Remuneração dos Executivos e Indicadores de Desempenho em Empresas Participantes do Ibovespa Outros Idiomas

ID:
51992
Resumo:
Fundamentado na Teoria da Agência, neste estudo teve-se por objetivo principal analisar a relação entre a remuneração dos gestores de 48 empresas participantes do Ibovespa e seus indicadores de desempenho, utilizando-se dos testes de correlação, análise de correspondência múltipla e regressão. Os resultados evidenciaram a inexistência de correlação significante entre a remuneração dos diretores-executivos e os indicadores Lucro por Ação e Retorno sobre o Patrimônio Líquido. Embora os níveis de significância encontrados para a correlação entre remuneração dos diretoresexecutivos e desempenho apontem para a existência de correlação somente para os indicadores Q de Tobin e a variação do Valor de Mercado, destaca-se a necessidade de continuidade dos estudos sobre o tema, uma vez que, em razão da separação da propriedade e controle e dos consequentes conflitos de agência entre proprietários e gestores, as empresas precisam adotar mecanismos para que o alinhamento entre esses agentes possibilite a criação de oportunidades que possam potencializar seus resultados.
Citação ABNT:
SILVA, R. B.; SILVA, D. S. C.; LUCA, M. M. M.; VASCONCELOS, A. C. Remuneração dos Executivos e Indicadores de Desempenho em Empresas Participantes do Ibovespa. RACE: Revista de Administração, Contabilidade e Economia, v. 17, n. 3, p. 867-888, 2018.
Citação APA:
Silva, R. B., Silva, D. S. C., Luca, M. M. M., & Vasconcelos, A. C. (2018). Remuneração dos Executivos e Indicadores de Desempenho em Empresas Participantes do Ibovespa. RACE: Revista de Administração, Contabilidade e Economia, 17(3), 867-888.
DOI:
http://dx.doi.org/10.18593/race.v17i3.16721
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/51992/remuneracao-dos-executivos-e-indicadores-de-desempenho-em-empresas-participantes-do-ibovespa/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Aguiar, A. B., & Pimentel, R. C. (2017). Remuneração de executivos e desempenho no mercado brasileiro: relações contemporâneas e defasadas. Revista de Administração Contemporânea, 21(4), 545-568.

Almeida, R. S., Klotzle, M. C., & Figueiredo, A. C., Pinto. (2013). Composição do conselho de administração no setor de energia elétrica do Brasil. Revista de Administração da Unimep-Unimep Business Journal, 11(1), 156-180.

Andreas, J. M., Rapp, M. S., & Wolff, M. (2012). Determinants of director compensation in two-tier systems: evidence from German panel data. Review of Managerial Science, 6(1), 33-79.

Anjos, L. C. M., Tavares, M. F. N., Monte, P. A., & Lustosa, P. R. B. (2015). Relações entre controle acionário e remuneração de executivos. Enfoque: Reflexão Contábil, 34(1), 45-56.

Anthony, R. N., & Govindarajan, V. (2008). Sistemas de controle gerencial. São Paulo: McGraw-Hill.

Beuren, I. M., Silva, M. Z., & Mazzioni, S. (2014). Remuneração dos executivos versus desempenho das empresas. Revista de Administração Faces Journal, 13(2), 8-25.

Brealey, R. A., Myers, S. C., & Allen, F. (2011). Principles of corporate finance. (10th ed.). New York: McGraw-Hill/Irwi.

Camargos, M. A., & Helal, D. H. (2007). Remuneração executiva, desempenho econômico-financeiro e a estrutura de governança corporativa de empresas brasileiras. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, 31.

Conyon, M. J., & Murphy, K. J. (2000). The prince and the pauper? CEO pay in the United States and United Kingdom. The Economic Journal, 110(467), 640-671.

Degenhart, L., Martins, D. L. C. C., & Hein, N. (2017). Desempenho econômico-financeiro e remuneração dos diretores executivos das empresas brasileiras. Enfoque Reflexão Contábil, 36(3), 118-135.

Demsetz, H., & Villalonga, B. (2001). Ownership structure and corporate performance. Journal of corporate finance, 7(3), 209-233.

Eulerich, M., & Velte, P. (2014). Determinants of executive board remuneration. Corporate Ownership & Control, 11(4), 96-113.

Fama, E., & Jensen, M. (1983). Separation of ownership and control. Journal of Law and Economics, (26), 301-327.

Fávero, L. P., Belfiore, P., Silva, F. L., & Chan, B. L. (2009). Análise de dados: modelagem multivariada para a tomada de decisões. Rio de Janeiro: Campus.

Ferrarini, G., & Moloney, N. (2005). Executive remuneration in the EU: the context for reform. Oxford Review of Economic Policy, 21(2), 304-323.

Forti, C. A. B., Barboza, F. L. M., Ribeiro, K. C. S., & Nogueira, S. G. (2018). O Impacto do incentivo aos funcionários nos lucros dos bancos brasileiros. Enfoque Reflexão Contábil, 37(2), 51-66

Funchal, J. A., & Terra, P. R. S. (2006). Remuneração de executivos, desempenho econômico e governança corporativa: um estudo empírico em empresas latino-americanas. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Salvador, BA, 30.

Gonzaga, R. P., Yoshinaga, C. E., & Eid, W., Jr. (2013). Relação entre os sistemas de incentivos oferecidos aos gestores e desempenho das empresas brasileiras. Revista Contabilidade Vista & Revista, 24(3), 103-118.

Himmelberg, C. P., Hubbard, R. G., & Palia, D. (1999). Understanding the determinants of managerial ownership and the link between ownership and performance. Journal of financial economics, 53(3), 353-384. Instrução CVM n. 480. (2009). Retirado de http://www.bmfbovespa.com.br/empresas/download/ InstrucaoCVM480.pdf

Jensen, M. C., & Meckling, W. H. (1976). Theory of the firm: managerial behavior, agency costs, and ownership structure. Jounal of Financial Economics, 3(4), 305-360.

Klein, B. (1984). Contract costs and administered prices: an economic theory of rigid wages. The American Economic Review, 74(2), 332-338.

Machado, D. G., & Beuren, I. M. (2015). Política de remuneração de executivos: um estudo em empresas industriais brasileiras, estadunidenses e inglesas. Gestão & Regionalidade, 31(92), 4-24.

Marcon, R., & Godoi, C. K. (2004). Desempenho financeiro das empresas e remuneração por stock options: um estudo multissetorial. Revista de Administração FACES Journal, 3(1), 59-76.

Nascimento, C., Franco, L. M. G., & Cherobim, A. P. M. S. (2012). Associação entre remuneração variável e indicadores financeiros: evidências do setor elétrico. Revista Universo Contábil, 8(1), 22-36.

Nascimento, E. M., Barbosa, J. E., Cunha, J. V. A., Neto, & Dias, W. O. (2011). Teoria da agência e remuneração de executivos: influência do uso de stock options no desempenho das empresas brasileiras. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, 11.

Oliveira, I. G. S., & Silva, A., Jr. (2018). Determinantes econômicos do uso de stock options em companhias brasileiras de capital aberto. Enfoque Reflexão Contábil, 37(1), 55-70.

Parente, P. H. N., Vasconcelos, A. C., & De Luca, M. M. M. (2014). Influência da estrutura de propriedade horizontal e da estrutura de propriedade piramidal na governança das maiores empresas de capital aberto do Brasil. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, 14.

Rodrigues, J., & Seabra, M. (2011). An analysis of corporate board compensations in the Portuguese energy sector. Management of Environmental Quality: An International Journal, 23(1), 56-67.

Rossetti, J. P., & Andrade, A. (2014). Governança corporativa: Fundamentos, desenvolvimento e tendências. (7th ed.). São Paulo: Atlas.

Souza, P. V. S., Cardoso, R. L., & Vieira, S. S. C. (2017). Determinantes da Remuneração dos Executivos e sua Relação com o Desempenho Financeiro das Companhias. REAd. Revista Eletrônica de Administração [Edição especial]. 234-228.

Teixeira, J. C. A., & Loiola, E. (2006). Práticas inovadoras de gestão de pessoas e desempenho organizacional no Brasil. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Salvador, BA, 30.

Theiss, V., & Beuren, I. M. (2014). O acionista controlador e a remuneração dos executivos nas empresas listadas na BM&FBOVESPA. Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, 13(1), 2-13.

Toms, S., & Wright, M. (2002). Corporate governance, strategy and structure in British business history, 1950-2000. Business History, 44(3), 91-124