento e amorosidade à dança circular; identificar sinalizadores de hospitalidade, nos vínculos marcados pelo acolhimento e amorosidade, em decorrência da dança circular. A Cartografia de Saberes, proposta por Baptista, é a orientação metodológica para a produção deste estudo, com realização das trilhas de saberes pessoais, saberes teóricos e a usina de produção. Foram realizadas aproximações investigativas, com levantamento bibliográfico, desenvolvimento de intervenções de dança em diversos ambientes e observação do corpo participante. Nas ações práticas, observação direta, observação participante, rodas de conversa, relatos de vivências e experimentação com desenvolvimento da dança circular. Os resultados indicaram que o desenvolvimento da dança circular, proporcionou, aos sujeitos participantes, sensação de bem-estar, laços de proximidade, acolhimento e amorosidade. Concluiu-se que a dança circular é uma forma de integrar o corpo e sua expressividade, em situação de comunicação e expressão. É capaz de acionar o pensamento e explorar a criatividade, estabelecendo troca com o ‘outro’. Proporciona sensação de pertencimento e provoca soltura nos corpos, relaxamento e relação-convívio.
Citação ABNT:
ÁVILA, N.; BAPTISTA, M. L. C. A Expressividade da Dança Circular Busca Hospitalidade, Acolhimento e Amorosidade nas Relações. Revista Hospitalidade, v. 15, n. 1, p. 1-24, 2018.
Citação APA:
ávila, N., & Baptista, M. L. C. (2018). A Expressividade da Dança Circular Busca Hospitalidade, Acolhimento e Amorosidade nas Relações. Revista Hospitalidade, 15(1), 1-24.
DOI:
https://doi.org/10.21714/2179-9164.2018v15n1.801
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/50781/a-expressividade-da-danca-circular-busca-hospitalidade--acolhimento-e-amorosidade-nas-relacoes/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AVENA, Biagio Mauricio. Por uma pedagogia da viagem, do turismo e do acolhimento: itinerários pelos significados e contribuições das viagens à (trans)formação de si / Biagio Mauricio Avena. Tese (doutorado) – Universidade Federal da Bahia. Faculdade de Educação, 2008. 516 p. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/11806/1/Tese%20Biagio%20Avena.pdf Acesso em: agosto/2017.

BAPTISTA, Isabel. Hospitalidade e eleição intersubjetiva: sobre o espírito que guarda os lugares. Revista Hospitalidade, v. 5, n. 2, p. 5-14, 10 dez. 2008. Disponível em: https://www.revhosp.org/hospitalidade/article/view/150 Acesso em: dezembro/2016.

BAPTISTA, Isabel. Para uma geografia de proximidade humana. Revista Hospitalidade, São Paulo, ano 2, n. 2, p. 11-22, 2. sem. 2005. Disponível em: https://www.revhosp.org/hospitalidade/article/view/219 Acesso em: dezembro/2016.

BAPTISTA, Maria Luiza Cardinale. Caosmose, desterritorialização e amorosidade na comunicação. Questões Transversais – Revista de Epistemologias da Comunicação. Vol. 2, nº 4, julho-dezembro/2014. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/questoes/article/view/9625/PDF Acesso em: junho/2017.

BAPTISTA, Maria Luiza Cardinale. Cartografia de Saberes na pesquisa em Turismo: Proposições Metodológicas para uma Ciência em Mutação. Revista Rosa dos Ventos – Turismo e Hospitalidade, 6(3) 342-355, jul-set, 2014. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/rosadosventos/article/view/2647 Acesso em: janeiro/2017.

BERGER, John. Modos de ver. Rio de Janeiro: Rocco, 1999. 168 p.

CAMARGO, Giselle Guilhon Antunes (Org.). Antropologia da dança II. Florianópolis: Insular, 2015. 304 p.

CAMARGO, Luiz Octávio de Lima. Os interstícios da Hospitalidade. Revista Hospitalidade. São Paulo, v. XII, n. especial, p. 42-69, mai. 2015. Disponível em: https://www.revhosp.org/hospitalidade/article/view/574 Acesso em: dezembro/2016.

COSTA, A.L. B. da. Danças: uma herança à disposição de Todos. In: RAMOS, R. L. C. (Org). Danças Circulares: uma proposta de educação e de cura. São Paulo: Triom. 1998. 194 p.

COUTO, Yara Aparecida. Dança Circular Sagrada e seu Potencial Educativo. Tese (Doutorado). Faculdade de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Educação, Piracicaba, SP, 2008. Disponível em: https://www.unimep.br/phpg/bibdig/pdfs/2006/NTFYKKWCNQAQ.pdf Acesso em: novembro/2016.

FARO, Antônio José. Pequena história da dança. 7ª edição. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2011. 150 p.

FOUCAULT, Michel (1999). A arqueologia do saber. 7.ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004. 236 p.

FREIRE, Paulo. A Educação na Cidade. São Paulo: Cortez Editora, 1991. 144 p.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999. 207 p.

LÉVINAS, Emmanuel. Totalidade e infinito. Lisboa, Portugal: Edições 70, 1988. 287 p.

MATURANA, Humberto R. Emoções e linguagem na educação e política. Belo Horizonte: UFMG, 1998. 103 p.

MATURANA, Humberto R.; VARELA, Francisco J. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. 9. ed. São Paulo: Palas Athena, 2011. 283 p.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. Trad. Carlos Alberto Ribeiro de Moura. São Paulo: Martins Fontes, 1994. (Texto original publicado em 1945). 465 p.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 20. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012. 128 p.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. 9. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005. 344 p.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2004. 118 p.

OSTETTO, L.E. Educadores na roda de dança: formação-transformação. 2006. 250 p. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas/SP. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/88883 Acesso em: dezembro/2016.

PERAZZOLO, O.; SANTOS, M. M. C.; PEREIRA, S. Dimensión relacional de la acogida. Estudios y Perspectivas en Turismo. Centro de Investigaciones y Estudios Turísticos, Buenos Aires, Argentina, 2013. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=180725735008 Acesso em: maio/2017.

POWELL, T.G.E. Os celtas. Lisboa: Verbo, 1965. 282 p.

RAMOS, R. L. C. (Org). Danças Circulares: uma proposta de educação e de cura. São Paulo: Triom. 1998. 194 p.

REIS, Marcelle Santos dos; TIBEAU, Cynthia Cleusa Pasqua Mayer; MUTARELLI, Maria Cristina; NETO, Maria Inês Artaxo. Proposta de inclusão das danças circulares nas aulas de ginástica laboral. Revista Multidisciplinar do Nordeste Mineiro – ISSN 2178-6925. Faculdade Presidente Antônio Carlos de Teófilo Otoni Junho de 2017. (Págs. 353 a 365). In: JAYME, D.; FAUSTO, E. Danças Circulares. Projeto Cooperação. 2011. Disponível em: http://www.unipacto.com.br/revista2/arquivos_pdf_revista2017/24.pdf Acesso em novembro/2017.

ROLNIK, Suely. Cartografia sentimental: transformações contemporâneas do desejo. São Paulo: Estação Liberdade, 1989. 304 p.

ROMAGNOLI, Roberta Carvalho. A cartografia e a relação pesquisa e vida. Psicol. Soc. [online]. 2009, vol.21, n.2, pp.166-173. ISSN 0102-7182. http://dx.doi.org/10.1590/S010271822009000200003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/psoc/v21n2/v21n2a03.pdf Acesso em: abril/2017.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa cientifica. 30. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 144 p.

SANTOS, Marcia Maria Cappellano dos. A metáfora laços sociais e a hospitalidade (p. 13 a 17). In: Laços Sociais: por uma epistemologia da hospitalidade. SANTOS, Marcia Maria Cappellano dos; BAPTISTA, Isabel (Org.). Caxias do Sul, RS: EDUCS, 2014. 280 p.

SANTOS, Marcia Maria Cappellano dos; BAPTISTA, Isabel (Org.). Laços sociais: por uma epistemologia da hospitalidade. Caxias do Sul, RS: EDUCS, 2014. 280 p.

SESC. Serviço Social do Comércio. (www.sesc.com.br). 2017.

WOSIEN, Bernhard. Dança: um caminho para a totalidade. São Paulo: TRIOM, 2000. 157 p.