O Reúso da Água Gerada por Climatizadores para Resolução de Problemas a Partir de Pesquisa-Ação em Instituição Pública de Ensino Outros Idiomas

ID:
51043
Resumo:
O reúso da água tem sido tratado como uma das saídas para os déficits hídricos aos quais as cidades e seus cidadãos estão sujeitos, nos últimos anos, e futuramente. Assim, o objetivo geral da presente pesquisa foi promover ações sustentáveis de cuidado e reutilização da água e refletir sobre políticas ambientais para contribuir na formação de profissionais na área de edificações, que estejam preocupados com o futuro do planeta. A metodologia utilizada foi a pesquisa-ação, definida a partir de estudos sobre a importância da economia de água potável e das consequências ocasionadas devido sua infiltração no solo, junto as edificações, afetando diretamente na sua estabilidade. Utilizou-se a pesquisa bibliográfica e a pesquisa documental no trabalho. Como resultado, utilizando apenas cinco equipamentos com capacidade de 8.000 BTU's, obteve-se o aproveitamento de aproximadamente 3.000 litros de água, em 22 dias (equivalente a um mês), já considerando as perdas por evaporação, sendo possível abastecer a cisterna da instituição nos períodos de menor incidência pluvial aferindo maior economia quanto ao consumo de insumos tratados, bem como uma proteção contra acidentes, eliminando a presença de umidade nas calçadas, além de proporcionar maior estabilidade à edificação reduzindo a presença de água junto às bases da do maciço.
Citação ABNT:
SENGER, V. A.; CANOVA, R. F. G.; SANTOS, L. D. D. D.; PATIAS, J. O Reúso da Água Gerada por Climatizadores para Resolução de Problemas a Partir de Pesquisa-Ação em Instituição Pública de Ensino. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, v. 7, n. 2, p. 322-339, 2018.
Citação APA:
Senger, V. A., Canova, R. F. G., Santos, L. D. D. D., & Patias, J. (2018). O Reúso da Água Gerada por Climatizadores para Resolução de Problemas a Partir de Pesquisa-Ação em Instituição Pública de Ensino. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 7(2), 322-339.
DOI:
https://doi.org/10.5585/geas.v7i2.724
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/51043/o-reuso-da-agua-gerada-por-climatizadores-para-resolucao-de-problemas-a-partir-de-pesquisa-acao-em-instituicao-publica-de-ensino/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Ahmad, A., El-Shafie, A., Razali, S. F., & Mohamad, Z. S. (2014). Reservoir optimization in water resources: a review. Water resources management, 11, pp. 33913405.

Aranha, M. L. (1996). Filosofia da educação (2. ed.). São Paulo: Moderna.

Brito, D. L., Souza, L. M., & Freitas, D. (2008). Formação inicial de professores de ciências e biologia: a visão da natureza do conhecimento científico e a relação CTSA. Interacções, 4(9), 129-148.

Caputo, H. P. (1998). Mecânica dos solos e suas aplicações (6. ed., Vol. 1.). Rio de Janeiro: LTC.

Caputo, H. P. (2012). Mecânica dos solos e suas aplicações (6. ed., Vol. 2.). Rio de Janeiro: LTC.

Dijk, A. I., Beck, H. E., Crosbie, R. S., Jeu, R. A., Liu, Y. Y., Podger, G. M., . . . Viney, N. R. (2013). The Millennium Drought in southeast Australia (2001–2009): Natural and human causes and implications for water resources, ecosystems, economy, and society. Water Resources Research, 2, pp. 1040-1057.

Dixon, A., Butler, D., & Fewkes, A. (1999). Water saving potential of domestic water reuse systems using greywater and rainwater in combination. Water science & technology: options for closed water systems: sustainable water management, 5, pp. 25-32.

Dresch, A., Lacerda, D. P., & Antunes Júnior, J. A. (2015). Design science research: método de pesquisa para avanço da ciência e tecnologia. Porto Alegre: Bookman.

Duso, L., & Maestrelli, S. R. (2013). Contribuições do uso de uma controvérsia sociocientífica no ensino de ciências: uma perspectiva interdisciplinar. IX Congreso Internacional sobre Investigación en Didáctica de Las Ciencias, (pp. 1106-1110). Girona.

Fernández, A. (1991). A inteligência aprisionada: abordagem psicopedagógica clínica da criança e sua família. Porto Alegre: Arte Médicas.

FIESP/CIESP. (2004). Conservação e reúso de água: manual de orientações para o setor industrial (Vol. 1). São Paulo: FIESP.

Franco, M. A. (set./dez. de 2005). Pedagogia da pesquisa-ação. Revista Educação e Pesquisa, 31(3), 483-502.

Gil, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa (5 ed.). São Paulo: Atlas.

Hachich, W., Falconi, F. F., Saes, J. L., Frota, R. G., Carvalho, C. S., & Niyama, S. (1998). Fundações: teoria e prática (2. ed.). São Paulo: Pini.

Haddeland, I., Heinke, J., Biemans, H., Eisner, S., Flörke, M., Hanasaki, N.,... Wisser, D. (2014). Global water resources affected by human interventions and climate change. Proceedings of the National Academy of Sciences, 9, pp. 3251-3256.

Hodson, D. (2003). Time for action: science education for an alternative future. International Journal of Science Education, 25(6), 645-670.

Kayes, D. C. (2002). Experiential learning and its critics: preserving the role of experience in management learning and education. Academy of Management Learning & Education, 2, pp. 137-149.

Leff, E. (2011). Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder (8. ed.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Lemos, P. R., Fagundes, R. M., & Scherer, M. J. (2011). Reaproveitamento de água para fins não potáveis em habitações de interesse social. X Salão de Iniciação Científica PUCRS (pp. 2172-2174). Porto Alegre: EdiPUCRS.

Macedo, C. C., & Silva, L. F. (2014). Os processos de contextualização e a formação inicial de professores de física. Investigações em Ensino de Ciências, 19(1), 55-75

Macêdo, J. A. (2007). Águas e águas (3. ed.). São Paulo: Livraria Varela.

Mezirow, J. (1981). A critical theory of adult learning and education. Adult education quarterly, 1., pp. 3-24.

Miquelin, A. F., Saavedra Filho, N. C., & Conceição, S. A. (2014). Mediação da trilogia “Fundação” como possível parâmetro para análises do determinismo tecnológico no Ensino de Ciências. Revista Brasileira de Ensino de Ciências Tecnologia, 7(1), 70-81.

Moreira, R. (jan./jun. de 2009). A geografia e a educação ambiental: o modo de ver e pensar a relação ambiental na geografia. Espaço em Revista, 11(1), 11-19.

Moreno, A. C. (2016). Total de federais entre as melhores escolas do Enem 2015 mais que dobra. Acesso em 16 de jan. de 2016, disponível em G1: http://g1.globo.com/educacao/noticia/totalde-federais-entre-as-melhores-escolas-doenem-2015-mais-que-dobra.ghtml

Oki, T., & Kanae, S. (2006). Global hydrological cycles and world water resources. Science, 5790, pp. 1068-1072.

Oliveira, P. S. (2001). Introdução à sociologia (24. ed.). São Paulo: Ática.

Pimentel, D., Berger, B., Filiberto, D., Newton, M., Wolfe, B., Karabinakis, E.,... Nandagopal, S. (2004). Water resources: agricultural and environmental issues. BioScience, 10, pp. 909-918.

Ramos, E. C. (2006). A abordagem naturalista na educação ambiental: uma análise dos projetos ambientais de educação em Curitiba. Tese (Doutorado em Ciências Humanas), Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC: Tese (doutorado) Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas.

Rebello, Y. C. (2008). Fundações: guia prático de projeto, execução e dimensionamento (4. ed.). São Paulo: Zigurate.

Reis, P. R. (1999). A Discussão de Assuntos Controversos no Ensino das Ciências. Inovação, 12, 107-112.

Santos, J. E., & Sato, M. (2003). Universidade e ambientalismo: encontros não são despedidas. Em J. E. SANTOS, & M. SATO, A contribuição da educação ambiental à esperança de Pandora. São Carlos: RiMa.

Shiklomanov, I. A., & Rodda, J. C. (2004). World water resources at the beginning of the twenty-first century. Cambridge: Cambridge University Press.

Teixeira, C. Z. (1993). Comportamento de estacas escavadas em solos colapsíveis. Dissertação (Mestrado em geotecnia), Escola de engenharia de São Carlos – USP, São Carlos.

Thiollent, M. (2003). Metodologia da pesquisa-ação (12. ed.). São Paulo: Cortez.

Thiollent, M. (2011). Metodologia da Pesquisa-ação (18. ed.). São Paulo: Cortez.

Van Vliet, M. T., Wiberg, D., Leduc, S., & Riahi, K. (2016). Power-generation system vulnerability and adaptation to changes in climate and water resources. Nature Climate Change, pp. 375–380.

Wallon, H. (1978). Do acto ao pensamento. Lisboa, Portugal: Moraes Editores.