Análise Bibliométrica sobre Folga Organizacional em Periódicos Indexados na Base de Dados Scopus no Período de 1970 a 2013 Outros Idiomas

ID:
51151
Resumo:
O estudo objetiva identificar o perfil dos artigos sobre folga organizacional veiculados em periódicos internacionais indexados na base de dados Scopus entre 1970 e 2013. Pesquisa descritiva, documental e quantitativa foi desenvolvida em uma amostra de 162 artigos. Os resultados demonstram que houve proliferação dos estudos sobre folga organizacional, sendo que há uma tendência no desenvolvimento de estudos sobre o tema, visto que no período de 2011 até abril/2013 foram desenvolvidos 40 estudos nessa temática. Há predominância nos artigos desenvolvidos com dois autores, sendo a teoria organizacional a mais citada pelos estudos, seguida da teoria comportamental da firma. O paradigma funcionalista predomina as pesquisas. Quanto aos ramos de atividades, observou-se que os diferentes setores se destacam. O comportamento, cultura, contexto organizacional, desempenho e inovação são temáticas predominantes nos artigos internacionais, considerando que grande parte das pesquisas se caracteriza como descritiva e documental, com aplicação de estatística descritiva. Conclui-se que essa linha de pesquisa é promissora, instigando pesquisadores nacionais a recorrerem à base de dados internacionais para consubstanciar suas pesquisas e desenvolver análises consistentes.
Citação ABNT:
DALLABONA, L. F.; LAVARDA, C. E. F. Análise Bibliométrica sobre Folga Organizacional em Periódicos Indexados na Base de Dados Scopus no Período de 1970 a 2013 . Interface - Revista do Centro de Ciências Sociais Aplicadas, v. 15, n. 1, p. 111-132, 2018.
Citação APA:
Dallabona, L. F., & Lavarda, C. E. F. (2018). Análise Bibliométrica sobre Folga Organizacional em Periódicos Indexados na Base de Dados Scopus no Período de 1970 a 2013 . Interface - Revista do Centro de Ciências Sociais Aplicadas, 15(1), 111-132.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/51151/analise-bibliometrica-sobre-folga-organizacional-em-periodicos-indexados-na-base-de-dados-scopus-no-periodo-de-1970-a-2013-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ANDALIA, R. C.; LABRADA, R. R.; CASTELLS, M. M. Scopus: la mayor base de datos de literatura científica arbitrada al alcance de los países subdesarrollados. Revista Cubana de Información em Ciencias de la Salud, v. 21, n. 3, 2010.

ARAÚJO, C. Bibliometria: Evolução histórica e questões atuais. Em Questão, v. 12, n. 1, p. 1132, 2006.

BARRANCO, A. D.; NAVARRO, C. C.; GARCÍA, R. J. Análisis cienciométrico de la revista “enfermería global” (2002-2004). Revista Enfermería global, n. 7, 2005.

BEUREN, I. L M.; VERHAGEM, J. A. Folga Organizacional no Processo Orçamentário Versus Remuneração Variável: O Caso de Uma Empresa de Grande Porte do Sul do Brasil. In: Congresso EnGPR, João Pessoa, 2. Anais… João Pessoa, 2011.

BOURGEOIS, L. J. On the measurement of organizational slack. Academy of Management Review, v. 6, p. 29-39, 1981.

BOURGEOIS, L. J.; SINGH, J. V. Organizational slack and political behavior among top management teams. Academy of Management Proceedings, p. 43-47, 1983.

BROMILEY, P. Testing a causal model of corporate risk taking and performance. Academy of Management Journal, v. 34, n. 1, 37-59, 1991.

BURRELL, G.; MORGAN, G. Sociological paradigms and organizational analysis. London: Heinemann Educational Books, 1979.

CHAPMAN, C. S. Reflections on a contingent view of accounting. Accounting, Organizations and Society, v. 22, n. 2, 189-205, 1997.

COELHO, P. S.; SILVA, R. N. S. Um estudo exploratório sobre as metodologias empregadas em pesquisas na área de contabilidade do ENANPAD. Revista Contemporânea de Contabilidade, v. 1, n. 8, p. 139-159, 2007.

CYERT, R.; MARCH, J. The behavioral theory of the firm. Englewood Cliffs, NJ: Prentice-Hall, 1963.

DONALDSON, L. The Contingency Theory of Organizational Design: Challenges and Opportunities. In Burton, R. M., Eriksen, B., Hakonsson, D. D. & SNOW, C. C. (Eds), Organization Design: The Evolving State-of-the-Art, Springer, New York, NY, p. 19-40, 2006.

GUEDES, V. L.; BORSCHIVER, S. Bibliometria: uma ferramenta estatística para a gestão da informação e do conhecimento, em sistemas de informação, de comunicação e de avaliação científica e tecnológica. In: Encontro Nacional de Ciência da Informação, Salvador, 6. Anais... Salvador, 2005.

ILBAY, O. Antecedents and Effects of Organizational Slack. Master Thesis. Vrije Universiteit Amsterdam. Faculteit Economische Wetenschappen en Bedrijfskunde, 2009.

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, 1976.

JU, M.; ZHAO, H. Behind organizational slack and firm performance in China: The moderating roles of ownership and competitive intensity. Asia Pac. J. Manag., v. 26, p. 701-717, 2009.

KOBASHI, N. Y.; SANTOS, R. N. M. Arqueologia do trabalho imaterial: uma aplicação bibliométrica à análise de dissertações e teses. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, p. 106-115, 2008.

LIMA, A. F. Estudo da relação causal entre os níveis organizacionais da folga, o risco e o desempenho financeiro de empresas manufatureiras. 252 f. Tese (Doutorado em Administração) Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2008.

LIN, W. T.; CHENG, K. Y.; LIU, Y. Organizational slack and firm’s internationalization: A longitudinal study of high-technology firms. Journal of World Business, v. 44, p. 397-406, 2009.

MACIAS-CHAPULA, C. O papel da informetria e da cienciometria e sua perspectiva nacional e internacional. Ciência da Informação, v. 27, n. 2, p. 134-140, 1998.

MEYER, J. W.; ROWAN, B. Institutionalised organisations: formal structures as myth and ceremony. In:, em: W. W. Powell e P. J. DiMaggio (Eds). The New Institutionalism in Organizational Analysis, p. 41-62 (Chicago: The University of Chicago Press), 1991.

SANTOS, R. N. M. Produção científica: por que medir? O que medir? Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v. 1, n. 1, p. 22-38, 2003.

SENDER, G. O papel da folga organizacional nas empresas: um estudo em bancos brasileiros. 226f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

SHARFMAN, M. P.; WOLF. G.; CHASE, R. B.; TANSIK, D. A. “Antecedents of Organizational Slack”, The Academy of Management Review, v. 13, n. 4, p. 601-614, 1988.

SINGH, J. T. Performance, slack, and risk taking in organizational decision making. Management Journal, v. 29, n. 3, p. 562-585, 1983.

TAN, J.; PENG, M. W. Organizational slack and firm performance during economic transitions: Two studies from an emerging economy. Strategic Management Journal, v. 24, p. 1249-1263, 2003.

VANZ, S. A. S.; CAREGNATO, S. E. Estudos de Citação: uma ferramenta para entender a comunicação científica. Em Questão, v. 9, n. 2, p. 295-307, 2003.

VERGARA, S. C.; CALDAS, M. P. Paradigma interpretacionista: a busca da superação do objetivismo funcionalista nos anos 1980 e 1990. Revista de Administração de Empresas, v. 45, n. 4, 2005.