Orientador e Orientando Ideais: Similaridades e Dissimilaridades na Percepção de Professores e Alunos Outros Idiomas

ID:
51534
Resumo:
O objetivo deste artigo é identificar e comparar as características ideais do orientador e do orientando de dissertações e teses, tanto do ponto de vista de professores quanto de alunos da pós-graduação stricto sensu em contabilidade. Inspirado no modelo bidimensional de Joseph Lowman (2007), foi desenvolvido um instrumento de pesquisa composto por vinte características de orientadores e orientandos, em que os respondentes atribuíam importância a cada atributo em uma escala do tipo likert de 1 a 5. O estudo possui abordagem quantitativa do problema com a realização dos testes de correlação Tau de Kendall e Spearman. Os dados revelam-se mais consensuais no julgamento do perfil do orientador ideal, em que as seis principais características receberam o mesmo grau de importância por professores e alunos. Sobre os atributos do orientando ideal evidencia-se que as duas primeiras características apresentam o mesmo grau de relevância para professores e alunos. Os testes estatísticos revelam uma similaridade no julgamento de ambos pois não apontam diferenças significativas no grau de importância das características ideais em orientadores e orientandos.
Citação ABNT:
MACHADO, D. P.; TONIN, J. M. F.; CLEMENTE, A. Orientador e Orientando Ideais: Similaridades e Dissimilaridades na Percepção de Professores e Alunos . Revista Contemporânea de Contabilidade, v. 15, n. 35, p. 32-47, 2018.
Citação APA:
Machado, D. P., Tonin, J. M. F., & Clemente, A. (2018). Orientador e Orientando Ideais: Similaridades e Dissimilaridades na Percepção de Professores e Alunos . Revista Contemporânea de Contabilidade, 15(35), 32-47.
DOI:
http://dx.doi.org/10.5007/2175-8069.2018v15n35p32
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/51534/orientador-e-orientando-ideais--similaridades-e-dissimilaridades-na-percepcao-de-professores-e-alunos-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ARMSTRONG, S. J. The impact of supervisors' cognitive styles on the quality of research supervision in management education. British Journal of Educational Psychology, 74(4), 599-616. 2004. doi.org/10.1348/0007099042376436

CASTRO, C. D. M. A prática da pesquisa. 2.ed. McGraw-Hill:1978.

GOMES, M. E. M.; ALBUQUERQUE, L. S.; CARVALHO, J. R. M. D.; SANTIAGO, J. S.;LUCENA, W. G. L.; RÊGO, T. D. F. Atributos e práticas pedagógicas do professor de contabilidade que possui êxito em sala de aula: estudo da percepção discente em IES públicas. II Encontro De Ensino E Pesquisa Em Administração e Contabilidade–Anais...EnEPQ. Curitiba. 2009.

GRANT, B. Mapping the pleasures and risks of supervision. Discourse, 24(2), 175-190. 2003. doi.org/10.1080/01596300303042

HINDE, R. A. Relationship: a dialectical perspective. Hove. Psycology Press, 1997.

HOCKEY, J. A complex craft: United Kingdom PhD supervision in the sciences. Research in Post-Compulsory Education, 2(1), 45-70. 1997. doi.org/10.1080/13596749700200004

KAM, B. H. Style and quality in research supervision: the supervisor dependency factor. Higher Education, 34(1), 81-103. 1997.

LEITE FILHO, G. A.; MARTINS, G. D. A. Relação orientador-orientando e suas influências na elaboração de teses e dissertações. Revista de Administração de Empresas, 46(SPE), 99109.2006. doi.org/10.1590/S0034-75902006000500008

LOWMAN, Joseph. Dominando as técnicas de ensino / tradução Harue Ohara Avritscher; consultoria técnica Ilan Avrichir, Marcos Amatucci. – 1. Ed. – 3. Reimp. São Paulo: Atlas, 2007.

OLIVEIRA, A.S. Relação Orientador-Orientando e a Teoria das Relações Interpessoais de Robert Hinde. Dissertação (mestrado em educação), Universidade Católica de Brasília, p.130. 2006.

PEARSON, M. Professionalising Ph. D. education to enhance the quality of the student experience. Higher Education, 32(3), 303-320. 1996.

PINHEIRO SÁ, A.; TEIXEIRA-PINTO, C., VERÍSSIMO, R., VILAS-BOAS, A.; FIRMINOMACHADO, J. Em Busca do Orientador de Formação Ideal. Acta Medica Portuguesa, v. 28, n. 4, 2015. doi.org/10.1007/s12275-013-2393-5

RODRIGUES Jr, J. F.; FLEITH, D. S; ALVES, K. M. B. A dissertação de mestrado: um estudo sobre as interações entre o orientador e o orientando com base em incidentes críticos. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 74(177).2007.

ROESCH, S. M. A. Projetos de estágio do curso de administração. São Paulo: Atlas, 1996.

SEAGRAM, B. C.; GOULD, J.; PYKE, S. W. An investigation of gender and other variables on time to completion of doctoral degrees. Research in higher education, 39(3), 319335.1998.

TEIXEIRA, E. B.; FROEMMING, L. M.; DREWS, G. A.;ZAMBERLAND, L. Relação orientador-orientadores e seus reflexos na elaboração do trabalho de conclusão de curso (tcc): uma avaliação no curso de administração da Unijuí. 2011. http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/25970

VIANA, C. M. Q. Q.; VEIGA, I. P. A. O diálogo acadêmico entre orientadores e orientandos. Educação, 33(3).2010.