A Reorganização do Trabalho em Rio Grande-RS a partir da Implementação da Indústria Naval Outros Idiomas

ID:
51904
Resumo:
O estudo buscou entender as consequências da implementação da indústria naval na organização do trabalho na cidade de Rio Grande/RS. Para tal, propõe-se o conceito de organização do trabalho como o resultado de uma relação de forças antagônicas que, dinamizada por mecanismos de produção, organizam formas contraditórias de produzir a vida. O trabalho é entendido como fundante do ser e da práxis social, de modo que organizálo extrapola a mera distribuição das atividades nos locais onde ocorre a produção econômica. A partir de estudo exploratório, na cidade de Rio Grande, constatou-se que a implantação e posterior crise do polo naval provocaram alterações nas diversas dimensões da vida dos trabalhadores e da comunidade local. O investimento na indústria naval incitou a migração de trabalhadores que vislumbraram no polo naval de Rio Grande possibilidades de obter trabalho ou melhorar a renda. Agora, Rio Grande enfrenta o declínio da indústria naval que ameaça inclusive a manutenção dos estaleiros na cidade. Ao final, se considera que a forma de organização do trabalho reorganiza a vida social, tanto em nível individual quanto na comunidade como um todo e que há um predomínio do favorecimento do processo de acumulação do capital.
Citação ABNT:
FAÉ, R.; CAMARA, G. D.; ROSA, D. D. A Reorganização do Trabalho em Rio Grande-RS a partir da Implementação da Indústria Naval. REAd. Revista Eletrônica de Administração, v. 24, n. 3, p. 102-129, 2018.
Citação APA:
Faé, R., Camara, G. D., & Rosa, D. D. (2018). A Reorganização do Trabalho em Rio Grande-RS a partir da Implementação da Indústria Naval. REAd. Revista Eletrônica de Administração, 24(3), 102-129.
DOI:
http://dx.doi.org/10.1590/1413-2311.213.84252
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/51904/a-reorganizacao-do-trabalho-em-rio-grande-rs-a-partir-da-implementacao-da-industria-naval/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ANTUNES, Ricardo. Afinal, quem é a classe trabalhadora hoje? Revista da Rede de Estudos do Trabalho, v. II, n. 03, 2008.

ANTUNES, Ricardo; ALVES, Giovanni. As mutações no mundo do trabalho na era da mundialização do capital. Educ. Soc., v. 25, n. 87, p. 335-351, 2004.

ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do trabalho – ensaios sobre a afirmação e a negação do trabalho. 2ª ed. São Paulo: Boitempo, 2009.

ÁVILA, Karoline. Trabalhadores do Polo Naval protestam por melhores condições de moradia. Jornal Agora. Rio Grande, 27 fev. 2014. .

BRASIL.Ministério do Trabalho e do Emprego. Dados e Estatísticas. Brasília, 2017. .

BRASIL. PAC 2 – O círculo virtuoso do desenvolvimento, Março-Abril/2012. . Acesso em 01 jun. 2012.

BRASIL. Programa de Aceleração do Crescimento 2007-2010: material para imprensa. Brasília, 2007. .

BRASIL. Renda média domiciliar per capita, 2015. .

BRAVERMAN, H. Trabalho e Capital Monopolista: a degradação do trabalho no Século XX. 3 ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara, 1987.

BRESSER-PEREIRA, L. C. O novo desenvolvimentismo e a ortodoxia convencional. São Paulo em Perspectiva, v. 20, n. 3, p. 5-24, 2006.

CANO, W. Desequilíbrios regionais e concentração industrial no Brasil (1930-1970). São Paulo: Globo, 1985.

CARVALHO, Diogo Sá; CARVALHO, Andrea Bento; DOMIINGUES, Marcelo Vinicius de La Rocha. Polo Naval e Desenvolvimento Regional na Metade Sul do Rio Grande do Sul. In: ENCONTRO DE ECONOMIA GAÚCHA, 6., 2012, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: Pontíficia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2012. .

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO. Empresômetro MPE. Brasília, 2015. . Acesso em: 15 set. 2015.

COPSTEIN, R. O trabalho estrangeiro no município do Rio Grande. Boletim Gaúcho de Geografia, n. 4, 1975, p. 1-43.

COSTA, A. O Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Globo, 1922.

DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE. Informações de Saúde (TABNET). Brasília, 2017. . Acesso em: 10 ago. 2017.

DORNELAS CAMARA, Guilherme. Os Programas Sociais de Combate à Pobreza na Argentina e no Brasil: uma abordagem da Filosofia da Libertação. 2014. 223 f. Tese (Doutorado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Escola de Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2014. < http://hdl.handle.net/10183/96901>. Acesso em: 10 out. 2014.

FERRAZ, Deise L.; CUNHA, Elcemir P.; FARIA, José H. GT 2 - Acumulação de Capital: organização do trabalho, tecnologia e finanças. SBEO.Sociedade Brasileira de Estudos Organizacionais. 2ª Convocatória para o V Congresso Brasileiro de Estudos Organizacionais. Curitiba, 2018. . Acesso em 08 jul. 2018.

FUNDAÇÃO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA SIEGFRIED EMANUEL HEUSER. Dados Municipais. Porto Alegre, 2017. . Acesso em: 18 ago. 2017.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades. Rio de Janeiro, 2018. . Acesso em: 22 jan. 2018.

JORNAL AGORA. Incêndio atinge alojamento de trabalhadores no centro da cidade. Jornal Agora. Rio Grande, 25 mar. 2013.

JORNAL AGORA. Quip chega aos seis anos em Rio Grande com novo investimento privado. . Acesso em 16 jun.15.

LUKÁCS, György. História e consciência de classe: estudos sobre a dialética marxista. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

MARINI, Ruy Mauro. A acumulação capitalista mundial e o subimperialismo. Revista Outubro, n. 20, p. 27-70, 2012. .

MARINI, Ruy Mauro. Dialética da dependência: 1973. In: TRASPADINI, Roberta; STEDILE, João Pedro. (Orgs.). Rui Mauro Marini: vida e obra. São Paulo: Expressão Popular, 2005. p. 137-180.

MARTINS, Solismar Fraga; PIMENTA, Margareth de Castro Afeche. A constituição espacial de uma cidade portuária através dos ciclos produtivos industriais – O caso do município de Rio Grande (1874-1970). Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 6, n. 1, p. 85-100, 2004. .

MARX, Karl. Crítica ao Programa de Gotha. In: ANTUNES, Ricardo (org.). A dialética do trabalho. Volume I. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. Livro I. Volume I. 33ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. Livro I.Volume II. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

MARX, Karl. Trabalho Assalariado e Capital & Salário, Preço e Lucro. 1ª ed. São Paulo: Expressão Popular, 2006.

MERCADANTE, A. Brasil: a construção retomada. São Paulo: Terceiro Nome, 2010.

PESAVENTO, S. J. História do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1990.

PINTO, Geraldo Augusto. Reestruturação produtiva e organização do trabalho na indústria de autopeças no Brasil. 2003. 353f. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Departamento de Sociologia, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003. . Acesso em: 05 jan. 2003

PINTO, Rafhael Colvara. A Cidade como Espaço de Acolhida: o Pensar Teológico no contexto do Polo Naval na cidade do Rio Grande/RS. 2014. 94 f. Dissertação (Mestrado em Teologia) – Programa de Pós-Graduação em Teologia, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014. . Acesso em: 20 out. 2014.

POLL, Anete. Condições de alojamentos desagradam trabalhadores. Jornal Agora. Rio Grande, 30 jun. 2013. 2013. .

POLL, Anete. Incêndio atinge mais um alojamento de trabalhadores. Jornal Agora. Rio Grande. 14 jun. 2013. 2013.

PORTAL DO EMPREENDEDOR. Relatórios Estatísticos do MEI. Brasília, 2017. . Acesso em 15 jan. 2017.

RANDS, M. A era Lula – desenvolvimento, democracia e cultura política no Brasil. Recife: Bagaço, 2010.

RIO GRANDE DO SUL. Porto do Rio Grande bate recorde no 1º semestre de 2014. . Acesso em 16 jun.15.

RIO GRANDE DO SUL. Porto do Rio Grande. . Acesso em: 27 fev.2018.

ROUSSEFF, D. Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante Compromisso Constitucional perante o Congresso Nacional. . Acesso em 01 ago.2011.

SALVATORI, E. et al. Crescimento horizontal da cidade do Rio Grande. Revista do IBGE, 1989.

SILVA, R. P. et al. O impacto do Polo Naval no setor imobiliário da Cidade do Rio Grande/RS. In: 6º encontro de economia gaúcha. 2012, Porto Alegre. PUC/RS, 2012. . Acesso em: 07 jul. 2012.

SINAVAL. Informações do setor. Sindicato Nacional da Indústria Construção e Reparação Naval Offshore, 2009. . Acesso em 20 jun. 2009.

SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE. Empregos. Rio de Janeiro, 2015. . Acesso em: 20 ago. 2015.

VASAPOLLO, Luciano. O trabalho atípico e a precariedade – elemento estratégico determinante do capital no paradigma pós-fordista. In.: ANTUNES, Ricardo (org.). Riqueza e Miséria do Trabalho no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2006.