Análise da Formalidade dos Sistemas de Controle Gerencial em Empresas Incubadas Outros Idiomas

ID:
50786
Resumo:
Este estudo objetiva analisar a formalidade dos Sistemas de Controle Gerencial (SCG) em empresas incubadas. Uma pesquisa de levantamento foi realizada nas incubadoras de empresas associadas à Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec). Um questionário formatado no Google Docs foi enviado às incubadoras de empresas para que fosse enviado aos gestores das empresas incubadas, obtendo-se respostas de 15 gestores de empresas incubadas. O questionário compõe-se de três blocos: perfil do respondente, características da empresa incubada participante da pesquisa e questões sobre a formalização de elementos dos SCG propostos por Malmi e Brown (2008). Aplicaram-se estatísticas descritivas, medidas centrais como média, mediana, moda e desvio padrão. Os resultados da pesquisa denotam maior formalização no controle de planejamento e controle cultural em detrimento do controle administrativo e controle cibernético. As evidências indicam que as empresas pesquisadas priorizam o planejamento de metas e ações de curto prazo, com foco tático, e controles informais, enraizados em crenças e valores, em detrimento dos controles formais, exercidos a partir do estabelecimento de medidas explícitas e verificáveis. No entanto, vale ressaltar que a adoção de controles gerenciais formais na fase inicial é importante para o crescimento de jovens empresas, no caso de empresas incubadas.
Citação ABNT:
BEUREN, I. M.; SANTOS, V. D.; THEISS, V. Análise da Formalidade dos Sistemas de Controle Gerencial em Empresas Incubadas. Revista Mineira de Contabilidade, v. 19, n. 2, p. 19-30, 2018.
Citação APA:
Beuren, I. M., Santos, V. D., & Theiss, V. (2018). Análise da Formalidade dos Sistemas de Controle Gerencial em Empresas Incubadas. Revista Mineira de Contabilidade, 19(2), 19-30.
DOI:
https://doi.org/10.21714/2446-9114RMC2018v19n2t02
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/50786/analise-da-formalidade-dos-sistemas-de-controle-gerencial-em-empresas-incubadas/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALVES, A. B. Desenho e uso dos sistemas de controle gerencial e sua contribuição para a formação e implementação da estratégia organizacional. 2010. 112f. Dissertação (Mestrado em Controladoria e Contabilidade) Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

AMORIM, B. C. et al. Sistema de controle orçamentário e inovação: Um estudo em empresas de base tecnológica incubadas. Espacios, v. 37, n. 15, p. 6-13, 2016.

ANTHONY, R. Planning and control Systems: A framework for analysis. Boston: Division of Research, Harvard University Graduate Business School of Business Administration, 1965.

BAINES, A.; LANGFIELD-SMITH, K. Antecedents to management accounting change: a structural equation approach. Accounting, Organizations and Society, v. 28, n. 7, p. 675-698, 2003.

BEDFORD, D. S.; MALMI, T.; SANDELIN, M. Management control effectiveness and strategy: An empirical analysis of packages and systems. Accounting, Organizations and Society, v. 51, p. 12-28, 2016.

BERGEK, A.; NORRMAN, C. Incubator best practice: A framework. Technovation, v. 28, n. 1, p. 20-28, 2008.

BEUREN, I. M.; VAZ, P. V. C. Papel mediador do pacote do sistema de controle gerencial na relação entre estratégia ambiental e performance gerencial. In: Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 16., 2016, São Paulo. Anais eletrônicos... São Paulo, FEA/ USP, 2016.

CASSOL, A. et al. Desenvolvimento da capacidade absortiva em empresas incubadas e graduadas de Santa Catarina, Brasil. Desenvolvimento em Questão, v. 14, n. 37, p. 168-201, 2016.

CASSOL, A.; ZAPALAI, J.; CINTRA, R. F. Capacidade absortiva como propulsora da inovação em empresas incubadas de Santa Catarina. Revista Ciências Administrativas, v. 23, n. 1, p. 9-41, 2017.

CHENHALL, R. H. Management control systems design within its organizational context: findings from contingency-based research and directions for the future. Accounting, Organizations and Society, v. 28, n. 127-168, 2003.

CONTE, A.; BEUREN, I. M.; SANTOS, V. Uso de instrumentos do sistema de controle gerencial em empresas incubadas. In: Congresso de Contabilidade da UFRGS, 1., Porto Alegre, 2016. Anais eletrônicos... Porto Alegre: UFRGS, 2016.

COSTA, L. F. S.; FRANÇA, M. C. L.; TEIXEIRA, R. M. Apoio gerencial na incubação de empresas de base tecnológica: O caso da Incubadora Cise. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 4, n. 1, p. 1-15, 2010.

DAVILA, A.; FOSTER, G.; JIA, N. The valuation of management control systems in start-up companies: International Field-Based Evidence. European Accounting Review, v. 24, n. 2, p. 207-239, 2015.

DAVILA, A.; FOSTER, G.; OYON, D. Accounting and control, entrepreneurship and innovation: Venturing into new research opportunities. European Accounting Review, v. 18, n. 2, p. 281-311, 2009.

DAVILA, T.; FOSTER, G. Startup firms’ growth, management control systems adoption, and performance. IESE Business School: University of Navarra, 2005.

DE PAULA, H. C. et al. Mensuração da inovação em empresas de base tecnológica. RAI. Revista de Administração e Inovação, v. 12, n. 4, p. 232-253, 2015.

FERREIRA, A.; OTLEY, D. T. The design and use of performance management systems: An extended framework for analysis. Management Accounting Research, v. 20, n. 4, p. 263-282, 2009.

GRABNER, I.; MOERS, F. Management control as a system or a package? Conceptual and empirical issues. Accounting, Organizations and Society, v. 38, n. 6, p. 407-419, 2013.

HAUSTEIN, E.; LUTHER, R.; SCHUSTER, P. Management control systems in innovation companies: A literature based framework. Journal of Management Control, v. 24, n. 4, p. 343-382, 2014.

HENRI, J. F. Management control systems and strategy: A resource-based perspective. Accounting, Organizations and Society, v. 31, n. 6, p. 529-558, 2006.

HORMIGA, E.; BATISTA-CANINO, R. M.; SÁNCHEZ-MEDINA, A. The impact of relational capital on the success of new business start-ups. Journal of Small Business Management, v. 49, n. 4, p. 617-638, 2011.

IACONO, A.; ALMEIDA, C. A. S.; NAGANO, M. S. Interação e cooperação de empresas incubadas de base tecnológica: uma análise diante do novo paradigma de inovação. RAP. Revista de Administração Pública, v. 45, n. 5, p. 1485-1516, 2011.

LEMON, M.; SAHOTA, P. S. Organizational culture as a knowledge repository for increased innovative capacity. Technovation, v. 24, n. 6, p. 483-498, 2004.

LOPES, I. F.; BEUREN, I. M.; MARTINS, G. D. Alinhamento entre uso de instrumentos do sistema de controle gerencial e inovação de produtos e processos. Revista Organizações em Contexto, v. 14, n. 27, p. 1-27, 2018.

MACHADO, E. et al. Análise da influência do capital estrutural no sucesso de startups incubadas: Uma pesquisa com 21 empreendedores. International Journal of Innovation, v. 4, n. 1, p. 46-57, 2016.

MALMI, T.; BROWN, D. Management control systems as a package – Opportunities, challenges and research directions. Management Accounting Research, v. 19, p. 287-300, 2008.

MOORES, K.; YUEN, S. Management accounting systems and organizational configuration: a life-cycle perspective. Accounting, Organizations and Society, v. 26, n. 4, p. 351-389, 2001.

NORRIS, G.; O’DWYER, B. Motivating socially responsive decision making: the operation of management controls in a socially responsive organisation. The British Accounting Review, v. 36, n. 2, p. 173-196, 2004.

OTLEY, D. T. The contingency theory of management accounting: achievements and prognosis. Accounting, Organizations and Society, v. 5, n. 4, p. 413-428, 1980.

OUCHI, W. A conceptual framework for the design of organizational control mechanisms. Management Science, v. 25, n. 9, p. 833848, 1979.

OYADOMARI, J. C. T. Uso do sistema de controle gerencial e desempenho: Um estudo em empresas brasileiras sob a ótica da VBR (Visão Baseada em Recursos). 2008. 130f. Tese (Doutorado em Controladoria e Contabilidade) Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

RAUPP, F. M.; BEUREN, I. M. Perfil do suporte oferecido pelas incubadoras brasileiras às empresas incubadas. REAd. Revista Eletrônica de Administração, v. 17, n. 2, p. 330-359, 2011.

RICCABONI, A.; LUISA LEONE, E. Implementing strategies through management control systems: the case of sustainability. International Journal of Productivity and Performance Management, v. 59, n. 2, p. 130-144, 2010.

ROETZEL, P. G.; STEHLE, A.; PEDELL, B. Using an environmental management control system to translate environmental strategy into managerial performance. In: American Accounting Association Annual Meeting and Conference on Teaching and Learning in Accounting, 2014, Atlanta, Georgia. Annals... Atlanta, Georgia: American Accounting Association, 2014.

SCHEIN, E. H. Organizational culture and leadership. 2 ed. San Francisco: Jossey-Bass, 1997.

SIMONS, R. Control in an age of empowerment. Harvard Business Review, v. 73, n. 2, p. 8-88, 1995.

THEISS, V.; BEUREN, I. M. Reflexos da aplicação de recursos por provedores de funding no uso do sistema de controle gerencial mediado pelo seu desenho em empresas startups. In: USP International Conference in Accounting, 17., 2017, São Paulo. Anais eletrônicos... São Paulo: FEAUSP, 2017.

WIDENER, S. K. An empirical analysis of the levels of control framework. Accounting, Organizations and Society, v. 32, n. 7-8, p. 757-788, 2007.