Eficiência dos Gastos Públicos em Saúde no Brasil: Estudo Sobre o Desempenho de Estados Brasileiros Outros Idiomas

ID:
51079
Resumo:
O objetivo do presente estudo é verificar a eficiência dos gastos públicos estaduais com saúde no Brasil. Para atender este objetivo foram analisados, no período de 2005 a 2014, os vinte e seis estados brasileiros e o Distrito Federal. Os dados foram coletados do Sistema de Coletas de Dados Contábeis dos Entes da Federação e do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. A análise da eficiência é realizada por meio do método de Análise Envoltória de Dados. Os resultados revelam que dentre as 27 unidades federativas, apenas o Estado do Maranhão se mostrou eficiente em todo o período analisado (2005 a 2014), sendo que 9 se mostraram eficientes em pelo menos 1 ano no período analisado com relação aos indicadores de saúde. Conclui-se que os 26 estados brasileiros e o Distrito Federal apesar dos esforços financeiros com a saúde, o desempenho está aquém do nível esperado de eficiência para o atendimento à população com vacinação, atenção básica, internações, atendimento ambulatorial e número de estabelecimentos de saúde.
Citação ABNT:
ANDRETT, M. C. S.; LUNKES, R. J.; ROSA, F. S.; BRIZOLLA, M. M. B. Eficiência dos Gastos Públicos em Saúde no Brasil: Estudo Sobre o Desempenho de Estados Brasileiros. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, v. 7, n. 2, p. 114-128, 2018.
Citação APA:
Andrett, M. C. S., Lunkes, R. J., Rosa, F. S., & Brizolla, M. M. B. (2018). Eficiência dos Gastos Públicos em Saúde no Brasil: Estudo Sobre o Desempenho de Estados Brasileiros. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 7(2), 114-128.
DOI:
https://doi.org/10.5585/rgss.v7i2.336
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/51079/eficiencia-dos-gastos-publicos-em-saude-no-brasil--estudo-sobre-o-desempenho-de-estados-brasileiros/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Banker, R.D., Charnes, A., & Cooper, W. (1984). Some Models for Estimating Technical and Scale Inefficiencies in Data Envelopment Analysis. Management Science, 30(9), 10781092.

Barcellos, C. & Monken, M. (2007). O território e o processo saúde-doença. / Organizado por Angélica Ferreira Fonseca e Ana Maria D’Andrea Corbo. – Rio de Janeiro:

Brunet, J. F. G., Berte, A. M. A. & Borges, C. B. Estudo comparativo das despesas públicas dos estados brasileiros: um índice de qualidade do gasto público. Brasília: ESAF, (2007). Monografia premiada com o terceiro lugar no XII Prêmio Tesouro Nacional – Qualidade do Gasto Público. Porto Alegre (RS).

Cities. Meza, L. A., Neto, B. L., Mello, J. C. C. B. S; & Gomes, E. G. (2005). Integrated system for decision support: a software package for data envelopment analysis model. Revista Pesquisa Operacional, v. 25, n. 3, p. 493-503.

Conceição, T. S., Cislaghi, J. F., & Teixeira, S. O. (2012). O financiamento da saúde no Brasil: principais dilemas. Temporalis, 12(23), 97124.

Costa, F. L. & Castanhar, J. C. (2003). Avaliação de programas públicos: desafios conceituais e metodológicos. Revista de Administração Pública, v. 37, n. 5, 969-992.

Cruz, C. F., Ferreira, A. C. S., Silva, L. M. & Macedo, M. A. S. (2012). Transparência da gestão pública municipal: um estudo a partir dos portais eletrônicos dos maiores municípios brasileiros. Revista da Administração Pública, v. 46, n. 1, 153-176.

Datasus. Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. (2015) Brasilia – DF. Ministério Da Saúde. DATASUS. Disponível em: . Acesso em: 23 Fev. 2015.

de Oliveira C, L. C., Andreazza, R., de Souza, A. L. M., Lima, M. R., Mercadante, C. E. B., da Silva Pinto, N. R., ... & de Almeida Bestetti, L. M. (2007). O gestor municipal na atual etapa de implantação do SUS: características e desafios. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação & Inovação em Saúde, 1(2).

Dias, L. N. da S., Matias-Pereira, J., Santana F., M. R., & Souza P. V. M. (2013). Fatores Associados ao Desperdício de Recursos da Saúde Repassados pela União aos Municípios Auditados pela Controladoria Geral da União. Revista Contabilidade & FinançasUSP, 24(63), 206-218.

Donabedian, A. The Quality of Medical Care. (1978). Science, v. 2000.

dos Santos, A. M., & Giovanella, L. (2014). Governança regional: estratégias e disputas para gestão em saúde. Revista de Saúde Pública, 48(4), 622-631

EPSJV/Fiocruz. Brasil. Constituição Federal. (1988). Constituição da República Federal do Brasil: Promulgado em 05 de outubro de 1988. Disponível em: . Acesso em: 10 de set. de 2014.

Faria, F. P., Jannuzzi, P. M. & Silva, S. J. (2008). Eficiência dos gastos municipais em saúde e educação: uma investigação através da análise envoltória no estado do Rio de Janeiro. Revista de Administração Pública, v. 1, p. 155-177.

Fonchamnyo, D. C., & Sama, M. C. (2014). Determinants of public spending efficiency in education and health: evidence from selected CEMAC countries. Journal of Economics and Finance, 40(1), 199-210.

Fonseca, P. C. & Ferreira, M. A. M. (2009). Investigação Dos Níveis De Eficiência Na Utilização De Recursos No Setor De Saúde: Uma Análise Das Microrregiões De Minas Gerais. Saúde e Sociedade, v. 18, n. 2, p. 199– 213.

Franco, M. A. J., Santos, E. A. dos, Zanin, M., & Lunkes, R. J. (2017). Avaliação de Desempenho: Percepção dos Funcionários de uma Entidade Hospitalar De Santa Catarina. RAHIS, 14(1).

Kaveski, I. D. S., Mazzioni, S., & Hein, N. (2013). A eficiência na utilização de recursos no setor de saúde: uma análise dos municípios do Oeste Catarinense. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 2(2), 53-84.

Lo Storto, C. (2015). The trade-off between cost efficiency and public service quality: A nonparametric frontier analysis of Italian major municipalities.

Platt Neto, O. A., Cruz, F. & Vieira, A. L. (2011). A evolução das práticas de uso da internet para a divulgação das contas públicas na Universidade Federal de Santa Catarina. Revista Gestão Universitária na América Latina. V. 3, n. 1, p. 43-56.

Politelo, L., Rigo, V. P., & Hein, N. (2014). Eficiência da Aplicação de Recursos no Atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS) nas Cidades de Santa Catarina. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 3(2), 45-60.

Queiroz, M. D. F. M. de, Silva, J. L. M. da, Souza F., J. de, & Vale, F. F. R. do. (2016). Eficiência no gasto público com saúde: uma análise nos municípios do Rio Grande do Norte. Revista Econômica do Nordeste, 44(3), 761-776.

Ripsa. (2008). Indicadores básicos para a saúde no Brasil: conceitos e aplicações, 2. ed. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde.

Rouquayrol, M. Z. (1993). Epidemiologia e Saúde. 4. ed. Rio de Janeiro: MEDSI.

Santiago, A. da C., Fracolli, L. A., Zaboli, E. L. C. P., & Silva, R. M. V. (2008). Indicadores sociais e de saúde para a operacionalização da Vigilância à Saúde. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 42(4).

Santos, A. C.; Silva, M. Dos S., & Gomes, A. P. (2010). Avaliação da eficiência técnica dos serviços de saúde nos municípios do Espírito Santo. In: Encontro de Economia, 1, 2010, Espírito Santo. Anais do Encontro de Economia do Espírito Santo.

Santos, É. G. F. de A. (2008). Uma avaliação comparativa da eficiência dos gastos com saúde nos municípios brasileiros. 77 f. Dissertação (Mestrado em Economia) Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade. Universidade de São Paulo. São Paulo.

Schulz, S. J., Gollo, V., Rosa, F. S. da, & Scarpin, J. E. (2014). Ranking Das Unidades Federativas Brasileiras Frente ao seu Desempenho na Gestão de Recursos da Saúde. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 3(2), 75.

Secretaria do Tesouro Nacional – STN (2018). Demonstrativos fiscais: Relatório Resumido de Execução Orçamentária. Disponível em: < http://www.tesouro.fazenda.gov.br/demonstra tivos-fiscais> Acesso em: 10 de JUN. de 2018.

Silva, E. H. D. R. da, Daniel, B. H. & Oliveira, D. B. de. (2012). Os Sistemas de Gestão em Segurança e Saúde no Trabalho em Auxílio à Prevenção de Acidentes e Doenças Ocupacionais. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, v. 1, n. 2, p. 157-172.

Sinimole, K. R. (2012). Evaluation of the efficiency of national health systems of the members of World Health Organization. Leadership in Health Services, v. 25, p. 139-150.

Sousa, P. F. B.de, Lima, A. O., Nascimento, C. P. S. do, Peter, M. D. G. A., Machado, M. V. V., & Oliveira G., A. de (2013). Desenvolvimento municipal e cumprimento da lei de responsabilidade fiscal: uma análise dos municípios brasileiros utilizando dados em painel. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 1(1), 58-70.

Tribunal De Contas Da União. (2015). Relatório de Levantamento – FiscSaúde 2013. Disponível em: http://www.tcu.gov.br. Acesso em: 27 mar. 2015. Tesouro Nacional. (2014). Sistema de Coleta de Dados Contábeis de Estados e Municípios – STN. Disponível em: . Acesso em: 04 nov. 2014.

Vieira, F. S., & Benevides, R. P. D. S. (2016). Os impactos do novo regime fiscal para o financiamento do Sistema Único de Saúde e para a efetivação do direito à saúde no Brasil: Instituto De Pesquisa Econômica Aplicada (Nota Técnica 28).

Zucchi, P., Nero, C. Del & Malik A. M. (2000). Gastos em saúde: os fatores que agem na demanda e na oferta dos serviços de saúde. Saúde e Sociedade, v. 9, p. 127-150.