Fatores de Resistência no Processo de Implementação de um Modelo de Avaliação de Desempenho em um Órgão Público Outros Idiomas

ID:
52023
Resumo:
O objetivo do presente estudo foi examinar os fatores de resistência à implementação de um modelo de avaliação de desempenho em um órgão público. Para cumprir esse objetivo, foram utilizados como base teórica o modelo de investigação do processo de institucionalização elaborado por Tolbert e Zucker (1999) e os pressupostos de fatores de resistência à mudança nos sistemas de controle gerenciais destacados no estudo de Angonese e Lavarda (2014). O estudo foi desenvolvido em uma Coordenadoria responsável pelo sistema de controle interno de um órgão público do sul do Brasil. O método de coleta de dados foi a realização de entrevistas semiestruturadas com os servidores do setor e análise dos documentos de elaboração do modelo. A partir da coleta de dados observou-se a relação dos argumentos capturados nas entrevistas e documentos com as proposições da pesquisa. Os achados do estudo indicam que no contexto estudado a insegurança ontológica, inércia, falta de conhecimento, aceitação de rotinas e decouping são fatores de resistência para a implementação do modelo de avaliação de desempenho. Em contrapartida o poder institucional e a confiança não puderam ser caracterizados como fatores limitadores da implantação do modelo. O estudo trouxe contribuições para a avaliação de desempenho no setor público, ampliando a literatura dos fatores que explicam o uso dos modelos. O estudo também contribui para a Teoria Institucional na discussão da institucionalização dos instrumentos de controle, explorando o entendimento dos fatores de resistência que fazem parte do contexto social das organizações.
Citação ABNT:
LISBOA, F. V.; LUZ, I. P.; SELL, F. F.; LUNKES, R. J. Fatores de Resistência no Processo de Implementação de um Modelo de Avaliação de Desempenho em um Órgão Público. Revista Gestão Organizacional, v. 11, n. 3, p. 92-109, 2018.
Citação APA:
Lisboa, F. V., Luz, I. P., Sell, F. F., & Lunkes, R. J. (2018). Fatores de Resistência no Processo de Implementação de um Modelo de Avaliação de Desempenho em um Órgão Público. Revista Gestão Organizacional, 11(3), 92-109.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/52023/fatores-de-resistencia-no-processo-de-implementacao-de-um-modelo-de-avaliacao-de-desempenho-em-um-orgao-publico/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ANGONESE, Rodrigo; LAVARDA, Carlos Eduardo Facin. Analysis of the factors affecting resistance to changes in management accounting systems. Revista Contabilidade & Finanças, v. 25, n. 66, p. 214-227, 2014.

BITITCI, Umit et al. Performance measurement: challenges for tomorrow. International Journal of Management Reviews, v. 14, n. 3, p. 305-327, 2012.

BOLAND, Tony; FOWLER, Alan. A systems perspective of performance management in public sector organisations. International Journal of Public Sector Management, v. 13, n. 5, p. 417446, 2000.

BRIGNALL, Stan; MODELL, Sven. An institutional perspective on performance measurement and management in the ‘new public sector’. Management Accounting Research, v. 11, n. 3, p. 281-306, 2000.

BURNS, John; SCAPENS, Robert W. Conceptualizing management accounting change: an institutional framework. Management Accounting Research, v. 11, n. 1, p. 3-25, 2000.

BUSCO, Cristiano; RICCABONI, Angelo; SCAPENS, Robert W. Trust for accounting and accounting for trust. Management Accounting Research, v. 17, n. 1, p. 11-41, 2006.

DIMAGGIO, Paul J.; POWELL, Walter W. The iron cage revisited institutional isomorphism and collective rationality in organizational fields. In: Economics Meets Sociology in Strategic Management. Emerald Group Publishing Limited, 2000. p. 143-166.

FRANCO-SANTOS, Monica et al. Towards a definition of a business performance measurement system. International Journal of Operations & Production Management, v. 27, n. 8, p. 784-801, 2007.

FREZATTI, Fábio; BRAGA DE AGUIAR, Andson; JOSÉ REZENDE, Amaury. Strategic responses to institutional pressures, and success in achieving budget targets: A survey at a multinational company. International Journal of Accounting & Information Management, v. 15, n. 2, p. 50-66, 2007.

GHALAYINI, Alaa M.; NOBLE, James S. The changing basis of performance measurement. International Journal of Operations & Production Management, v. 16, n. 8, p. 63-80, 1996.

GOLDSMITH, Stephen; EGGERS, William D. Governar em rede o novo formato do setor público. In: Governar em rede o novo formato do setor público. 2006.

GRANLUND, Markus. Towards explaining stability in and around management accounting systems. Management Accounting Research, v. 12, n. 2, p. 141-166, 2001.

GUERREIRO, Reinaldo et al. Fatores determinantes do processo de institucionalização de uma mudança na programação orçamentária: uma pesquisaação em uma organização brasileira. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, v. 10, n. 1, 2010.

HELDEN, Jan Van; JOHNSEN, Åge; VAKKURI, Jarmo. Distinctive research patterns on public sector performance measurement of public administration and accounting disciplines. Public Management Review, v. 10, n. 5, p. 641-651, 2008.

HOLANDA, Victor Branco de; LATTMAN-WELTMAN, Fernando; GUIMARÃES, Fabrícia Corrêa. Sistema de informação de custos na administração pública federal: uma política de Estado. 2010.

KAKKURI-KNUUTTILA, Marja-Liisa; LUKKA, Kari; KUORIKOSKI, Jaakko. Straddling between paradigms: A naturalistic philosophical case study on interpretive research in management accounting. Accounting, Organizations and Society, v. 33, n. 2-3, p. 267-291, 2008.

KREUZBERG, Fernanda; BECK, Franciele; LAVARDA, Carlos Eduardo Facin. Orçamento base zero: um estudo de caso sob a perspectiva da teoria institucional. Contabilidade Vista & Revista, v. 27, n. 3, p. 32-60, 2016.

LAPSLEY, Irvine; WRIGHT, Elisa. The diffusion of management accounting innovations in the public sector: a research agenda. Management Accounting Research, v. 15, n. 3, p. 355-374, 2004.

LEBAS, Michel J. Performance measurement and performance management. International Journal of Production Economics, v. 41, n. 1-3, p. 23-35, 1995.

MACHADO, Nelson; DE HOLANDA, Victor Branco. Diretrizes e modelo conceitual de custos para o setor público a partir da experiência no governo federal do Brasil. Revista de Administração Pública, v. 44, n. 4, p. 791-820, 2010.

MELNYK, Steven A. et al. Is performance measurement and management fit for the future? Management Accounting Research, v. 25, n. 2, p. 173-186, 2014.

MICHELI, Pietro; MANZONI, Jean-Francois. Strategic performance measurement: Benefits, limitations and paradoxes. Long Range Planning, v. 43, n. 4, p. 465-476, 2010.

MILLER, Danny; FRIESEN, Peter H. Momentum and revolution in organizational adaptation. Academy of Management Journal, v. 23, n. 4, p. 591-614, 1980.

NAPIER, Christopher J. Accounts of change: 30 years of historical accounting research. Accounting, Organizations and Society, v. 31, n. 4-5, p. 445-507, 2006.

NEELY, Andy D.; ADAMS, Chris; KENNERLEY, Mike. The performance prism: The scorecard for measuring and managing business success. London: Prentice Hall Financial Times, 2002.

NEELY, Andy; GREGORY, Mike; PLATTS, Ken. Performance measurement system design: a literature review and research agenda. International journal of Operations & Production Management, v. 15, n. 4, p. 80-116, 1995.

QUATTRONE, Paolo; HOPPER, Trevor. What does organizational change mean? Speculations on a taken for granted category. Management Accounting Research, v. 12, n. 4, p. 403-435, 2001.

REZENDE, Fernando; CUNHA, Armando; BEVILACQUA, Roberto. Informações de custos e qualidade do gasto público: lições da experiência internacional. Revista de Administração Pública, v. 44, n. 4, p. 959-992, 2010.

RICHARDSON, M. Fundamentos da metodologia cientifica. São Paulo, 1999.

SCAPENS, Robert W. Understanding management accounting practices: A personal journey. The British Accounting Review, v. 38, n. 1, p. 1-30, 2006.

SCHEIN, H. E. Organizational culture and leadership. Jossey-Bass, San Francisco, 1992

STEEN, Martijn V.D. Inertia and management accounting change: The role of ambiguity and contradiction between formal rules and routines. Accounting, Auditing & Accountability Journal, v. 22, n. 5, p. 736-761, 2009.

TATICCHI, Paolo; TONELLI, Flavio; CAGNAZZO, Luca. Performance measurement and management: a literature review and a research agenda. Measuring Business Excellence, v. 14, n. 1, p. 4-18, 2010.

TOLBERT, Pamela S.; ZUCKER, Lynne G. A institucionalização da teoria institucional. Handbook de estudos organizacionais, v. 1, n. 6, 1999.

VAN CAMP, Jelle; BRAET, Johan. Taxonomizing performance measurement systems’ failures. International journal of Productivity and Performance Management, v. 65, n. 5, p. 672-693, 2016.

YIN, Robert K. Estudo de Caso-: planejamento e métodos. Bookman editora, 2015.

ZAKARIA, Zaherawati et al. Key performance indicators (kpis) in the public sector: a study in Malaysia. Asian Social Science, v. 7, n. 7, p. 102, 2011.

ZONI, Laura; DOSSI, Andrea; MORELLI, Marco. Management accounting system (MAS) change: field evidence. Asia-Pacific Journal of Accounting & Economics, v. 19, n. 1, p. 119138, 2012.