Perspectivas de Cultura Organizacional e Artefatos Físicos: Um Estudo em Escola de Equitação por Meio da Foto-Elicitação Outros Idiomas

ID:
51902
Resumo:
No Brasil, são poucos os estudos desenvolvidos sobre cultura organizacional em organizações fora do “mainstream”. Este estudo busca compreender a cultura organizacional da escola de equitação de um clube hípico paulista, pela apreensão da instrumentalidade, estética e simbologia que pais, alunos e funcionários atribuem a artefatos. Essas dimensões foram relacionadas às perspectivas de integração, diferenciação e fragmentação de cultura organizacional. Entrevistas com fotografias, observações informais e análise de documentos permitiram compreender uma cultura de contrastes, onde dicotomias combinam-se e se harmonizam, tais como tempo vs. espaço, medo vs. segurança e família estendida vs. discurso igualitário. Espera-se que este trabalho possa contribuir para estudos voltados a organizações esportivas e instituições de cunho social, assim como a pesquisas baseadas em múltiplas perspectivas culturais.
Citação ABNT:
MIYAZAKI, A. H. V.; HANASHIRO, D. M. M.; IPIRANGA, A. S. R. Perspectivas de Cultura Organizacional e Artefatos Físicos: Um Estudo em Escola de Equitação por Meio da Foto-Elicitação. REAd. Revista Eletrônica de Administração, v. 24, n. 3, p. 46-76, 2018.
Citação APA:
Miyazaki, A. H. V., Hanashiro, D. M. M., & Ipiranga, A. S. R. (2018). Perspectivas de Cultura Organizacional e Artefatos Físicos: Um Estudo em Escola de Equitação por Meio da Foto-Elicitação. REAd. Revista Eletrônica de Administração, 24(3), 46-76.
DOI:
http://dx.doi.org/10.1590/1413-2311.212.84302
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/51902/perspectivas-de-cultura-organizacional-e-artefatos-fisicos--um-estudo-em-escola-de-equitacao-por-meio-da-foto-elicitacao/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALCADIPANI, R.; CUBRELLATE, J. M. Cultura Organizacional: generalizações improváveis e conceituações imprecisas. RAE, v. 43, n. 2, p. 64-77, 2003.

ALLPORT, G. The nature of prejudice. Cambridge: Addison-Wesley, 1954.

ALVESSON, M. The business concept as a symbol. International Studies of Management & Organization, v. 28, n. 3, p. 86-108, 1998.

ALVESSON, M. Understanding Organizational Culture. Thousand Oaks: Sage, 2002.

AMBACK, A. Clube Hípico de Santo Amaro: 80 anos. São Paulo: DBA, 2015.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE EQUOTERAPIA. Equoterapia, 2017. http://equoterapia.org.br/articles/index/article_detail/142/2022. Acesso em: 23 jan 2017.

BAUMAN, Z. Vida líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

BELL, E.; DAVISON, J. Visual Management Studies: Empirical and Theoretical Approaches. International Journal of Management Reviews, v. 15, n. 2, p. 167-184, 2013.

CAUFIELD, J. Visual sociology and sociological vision, revisited. American Sociologist, v. 11, n. 3, p. 56-68, 1996.

CAVEDON, N. R. A cultura organizacional do restaurante Chalé da praça XV em Porto Alegre: espaços e tempos sendo revelados. Revista de Administração Mackenzie, v. 11, n. 1, p. 1-37, 2010.

CLUBE HÍPICO DE SANTO AMARO. Escola de Equitação. 2017. http://www.chsa.com.br/home/escola-de-equitacao/. Acesso em: 23 jan. 2017.

CLUBE HÍPICO DE SANTO AMARO. Estatuto social. São Paulo, 2009.

COLYER, S. Organizational Culture in Selected Western Australian Sport Organizations. Journal of Sport Management, v. 14, p. 321-341, 2000.

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE HIPISMO. CBH. 2015. http://www.cbh.org.br/. Acesso em: 08 dez. 2015

DEAL, T. E.; KENNEDY, A. A. Corporate Cultures: The Rites and Rituals of Corporate Life. New York: Perseus Books Publishing, 1982.

DEAN, J.; RAMIREZ, R.; OTTENSMEYER, E. An aesthetic perspective on organization. In: COOPER, C. L.; JACKSON, S. E. (Ed.) Creating tomorrow´s organizations: a handbook in organizational behavior. Chichester, GB: Wiley, 1997, p. 419-437.

DUNKER, C. I. L. Mal-estar, sofrimento e sintoma: releitura da diagnóstica lacaniana a partir do perspectivismo animista. Tempo Social, v. 23, n. 1, p. 115-136, 2011.

FHP.Federação Paulista de Hipismo. nd. 2017. http://www.fph.com.br/ranking/Default.aspx. Acesso em: 17 mar. 2017.

FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

FLORES-PEREIRA, M. T.; CAVEDON, N. R. Os bastidores de um estudo etnográfico: trilhando os caminhos teórico-empíricos para desvendar as culturas organizacionais de uma livraria de shopping center. Cadernos EBAPE.BR, v. 7, n. 1, p. 152-168, 2009.

GAGLIARDI, P. (Ed.). Symbols and Artifacts: Views of the corporate landscape. New York: Walter de Gruyter, 1990.

GAGLIARDI, P. Explorando o lado estético da vida organizacional. In: CLEGG, S. R.; HARDY, C.; NORD, W. (Orgs.) Handbook de estudos organizacionais: reflexões e novas direções. (vol. 2). São Paulo: Editora Atlas. 2001. p. 127-149.

HARPER, D. Visual sociology: expanding sociological vision. American Sociologist, v. 19, n. 1, p. 54-70, 1988.

HATCH, M. J. The Dynamics of Organizational Culture. Academy of Management Review, v. 18, n. 4, p. 657-693, 1993.

IPSOS MORI. Global Trends Survey. London, 2014

KING, N. Using templates in the thematic analyses of text. In: CASSELL, C.; SYMON, G. (Ed.). Essential guide to qualitative methods in organizational research. London: Sage. 2004. p. 256-270.

MACHADO, F. C. K.; MARANHÃO, C. M. S. A.; PEREIRA, J. J. O Conceito de Cultura Organizacional em Edgar Schein: uma reflexão à luz dos estudos críticos em administração. REUNA, v. 21, n. 1, p. 75-96, 2016.

MARTIN, J. Organizational Culture: mapping the terrain. Thousand Oaks: Sage, 2002.

MENDES, L.; CAVEDON, N. R. As culturas organizacionais territorializadas. Revista de Ciências da Administração, v. 15, n. 35, p. 108, 2013

MENDONÇA, J. R. C.; BARBOSA, M.L.A.; DURÃO, A.F. Fotografias Como um Recurso de Pesquisa em Marketing: o uso de métodos visuais no estudo de organizações de serviços. RAC, v. 11, n. 3, p. 57-81, 2007.

MENDONÇA, J. R. C.; VIANA, M. F. T.; Entrevista com Foto-Elicitação (EFE): o uso de métodos visuais para o estudo do ambiente físico nas organizações. I Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidade, Recife, set. 2007.

MERRIAM, S. Qualitative research in practice: examples for discussion and analysis. São Francisco: Jossey-Bass, 2002.

MILLS, C.; HOEBER, L. Exploring Organizational culture through artifacts in a community, figure skating club. Journal of Sporting Management, v. 213, n. 27, p. 492-496, 2013.

OLIVEIRA, L. Y. M. A arquitetura dos processos de aprendizagem à luz da teoria da estética organizacional: etnografia em uma revenda de móveis planejados. 2012. Dissertação (Mestrado Programa de Pós-Graduação em Administração) - Universidade Federal do Estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

OLIVEIRA, M. S. C.; DIDIER, J. M. O. L. Gerenciamento de Impressões em Pousada do Charme: como influenciar impressões em uma audiência por meio de evidências físicas. In: VI Seminário da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo, 2009, São Paulo. Turismo e Hospitalidade nas Pesquisas Científicas: perspectivas disciplinares, temáticas e metodológicas. Anais... São Paulo: Aleph, 2009.

PARENT, M.; MACINTOSH, E. Organizational culture evolution in temporary organizations: the case of the 2010 Olympic Winter Games. Canadian Journal of Administrative Sciences, v. 30, n. 4, p. 2234-237, 2013.

PARKER, M. Organizational Culture and Identity: Unity and Division at Work. London: Sage, 2000.

PONTES, V. S.; PEREIRA, E. G. B. Sob rédeas curtas, de cabelos longos: reflexões sobre mulheres no hipismo. Movimento, v. 20, n. 3, p. 1197-1222, 2014.

RAFAELI, A.; VILNAI-YAVETZ, I. Emotion as a connection of physical artefacts and organizations. Organization Science, v. 15, n. 6, p. 671-686, 2004.

SCHEIN, E. Cultura Organizacional e Liderança. São Paulo: Atlas, 2009.

SILVA, A. B.; GODOI, C. K.; BANDEIRA DE MELLO, R. Pesquisa Qualitativa em Estudos Organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva, 2006.

SILVA, A. R. L.; JUNQUILHO, G. S.; CARRIERI, A. P. Cultura em organizações e suas diversidades: perspectivas de análises à luz da metáfora dos "Três Porquinhos". Revista Alcance, v. 17, n. 3, p. 211-225, 2010.

SLACK, T. Understanding Sport Organizations: The application of organization theory. Champaign, IL: Human Kinetics, 1997.

SMIRCICH, L. Organizational Culture. Administrative Science Quaterly, v. 28, n. 3, p. 339-358, 1983.

STRATI, A. Aesthetic understanding of organizational life. Academy of Management Review, v. 17, n. 3, p. 568-581, 1992.

STRATI, A. Organização e Estética. Tradução Pedro Maia Soares. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007.

STRATI, A. Sensible knowledge and practice-based learning. Management Learning, v. 38, n. 1, p. 61-77, 2007.

TAYLOR, S. S. Overcoming aesthetic muteness: researching organizational members´ aesthetic experience. Human Relations, v. 55, n. 7, p. 821-840, 2002.

TRICE, H.; BEYER, J. Studying organizational cultures through rites and ceremonials. Academy of Management Review, v. 9, n. 4, p. 653-699, 1984.

WARREN, S. Show me how it feels to work here: Using photography to research organizational aesthetics. Ephemera, v. 2, n. 3, p. 224-245, 2002.

WASSERMAN, V.; FRENKEL, M. Organizational aesthetics: caught between identity regulation and culture jamming. Organizational Science, v. 22, n. 2, p. 503-521, 2011.