Os 'Olhares' da Comunicação nos Estágios da Institucionalização: Um Estudo de Caso em uma Agência de Inovação Outros Idiomas

ID:
51680
Periódico:
Resumo:
O presente estudo busca compreender quais relações entre comunicação e organização podem emergir nos estágios da institucionalização da Agência de Inovação Tecnológica (Aintec) da Universidade Estadual de Londrina. Quanto aos procedimentos metodológicos, esta pesquisa se caracteriza como qualitativa, exploratória, descritiva, apresentando como estudo de caso o processo de institucionalização da Aintec/Uel. Evidencia-se na pesquisa a relação da contenção, como a mais frequente do ponto de vista da visibilidade prática, não sendo possível captar as relações de produção e equivalência, em função do processo de estruturação da Agência ter ficado quase que exclusivamente na responsabilidade de um único gestor.
Citação ABNT:
CINTRA, R. F.; NEGREIROS, L. F.; MARCHIORI, M. R.; AMÂNCIO-VIEIRA, S. F. Os 'Olhares' da Comunicação nos Estágios da Institucionalização: Um Estudo de Caso em uma Agência de Inovação . Revista Pretexto, v. 19, n. 3, p. 11-26, 2018.
Citação APA:
Cintra, R. F., Negreiros, L. F., Marchiori, M. R., & Amâncio-vieira, S. F. (2018). Os 'Olhares' da Comunicação nos Estágios da Institucionalização: Um Estudo de Caso em uma Agência de Inovação . Revista Pretexto, 19(3), 11-26.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21714/pretexto.v19i3.1950
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/51680/os--olhares--da-comunicacao-nos-estagios-da-institucionalizacao--um-estudo-de-caso-em-uma-agencia-de-inovacao-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BURRELL, G.; MORGAN, G. Sociological Paradigms and Organizational Analysis. Hant: Ashgate, 2006.

CALDAS, M. P.; FACHIN, R. Paradigma Funcionalista: desenvolvimento de teorias nos anos de 1980 e 1990. In: CALDAS, M. P; BERTERO, C. O. (Orgs.). Teoria das Organizações. São Paulo: Atlas, 2007.

CALDAS, M. P. O Nexo Comunicação-Organização: um prelúdio às múltiplas avenidas de cooperação e de mútuo aprendizado entre comunicação organizacional e estudos organizacionais (prefácio ao livro). In: MARCHIORI, M. R. (Org.). Comunicação e Organização: reflexões, processos e práticas. São Caetano do Sul/SP: Difusão Editora, 2010.

CARRIERI, A. P.; LEITE-DA-SILVA, A. R. Cultura Organizacional versus Cultura nas Organizações: conceitos contraditórios entre o controle e a compreensão. In: MARCHIORI, M.R. (Org.). Faces da Cultura e da Comunicação Organizacional. São Paulo: Difusão, 2006.

CASALI, A. M. Paradigmas em Comunicação Organizacional. Congreso Latinoamericano de Investigadores de la Comunicación (ALAIC). GT Comunicação Organizacional y Relaciones Públicas. La Plata / Argentina, 2004.

CASALI, A. M. Um Modelo do Processo de Comunicação Organizacional na Perspectiva da “Escola de Montreal”. In: KUNSCH, M. M. K. (Org.). Comunicação Organizacional: histórico, fundamentos e processos. São Paulo: Saraiva, 2009, p. 107-134.

CHANLAT, J. F. O Indivíduo nas Organizações: dimensões esquecidas. v.1. São Paulo: Atlas, 1996.

GODOY, A. S. Pesquisa Qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 3, p. 20-9, mai./jun. 1995.

HALL, P. A.; TAYLOR, R. C. R. As Três Versões do Neo-institucionalismo. Lua Nova, n. 58, p. 193-223, 2003.

KUNSCH, M. M. K. Percursos paradigmáticos e avanços epistemológicos nos estudos da comunicação organizacional. In: KUNSCH, M. M. K. (Org.). Comunicação Organizacional: histórico, fundamentos e processos. São Paulo: Saraiva, 2009, p. 63-89.

LAMMERS, J. C.; BARBOUR, J. B. An Institutional Theory of Organizational Communication. Communication Theory, v. 16, n. 3, p. 356–377, 2006.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; GONÇALVES, S. A. Nota Técnica: a teoria institucional. In: CLEGG, S. et al. (Org.). Handbook de Estudos Organizacionais. v.1. São Paulo: Atlas, 1998.

MARCHIORI, M. R. Cultura e Comunicação Organizacional: uma perspectiva abrangente e inovadora na proposta de inter-relacionamento organizacional. In: MARCHIORI, M. R. (Org.). Faces da Cultura e da Comunicação Organizacional. 2. ed. v. 1. São Caetano do Sul: Difusão, 2008.

MARCHIORI, M. R. Introdução. In: MARCHIORI, M. R. (Org.). Comunicação e Organização: reflexões, processos e práticas. São Caetano do Sul/SP: Difusão Editora, 2010.

MARCHIORI, M. R.; OLIVEIRA, I. L. Perspectives, challenges and future directions for organizational communication research in Brazil. Management Communication Quarterly, v. 22, n. 4, p. 671-676, may 2009.

MARCHIORI, M. R. ¿Por qué hoy en día precisamos cultura organizacional? Una perspectiva de comunicación única en el área posmoderna. Diálogos de la Comunicación, n. 78, Enero-Julio 2009

MARCHIORI, M. R. ¿Por qué hoy en día precisamos cultura organizacional? Una perspectiva de comunicación única en el área posmoderna. Diálogos de la Comunicación, n. 78, Enero-Julio 2009.

MATTOS, M. A. Interfaces do Saber Comunicacional e da Comunicação Organizacional com Outras Áreas de Conhecimento. In: OLIVEIRA, I. L.; SOARES, A. T. N. (Eds.), Interfaces e Tendências da Comunicação no Contexto das Organizações, p. 17-37. São Caetano do Sul, SP: Difusão, 2008.

MEYER, J.W.; ROWAN, B. Institutionalized Organizations: Formal Structure as Myth and Ceremony. The American Journal of Sociology, v. 83, n. 2, p. 340-363, sep. 1977.

PUTNAM, L.; PHILLIPS, N.; CHAPMAN, P. Metáforas da Comunicação e da Organização. In: CLEGG, S. et al. (Org.). Handbook de Estudos Organizacionais. v.3. São Paulo: Atlas, 2004.

QUINELLO, R. A Teoria Institucional Aplicada à Administração: entenda como o mundo invisível impacta na gestão dos negócios. São Paulo: Novatec Editora, 2007.

REIS, M. C.; COSTA, D. A Zona de Interseção entre o Campo da Comunicação e o dos Estudos Organizacionais. In: XV Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação (COMPÓS), Bauru/SP, 2006.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1989.

RITCHIE, J.; LEWIS, J. Qualitative Research Practice: a guide for social science students and researchers. Sage Publications, London, 2003.

ROSSONI, L. A Dinâmica de Relações no Campo da Pesquisa em Organizações e Estratégia no Brasil: uma análise institucional. 2006. 296 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba/PR, 2006.

ROSSONI, L. O Que é Legitimidade Organizacional. In: VII Encontro de Estudos Organizacionais (EnEO), Curitiba/PR, 2012.

SMITH, R. C. Images of organizational communication: Root-metaphors of the organization-communication relation. Paper presented at the annual meeting of the International Communication Association, Washington, DC. 1993.

TAYLOR. J. R.; DELCAMBRE, P. La Communication Organisationnelle: histoire, enjeux et fondements. In: GROSJEAN,

TAYLOR, J.; VAN EVERY, E. The emergent organization. New Jersey: Erlbaum, 2000.

TOLBERT, P. S.; ZUCKER, L. G. A Institucionalização da Teoria Institucional. In: CLEGG, S. et al. (Org.). Handbook de Estudos Organizacionais. v.1. São Paulo: Atlas, 1998.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à Pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação: o positivismo, a fenomenologia, o marxismo. São Paulo: Atlas, 2007.

VERGARA, S. C. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. 3.ed. São Paulo: Atlas, 2000.

VIEIRA, M. M. F.; CARVALHO, C. A. Organizações, Instituições e Poder no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2003.

VIEIRA, S. F. A. Dinâmica de Atuação dos Stakeholders em Atividades Estratégicas: a experiência da Secretaria de Estado do Turismo do Paraná. 2010. 188 f. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade Nove de Julho – UNINOVE, São Paulo, 2010.

YIN, R. K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. 2.ed. Porto Alegre: Editora Bookman, 2001.

ZEQUINI, R. T. O Processo de Estruturação de Núcleos de Inovação Tecnológica: o caso da Aintec. 2010. 198 f. Monografia. (Graduação em Administração) – Universidade Estadual de Londrina – UEL, Londrina, 2010.