Gamificação e Gestão de Pessoas: Um Estudo de Caso sobre Treinamento e Ambiente de Diversidade Cultural Outros Idiomas

ID:
51034
Resumo:
Este artigo tem como objetivo discutir a aplicação de gamificação na gestão de pessoas, mais especificamente no treinamento e desenvolvimento de competências de colaboradores de diferentes níveis culturais dentro de uma grande organização. Para tal estudo, iremos trabalhar, principalmente, com as teorias de carreira sem fronteiras e de gamificação voltada para o aprendizado ligados a um estudo de caso do desenvolvimento de projeto piloto de treinamento corporativo em empresa de grande porte, com mais de 4 mil colaboradores, ligada ao setor de infraestrutura, com atuação na região metropolitana de São Paulo. O estudo de caso utilizou entrevistas não somente dos profissionais do departamento de treinamento da empresa, como também coletou dados da empresa terceirizada responsável pelo processo de gamificação além de entrevistas com os desenvolvedores do game/ treinamento. Os resultados da pesquisa mostraram as motivações da escolha desta dinâmica e como a empresa se preparou para a implementação do projeto.
Citação ABNT:
MARANGONI, M. M.; BERIMBAU, M. M. R. Gamificação e Gestão de Pessoas: Um Estudo de Caso sobre Treinamento e Ambiente de Diversidade Cultural. Revista de Carreiras e Pessoas, v. 8, n. 3, p. 431-444, 2018.
Citação APA:
Marangoni, M. M., & Berimbau, M. M. R. (2018). Gamificação e Gestão de Pessoas: Um Estudo de Caso sobre Treinamento e Ambiente de Diversidade Cultural. Revista de Carreiras e Pessoas, 8(3), 431-444.
DOI:
10.20503/recape.v8i3.37285
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/51034/gamificacao-e-gestao-de-pessoas--um-estudo-de-caso-sobre-treinamento-e-ambiente-de-diversidade-cultural/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AARSETH, E. (1997). Cybertext: Perspectives on Ergodic Literature. Maryland: The Johns Hopkins University Press.

DUTRA, Joel Souza (2010). Gestão de Carreiras na Empresa Contemporânea. São Paulo. Editora Atlas.

FRASCA, G. (2003). Simulation vs Narrative: Introduction to Ludology. Nova Iorque: Routledge. Disponivel em: . Acesso em: ago. 2018.

FRASCA, G. (2007). Play the message: play, game and videogame rethoric. IT University of Copenhagen.

FULLERTON, T. (2008) Game Design Workshop: a playcentric approach to creating innovative games. Burlington: Elsevier

KOSTER, R. (2005). A theory of fun for Game Design. Arizona: Paraglyph Press.

PAHARIA, Rajat (2013). Loyalty 3.0 How to revolutionize customer and employee engagement with big data and gamification. Canadá: McGraw-Hill Education.

SALA, Otávia Travençolo Muniz e TREVISAN, Leonardo Nelmi (2014). A construção de carreira em ambientes inovativos um estudo nas empresas de base tecnológica. Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 11, n.2, p. 154-178.

SALEN, K.; ZIMMERMAN, E. (2004). Rules of Play: Game design fundamentals. Cambridge: MIT Press.

SCHELL, J. (2008). The Art of Game Design: A Book of Lenses. Nova Iorque: CRC Press.

VELOSO, Elza Fátima Rosa, DUTRA, Joel Souza e NAKATA, Lina Eiko (2016). Percepção sobre carreiras inteligentes: diferenças entre as gerações y, x e baby boomers. REGE Revista de Gestão, 23, p. 88–98.

WERBACH, K.; HUNTER, D. (2012). For the Win: How Game Thinking Can Revolutionize Your Business. Filadélfia: Wharton Digital Press.

WINN, B. (2009). The Design, Play, and Experience Framework. In: FERDIG, R. Handbook of Research on Effective Electronic Gaming in Education. 1a. ed. Nova Iorque: Information Science Reference, v. III, Cap. LVIII, p. 1010-1024.

YIN, Robert K. (2018). Case Study Research and Applications: Design and Methods. SAGE Publications. Kindle Edition.