A Relação entre Atores e seus Impactos: O Caso do Turismo em Comunidades Indígenas Brasileiras Outros Idiomas

ID:
51802
Resumo:
A diferença cultural é chamariz para a atividade turística e as fronteiras simbólicas permeiam as relações entre os visitantes e visitados. Conforme essas relações são tecidas, impactos sociais e culturais podem ocorrer mais facilmente e expressivamente. Não obstante, ainda que seja inegável a responsabilidade da atividade turística no aceleramento das alterações socioculturais, faz-se necessário verificar quais outros agentes também interferem. É nesse sentido que se buscou discorrer acerca da relação entre os visitantes e visitados, bem como averiguar como os pesquisadores brasileiros perceberam essa relação nas comunidades indígenas. Para isso, realizou-se uma pesquisa em teses e dissertações brasileiras envolvendo turismo em comunidades indígenas, publicadas entre 1999 e 2012. Constatou-se que, embora não seja um fato homogêneo, os turistas interagiam de forma superficial ou não interagiam, além de se caracterizarem potenciais causadores de impactos socioculturais. No entanto, outros atores (Estado, iniciativa privada e comunidade local não indígena) também mantinham relações com as comunidades indígenas, algumas vezes, de formas harmoniosas e, em outras, conflituosas.
Citação ABNT:
CORBARIA, S. D.; BAHL, M.; SOUZA, S. R. A Relação entre Atores e seus Impactos: O Caso do Turismo em Comunidades Indígenas Brasileiras. Caderno Virtual de Turismo, v. 18, n. 2, p. 5-22, 2018.
Citação APA:
Corbaria, S. D., Bahl, M., & Souza, S. R. (2018). A Relação entre Atores e seus Impactos: O Caso do Turismo em Comunidades Indígenas Brasileiras. Caderno Virtual de Turismo, 18(2), 5-22.
DOI:
http://dx.doi.org/10.18472/cvt.18n2.2018.1235
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/51802/a-relacao-entre-atores-e-seus-impactos--o-caso-do-turismo-em-comunidades-indigenas-brasileiras/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ARCHER, B.; COOPER, C.; RUHANEN, L. The positive and negative impacts of tourism. In: THEOBALD, W. F. (Ed.). Global Tourism. 3 ed. Burlington (EUA): Elsevier Science. 2005. p. 79-102.

BAGGIO, A. J. Ecoturismo: alternativa sustentável de valorização do patrimônio natural e cultural da Terra Indígena Mangueirinha, PR. 178 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas) - Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, 2007. . Acesso em: 04 jul. 2007.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução: Luís Aniero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 1977.

BARRETTO, M. Relações entre visitantes e visitados: nem anfitriões nem convidados. In: REUNIÃO BRASILEIRA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA, 25. Anais... 2006, Goiânia.

BARRETTO, M. Turismo y cultura: relaciones, contradicciones y expectativas. Tenerife, Espanha: ACA/PASOS/ RTPC, 2007. .

BARTH, F. Grupos étnicos e suas fronteiras. In: POUTIGNAT, P.; STREIFF-FENART, J. Teorias da etnicidade: seguido de grupos étnicos e suas fronteiras de Fredrik Barth. 2. ed. São Paulo: UNESP. 2011. p. 187-227.

BIANCHI, R. V. The “critical turn” in tourism studies: a radical critique. Tourism Geographies, n. 11, v. 4, p. 484-504, 2009. .

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

COHEN, A. P. The symbolic construction of community. Londres: Routledge, 1985.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Banco de Teses e Dissertações. . Acesso em: 24 jul. 2015.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Banco de Teses e Dissertações. . Acesso em: 29 maio 2014.

CUCHE, D. A noção de cultura nas ciências sociais. Bauru: EDUSC, 1999.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zaha, 1989.

GOFFMAN, E. A representação do Eu na vida cotidiana. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1985.

GRABURN, N. Turismo: el viaje sagrado. In: SMITH, V. L. Anfitriones e invitados: antropologia del turismo. Madrid: University of Pennsylvania Press/Ediciones Endymion. 1989. p. 45-68.

GRÜNEWALD, R. A. Os “Índios do Descobrimento”: tradição e turismo. 350 p. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Universidade Federal do Rio de Janeiro/Museu Nacional, Rio de Janeiro, 1999. .

HARKIN, M. Modernist anthropology and tourism of the authentic. Annals of Tourism Research, v. 22, n. 3, p. 650-670, 1995. .

HOEBEL, E. A.; FROST, E. L. Antropologia cultural e social. 5. ed. São Paulo: Cultrix, 2008.

JESUS, D. J. de. A (re)tradicionalização dos territórios indígenas pelo turismo: um estudo comparativo entre os Kadiwéu (Mato Grosso do Sul - BR) e Maori (Ilha Norte - NZ). 265 p. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2012. . Acesso em: 04 jul. 2012.

KRIPPENDORF, J. Sociologia do turismo: para uma nova compreensão do lazer e das viagens. 2. ed. São Paulo: ALEPH, 2001.

LACERDA, M. A. Perspectivas de desenvolvimento local entre os Terena, na Aldeia Urbana Marçal de Souza, em Campo Grande - MS: a opção pelo etnoturismo. Dissertação de Mestrado - Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2004. . Acesso em: 30 jun. 2004.

LAC, F. O turismo e os Kaingang na Terra Indígena de Iraí/RS. 163 p. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2005. .

LEANDRO, E. L. Ecoturismo indígena e gestão territorial, contribuições participativas da terra indígena Paiterey Karah (Sete de Setembro). 134 p. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal de Rondônia, Porto Velho. 2011.

LUSTOSA, I. M. C. Os povos indígenas, o turismo e o território: um olhar sobre os Tremembé e os Jenipapo-Kanindé do Ceará. 281 p. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2012. .

MARTÍNEZ MAURI, M. Molas, turismo y etnicidad entre los gunas de Panamá. Nuevos modos de relación com los emblemas identitarios. In: ASENSIO, R. H.; PÉREZ GALÁN, B. (Ed.). El turismo es cosa de pobre? Patrimonio cultural, pueblos indígenas y nuevas formas de turismo en América Latina. Coleccion PASOS. Ed. 4. Tenerife, p. 15-33, 2012. .

NASH, D. El turismo considerado como una forma de imperialismo. In: SMITH, V. L. Anfitriones e invitados: antropologia del turismo. Madrid: University of Pennsylvania Press/Ediciones Endymion, 1989. p. 69-91.

NEPAL, S.; SAARINEN, J.; MCLEAN-PURDON, E. Introduction: political ecology and tourism - concepts and constructs. In: NEPAL, S.; SAARINEN, J. Political ecology and tourism. New York: Routledge, 2016. p. 1-15.

NEVES, S. C. A apropriação indígena do turismo: os Pataxó de Coroa Vermelha e a expressão da tradição. 213 p. Tese (Doutorado em Antropologia) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2012.

NUNES, R. G. A. O turismo como prática social em território indígena: uma análise comparativa entre a Reserva Indígena de Dourados-MS e a aldeia Puiwa Poho em Feliz Natal-MT. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Aquidauana, 2006. .

RAMOS, K. V. A construção do espaço turístico: trocas simbólicas entre turistas e comunidade Tupinambá em Olivença (Ilhéus - BA). 143 p. Dissertação (Mestrado em Turismo e Cultura) - Universidade Estadual de Santa Cruz/Universidade Federal da Bahia, Ilhéus, 2008. .

SANTANA TALAVERA, A. Turismo cultural, culturas turísticas. Horizontes Antropológicos, v. 9, n. 20, p. 31-57, out. 2003. .

SANTOS, L. C. Sahu-Apé e o turismo em Terras e comunidades indígenas. 255 p. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2010. . Acesso em: 04 jul. 2010.

VAN DEN BERGHE, P. L.; KEYES, C. F. Introduction: tourism and re-created ethnicity. Annals of Tourism Research, v. 11, p. 43-352, 1984. .