Análise do 'Disclosure' dos Custos e Investimentos Ambientais das Empresas Potencialmente Poluidoras que Compõem o Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3 Outros Idiomas

ID:
51037
Resumo:
O artigo objetiva analisar como se dá a evidenciação contábil dos custos e investimentos ambientais das empresas consideradas potencialmente poluidoras que compõem a carteira 2016 do Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3, a fim de identificar as características de tal divulgação. Para tanto, realizou-se uma análise documental das Demonstrações Financeiras Padronizadas de 2015 a partir de uma análise de conteúdo baseada no método adotado por Rover, Borga e Borget (2008). Os resultados apontaram que a maior parte das empresas da amostra divulgaram as suas informações referentes a custos e investimentos ambientais nos Relatórios da Administração e nas Notas Explicativas, cerca de 90% e 50%, respectivamente. Constatou-se, também, que grande parte das empresas evidenciaram mais investimentos ambientais do que custos ambientais, um total de 90% contra 60%. Dentre os investimentos ambientais que mais se divulgaram nas empresas analisadas encontraram-se os investimentos em projetos eou programas ambientais voltados para a P&D e que os custos ambientais mais evidenciados são aqueles referentes às atividades socioambientais. E por fim, observou-se uma predominância de divulgações contábeis de natureza monetária em ambos os casos tanto para investimentos quanto para custos ambientais.
Citação ABNT:
VASCONCELOS, G.; PIMENTEL, M. S. Análise do 'Disclosure' dos Custos e Investimentos Ambientais das Empresas Potencialmente Poluidoras que Compõem o Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3 . Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, v. 7, n. 2, p. 210-229, 2018.
Citação APA:
Vasconcelos, G., & Pimentel, M. S. (2018). Análise do 'Disclosure' dos Custos e Investimentos Ambientais das Empresas Potencialmente Poluidoras que Compõem o Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3 . Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 7(2), 210-229.
DOI:
https://doi.org/10.5585/geas.v7i2.705
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/51037/analise-do--disclosure--dos-custos-e-investimentos-ambientais-das-empresas-potencialmente-poluidoras-que-compoem-o-indice-de-sustentabilidade-empresarial-da-b3-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Pfitscher, E. D., Vegini, D., Nunes, J. P. O., & Rosa, F. S. (2008, agosto). Contabilidade eAuditoria Ambiental Como Forma de Gestão: um estudo de caso de um hospital. Anais do Congresso Brasileiro de Contabilidade, Gramado, RS, Brasil, 18.

Andrade, R. B., & Silva, D. M. da. (2014, novembro). Evidenciação dos custos e investimentos ambientais pelas empresas potencialmente poluidoras participantes do índice de sustentabilidade empresarial (ISE). Anais do Congresso Brasileiro de Custos - CBC, Natal, RN, Brasil, 21.

Araújo, E. M. de, Fernandes, M. H. H., Souza, R. F. R. de., Nakanishi, R., & Onusic, L. M. (2010). Evidenciação nas Demonstrações Contábeis das Instituições Financeiras. Jovens PesquisadoresMackenzie, 1(1), p-p.

Arowoshegbe, A. O., & Emmanuel, U. (2016). Accounting for Social and Environmental Challenges: A Theoretical Perspective. Saudi Journal of Business and Management Studies, 1(3), 143-148.

Azevedo, D. B. de, Gianluppi, L. D. F., & Malafaia, G. C. (2007). Os custos ambientais como fator de diferenciação para as empresas. Perspectiva Econômica, 3(1), 82-95.

Barcelos, D. P., Tassigny, M. M., Carlos, M. da G. de O., Bizarria, F. P. de A., & Frota, A. J. A. (2015). Evidenciação ambiental à luz da NBC T 15: o caso da Natura. AOS Amazônia, Organizações e Sustentabilidade, 4(2), 127-146.

Braga, J. P., & Salotti, B. M. (2008, julho). Relação entre nível de disclosure ambiental e características corporativas de empresas no Brasil. Anais do Congresso USP de Iniciação Científica em Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 5.

Calixto, L. (2007). Uma análise da evidenciação ambiental de companhias brasileiras – de 1997 a 2005. UnB Contábil, 10(1), 9-37.

Carvalho, V. P. C. de, & Silva, F. de C. de A. (2011). Evidenciação da Informação Contábil Ambiental: um estudo de caso na Petrobrás. Revista de Contabilidade e Negócios do Sertão RECONES, 1, 21-27.

Ching, H. Y., Toste, T., & Tardelli, R. (2016). A Reference Model of Sustainability Disclosure based on four Sustainability Stock Indexes. Journal of Management Research, 8(4), 44-67.

Correa-García, J. A., HernándezEspinal, M. C., Vásquez-Arango, L., & Soto-Restrepo, Y. M. (2016). Reportes integrados y generación de valor en empresas colombianas incluidas en el Índice de Sostenibilidad Dow Jones. Cuadernos de Contabilidad, 17(43), 73-108.

Costa, F. M. G. da., Voese, S. B., & Rosa, L. (2009). Custos e investimentos ambientais praticados pelas empresas do setor de energia elétrica que participam do

Creswell, J. W. (2007). Projeto de pesquisa métodos qualitativo, quantitativo e misto (2a ed.). Porto Alegre: Artmed.

Ferreira, R. R., & Berner, C. V. (2016). Contabilidade Ambiental: método de auxílio na gestão e sustentabilidade. Revista Integralização Universitária, 11(5), 28-39.

Figueiredo, G. N. de, Abreu, R. L., & Las Casas, A. L. (2009). Reflexos do índice de sustentabilidade empresarial (ISE) na imagem das empresas: uma análise do consumidor consciente e do marketing ambiental. Pensamento & Realidade. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração-FEA, 24(1), 107-128.

Gallon, A. V., Beuren, I. M., & Hein, N. (2009) Evidenciação Contábil: itens de maior divulgação nos relatórios da administração das empresas participantes dos níveis de governança da Bovespa. Contabilidade Vista & Revista, 19(2), 141-165.

Garcia, R. S. M., & Oliveira, D. L. (2009). Contabilidade Ambiental: História e função. Revista Gestão & Tecnologia, 1116.

Garcia, R., Santos, A. R. dos., Kühl, M. R., & Pacheco, V. (2008, novembro). Contabilidade Ambiental e sustentabilidade empresarial: estudo das empresas do ISEBOVESPA. Anais do Congresso Brasileiro de Custos – CBC, Curitiba, PR, Brasil, 15.

Gil, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa (2a ed.). São Paulo: Atlas.

Homan, H. S. (2016). Environmental accounting roles in improving the environmental performance and financial performance of the company. South East Asia Journal of Contemporary Business, Economics and Law, 11(1), 9-15.

Hossain, M., Islam, K., & Andrew, J. (2006). Corporate social and environmental disclosure in developing countries: Evidence from Bangladesh. Proceedings of the Asian Pacific Conference on International Accounting Issues, Maui, Hawaii, USA, 18.

Leone, G. S. G. (2000). Contabilidade de custos. São Paulo: Atlas.

Lima, K. P. S. de, Cunha, D. R., Moreira, F. G. L., & Porte, M. de S. (2012). Contabilidade Ambiental: um estudo sobre a evidenciação das informações ambientais nas demonstrações contábeis das grandes empresas brasileiras. Revista Eletrônica de Administração REA (Online), 11(1), 1-14.

Lins, L. dos S., & Silva, R. N. S. (2009). Responsabilidade Sócio-Ambiental ou Greenwash: uma avaliação com base nos relatórios de sustentabilidade ambiental. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 4(1), 91-105.

Machado, M. R., Machado, M. A. V., & Corrar, L. J. (2009). Desempenho do índice de sustentabilidade empresarial (ISE) da Bolsa de Valores de São Paulo. Revista Universo Contábil, 5(2), 24-38.

Mahmes, K. (2016). Corporate Environmental disclosure and economic performance of companies in the Libyan manufacturing sector. International Journal of Economics and Finance Studies, 8(2), 5383.

Marconi, M. de A., Lakatos, E. M. (2003). Fundamentos de metodologia científica (5a ed.). São Paulo: Atlas.

Mello, C. C. G. G., Hollnagel, H. C., & Cei, N. G. (2016). Evidenciação Ambiental Segundo a NBC T 15: Uma Análise em quatro empresas do setor de Energia Elétrica de 2006 a 2014. Revista Eletrônica do Departamento de Ciências Contábeis & Departamento de Atuária e Métodos Quantitativos da FEA REDECA, 3(2), 93109.

Moraes, M. A., Theis, V., Schreiber, D., & Vier, M. B. (2016, novembro). Análise dos custos ambientais relacionados com a gestão de resíduos em indústrias químicas. Anais do Congresso Brasileiro de Custos – CBC, Porto de Galinhas, PE, Brasil, 23.

Moreno, G. C. de L., & Viegas, H. R. dos S. (2016). Gestão ambiental e evidenciação contábil: uma análise do reconhecimento dos custos ambientais. Revista de Gestão & Sustentabilidade Ambiental GeAs, 5(2), 289-309.

Murcia, F. D., Rover, S., Lima, I., Fávero, L. P., & Lima, G. (2008). ‘Disclosure Verde’ nas Demonstrações Contábeis: Características da Informação Ambiental e Possíveis Explicações para a Divulgação Voluntária. Revista UnB Contábil, 11(1-2), 260-278.

Mussoi, A., & Van Bellen, H. M. (2010). Evidenciação ambiental: uma comparação do nível de evidenciação entre os relatórios de empresas brasileiras. Revista de Contabilidade e Organizações, 4(9), 5578.

Padilha, B. B., & Asta, D. D. (2014). A Evidenciação Contábil Ambiental em Empresas de Tratamento de Resíduos Sólidos Orgânicos. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade -GeAs, 3(1), 88-106.

Paula, N. S. de., Campanhol, E. M., & Smith, M. S. J. (2011). O Registro Contábil das Ações Ambientais nas Empresas de Curtimento de Couro no Município de Franca e Região. Revista Eletrônica de Administração REA, 6(2), 1-25.

Ribas, A. C. M., Almeida, F. S. B., Clerise, T. de P. M., Tocunduva, M. V. C., & Freitag, V. da C. (2016). Evidenciação ambiental: estudo de caso aplicado a uma indústria de cimento. Revista Livre de Sustentabilidade e Empreendedorismo, 1(2), 45-69.

Ribeiro, A. M., Bellen, H. M. V., & Carvalho, L. N. G. de. (2011). Regulamentar faz diferença? O caso da evidenciação ambiental. Revista Contabilidade & Finanças, 22(56), 137-154.

Ribeiro, A. M., Carmo, C. H. S., & Carvalho, L. N. G. de. (2013). Evidenciação ambiental: regulamentar é a solução para falta de comparabilidade e objetividade? Revista de Contabilidade e Organizações, 7(17), 6-21.

Rocha, I., Nascimento, S. do, Silva, J. O. da., Souza, R. P. S. de., & Machado, D. D. P. (2011, maio). Disclosure ambiental: um estudo da evolução nas empresas que compõem o ISE. Anais do Encontro de Estudos em Estratégia – 3Es, Porto Alegre,

Rover, S., Borba, J. A., & Borgert, A. (2008). Como as empresas classificadas no índice de sustentabilidade empresarial (ISE) evidenciam os custos e investimentos ambientais. Revista de Custos e agronegócio online, 4(1), 2-25.

RS, Brasil, 5. Rodrigues, F. F., Santos, R. B. dos., & Mello, M. C. B. de. (2009, julho). Análise do Disclosure Ambiental da Empresa Petrobras no Período de 1997 a 2007. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 9.

Santana, T. A. das M., Vieira, M. T., Bogoni, N. M., & Luz, R. M. da. (2016, março). Contabilidade Ambiental como Ferramenta de Evidenciação do Desenvolvimento Sustentável. Anais do Encontro de Estudos sobre Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, Passo Fundo, RS, Brasil, 9.

Silva, J. O. da., Cunha, P. R. da., Klann, R. C., & Scarpin, J. E. (2010). Evidenciação dos custos ambientais nas empresas que compõem o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE). Revista Contemporânea de Contabilidade, 7(14), 159-182.

Silva, M. da., Theis, V., & Schreiber, D. (2016, novembro). Análise dos investimentos e custos ambientais de uma indústria de alimentos para animais. Anais do Congresso Brasileiro de Custos – CBC, Porto de Galinhas, PE, Brasil, 23.

Silva, T. L. da., Borgert, A., Pfitscher, E. D., & Rosa, F. S. da. (2012). Evidenciação de custos e investimentos ambientais das companhias do setor elétrico listadas no ISEBM&FBOVESPA 2011/2012. Custo e @gronegócios online, 10(2), 2-33.

Vellani, C. L., & Nakao, S. H. (2009). Investimentos ambientais e redução de custos. Revista de Administração da Unimep, 7(2), 57-75.

Vogt, M., Hein, N., Rosa, F. S. da, & Degenhart, L. (in press). Relationship between determinant factors of disclosure of information on environmental impacts of Brazilian companies. Estudios Gerenciales, 33(142), 24-38.

Wang, R. (2016). Determinants of companies' environmental information disclosure in China. Dissertation, Aalto University School of Business, Helsinki, Finland.