Sustentabilidade Organizacional na Perspectiva do 'Triple Bottom Line': O Caso Itaipu Binacional Outros Idiomas

ID:
50925
Resumo:
Na última década, a sustentabilidade assumiu aspecto de essencialidade às organizações, orientando sobre a necessidade de preservação de recursos naturais e redução de impactos ambientais, em consonância com a obtenção de resultados econômicos associados à responsabilidade social e ambiental a fim de assegurar a sustentabilidade e igualdade entre as atuais e futuras gerações. Como contribuição e importância desse estudo, pautou-se como objetivo principal a análise documental a partir do relatório de sustentabilidade da Itaipu Binacional, evidenciando a existência de características que indiquem a adoção de práticas de sustentabilidade organizacional na perspectiva do triple bottom line (TBL). A metodologia foi um estudo de caso e descritivo demonstrando o caso da Itaipu Binacional mediante verificação dos dados divulgados, especialmente o Relatório de Sustentabilidade, no qual se identificou perfil institucional, missão, valores, políticas e diretrizes fundamentais, e planejamento estratégico. Os resultados indicaram práticas relacionadas ao desenvolvimento sustentável compatíveis aos estudos mais recentes, revelando adequação ao modelo proposto pelo triple bottom line, viabilizado pela implantação de práticas no âmbito ambiental, econômico e social. Esse estudo permitiu ampliar a compreensão sobre desenvolvimento sustentável e sustentabilidade sob a perspectiva organizacional.
Citação ABNT:
AMARAL, L. A.; STEFANO, S. R.; CHIUSOLI, C. L. Sustentabilidade Organizacional na Perspectiva do 'Triple Bottom Line': O Caso Itaipu Binacional. Revista Eletrônica Científica do CRA-PR, v. 5, n. 1, p. 52-68, 2018.
Citação APA:
Amaral, L. A., Stefano, S. R., & Chiusoli, C. L. (2018). Sustentabilidade Organizacional na Perspectiva do 'Triple Bottom Line': O Caso Itaipu Binacional. Revista Eletrônica Científica do CRA-PR, 5(1), 52-68.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/50925/sustentabilidade-organizacional-na-perspectiva-do--triple-bottom-line---o-caso-itaipu-binacional/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AMEER, R.; OTHMAN, R. Corporate social responsibility performance communication and portfolio management. Managerial Finance, Patrington, v. 43, n. 5, p. 595-613, 2017.

BARAL, N.; POKHAREL, M.P. How Sustainability Is Reflected in the S&P 500 Companies' Strategic Documents. Organization & Environment, Thousand Oaks, v. 30, n. 2, p. 122141, 2017.

BRUNSTEIN, J.; RODRIGUES, A. L. Gestores e sustentabilidade: a difícil tradução do significado para a ação competente. Revista Alcance, v. 21, n. 1, p. 005-024, 2014.

CAPPELLARI, N.; STEFANO, S. R.; CASTRO, M. Sustentabilidade organizacional na itaipu binacional: uma análise de seus níveis. Organizações e Sustentabilidade, v. 6, p. 4258, 2018.

CARVALHO, A. C. V.; STEFANO, S. R.; MUNCK, L. Competências voltadas à sustentabilidade organizacional: um estudo de caso em uma indústria exportadora. Gestão & Regionalidade, v. 3, n. 1, p. 33-48, 2015.

COOPER, D. R.; SCHINDLER, P. S. Métodos de pesquisa em administração. 7. ed. Porto Alegre: Bookman, 2003.

DESORE, A.; NARULA, S. A. An overview on corporate response towards sustainability issues in textile industry. Environment, Development and Sustainability, [s.l.], v. 20, n. 4, p.1439-1459, 20 abr. 2017. Springer Nature.

ELKINGTON, J. Canibais com garfo e faca. São Paulo: Makron, 2012.

FERNANDES, B. H. R.; BERTON, L. H. Administração estratégica: da competência empreendedora à avaliação de desempenho. São Paulo: Saraiva, 2005.

GLADWIN, T. N.; KENNELLY, J. J.; KRAUSE, T. S. Shifting paradigms for sustainable development. Academy of Management, v. 20, n. 4, p. 874-907, 1995.

GODOY, A. S. Refletindo sobre critérios de qualidade da pesquisa qualitativa. Gestão.Org – Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, Recife, v. 3, n. 2, p. 80-89, mai./ago. 2005.

GUIMARÃES, T. M.; PEIXOTO, F. M.; CARVALHO, L. Sustentabilidade Empresarial e Governança Corporativa: Uma Análise da Relação do ISE da BM&FBOVESPA; com a Compensação dos Gestores de Empresas Brasileiras. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade REPEC, v. 11, n. 2, art. 1, p. 134-149, abr./jun. 2017.

HOPWOOD, M., MELLOR, M.; O’BRIEN, G. Sustainable development mapping different approaches. Sustainable Development, v. 13, n. 1, p. 38-52, 2005.

ITAIPU BINACIONAL. Relatório de Sustentabilidade. Recuperado de Acesso em: 05 ago. 2018.

JABBOUR, C. J. C.; SANTOS, F. C. A. The central role of human resource management in the search for sustainable organizations. The International Journal of Human Resource Management, 19 (12), 2133–2154, 2008.

LEE, S. Dynamic and multidimensional measurement of product-service system (PSS) sustainability: a triple bottom line (TBL)-based system dynamics approach. Journal of Cleaner Production, v. 32, p. 173-182, 2012.

LOURENÇO, I. C. et al. The value relevance of reputation for sustainability leadership. Journal of Business Ethics, Dordrecht, v. 119, n. 1, p. 17-28, 2014.

MAON, F.; SWAEN, V.; LINDGREEN, A. One vision, different paths: An investigation of corporate social responsibility initiatives in Europe. Journal of Business Ethics, Dordrecht, v. 143, n. 2, p. 405-422, 2017.

MILNE, M. J. W(h)ither ecology? The triple bottom line, the global reporting initiative, and corporate sustainability reporting. Journal of Business Ethics, v. 118, n. 1, p. 13-29, 2012.

MINTZBERG, H., et al. S. O processo da estratégia: conceitos, contextos e casos selecionados. 4 ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MUNCK, L. Gestão da sustentabilidade nas organizações: um novo agir frente à lógica das competências. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

MUNCK, L.; BANSI, A. C.; GALLELI-DIAS, B.; CELLA-DE-OLIVEIRA, F. A. Em busca da sustentabilidade organizacional: a proposição de um framework. Revista Alcance, v. 20, n. 4 (Out-Dez), p. 460-477, 2013.

MUNCK, L.; SOUZA, R. B. Análise das inter-relações entre sustentabilidade e competências: um estudo em uma indústria do setor eletroeletrônico. BASE Revista de Administração e Contabilidade da UNISINOS, v. 9, n. 3, 2012.

NOLIN, J. Sustainable information and information science. Information Research, v. 15, n. 2, p. 15-2, 2010.

PASCUAL, U. et al. Social equity matters in payments for ecosystem services. Bioscience, v. 64, n. 11, p. 1027-1036, 2014.

QAZI, S.W.; KASHIF, S.; AHMED, M. True Concept of CSR: Pakistan Context. International Review of Management and Business Research, Peshawar, v. 6, n. 1, p. 9-17, 2017.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1989.

SACHS, I. Desenvolvimento includente, sustentável sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

SAVITZ, A. W.; WEBER, K. A empresa sustentável: o verdadeiro sucesso é o lucro com responsabilidade social e ambiental. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

SINGH, A.; PANACKAL, N.; SHANKAR, G. Factors influencing legal framework of environmental accounting in Indian Industries Overview and Theoretical Framework. Nature Environment and Pollution Technology, Karad, v. 16, n. 2, p. 425-431, 2017.

STEFANO, S. R.; TEIXEIRA, G. Desenvolvimento Sustentável nas Organizações: Programas do Banco do Brasil. Revista Competitividade e Sustentabilidade. ComSus, v.1, p. 46-61, 2014.

TAN-MULLINS, M.; URBAN, F.; MANG, G. Evaluating the behaviour of Chinese stakeholders engaged in large hydropower projects in Asia and Africa. The China Quarterly, Cambridge, v. 230, p. 464-488, 2017.

VAN MARREWIJK, M. The Cubrix, an Integral Framework for Managing Performance Improvement and Organisational Development. Journal of Technology and Investment, vol. 1, no. 1, p. 1-13, 2010.

VENKATRAMAN, Sitalakshmi; NAYAK, Raveendranath Ravi. Relationships among triple bottom line elements. Journal of Global Responsibility, v. 6, n. 2, p.195-214, 2015.

WORLD COMMISSION ON ENVIRONMENT AND DEVELOPMENT (WCED). Our common future. Oxford: Oxford University Press, 1987.

WU, Q.; HE, Q.; DUAN, Y. Explicating dynamic capabilities for corporate sustainability. EuroMed Journal of Business, Bingley, v. 8, n. 3, p. 255-272, 2013.