Redes Sociais e Recursos em Empresas de Base Tecnológica: Um Estudo Exploratório Outros Idiomas

ID:
50968
Resumo:
Por meio do ensaio teórico-empírico, a presente pesquisa tem como objetivo analisar as redes, no que diz respeito a sua estrutura, nós, ligações e fluxos, e identificar quais são os recursos compartilhados nas relações de empresas pertencentes ao Centro Incubador de Empresas de Software (Softnet). O trabalho é baseado na seleção e interpretação de informações qualitativas secundárias, como livros e artigos científicos, bem como fontes de informação qualitativas primárias, através de entrevista com o gestor da incubadora Softnet e gestores e proprietários de empresas incubadas na Softnet. Esta pesquisa mostra que existe alto grau de colaboração entre os atores envolvidos na incubadora e as instituições e centros de ensino e pesquisa, bem como com outras empresas incubadas, além de evidenciar a intensa relação entre recursos disponíveis e redes sociais de cooperação estabelecidas. Deste modo, este trabalho constatou que a rede social facilita o processo de inovação tecnológica das empresas, através do networking e da cooperação entre empresas incubadas, ressaltando que esta cooperação propicia vantagens que dificilmente seriam alcançadas pelas empresas isoladamente.
Citação ABNT:
SACOMANO NETO, M.; LOCACHEVIC, G. Redes Sociais e Recursos em Empresas de Base Tecnológica: Um Estudo Exploratório. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 8, n. 2, p. 126-144, 2018.
Citação APA:
Sacomano Neto, M., & Locachevic, G. (2018). Redes Sociais e Recursos em Empresas de Base Tecnológica: Um Estudo Exploratório. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, 8(2), 126-144.
DOI:
https://doi.org/10.22478/ufpb.2236-417X.2018v8n2.33099
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/50968/redes-sociais-e-recursos-em-empresas-de-base-tecnologica--um-estudo-exploratorio/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ACIOLI, Sonia. Redes Sociais e teoria social: revendo os fundamentos do conceito. Informação & Informação, Londrina, v.12, n.esp, p.1-12, 2007.

AMIT, Rafael; SCHOEMAKER, Paul J. H. Strategic assets and organizational rents. Strategic Management Journal, Local, v. 14, p. 33-46, jan. 1993.

AMORIM, Mônica A.; MOREIRA, Maria V. C.; IPIRANGA, Ana S. R. A construção de uma metodologia de atuação nos Arranjos Produtivos Locais (APLs) no estado do Ceará: um enfoque na formação e fortalecimento do capital social e da governança. Revista Internacional de Desenvolvimento Local, Campo Grande, MS, v. 6, n. 9, p. 25-34, set. 2004.

ANDINO, Byron Fabricio Acosta; FRACASSO, Edi Madalena. Efetividade do processo de incubação de empresas. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPAD, 24., 2005, Brasília. Anais... Brasília, 2005. CDROM.

ANDRADE, Claudia C.; PASIN, Luiz Eugênio V.; OTTOBONI, C.; MINEIRO, Andrea A. C. Análise do capital institucional na incubadora de empresas de base tecnológica: um estudo de caso do município de Itajubá – MG. Revista de Administração, Contabilidade e Economia da FUNDACE, Ribeirão Preto, SP, v. 7, n. 1, 2016.

ANPROTEC, Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores. Análise e Proposições sobre incubadoras de Empresas no Brasil – relatório técnico. Brasília: MCTI, 2012.

ARAÚJO, Cíntia Möller; ONUSIC, Luciana Massaro. A Incubadora de Empresas de Osasco: uma proposta de gestão técnica-científica-cidadã envolvendo a Universidade Federal de São Paulo – Unifesp e a Prefeitura de Osasco (São Paulo). Interfaces – Revista de Extensão da UFMG, Belo Horizonte, v. 2, n. 3, p. 77-94, jul./dez. 2014.

ARAÚJO, Cíntia Möller; VILLAS BOAS, Giovanna. Políticas públicas e incubação de empresas: o caso do estado de São Paulo. Revista Ciências Administrativas, Fortaleza-CE, v. 19, n.02, p. 507-535, jul/dez, 2013.

BALESTRIN, Alsones; VARGAS, Lilia Maria. A dimensão estratégica das redes horizontais de PMEs: teorizações e evidências. Revista de Administração Contemporânea – RAC, Curitiba-PR, v. 8, p. 203-227. 2004.

BALESTRIN, Alsones; VERSCHOORE, Jorge Renato; REYES JR., Edgar. O campo de estudo sobre redes de cooperação interorganizacional no Brasil. Revista de Administração Contemporânea (RAC), Curitiba, v. 14, n. 3, p. 458-477, 2010.

BARABÁSI, Albert-Lászlo. Linked: how everything is connected to everything else and what it means for business, science and everyday life. New York: Plume, Penguin Group, 2003.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BARNEY, Jay B. Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of Management, Great Britain, v.17, n.1, p.99-120, mar. 1991.

BARNEY, Jay B; HESTERLY, William S. Administração Estratégica e Vantagem Competitiva: casos brasileiros. São Paulo: Pearson, 2007.

BERNI, Jean Carlo Albiero; GOMES, Clandia Maffini; PERLIN, Ana Paula; KNEIPP, Jordana Marques; FRIZZO, Kamila. Interação universidade-empresa para inovação e a transferência de tecnologia. Revista Gestão Universitária na América Latina, Florianópolis-SC, v. 8, n.2, p. 258277, mai. 2015.

CALDERA, Aida; DEBANDE, Olivier. Performance of Spanish universities in technology transfer: an empirical analysis. Research Policy, v. 39, n. 9, p. 1160-1173, 2010.

CASSELL, Catherine; SYMON, Gillian. Qualitative research in work contexts. In: CASSELL, C; SYMON, G. Qualitative Methods in Organizational Research. London: Sage Publications, 1995, p. 1-13.

CASTELLS, Manuel The Internet Galaxy: Reflections on the Internet, Business, and Society. Oxford: Oxford University Press, 2001.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, v. 1, 1999.

CASTELLS, Manuel. Material for an Exploratory Theory of the Network Society. British Journal of Sociology, London, v. 51, n. 1, p. 5-24, Jan.-Mar, 2000.

CASTILLA, Emilio J.; HWANG, Hokyu; GRANOVETTER, Ellen; GRANOVETTER, Mark. Social networks in silicon valley. In C. M. Lee, W. F. Miller, M. G. E. Hancock, & H. S. Rowen (Eds.), The silicon valley edge. Stanford: Stanford University Press, p. 218-247, 2000.

CHASSAGNON, Virgile. Consummate cooperation in the network-firm: Theoretical insights and empirical findings. European Management Journal, Elsevier, v. 32, n.2, p. 260-274, 2014.

CHENG, Lin Chih et al. Plano tecnológico: um processo auxiliar ao desenvolvimento de produtos de empresas de base tecnológica de origem acadêmica. Locus Científico, v. 1, n. 2, p. 32-40, 2007.

CÔRTES, Mauro Rocha; PINHO, Marcelo; FERNANDES, Ana Cristina; SMOLKA, Rodrigo Bustamante; BARRETO, Antonio Luiz C. M. Cooperação em empresas de base tecnológica: uma primeira avaliação baseada numa pesquisa abrangente. São Paulo em Perspectiva, São PauloSP, v. 19, n. 1, p. 85-94, jan./mar. 2005.

D'OLIVEIRA, José Luiz P.; REZENDE GUEDES, Leonardo Guerra de; PASQUALETTO, Antonio; SILVA, Solange; ROCHA, Marcelo Lisboa. Business Cooperation Networks: Risks and Benefits. International Journal of eEducation, e-Business, e-Management and e-Learning, v. 6, n. 2, p.120, 2016.

DUARTE, Rosália. Entrevistas em pesquisas qualitativas. Educar em Revista. Universidade Federal do Paraná, Curitiba, n. 24, p. 213-225, 2004.

FEIJÓ, Rodrigo Medeiros; ZUQUETTO, Rovian Dill. Cooperar para sobreviver e crescer: análise da rede de cooperação redemac. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo-SP, v. 15, n. 3, p. 21, 2014.

FERREIRA, Toniel; VITORINO FILHO, Valdir Antonio. Teoria de redes: uma abordagem social, Revista Conteúdo, São Paulo, v. 1, n. 3, 2010.

GIGLIO, Ernesto M.; SACOMANO NETO, Mário. Ensaio sobre o Paradigma da Sociedade em Rede: Aspectos Teóricos, Metodológicos e Aplicativos. Revista de Administração da Unimep, v. 14, n. 1, p. 30-53, 2016.

GRANT, Robert M. The resource-based theory of competitive advantage: implications for strategy formulation. California Management Review, Spring, p. 114-135, 1991.

GULATI, Ranjay; NOHRIA, Nitin; ZAHEER, Akbar. Strategic networks. Strategic Management Journal, v. 21, p. 203-215, 2000.

HILL, Charles W. L.; JONES, Gareth R. Administración estratégica: un enfoque integrado, Santafé de Bogotá: McGraw-Hill, 1996.

JESUS, Marcos Junio Ferreira; MACHADO, Hilka Vier. A importância das redes sociais ou networks para o empreendedorismo. Revista eletrônica de Administração – FACEF, Edição 14, vol. 13. 2009.

JOHANSEN, Kerstin; COMSTOCK, Mica; WINROTH, Mats. Coordination in collaborative manufacturing mega-networks: a case study. Journal of Engineering and Technology Management, v. 22, p. 226-244, 2005.

KILDUFF, Martin; TSAI, Wenpin. Social Networks and Organizations. Sage Publications: London, 2007.

KIMURA, Herbert; TEIXEIRA, Maria Luisa Mendes; GODOY, Arilda Schmidt. Redes sociais, valores e competências: simulação de conexões. Revista de Administração Contemporânea – RAC, Curitiba, Edição Especial, p. 42-57. 2004.

KLOTZLE, Marcelo Cabus. Alianças estratégicas: conceito e teoria. Revista de Administração Contemporânea – RAC, Curitiba, v. 6, n.1, jan./abr. 2002.

LAZZARI, Fernanda; SARATE, João Alberto; GONÇALVES, Roberto Birch; VIEIRA, Guilherme Borges Bergmann. Competitive advantage: the complementarity between TCE and RBV. Revista de Administração FACES Journal, Belo Horizonte, v. 13, n. 3, p. 86-103, 2014.

LEE, Seungyoon; MONGE, Peter. The coevolution of multiplex communication networks in organizational communities. Journal of Communication, v. 61, n. 4, p. 758-779, 2011.

LEITE, Emanuel. Empreendedorismo, inovação e incubação de empresas: Lei de Inovação. Recife: Bagaço, 2006.

MANZINI, Eduardo José. Considerações sobre a elaboração de roteiro para entrevista semiestruturada. In: MARQUEZINE, M. C.; ALMEIDA, M. A.; OMOTE, S. (Org.). Colóquios sobre pesquisa em educação especial. Londrina: Eduel, p.11-25, 2003.

MANZINI, Eduardo José. Entrevista semi-estruturada: análise de objetivos e de roteiros. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PESQUISA E ESTUDOS QUALITATIVOS, 2, A pesquisa qualitativa em debate, Bauru, 2004. Anais..., Bauru: SIPEQ, 2004. 1 CD.

MIZRUCHI, Mark S. Análise de redes sociais: avanços recentes e controvérsias atuais. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 46, n. 3, p. 72-86, 2006.

MÜLLER-SEITZ, Gordon. Leadership in interorganizational networks: a literature review and suggestions for future research. International Journal of Management Reviews, v. 14, n. 4, p. 428-433, 2011.

NOHRIA, Nitin; ECCLES, Robert G. Networks and organizations. Boston: Harvard Business School Press, 1992.

NORMAN, Aguilar Gallegos; ALEJANDRO, Velázquez. Álvarez. Manual introdutório à Análise de Redes Sociais. UAEM Universidad Autónoma Del Estado de México, 2005.

OECD ORGANIZATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. Technology incubators, 2010. Disponível em: . Acesso em: 28 de novembro 2014.

PARQTEC. 2015. Disponível em . Acesso em: 10 de dezembro de 2015.

PETERAF, Margaret. The cornerstones of competitive advantage: a resource-based view. Strategic Management Journal, v. 14, n. 3, p. 179-191, mar. 1993.

POLETTO, Carlos A.; DUARTE, Maria A.; MATA, Wilson. Gestão compartilhada de P&D: o caso da Petrobras e a UFRN. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 45, n. 4, p. 10951117, set./out. 2011.

RAPOSO, Mário L.; SERRASQUEIRO, Zélia. A universidade e o desenvolvimento regional. Cadernos de Economia, ano XVIII, n. 71, p. 100-104, abr/jun, 2005.

RAUPP, Fabiano Maury; BEUREN, Ilse Maria. Perfil do suporte oferecido pelas incubadoras brasileiras às empresas incubadas. REAd. Revista Eletrônica de Administração, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 330-359, 2011.

REA, Louis M.; PARKER, Richard A. Metodologia da pesquisa: do planejamento à execução. São Paulo: Pioneira, 2000.

SACOMANO NETO, Mário; TRUZZI, Oswaldo Mário Serra. Configurações estruturais e relacionais da rede de fornecedores: uma resenha compreensiva. Revista de Administração – RAUSP, v. 39, n. 3, p. 244-263, 2004.

SCOTT, John P. Social Network Analysis: A Handbook. Sage Publications: London, 2000.

SEGATTO-MENDES, Andrea Paula. Análise do processo de cooperação tecnológica universidade empresa: um estudo exploratório. 1996. 175 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1996

SEIDMAN, Irving. Interviewing as qualitative research. 2.nd. New York: Teachers College Press, 1988.

SILVEIRA, Lisilene Mello da. A influência das redes de cooperação no desenvolvimento de iniciativas de sustentabilidade. 2016. 156 f. Dissertação de Mestrado. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre-RS, 2016.

SOARES, Wesley Braga; WEGNER, Douglas; Dolci, Pietro Cunha. Fusão Como Estratégia de Crescimento de Redes de Cooperação Empresarial: Um Estudo de Caso em uma Rede de Farmácias. Iberoamerican Journal of Strategic Management, v. 15, n. 1, p. 83-96, 2016.

SOUZA, Maria Carolina de Azevedo Ferreira de; AZEVEDO, Alessandra de; OLIVEIRA, Luiz José Rodrigues de; BALDEÓN, Nguyen Tufino. Incubadora Tecnológica de Cooperativas – ITCP x Incubadora de Empresas de Base Tecnológica IEBT – Diferenças e semelhanças no processo de Incubação. Revista ibero-americana de ciência, tecnologia, sociedade e innovación, Madri, n. 6, 2003.

TAVARES, Walkyria Menezes Leitão. Parques, Pólos tecnológicos e incubadoras: balanço da experiência brasileira e de outros países. Cadernos Aslegis 9, 2010.

TAVARES, Wellington; CASTRO, Cleber Carvalho de. Relações Interorganizacionais no estabelecimento de uma aglomeração produtiva. Revista de Administração FACES Journal, Belo Horizonte, v. 11, n. 4, p. 31-50, out.dez. 2012.

TEIXEIRA, Enise Barth; VITCEL, Marlise Sozio; BEBER, Marlise Costa. Cooperação Estratégica, Redes de Cooperação e Desenvolvimento Regional: o caso Unijuí/Sedai. Desenvolvimento em Questão, Editora Unijuí, ano 5, n. 10, p. 187-210, jul. dez., 2007.

VERSCHOORE, Jorge Renato. Redes de cooperação interorganizacionais: a identificação de atributos e benefícios para um modelo de gestão. 2006. 253 f. Tese de doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre-RS, Brasil, 2006.

VERSCHOORE, Jorge Renato; BALESTRIN, Alsones. Ganhos competitivos das empresas em redes de cooperação. Revista de Administração Eletrônica, São Paulo, v.1, n.1, jan.-jun., 2008.

WASSERMAN, Stanley; FAUST, Katherine. Social network analysis. Cambridge: Cambridge University Press, 1994.

WEGNER, Douglas; MAEHLER, Alisson Eduardo. Desempenho de empresas participantes de rede interorganizacionais: analisando a influência do capital social e da capacidade absortiva. Revista Gestão e Planejamento, Salvador, v. 13, n. 2, p. 191-211, maio-ago. 2012.

WERNERFELT, Birger. A resource-based view of the firm. Strategic Management Journal. v. 5, p. 171-180, 1984.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Editora Bookman, 2001.

ZANETI, Gislaine Barbosa; FUSCO, José Paulo Alves; ROCHA, Regina Ferreira da. Análise comparativa de redes interfirmas de instituições de ensino superior. Revista Eletrônica Produção & Engenharia, v. 4, n. 2, p. 395-402, Jan./Jun. 2013.