Fatores Facilitadores e Restritivos à Cooperação Universidade e Empresa: O Caso Udesc Outros Idiomas

ID:
51447
Resumo:
O objetivo deste estudo é analisar os principais fatores facilitadores e restritivos no desenvolvimento de projetos de pesquisa da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em cooperação com empresas, segundo o olhar de 10 líderes de grupos de pesquisa e de 14 gestores de empresas. A base teórica do estudo compreende a discussão dos argumentos de autores nacionais e internacionais acerca da cooperação Universidade-Empresa (U-E). A pesquisa é descritiva com abordagem qualitativa. As técnicas de coleta de dados utilizadas foram a análise documental e o questionário, com os dados sendo tratados de modo descritivo. Os fatores “recursos financeiros adicionais” e “acesso a pesquisadores qualificados” foram considerados os fatores mais facilitadores segundo os líderes de grupos de pesquisa e gestores de empresas, respectivamente; e o “excesso de burocracia” como o fator mais restritivo à cooperação Universidade-Empresa, tanto para os líderes de grupos de pesquisa quanto para os gestores de empresas. Os achados são corroborados por estudos teóricos e empíricos nacionais e internacionais, reforçando os avanços da literatura e das questões metodológicas utilizadas. Conclui-se que a universidade deverá aperfeiçoar as práticas de cooperação com as empresas, estabelecendo políticas institucionais que possibilitem a redução da burocracia e dos prazos de tramitação dos processos, a fim de minimizar as barreiras identificadas na interação e possibilitar o desenvolvimento de mais pesquisas aplicadas entre os envolvidos na cooperação. O estudo tem como limitações a volatilidade das percepções dos pesquisados, a área geográfica de Santa Catarina e a delimitação em três Centros de Ensino da Udesc.
Citação ABNT:
CARDOSO, M. G.; AMBONI, N.; LAGEMANN, G. V.; ANDRADE, R. O. B. Fatores Facilitadores e Restritivos à Cooperação Universidade e Empresa: O Caso Udesc . Desenvolvimento em Questão, v. 16, n. 45, p. 273-291, 2018.
Citação APA:
Cardoso, M. G., Amboni, N., Lagemann, G. V., & Andrade, R. O. B. (2018). Fatores Facilitadores e Restritivos à Cooperação Universidade e Empresa: O Caso Udesc . Desenvolvimento em Questão, 16(45), 273-291.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21527/2237-6453.2018.45.273-291
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/51447/fatores-facilitadores-e-restritivos-a-cooperacao-universidade-e-empresa--o-caso-udesc-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALVIM, P. C. R. de C. Cooperação universidade-empresa: da intenção à realidade. In: ALVIM, P. C. R. de C. Interação universidade empresa. Brasília. Instituto Brasileiro de informação em Ciência e Tecnologia, 1998. p. 99-124.

ANKRAH, S.; AL-TABBAA, O. Universities-industry collaboration: a systematic review. Scandinavian Journal of Management, v. 31, n. 3, p. 387-408, 2015.

BENEDETTI, M. H.; TORKOMIAN, A. L. V. Uma análise da influência da cooperação Universidade-Empresa sobre a inovação tecnológica. Gestão & Produção, v. 17, n. 4, p. 145-158, 2010.

BOTELHO, M.; CARRIJO, M.; KAMASAKI, G. Inovações, pequenas empresas e interações com instituições de ensino/pesquisa em arranjos produtivos locais de setores de tecnologia avançada. Revista Brasileira de Inovação, v. 6, n. 2, p. 331-371, 2007.

CAMARGO, L. C. Cooperação e cooperativismo. São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 1960.

CARVALHO, H. G. de. Cooperação com empresas: benefícios para o ensino. 1997. Dissertação (Mestrado) - Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná, Curitiba, 1997.

CARVALHO, H. G. de. Cooperação com empresas: benefícios para o ensino. In: INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA (IBICT). Interação universidade empresa. Brasília: IBICT, 1998. p. 323-358.

CLARKE, S. Crise do fordismo ou crise da social democracia? Revista Lua Nova, n. 24, p. 117-150. set. 1991.

CLOSS, L. Q.; FERREIRA, G. C. A transferência de tecnologia universidade-empresa no contexto brasileiro: uma revisão de estudos científicos publicados entre os anos 2005 e 2009. Gestão & Produção, v. 19, n. 2, p. 419-432, 2012.

CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO (CNPq). 2015. Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil Lattes. . Acesso em: 19 jul. 2015.

DAN, M. C. Why should university and business cooperate?A discussion of advantages and disadvantage. International Journal of Economic Practices and Theories, v. 3, n. 1, p. 67-74, 2013.

D’ESTE, P.; PATEL, P. University-industry linkages in the UK: What are the factors underlying the variety of interactions with industry. Research Policy, v. 36, n. 9, p. 1295-1313, 2007.

DIAS, A. A.; PORTO, G. S. Gestão de transferência da Inova Unicamp. Revista de Administração Contemporânea, v. 17, n. 3, p. 263-284, 2013.

DURHAM, E. R. Avaliação e relações com o setor produtivo. Educação Brasileira, v. 7, n. 24, p. 3764, 1990.

ETZKOWITZ, H. The evolution of the entrepreneurial university. International Journal of Technology and Globalisation, v. 1, n. 1, p. 64-77, 2004.

ETZKOWITZ, H. The norms of entrepreneurial science: cognitive effects of the new university-industry linkages. Research Policy, v. 27, n. 8, p. 823-833, 1998.

FENG, F. et al. Visualization and quantitative study in bibliographic databases: A case in the field of university-industry cooperation‖. Journal of Informetrics, v. 9, n. 1, p. 118-134, 2015.

FERREIRA, M. L. A.; RAMOS, R. R. Making university-industry technological partnerships work: a case study in the Brazilian Oil Innovation System. Journal of Technology Management and Innovation, v. 10, n. 1, p. 173-187, 2015.

FRANCO, M.; HAASE, H. University-industry cooperation: Researchers’ motivations and interaction channels. Journal of Engineering and Technology Management, v. 36, n. apr./june, p. 41-51, 2015.

FREITAS, A. F. de; FREITAS, A. F. de. Interações entre organizações coletivas na promoção do desenvolvimento local. Interações, v. 14, n. 2, p. 177-188, 2013.

GOEBEL, M. A.; MIURA, M. N. A universidade como fator de desenvolvimento: o caso do município de Toledo-PR. Universidade Estadual do Oeste do Paraná. 2004. .

GUARNICA, L. A.; TORKOMIAN, A. L. V. Gestão de tecnologia em universidades: uma análise do patenteamento e dos fatores de dificuldade e de apoio à transferência de tecnologia no Estado de São Paulo. Gestão & Produção, v. 16, n. 4, p. 624-638, 2009.

KAYMAZ, K.; ERYIĞI, K. Y. Determining factors hindering university-industry collaboration: an analysis from the perspective of academicians in the context of entrepreneurial science paradigm. International Journal of Social Inquiry, v. 4, n. 1, p. 85-213, 2011.

KOROTKA, M. A. Proximity factors influencing academics’ decisions to cooperate with industrial organizations, Regional Studies. Regional Science, v. 2, n. 1, p. 415-423, jul. 2015.

LEMOS, D da C. A interação universidade-empresa para o desenvolvimento inovativo sob a perspectiva institucionalista-evolucionária: uma análise a partir do sistema de ensino superior em Santa Catarina. 2013. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Administração, Florianópolis, 2013.

LE, N. X. H. Practices in cooperation between universities and businesses case: lahti university of applied sciences. Bachelor’s Thesis, Lhti University of Applied Sciences, Finland, 2015.

LOPES, R. P. M. Avaliação do impacto financeiro da universidade pública na economia municipal: o caso de Vitória da Conquista. Revista Conjuntura e Planejamento, n. 71, p. 15-21, 2000.

MAIA, M. das G. S. F. A integração universidade/empresa como fator de desenvolvimento regional: um estudo da região metropolitana de Salvador. 2005. Tese (Doutorado) - Departamento de Geografia Física e Análise Geográfica Regional, Faculdade de Geografia e História, Universidade de Barcelona, Barcelona, 2005.

MATHIS, A. Instrumentos para o desenvolvimento sustentável regional. Adcontar, v. 2, n. 2, p. 1930, 2001.

METCALFE, J. S. University and business relations: connecting the knowledge economy. Minerva, v. 48, n. 1, p. 5-33, 2010.

MIDLEJ, M. M. B. C.; FIALHO, N. H. Universidade e região. Práxis Educacional, n. 1, p. 171-189, 2005.

NOVELI, M.; SEGATTO, A. P. Processo de cooperação universidade empresa para a inovação tecnológica em um parque tecnológico: evidências empíricas e proposição de um modelo conceitual. Revista de Administração e Inovação, v. 9, n. 1, p. 81-105, 2012.

PERKMANN, M.; NEELY, A.; WALSH, K. How should firms evaluate success in university-industry alliances?A performance measurement system. R&D Management, v. 41, n. 2, p. 202-216, 2011.

PERKMANN, M.; SCHILDT, H. Open data partnerships between firms and universities: The role of boundary organizations. Research Policy, v. 38, n. 5, p. 1-11, 2014.

PHILBIN, S. P. An investigation of the development and management of university research institutes. Journal of Research Administration, v. 42, n. 1, p. 103-122, 2011.

PLEWA, C. et al. University-Industry linkage evolution: an empirical investigation of relational success factors. R&D Management, v. 43, n. 4, p. 365-380, 2013.

PLONSKI, G. A. Cooperação empresa-universidade no Brasil: um novo balanço prospectivo. In: PLONSKI, G. A. (Coord.). Interação universidade-empresa. Brasília: IBICT, 1998. p. 9-23.

PORTO, G. A decisão de cooperação universidade - empresa sob a ótica dos líderes de grupos de pesquisa da USP cadastrados no diretório de pesquisa do CNPq. 2006. Tese (Livre docência) - Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP, 2006.

PORTO, G. Características do processo decisório na cooperação empresa-universidade. Revista de Administração Contemporânea, v. 8, n. 3, p. 29-52, 2004.

QUANDT, C. O. Inovação tecnológica. In: SILVA JÚNIOR, R. (Org.). Empreendedorismo tecnológico. Instituto de Engenharia do Paraná: Curitiba, 2009. p. 71-101.

QUANDT, C. O. Redes de cooperação e inovação localizada: estudo de caso de um Arranjo Produtivo Local. Revista de Administração e Inovação, v. 9, n. 1, p. 141-166, 2012.

RANGA, M. et al. University-Industry Cooperation in the US and Canada. European Commission, DG Education and Culture, 2013.

RIBEIRO, R. J.; ANDRADE, E. P. Modelo de gestão para incubadora de empresas sob a perspectiva de metodologias. Organização & Estratégia, v. 4, n. 1, p. 71-90, 2008.

ROLIM. C.; SERRA, M. Universidade e desenvolvimento regional - o apoio das Instituições de Ensino Superior ao desenvolvimento regional. Curitiba: Juruá, 2009.

ROSA, R. A. et al. Cooperação Universidade-Empresa: um estudo bibliométrico e sociométrico em periódicos científicos brasileiros de administração. LATIN IBERO-AMERICAN CONFERENCE ON MANAGEMENT OF TECHNOLOGY, 16.; 2015. Porto Alegre, out. 2015. p. 1-20. V. 1.

SANTANA, E E de P.; PORTO, G. S. E agora, o que fazer com essa tecnologia?Um estudo multicaso sobre as possibilidades de transferência de tecnologia na USP-RP. Revista de Administração Contemporânea, v. 13, n. 3, p. 410-429, 2009.

SCHNEIDER, L. Educação e desenvolvimento: um estudo do impacto econômico da universidade federal no município de Santa Maria (RS). Santa Maria: Unifra, 2002.

SEGATTO, A. P. Análise do processo de cooperação tecnológica universidade - empresa: um estudo exploratório. 1996. Dissertação (Mestrado) - Universidade de São Paulo, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, São Paulo, 1996.

SEGATTO-MENDES, A, P.; MENDES, N. Cooperação tecnológica universidade-empresa para eficiência energética: um estudo de caso. Revista de Administração Contemporânea, v. 10, n. especial, p. 53-75, 2006.

SILVA, C. V. Processo de transferência de conhecimento na interação universidade - empresa: programas de incubação do Distrito Federal. Brasília: UnB, 2010.

SILVA, C. V. Processo de transferência de conhecimento na interação universidade-empresa: programas de incubação do Distrito Federal. Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação, v. 8, n. 1, p. 94-95, 2015.

SILVEIRA, L. A. Relação universidade-empresa: fatores propulsores e restritivos no processo de transferência de tecnologia nas empresas catarinenses. 2005. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Engenharia de Produção, Florianópolis, 2005.

STAL, E.; FUJINO, A. As relações universidade-empresa no Brasil sob a ótica da Lei de Inovação. Revista de Administração e Inovação, v. 2, n. 1, p. 5-19, 2005.

TECCHIO, E. L. et al. Cooperação universidade-segmento empresarial: a realidade da Universidade Federal de Santa Catarina. Desenvolvimento em Questão, v. 11, n. 22, p. 173-207, 2013.

TEIXEIRA, A. Bases preliminares para o plano de educação referente ao Fundo Nacional de Ensino Primário. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 38, n. 88, p. 97-107, 1962.

TORKOMIAN, A. L. V. Gestão de tecnologia na pesquisa acadêmica: o caso de São Carlos. 1997. Tese (Doutorado) - Universidade de São Paulo, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, São Paulo, 1997.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA (Udesc). Avaliação do MEC reafirma que Udesc é quarta melhor estadual do Brasil e 18ª no geral. Florianópolis, 2014. . Acesso em: 20 dez. 2014.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA (Udesc). Resolução 029/2009 do Conselho Universitário da Udesc. Estabelece normas para a ocupação docente na Udesc. Florianópolis, 2009. . Acesso em: 20 jun. 2009.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA (Udesc). Udesc em números. . Acesso em: 14 out.2017.

VIEIRA, E. F.; VIEIRA, M. M. F. Funcionalidade burocrática nas universidades federais: conflito em tempos de mudança. Revista de Administração Contemporânea, v. 8, n. 2, p. 181-200, 2004.

WEBSTER, A. J.; ETZKOWITZ H. Academic-Industry relations: the second academic revolution. London: Science Policy Support Group, 1991. (SPSG concept paper n. 12).