Capacidades Estatais e Programas de Promoção dos Biocombustíveis no Brasil Outros Idiomas

ID:
51860
Periódico:
Resumo:
O artigo compara políticas de incentivos aos bicombustíveis no Brasil, o Programa Nacional do Álcool (Proálcool) e o Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB), e pontua a participação da Petrobras nessas políticas. Para tanto, está apoiado nas discussões conceituais e teóricas relacionadas às Capacidade Estatais, tomando como elementos de análise o contexto institucional, os mecanismos formatados e os resultados alcançados por esses programas. Os resultados indicam cenários internacional e nacional, assim como ambientes institucionais distintos na implementação dos programas com reflexos na arquitetura dos mecanismos, na execução e na participação da estrutura do Estado. Os pontos de aproximação entre os programas reúnem os incentivos fiscais e financeiros e a inserção de conteúdo social nos objetivos, além do avanço da produção vinculado a agroindústrias anteriormente estabelecidas.
Citação ABNT:
SAMPAIO, R. M.; BONACELLI, M. B. M. Capacidades Estatais e Programas de Promoção dos Biocombustíveis no Brasil . Gestão & Conexões, v. 7, n. 1, p. 137-160, 2018.
Citação APA:
Sampaio, R. M., & Bonacelli, M. B. M. (2018). Capacidades Estatais e Programas de Promoção dos Biocombustíveis no Brasil . Gestão & Conexões, 7(1), 137-160.
DOI:
10.13071/regec.2317-5087.2018.7.1.17141.137-160
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/51860/capacidades-estatais-e-programas-de-promocao-dos-biocombustiveis-no-brasil-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABRAMOVAY, R.; MAGALHÃES, R. O acesso dos agricultores familiares aos mercados de biodiesel: parcerias entre grandes empresas e movimentos sociais. Texto para Discussão N. 6, Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, junho, 36 p, 2007.

AGÊNCIA PETROBRAS, Exposição Petrobras em 60 momentos. Disponível em: http://exposicao60anos.agenciapetrobras.com.br/decada-1950-momento-5.php. Acesso em 20 março de 2016.

ANP, Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Anuário Estatístico Brasileiro do Petróleo e do Gás Natural 2005. Disponível em . Acesso em 10/03/2017.

ANP, Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Anuário Estatístico Brasileiro do Petróleo e do Gás Natural 2010. Disponível em . Acesso em 10/03/2017.

ANP, Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Anuário Estatístico Brasileiro do Petróleo e do Gás Natural 2016. Disponível em . Acesso em 10/08/2017.

ANP. Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Anuário Estatístico Brasileiro do Petróleo e do Gás Natural 2001. Disponível em . Acesso em 03/03/2017.

ARBIX, G.; MARTIN, S. B. Beyond Developmentalism and Market Fundamentalism in Brazil: Inclusionary State Activism without Statism. In: Workshop, States, Development, and Global Governance. Global Legal Studies Center and the Center for World Affairs and the Global Economy (WAGE) University of Wisconsin-Madisonk, March 12-13, 2010, 35p. Disponível em: http://www.law.wisc.edu/gls/documents/paper_arbix.pdf . Acesso em: 28/03/2016.

BOSCHI, R.; GAITÁN, F. Intervencionismo Estatal e Políticas de Desenvolvimento na América Latina. Caderno CRH, Salvador, v. 21, n. 53, 2008, p. 305-322. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccrh/v21n53/a08v21n53.pdf. Acesso em 28/03/2016.

BUAINAIN, A. M.; BATALHA, M. O. Cadeia Produtiva da Agroenergia. Série Agronegócios, volume 3. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), Brasil, janeiro de 2007, 110 p.

CAMPOS, A. A.; CARMÉLIO, E. C. Construir a diversidade da matriz energética: o biodiesel no Brasil. In: ABRAMOVAY, R (org.). Biocombustíveis: a energia da controvérsia, p 59 – 97, 2009.

CEPÊDA, V. A. Inclusão, Democracia e Novo-desenvolvimentismo: um balanço histórico. Estudos Avançados, 26 (75), 2012, p. 77 – 90. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S010340142012000200006. Acesso em 28/03/2016.

CINGOLANI, L. The State of State Capacity: a review of concepts, evidence and measures, Maastricht Economic and social Research institute on Innovation and Technology (UNU-MERIT), AFD-MGSoG/UNU-Merit Working Paper Series, oct., 2013, 58 p.

COMMONER, B. The Closing Circle: Nature, Man, and Technology. New York : Knopf, 1971.

EPE, Empresa de Pesquisa Energética, Ministério de Minas e Energia. Plano Nacional de Energia 2050, Brasília, 2014, 244 p.

EVANS, P. B. Análise do Estado no Mundo Neoliberal: uma abordagem institucional comparada. Revista de Economia Contemporânea, n. 4, jul-dez, 1998, p. 51-85

EVANS, P. Government Action, Social Capital, and Development: reviewing the evidence of synergy. In: EVANS, P. (Ed.) State-Society Synergy: government and social capital in development. Research Series, n. 94, University of California at Berkeley, 1997, p. 178-209.

EVANS, P. O Estado como problema e solução. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, São Paulo, SP, n. 28 e 29, Abr., 1993, p. 1-23.

FIANI, R. Arranjos Institucionais e Desenvolvimento: o papel da coordenação em estruturas híbridas. In: GOMIDE, A. A.; PIRES, R.R.C. (Eds.) Capacidades Estatais e Democracia: arranjos institucionais de políticas públicas, Brasília, IPEA, 2014, p. 57-81. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=22066Acesso em 31/03/2016

FONSECA, P. C. D. Desenvolvimentismo: a construção do conceito. Texto para Discussão, 2103. IPEA, Brasília, julho, 2015, 60 p. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_2103.pdf. Acesso em 29/03/2016.

FORAY, D., et al. Public R&D and Social Challenges: What Lessons form Mission R&D Programs? Research Policy 41, n. 10, pp. 1697-702, dez., 2012.

FREITAS, A.G. Capacitação tecnológica em sistemas de produção para águas profundas: o caso da Petrobras. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Campinas, Departamento de Política Científica e Tecnológica, Campinas, SP, 1993, 178 p.

FURTADO, A.T. et al. The Brazilian sugarcane innovation system. Energy Policy, 39, 2011, p 156-166.

GARCIA, J. R.; ROMEIRO, A. R. Desafios para a Produção de Biodiesel por Produtores no Semiárido Brasileiro. Informações Econômicas, SP, v.40, n.1, jan. 2010, p. 5-17

GAUTO, M. A. Petróleo S.A. Exploração, produção, refino e derivados. Editora Moderna, Rio de Janeiro,2011, 129 p.

GOMIDE, A. A. Capacidades Estatais para Políticas Públicas em Países Emergentes: (des)vantagens comparativas do Brasil. In: GOMIDE, A. A.; BOSCHI, R. R. Capacidades Estatais em Países Emergentes: o Brasil em perspectiva comparada. Rio de Janeiro, RJ, 2016, p. 15-47.

GOMIDE, A. A.; PIRES, R.R.C. Capacidades Estatais e Democracia: a abordagem dos arranjos institucionais para análise de políticas públicas. In: GOMIDE, A. A.; PIRES, R.R.C. (Eds.) Capacidades Estatais e Democracia: arranjos institucionais de políticas públicas, Brasília, IPEA, 2014, p. 15-28. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=22066Acesso em 31/03/2016

IEA, International Energy Agency, World Energy Outlook Special Report, Energy Climate and Change, OECD, France, 2015a, 196 p.

IEA, International Energy Agency, World Energy Outlook, OECD, France, 2010, 731 p.

ITURRA, A. R. Histórico das Microdestilarias de Álcool no Brasil. Relatório apresentado ao Grupo de Trabalho Interministerial do Biodiesel. Brasília, 2004, 40 p. Disponível em: ftp://ftp.mct.gov.br/Biblioteca/31554-Historico_Microdestilarias_Alcool_Brasil.pdf. Acesso em: 10/11/2016.

MAPA, Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Anuário Estatístico da Bioenergia 2012. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/arq_editor/file/Desenvolvimento_Sustentavel/Agroenergia/anuario_ agroenergia_web_2012.pdf. Acesso em: 10/01/2017.

MARTINS, R. et al. O biodiesel de sebo bovino no Brasil. Revista Informações Econômicas, SP, v. 41, n. 5, maio 2011, p. 56-70.

MAZZUCATO, M. O Estado Empreendedor: desmascarando o mito do setor público vs. setor privado. São Paulo, Portfolio-Penguin, 2014, 314p.

MDA, Ministério do Desenvolvimento Agrário, Secretaria da Agricultura Familiar, Resumo Sintético dos Seminários Regionais de Avaliação do Selo Combustível Social nos 10 anos do PNPB, 2015, 6p. Disponível em: http://www.mda.gov.br/sitemda/sites/sitemda/files/user_img_21/Carta%20s%C3%ADntese%20dos %20Semin%C3%A1rios%20Regionais%20-%20SCS.pdf. Acesso em: 20/04/2016.

MEADOWS, D. H.; MEADOWS, D. L.; RANDERS, J.; BEHRENS, W. W., The limits to growth. A report for the Club of Rome's project on the predicament of mankind. 1972, 205p.

MME, Ministério de Minas e Energia. Programa Nacional de produção e Uso de Biodiesel (PNPB). Disponível em: http://www.mme.gov.br/programas/biodiesel/menu/programa/historico.html. Acesso em: 16/09/2016.

PEDROTI, P M. Os Desafios do Desenvolvimento e da Inclusão Social: o caso do arranjo políticoinstitucional do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Texto para Discussão, 1858, Rio de Janeiro, 2013. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_1858.pdf. Acesso em: 10/11/2016.

PEZZO, C. R. O Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel: análise da implantação e possíveis resultados. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Engenharia Mecânica, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), 2009, 117 p.

SACHS, I. Da civilização do petróleo a uma civilização verde. Estudos Avançados, vol. 19, n. 55, São Paulo, set/dez, 2005, p 197 – 214.

SAMPAIO, R. M.; BONACELLI, M. B. M. Energia, Tecnologia e Instituições: a produção de biodiesel no Brasil. In: Congresso Latino-Iberoamericano de Gestão da Tecnologia ... Anais XVI ALTEC, Porto Alegre, RS, 19 a 22 de outubro de 2015.

SCHNEIDER, B. R. O Estado Desenvolvimentista no Brasil: perspectivas históricas e comparadas. In: GOMIDE, A. A.; PIRES, R.R.C. (Eds.) Capacidades Estatais e Democracia: arranjos institucionais de políticas públicas, Brasília, IPEA, 2014, p. 31-56.

SCHUMACHER, E.F. Small is Beautiful: a study of economics as if people mattered. Blond & Briggs, 288 p.

SHIKIDA, P. F. A. A evolução diferenciada da agroindústria canavieira no Brasil de 1975 a 1995, Piracicaba SP, Tese, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, ESALQ/USP, 1997, 191p.

SHIKIDA, P.F.A.; PEROSA, B. B. Álcool combustível no Brasil e path dependence. Revista de Economia e Sociologia Rural, Piracicaba – SP, vol. 50, n. 2, 2012, p. 243-262.

SOUZA, C. Capacidade Burocrática no Brasil e na Argentina: quando a política faz a diferença. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Texto para Discussão 2035. Rio de Janeiro, 2015, 68 p.

SZMRECSANTYI, T.; MOREIRA, E.P. O desenvolvimento da Agroindústria Canavieira do Brasil desde a Segunda Guerra Mundial. Estudos Avançados, 11 (5), 1991, p 57-79.

VAZZOLÉR, L. F. R. Trajetórias Tecnológicas e Política Setorial: desafios para o desenvolvimento do veículo Flex Fuel no Brasil. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Geociências, Campinas, SP, 2014, 147 p.