A Relação dos Dispêndios em P&D e o Crescimento Econômico do Brasil: Uma Análise por Vetores Auto Regressivos Outros Idiomas

ID:
51169
Resumo:
Este trabalho tem como objetivo analisar se há impacto entre os dispêndios gastos em Pesquisa e Desenvolvimento com o crescimento econômico no Brasil no período de 2000 a 2015, especificamente, avaliar a influência desses gastos no Produto Interno Bruto (PIB) e nos pedidos de patentes nacionais, utilizando o modelo de Vetores Auto Regressivos – VAR para analisar os resultados. O VAR foi desenvolvido por Christopher Sims na década de 80 como resposta às críticas ao grande número de advertências impostas pelos valores dos modelos estruturais. No modelo, cada variável endógena é explicada por seus valores defasados e pelos valores defasados de todas as outras variáveis endógenas incluídas no modelo. Os resultados apresentaram efeito positivo dos dispêndios públicos e privados no crescimento do PIB e no aumento da quantidade de patentes depositadas. Pode-se concluir que a inserção do Brasil no cenário mundial ainda é pequena em vista a outros países desenvolvidos tecnologicamente. Isto implica a dependência da capacidade de inovação das empresas, estreita relação com os incentivos à inovação no setor privado e a contratação da mão-de-obra qualificada disponível no mercado internacional. Por isso, exige-se ações governamentais de apoio à pesquisa e desenvolvimento do setor privado e melhoras nos investimentos em universidades públicas e privadas existentes no país.
Citação ABNT:
MORAES, E. S.; RAMOS, J. E. S.; MELO, A. S.; LIMA, T. L. A. A Relação dos Dispêndios em P&D e o Crescimento Econômico do Brasil: Uma Análise por Vetores Auto Regressivos . Revista Brasileira de Gestão e Inovação, v. 6, n. 1, p. 27-43, 2018.
Citação APA:
Moraes, E. S., Ramos, J. E. S., Melo, A. S., & Lima, T. L. A. (2018). A Relação dos Dispêndios em P&D e o Crescimento Econômico do Brasil: Uma Análise por Vetores Auto Regressivos . Revista Brasileira de Gestão e Inovação, 6(1), 27-43.
DOI:
10.18226/23190639.v6n1.02
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/51169/a-relacao-dos-dispendios-em-p-d-e-o-crescimento-economico-do-brasil--uma-analise-por-vetores-auto-regressivos-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Aw, B. Y.; Roberts, M. J.; Yi Xu, Dl. (2011). R&D investment, exporting, and productivity dynamics. The American Economic Review, 101(4), 1312-1344.

Azevedo, P.; Cario, S. A. F.; Melo, P. A. (2016). O desempenho de uma transnacional pública e o desenvolvimento econômico no Brasil: O caso Petrobras. Revista ESPACIOS, 37(10).

Bartik, T. J. (1995). Economic Development Strategies. Upjohn Institute, n. 95.

Bastos, C. P.; Britto, J. (2017). Inovação e geração de conhecimento científico e tecnológico no Brasil: uma análise dos dados de cooperação da PINTEC segundo porte e origem de capital. Revista Brasileira de Inovação, 16(1) 35-62.

Bigsten, A. (2016). The Development of Development Theory. Nd., 26(3), 247-266.

Brasil. (2004). Relatório de Inflação. 6(2), 155.

Campos, I.; Valadares, E. (2008). Inovação Tecnológica e Desenvolvimento Econômico. Unpublished paper. Accessed.

Greenwood, J.; Sanchez, J. M.; Wang, C. (2010). Quantifying the Impact of Financial Development on Economic Development. SSRN Electronic Journal.

Kacprzyk, A.; Doryn, W. (2015). Innovation and Economic Growth in European Union Panel Data Analysis. Lodz Economics Working Papers.

Kilian, L. (2010). Explaining fluctuations in gasoline prices: A joint model of the global crude oil market and the US retail gasoline market. The Energy Journal, 31(2), 103-128.

Kimmel, R. K.; Antenucci, R.; Hasan, S. (2017). Investor perception and business method patents: A natural experiment. Economic Analysis and Policy, 54, 26-48.

Lamana, S.; Kovaleski, J. L. (2015). Patentes e o desenvolvimento econômico. VII CONVIBRA Administração. v. 1.

Laredo, P.; Mustar, P. (2001). Research and innovation policies in the new global economy: An international comparative analysis. Cheltenham, Uk: New Horizons in the Economics of Innovation.

Manap, N. A. et al. (2016). Protecting R&D inventions through intellectual property rights.

Mashkoor, A.; Ahmed, O. (2015). Theory of Economic Development: Pyramid of Development. MPRA Paper, n. 63370.

MCTI - Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. (2016). Nd.

Nam, H. J.; An, Y. (2017). Patent, R&D and internationalization for Korean healthcare industry. Technological Forecasting and Social Change, 117, 131-137.

Oliveira, M. A. et al. (2015). Análise Econométrica dos Dispêndios em Pesquisa & Desenvolvimento (P & D) no Brasil. RAI - Revista de Administração e Inovação, 12(3) 268-286.

Park, I. et al. (2015). Exploring potential R&D collaboration partners through patent analysis based on bibliographic coupling and latent semantic analysis. Technology Analysis & Strategic Management, 27(7), 759-781.

Ramos, A.; Zilber, S. N. (2015). O Impacto do Investimento na Capacidade Inovadora da Empresa. Journal of Chemical Information and Modeling, 53(9), 1689-1699,

Romer, P. M. (1986). Increasing returns and long-run growth. Journal of Political Economy, 94(5), 1002-1038.

Souza, A. M. E.; Miranda, P. (2015). Brasil em desenvolvimento 2015: Estado, planejamento e políticas públicas.

Stock, J. H.; Watson, M. W. (2007). Vector auto regressions. 15, 1-37.

Tuna, K.; Kayacan, E.; Bektas, H. (2015). The Relationship Between Research & Development Expenditures and Economic Growth: The Case of Turkey. Procedia - Social and Behavioral Sciences, 195, 501-507.

Ulku, H. (2004). R&D, Innovation, and Economic Growth: An Empirical Analysis. IMF Working Papers, 4, 1.

Wang, Juite; Wang, C. Y.; Wu, Cheng Yo. (2015). A real options framework for R&D planning in technology-based firms. Journal of Engineering and Technology Management, 35, 93-114.

Yiannaka, A. et al. (2002). Patent Breadth as an Entry Deterrent: The Case of Vertically Differentiated Product Innovations. In: 2002 Annual meeting, July 28-31, Long Beach, CA. American Agricultural Economics Association (New Name 2008: Agricultural and Applied Economics Association).