Aplicação, Envolvimento e Relevância dos Princípios de Boas Práticas de Governança Corporativa nas Entidades Esportivas

ID:
50797
Resumo:
O objetivo deste estudo foi investigar a aplicação, o envolvimento e a relevância dos princípios de boas práticas de governança corporativa nas entidades esportivas. Foram estudadas oito entidades dessa natureza, mediante o método de estudo de caso múltiplo, utilizando-se, para tratamento dos dados, as análises intracasos e intercasos. Observou-se que em todas as entidades esportivas analisadas os princípios de boas práticas de governança corporativa têm sua relevância, seu envolvimento e se aplicam, sobretudo, à transparência e à prestação de contas. Essa informação contribuiu para entender que estes princípios são imprescindíveis para qualquer organização, não sendo diferente sua importância para tais entidades. Isso prova que a governança corporativa não é apenas mais um tema elementar e imaturo nesses espaços. Concluiu-se que tais princípios são preponderantes para as entidades esportivas, contribuindo para sua modernização e seu profissionalismo no cenário esportivo mundial.
Citação ABNT:
RIBEIRO, H. C. M.; COSTA, B. K. Aplicação, Envolvimento e Relevância dos Princípios de Boas Práticas de Governança Corporativa nas Entidades Esportivas. Revista de Administração da UFSM, v. 11, n. 2, p. 308-326, 2018.
Citação APA:
Ribeiro, H. C. M., & Costa, B. K. (2018). Aplicação, Envolvimento e Relevância dos Princípios de Boas Práticas de Governança Corporativa nas Entidades Esportivas. Revista de Administração da UFSM, 11(2), 308-326.
DOI:
10.5902/1983465912940
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/50797/aplicacao--envolvimento-e-relevancia-dos-principios-de-boas-praticas-de-governanca-corporativa-nas-entidades-esportivas/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AGUILERA, R. V.; CUERVO-CAZURRA, A. Codes of good governance. Corporate Governance, v. 17, n. 3, p. 376-387, 2009.

ALMEIDA, M. A.; SANTOS, J. F. dos; FERREIRA, L. F. V. de M.; TORRES, F. J. V. Evolução da qualidade das práticas de governança corporativa: um estudo das empresas brasileiras de capital aberto não listadas em bolsa. Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 5, p. 907-924, 2010.

ALVES, A. B.; PIERANTI, O. P. O estado e a formulação de uma política nacional de esporte no Brasil. RAE eletrônica, v. 6, n. 1, p. 1-20, 2007.

ARRUDA, G. S. de; MADRUGA, S. R.; FREITAS JUNIOR, N. I. de. A governança corporativa e a teoria da agência em consonância com a controladoria. Revista de Administração da UFSM, v. 1, n. 1, p. 71-84, 2008.

AZEVEDO, H. de; DE LUCA, M. M. M.; HOLANDA, A. P.; PONTE, V. M. R.; SANTOS, S. M. dos. Código de conduta: grau de adesão às recomendações do IBGC pelas empresas listadas na BM&FBovespa. In: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, EnANPAD, 35, 2011. Anais Eletrônicos... Rio de Janeiro: ANPAD, 2011. Disponível em: . Acesso em: 06 dez.2013.

BARBEDO, C. H.; SILVA, E. C. da.; LEAL, R. P. da C. Probabilidade de informação privilegiada no mercado de ações, liquidez intradiária e níveis de governança corporativa. Revista Brasileira de Economia, v. 63, n. 1, p. 51-62, 2009.

BENITES, L. L. L.; POLO, E. F. A sustentabilidade como ferramenta estratégica empresarial: governança corporativa e aplicação do triple bottom line na Masisa. Revista de Administração da UFSM, v. 6, Edição Especial, p. 195-210, 2013.

BOGONI, N. M.; ZONATTO, V. C. da S.; ISHIKURA, E. R.; FERNANDES, F. C. Proposta de um modelo de relatório de administração para o setor público baseado no parecer de orientação n. 15/87 da Comissão de Valores Mobiliários: um instrumento de governança corporativa para a administração pública. Revista de Administração Pública, v. 44, n. 1, p. 119-142, 2010.

BRENNAN, N. M.; SOLOMON, J. Corporate governance, accountability and mechanisms of accountability: an overview. Accounting, Auditing & Accountability Journal, v. 21, n. 7, p. 885906, 2008.

BRESSAN, F. O método do estudo de caso. Administração On Line, v. 1, n. 1, 2000.

CAMPOMAR, M. C. Do uso de “estudo de caso” em pesquisas para dissertações e teses em Administração. Revista de Administração da USP, v. 26, n. 3, p. 95-97, 1991.

CARIOCA, K. J. F.; DE LUCA, M. M. M.; PONTE, V. M. R. Implementação da Lei Sarbanes-Oxley e seus impactos nos controles internos e nas práticas de governança corporativa: um estudo na companhia energética do Ceará – Coelce. Revista Universo Contábil, v. 6, n. 4, p. 50-67, 2010.

CARVALHO, C. A. Configuração do campo da cultura no contexto da incorporação da lógica mercantil e os novos atores organizacionais. Projeto CNPq, 2003

CASTRO JUNIOR, F. H. F. de; CONCEIÇÃO, P. M. da; SANTOS, D. A. A relação entre o nível voluntário de transparência e o custo de capital próprio das empresas brasileiras não-financeiras. Revista Eletrônica de Administração, v. 17, n. 3, p. 617-635, 2011.

CHEN, W. P.; CHUNG, H.; LEE, C.; LIAO, W. L. Corporate governance and equity liquidity: analysis of s&p transparency and disclosure rankings. Corporate Governance: An International Review, v. 15, n. 4, p. 644-660, 2007.

CHEUNG, Y. et al. Does corporate governance predict future performance? Evidence from Hong Kong. Financial Management, v. 40, n. 1, p. 159-197, 2011.

CHIANG, H. T.; HE, L. J. Board supervision capability and information transparency. Corporate Governance: An International Review, v. 18, n. 1, p. 18-31, 2010.

CLARKE, T.; KLETTNER, A. Governance issues for SMEs. Journal of Business Systems, Governance and Ethics, v. 4, n. 4, 2009.

CRUZ, J. A. W.; QUANDT, C. O.; MARTINS, T. S.; SILVA, W. V. da. Performance no terceiro setor – uma abordagem de accountability: estudo de caso em uma organização nãogovernamental brasileira. Revista de Administração da UFSM, v. 3, n. 1, p. 58-75, 2010.

DONNELLY, R.; MULCAHY, M. Board structure, ownership, and voluntary disclosure in Ireland. Corporate Governance: An International Review, v. 16, n. 5, p. 416-429, 2008.

ERFURTH, A. E.; BEZERRA, F. A. Gerenciamento de resultados nos diferentes níveis de governança corporativa. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v. 10, n. 1, p. 32-42, 2013.

FASSIN, Y.; ROSSEM, A. V. Corporate governance in the debate on CSR and ethics: sensemaking of social issues in management by authorities and CEOs. Corporate Governance: An International Review, v. 17, n. 5, p. 573-593, 2009.

FERKINS, L. Developing strategic capability in national sport organizations. Deakin University: Australia, 2007.

FERKINS, L.; MCDONALD, G.; SHILBURY, D. A model for improving board performance: the case of a national sport organisation. Journal of Management & Organization, v. 16, n. 4, p. 601-621, 2010.

FERKINS, L.; MCDONALD, G.; SHILBURY, D. The role of the board in building strategic capability: towards an integrated model of sport governance research. Sport Management Review, v. 8, p. 195-225, 2005.

FERKINS, L.; SHILBURY, D. Developing a theory of board strategic balance. Routledge Handbook, 2015

FERKINS, L.; SHILBURY, D. Good boards are strategic: what does that mean for sport governance? Journal of Sport Management, v. 26, n. 1, p. 67-80, 2012.

FERKINS, L.; SHILBURY, D.; MCDONALD, G. Board involvement in strategy: advancing the governance of sport organizations. Journal of Sport Management, v. 23, n. 3, p. 245-277, 2009.

FILHO, J. R.; PICOLIN, L. M. Governança corporativa em empresas estatais: avanços, propostas e limitações. Revista de Administração Pública, v. 42, n. 6, p. 1163-1188, 2008.

FORSTER, J. Global sports organisations and their governance. Corporate Governance, v. 6, n. 1, p. 72-83, 2006.

GONÇALVES, J. C. de S.; CARVALHO, C. A. A mercantilização do futebol brasileiro: instrumentos, avanços e resistências. Cadernos EBAPE.BR, v. 4, n. 2, p. 1-27, 2006.

GONÇALVES, J. C. de S.; SILVA, C. E. “Empresarização” e controle: o caso do Figueirense Futebol Clube. Cadernos EBAPE.BR, v. 5, n. 3, p. 1-16, 2007.

GROENEVELD, M. European sport governance, citizens, and the state: finding a (co-) producive balance for the twenty-first century. Public Management Review, v. 11, n. 4, p. 421-440, 2009.

GRÜN, R. Atores e ações na construção da governança corporativa brasileira. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 18, n. 52, 2003

GRÜN, R. Convergência das elites e inovações financeiras: a governança corporativa no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 20, n. 58, 2005.

HALTER, M. V.; DE ARRUDA, M. C. C. Inverting the pyramid of values? trends in less-developed countries. Journal of Business Ethics, v. 90, n. 32, p. 267-275, 2009.

HAMIL, S.; WALTERS, G.; WATSON, L. The model of governance at FC Barcelona: balancing member democracy, commercial strategy, corporate social responsibility and sporting performance. Soccer & Society, v. 11, n. 4, p. 475-504, 2010.

HEATH, J.; NORMAN, W. Stakeholder theory, corporate governance and public management: what can the history of state-run enterprises teach us in the post-Enron era? Journal of Business Ethics, v. 53, n. 3, p. 247-265, 2004.

HOLM, C.; SCHOLER, F. Reduction of asymmetric information through corporate governance mechanisms – the important of ownership dispersion and exposure toward the international capital market. Corporate Governance: An International Review, v. 18, n. 1, p. 32-47, 2010.

HOLT, M. UEFA, governance, and the control of club competition in european football. Birkbeck Sport Business Centre, v. 2, n. 1, p. 1-191, 2009.

HOYE, R.; CUSKELLY, G. Sport governance. Sydney: Elsevier, 2007.

KIKULIS, L. M. Continuity and change in governance and decision making in national sport organizations: Institutional explanations. Journal of Sport Management, v. 14, n. 4, p. 293-320, 2000.

KITAGAWA, C. H.; RIBEIRO, M. de S. Governança corporativa na América Latina: a relevância dos princípios da OCDE na integridade dos conselhos e autonomia dos conselhos. Revista Contabilidade & Finanças, v. 20, n. 51, p. 61-76, 2009.

KOLK, A.; PINKSE, J. The integration of corporate governance in corporate social responsibility disclosures. Corporate Social Responsibility And Environmental Management, v. 17, n. 1, p. 1526, 2010.

LAKSHMAN, C.; AKHTER, M. Corporate governance scandals in the indian premier league (IPL): Implications for labour. Labour & Industry, v. 23, n. 1, p. 89-106, 2013.

LAMEIRA, V. de. J.; JR. NESS, W. L.; MACEDO-SOARES, T. D. L. van A. de. Governança corporativa: impactos no valor das companhias abertas brasileiras. Revista de Administração da USP, v. 42, n. 1, p. 64-73, 2007.

LEI, S.; GHOSH, C.; SRINIVASAN, H. Should they play? Market value of corporate partnerships with professional sport leagues. Journal of Sport Management, v. 24, p. 702-743, 2010.

LEONCINI, M. P.; SILVA, M. T. da. Entendo o futebol como um negócio: um estudo exploratório. Gestão & Produção, v. 12, n. 1, p. 11-23, 2005.

LOPES, A. B.; TUKAMOTO, Y. S. Contribuição ao estudo do “gerenciamento” de resultados: uma comparação entre as companhias abertas brasileiras emissoras de ADRs e não-emissoras de ADRs. Revista de Administração da USP, v. 42, n. 1, p. 86-96, 2007.

MACHOLD, S.; AHMED, P. K.; FARQUHAR, S. S. Corporate governance and ethics: A feminist perspective. Journal of Business Ethics, v. 81, n. 3, p. 665-678, 2008.

MALACRIDA, M. J. C.; YAMAMOTO, M. M. Governança corporativa: nível de evidenciação das informações e sua relação com a volatilidade das ações do Ibovespa. Revista Contabilidade & Finanças, v. 17, n. spe, p. 65-79, 2006.

MARQUES, D. S. P.; COSTA, A. L. Governança em clubes de futebol: um estudo comparativo de três agremiações no estado de São Paulo. Revista de Administração da USP, v. 44, n. 2, p. 118130, 2009.

MARQUES, M. da C. da C. Aplicação dos princípios da governança corporativa ao setor público. Revista de Administração Contemporânea, v. 11, n. 2, p. 11-26, 2007.

MEDEIROS, A. K. de; CRANTSCHANINOV, T. I.; SILVA, F. C. da. Estudos sobre accountability no Brasil: meta-análise de periódicos brasileiros das áreas de Administração, Administração Pública, Ciência Política e Ciências Sociais. Revista de Administração Pública, v. 47, n. 3, p. 745-775, 2013.

MEIRA, T. de B.; BASTOS, F. da C.; BÖHME, M. T. S. Análise da estrutura organizacional do esporte de rendimento no Brasil: um estudo preliminar. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 26, n. 2, p. 251-262, 2012.

MENDES-DA-SILVA, W.; FERRAZ-ANDRADE, J. M.; FAMÁ, R.; MALUF FILHO, J. A. Disclosure via website corporativo: um exame de informações financeiras e de governança no mercado brasileiro. Revista de Administração de Empresas, v. 49, n. 2, p. 190-205, 2009.

MILES, M. B.; HUBERMAN, M. A. Qualitative data analysis: an expanded sourcebook. Sabe: Thousand Oaks, 1994.

MIRANDA, R. A. de; AMARAL, H. F. Governança corporativa e gestão socialmente responsável em empresas estatais. Revista de Administração Pública, v. 45, n. 4, 2011.

MOREIRA, L. F. A respeito de ética e finanças. RAE Eletrônica, v. 1, n. 2, p. 1-18, 2002.

MOREIRA, R. D. L.; COLAUTO, R. D.; AMARAL, H. F. Conservadorismo condicional: estudo a partir de variáveis-econômicas. Revista Contabilidade & Finanças, v. 21, n. 54, p. 64-84, 2010.

NEUBAUM, D. O.; ZAHRA, S. A. Institutional ownership and corporate social performance: The moderating effects of investment horizon, activism, and coordination. Journal Of Management, v. 32, n. 1, p. 108-131, 2006.

NEWLAND, K. The governance of international migration: mechanisms, processes, and institutions. Global Governance, v. 16, p. 331-343, 2010.

NUMERATO, D.; BAGLIONI, S. The dark side of social capital: An ethnography of sport governance. International Review for the Sociology of Sport, v.47, n. 5, p. 594-611, 2012.

OLIVEIRA, M. A. C. de; OLIVEIRA, O. V. de; STEFE, R.; MORAES, P. A. B. Governança corporativa no setor bancário brasileiro: identificação das principais barreiras à adoção de melhores práticas de governança corporativa. In: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 37, EnANPAD. Anais Eletrônicos... Rio de Janeiro: ANPAD, 2013. Disponível em: . Acesso em: 28 nov.2013.

OLIVEIRA, M. C.; DE LUCA, M. M. M.; PONTE, V. M. R.; PONTES JUNIOR, J. É Disclosure of social information by brazilian companies according to united nations indicators of corporate social responsability. Revista Contabilidade & Finanças, v. 20, n. 51, p. 116-132, 2009.

PAGLIARUSSI, M. C.; LIBERATO, G. B. Disclosure de estratégia em relatórios anuais: uma análise de dimensões culturais, de sistema legal e de governança corporativa em empresas de quatro países. Revista de Administração Mackenzie, v. 12, n. 4, p. 155-181, 2011.

PIRES, G. O olimpismo hoje. De uma diplomacia do silêncio para uma diplomacia silenciosa. O caso das duas Chinas. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, v. 9, n. 2, p. 159-195, 2009.

POZZEBON, M.; FREITAS, H. M. R. de. Pela aplicabilidade – com um maior rigor científico – dos estudos de caso em sistemas de informação. Revista de Administração Contemporânea, v. 2, n. 2, p. 143-170, 1998.

REZENDE, J. F. de C.; FONTES FILHO, J. R. Indutores de alinhamento estratégico: comparações preliminares sobre valor entre empresas de capital privado e empresas estatais no Brasil. Revista de Administração Pública, v. 47, n. 3, p. 695-720, 2013.

RIBEIRO, H. C. M. Corporate governance versus corporate governance: an international review: uma análise comparativa da produção acadêmica do tema governança corporativa. In: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO. 4, 2013. EnEPQ. Anais Eletrônicos... Brasília: EnEPQ, 2013. Disponível em: . Acesso em: 05 dez.2013.

RIBEIRO, M. A. de S. Modelos de governança e organizações esportivas: uma análise das federações e confederações esportivas brasileiras. Tese (Doutorado em Administração Pública), FGV, Rio de Janeiro: 2012, 136 pg.

ROBERTSON, C. J. An analysis of 10 years of business ethics research in Strategic Management Journal: 1996-2005. Journal of Business Ethics, v. 80, p. 745-753, 2008.

RODRIGUEZ-DOMINGUEZ, L.; GALLEGO-ALVAREZ, I.; GARCIA-SANCHEZ, I. M. Corporate governance and codes of ethics. Journal of Business Ethics, v. 90, p. 187-202, 2009.

ROSSONI, L.; MACHADO-DA-SILVA, C. L. Institucionalismo organizacional e práticas de governança corporativa. Revista de Administração Contemporânea, v. spe, p. 173-198, 2010.

RUBIO, K. A dinâmica do esporte olímpico do século XIX ao XXI. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 25, n. esp., p. 83-90, 2011.

SANTOS, A. dos; GRATERON, I. R. G. Contabilidade criativa e responsabilidade dos auditores. Revista Contabilidade & Finanças, v. 14, 32, p. 07-22, 2003.

SHERRY, E.; SHILBURY, D.; WOOD, G. Wrestling with “conflict of interest” in sport management. Corporate Governance, v. 7, n. 3, p. 267-277, 2007.

SILVA, J. A. F. da; CARVALHO, F. A. A. de. Evidenciação e desempenho em organizações desportivas: um estudo empírico sobre clubes de futebol. Revista de Contabilidade e Organizações, v. 3, n. 6, p. 96-116, 2009.

SILVA, R. L. M. da; NARDI, P. C. C.; PIMENTA JUNIOR, T. O impacto da migração das empresas para os níveis diferenciados de governança corporativa da BM&F BOVESPA sobre o risco e o retorno de suas ações. Revista de Administração da UFSM, v. 5, n. 2, p. 222-242, 2012.

SOUZA, F. C. de; BORBA, J. A. Governança corporativa e remuneração de executivos: uma revisão de artigos publicados no exterior. Contabilidade Vista & Revista, v. 18, n. 2, p. 35-48, 2007.

TAYLOR, M.; O’SULLIVAN, N. How should national governing bodies of sport be governed in the UK? An Exploratory study of board structure. Corporate Governance: An International Review, v. 17, n. 6, p. 681-693, 2009.

TERRA, P. R. S.; LIMA, J. B. N. de. Governança corporativa e a reação do mercado de capitais à divulgação das informações contábeis. Revista Contabilidade & Finanças, n. 42, p. 35-49, 2006.

THOMA, J.; CHALIP, L. Sport governance in the global community. Morgantown, WV: Fitness Inform Tech Inc, 1996.

VIEIRA, M. M. F. Poder, objetivos e instituições como determinantes da definição de qualidade em organizações brasileiras e escocesas. Revista de Administração Contemporânea, v. 1, n. 1, p. 7-33, 1997.

WEITZNER, D.; PERIDIS, T. Corporate governance as part of the strategic process: rethinking the role of the board. Journal of Business Ethics, v. 102, p. 33-42, 2011.

YEH, C. M.; TAYLOR, T. Issues of governance in sport organisations: a question of board size, structure and roles. World Leisure Journal, v. 50, n. 1, p. 33-45, 2008.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2005.