Responsabilidade Social Empresarial: Uma Análise das Práticas de uma Empresa de Fruticultura

ID:
50800
Resumo:
Este estudo tem por objetivo analisar as práticas de responsabilidade social de uma empresa do setor fruticultor por meio dos modelos teóricos-conceituais propostos por Schwartz e Carroll (2003) e Melo Neto e Froes (2001). Trata-se de um estudo de abordagem qualitativa desenvolvido com pesquisa descritiva, e no que concerne aos meios trata-se de uma pesquisa de campo. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 3 gestores da empresa Agro Melão Mossoró (pseudônimo). Os resultados indicam que as ações de Responsabilidade Social Empresarial (RSE), desenvolvidas pela empresa, apresentam consistência com os pressupostos dos modelos teóricos-conceituais de Schwartz e Carroll (2003) e Melo Neto e Froes (2001). Suas ações se pautam por razões econômicas, legais e éticas, no entanto, existe um enraizamento da RSE na dimensão econômica, que faz com que as demais dimensões sejam atingidas ou satisfeitas em uma perspectiva secundária. Suas ações são prioritariamente voltadas para o público interno, embora algumas ações envolvam também a comunidade. Dessa forma, verifica-se que sua política de RSE passa por um momento de migração dos padrões de conduta: de responsabilidade interna para responsabilidade cidadã.
Citação ABNT:
BRITO FILHO, A. C.; SIQUEIRA, E. S.; SILVA, R. A.; SIQUEIRA FILHO, V.; CABRAL, L. C. G. Responsabilidade Social Empresarial: Uma Análise das Práticas de uma Empresa de Fruticultura. Revista de Administração da UFSM, v. 11, n. 2, p. 368-384, 2018.
Citação APA:
Brito Filho, A. C., Siqueira, E. S., Silva, R. A., Siqueira Filho, V., & Cabral, L. C. G. (2018). Responsabilidade Social Empresarial: Uma Análise das Práticas de uma Empresa de Fruticultura. Revista de Administração da UFSM, 11(2), 368-384.
DOI:
10.5902/1983465932025
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/50800/responsabilidade-social-empresarial--uma-analise-das-praticas-de-uma-empresa-de-fruticultura/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALMEIDA, F. J. R. de. Ética e desempenho social das organizações: um modelo teórico de análise dos fatores culturais e contextuais. Revista de Administração Contemporânea, v. 11, n. 3, p. 105-125, 2007.

ALVES, E. A. Dimensões da responsabilidade social da empresa: uma abordagem desenvolvida a partir da visão de Bowen. R Adm., v.38, n.1, p.37-45, jan./fev./mar. 2003.

ANDRADE, M. A. M.; GOSLING, M.; XAVIER, W. S. Por trás do discurso socialmente responsável da siderurgia mineira. Produção, v. 20, n. 3, p. 418-428, jul./set. 2010.

ASHLEY, P. A. (Coord.). Ética e responsabilidade social nos negócios. São Paulo: Saraiva, 2004.

BANCO MUNDIAL. Public sector roles in strengthening corporate social Responsibility: a baseline study. Washington, 2002.

BARBIERI, J. C.; CAJAZEIRAS, J. E. R. Responsabilidade Social Empresarial e Empresa Sustentável: da teoria à prática. São Paulo: Saraiva, 2009.

BHARDWAJ, Pradeep et al. When and how is corporate social responsibility profitable? Journal of Business Research, [s.l.], v. 84, p.206-219, mar. 2018. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j. jbusres.2017.11.026.

CANÊDO, L. B. A Revolução Industrial. 23. ed. São Paulo: Atual, 2007.

CARROLL, A. B. Corporate Social Responsibility: evolution of a Definitional Construct. Business & Society, v. 38, n. 3, p. 268–295, 1999.

CARROLL, A. B. The pyramid of corporate social responsibility: Toward the moral management of organizational stakeholders. Business Horizons, v. 34, n. 4, pag. 39-48,1991.

DIEHL, A. A.; TATIM, D. C. Pesquisa em ciências sociais aplicadas: Métodos e Técnicas. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2004.

DUARTE, C.; TORRES, J. Responsabilidade social empresarial: dimensões históricas e conceituais. Responsabilidade Social das Empresas–a contribuição das universidades, v. 4, 2005.

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE. Dados Estatísticos Comércio Exterior. Disponível em: < http://www.fiern.org.br>. Acesso em: 12 jun. 2014.

FISCHER, T. A gestão do desenvolvimento social: agenda em aberto e propostas de qualificação. In:Congresso Internacional del Clad sobre la Reforma del Estado y de la Administración Pública. 2002. p. 1-16.

FRIEDMAN, M. Capitalism and Freedom. Chicago: University of Chicago Press, 1962.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

HENSON, S; REARDON, T. Private Agri-Food Standards: Implications For Food Policy And The AgriFood System. Food Policy, v. 30, n. 3, p. 241-253, 2005.

HOBSBAWM, E. J. A Era das Revoluções 1789-1848. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

KREITLON, M. P. A ética nas relações entre empresas e sociedade: fundamentos teóricos da responsabilidade social empresarial. In ENANPAD, 28, ANAIS... Curitiba: ANPAD, 2004.

LADISLAU, D. E. O. Economia da Responsabilidade Socioambiental: estudo considerando empresas dos principais setores da economia de Criciúma-SC. 2007. 187 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais) – Universidade do Extremo Sul Catarinense, Criciúma. 2007.

LIAO, Pin-chao et al. Does corporate social performance pay back quickly? A longitudinal content analysis on international contractors. Journal of Cleaner Production, [s.l.], v. 170, p.1328-1337, jan. 2018. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.jclepro.2017.09.230.

LIMA, T. C. A, et al. A Institucionalização das Práticas de Responsabilidade Social: um estudo da Companhia de Água e Esgoto do Ceará. Revista Contemporânea de Economia e Gestão, v. 9, n. 1, p. 79-95, jan./jun. 2011.

LINHARES, F. Máquinas humanas: a Revolução Industrial e seus impactos socioambientais. Recife: Prazer em Ler, 2007.

MARCOVITCH, J. Para mudar o futuro: mudanças climáticas, políticas públicas e estratégias empresariais. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo: Editora Saraiva, 2006.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da Investigação Científica para Ciências Sociais Aplicadas. São Paulo: Atlas, 2009.

MELO NETO, F. P.; FROES, C. Gestão da Responsabilidade Social Corporativa: o caso brasileiro. Rio de Janeiro: Qualitymark Ed., 2001.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. Rio de Janeiro: Hucitec – ABRASCO, 1993.

PANWAR, R. et al. Corporate responsibility: balancing economic, environmental, and social issues in the forest products industry. Forest Products Journal, v. 56, n. 2, p.4-12, 2006.

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ. Disponível em:. Acesso em: 06 mai. 2017.

PRICE, J. M.; SUN, W.. Doing good and doing bad: the impact of corporate social responsibility and irresponsibility on firm performance. Journal of Business Research, [s.l.], v. 80, p.82-97, nov. 2017. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.jbusres.2017.07.007.

REARDON, T. et al. Global change in agrifood grades and standards: Agribusiness strategic responses in developing countries. International Food and Agribusiness Management Review, v. 2, n. 3, p. 421–435, 1999.

RIBEIRO, A. M. L. Responsabilidade Social Empresarial: percepções e possibilidades. 2005. 144 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2005.

ROCHA-VIDIGAL, C. B.; VIDIGAL, V. G. Investimento na qualificação profissional: uma abordagem econômica sobre sua importância. Acta Sci. Human Soc. Sci., Maringá, v. 34, n.1, p.41-48, 3 ago. 2012.

SOARES, G. M. P. Responsabilidade social corporativa: por uma boa causa!?. Revista de Administração de Empresas, v. 3, n. 2, p. 1-15, jul./dez. 2004.

SOARES, L. R. Responsabilidade Social Empresarial: uma análise de modelos TeóricosConceituais. 2008. 110f. Dissertação, Escola de Administração da UFBA, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2008.

TORRES, C. Capítulo 2. Responsabilidade social das empresas. In: Fórum Responsabilidade e balanço social: Coletânea de textos. SESI, 2003.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2004.