Endividamento Público e Desenvolvimento Humano nos Grandes Municípios Brasileiros Outros Idiomas

ID:
52029
Resumo:
De acordo com a teoria da dívida, os entes subnacionais, estados e municípios, endividam-se para realizar investimentos que proporcionem alocar bens públicos aos seus jurisdicionados, contribuindo para o desenvolvimento humano. No entanto, problemas com a má gestão dos recursos públicos podem contribuir para que o endividamento público influencie negativamente o desenvolvimento humano. Nesse sentido, o presente artigo investigou a influência do endividamento público sobre o desenvolvimento humano dos grandes municípios brasileiros. Para tanto, foram coletadas informações referentes aos municípios brasileiros com mais de 500 mil habitantes ao longo de sete anos, de 2006 a 2012. Como técnica estatística, utilizou-se a regressão MQO com dados em painel. Os resultados revelaram que o endividamento e os gastos sociais públicos influenciam timidamente o desenvolvimento humano dos grandes municípios, ao passo que a variável com maior influência é o desenvolvimento humano já sedimentado localmente ao longo do tempo.
Citação ABNT:
SANTOS, Y. D. D.; BARBOSA, J. A. A. G. S.; DINIZ, J. A.; LIMA, S. C. Endividamento Público e Desenvolvimento Humano nos Grandes Municípios Brasileiros. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, v. 23, n. 76, p. 356-375, 2018.
Citação APA:
Santos, Y. D. D., Barbosa, J. A. A. G. S., Diniz, J. A., & Lima, S. C. (2018). Endividamento Público e Desenvolvimento Humano nos Grandes Municípios Brasileiros. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, 23(76), 356-375.
DOI:
http://dx.doi.org/10.12660/cgpc.v23n76.75420
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/52029/endividamento-publico-e-desenvolvimento-humano-nos-grandes-municipios-brasileiros/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Caiden, G.; Caravantes, G. (1982). Reconsideração do conceito de desenvolvimento. RAP-Revista de Administração Pública, 16(1), 4-16.

Eberhardt, M.; Presbitero, A. F. (2015). Public debt and growth: Heterogeneity and non-linearity. Journal of International Economics, 97(1), 45-58. doi: 10.1016/j.jinteco.2015.04.005

Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro. (2018). Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM). http://www.firjan.com.br/ifdm/

Hayes, T. W. (1990). Debt indicators and criteria for the assessment of California’s total outstanding public debt. California, USA: California Debt Advisory Comission.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2018). Indicadores Sociais e Municipais. https://www.ibge.gov.br/.

Jarach, D. (1999). Finanzas públicas y derecho tributário. 3 ed. Buenos Aires, Argentina: Artes Gráficas Candil.

Jensen, J. P. (1939). Government finance. 3 ed. (Crowell’s Social Science Series). New York, NY: University of Kansas.

Lima, S. C. (2011). Desempenho fiscal da dívida dos grandes municípios brasileiros. (Tese de doutorado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA/USP), São Paulo, SP). http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde01022012-174857/pt-br.php

Macedo, J. J.; Corbari, E. C. (2009). Efeitos da lei de responsabilidade fiscal no endividamento dos municípios brasileiros: Uma análise de dados em painéis. Revista Contabilidade & Finanças, 20(51), 44-60. doi: 10.1590/S1519-70772009000300004

Mello, L. (2016). Descentralização e investimento público: Desafios e políticas públicas. Boletim regional, urbano e ambiental. IPEA.

Mendes, M. (2010). O Senado Federal e o controle do endividamento de estados e municípios. Revista de Informação Legislativa, 47(187), 173-180. https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/198701/000897827.pdf?sequence=1

Mendes, W. A.; Ferreira, M. A. M.; Abrantes, L. A.; Faria, E. R. (2018). A influência da capacidade econômica e da formação de receitas públicas no desenvolvimento humano. RAP-Revista de Administração Pública, 52(5), 918-934. doi: 10.1590/0034761220170004

Musgrave, R. A. (1959). The Theory of Public Finance. New York: McGraw-Hill.

Nd. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF.

Nd. (2000). Lei Complementar nº 101. Brasília, DF.

Oates, W. (1972). Fiscal federalism. New York, USA: Harcourt Bruce Jovanovich.

Oliveira, V. L. (2007). Liberdade e poder em Amartya Sen: Uma leitura crítica. Desenvolvimento em Questão, 5(9), 9-31. doi: 10.21527/2237-6453.2007.9.9-31

Panizza, U.; Presbitero, A. F. (2014). Public debt and economic growth: Is there a causal effect? Journal of Macroeconomics, 41, 2141. doi: 10.1016/j.jmacro.2014.03.009

Ranis, G.; Stewart, F.; Ramirez, A. (2000). Economic growth and human development. World Development, 28(2), 197-219. doi: 10.1016/S0305-750X(99)00131-X

Rezende, A. J.; Slomski, V.; Corrar, L. J. (2005). A gestão pública municipal e a eficiência dos gastos públicos: Uma investigação empírica entre as políticas públicas e o índice de desenvolvimento humano (IDH) dos municípios do estado de São Paulo. Revista Universo Contábil, 1(1), 24-40. doi: 10.4270/ruc.20051

Ribeiro, C. P. P.; Abrantes, L. A.; Ferreira, M. A. M.; Gomes, A. P. (2012). A influência da lei de responsabilidade fiscal nos indicadores socioeconômicos dos municípios mineiros. XXXVI Encontro da ANPAD. Rio de Janeiro, RJ. Recuperado de http://www.anpad.org.br/admin/pdf/2012_APB1969.pdf

Scarpin, J. E.; Slomski, V. (2007). Estudo dos fatores condicionantes do índice de desenvolvimento humano nos municípios do estado do Paraná: Instrumento de controladoria para a tomada de decisões na gestão governamental. RAP-Revista de Administração Pública, 41(5), 909-933. doi: 10.1590/S0034-76122007000500006

Secretaria do Tesouro Nacional. (2018). Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro (SICONFI). http://www.tesouro.fazenda.gov.br/

Sen, A. (1999). Development as freedom. Oxford, USA: Oxford University Press.

Senado Federal. (2018). Atividade legislativa. Projeto de Resolução do Senado n° 9, de 2005. https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/72919

Sousa, R. G.; Paulo, E.; Marôco, J. (2017). Longitudinal factor analysis of public expenditure composition and human development in Brazil after the 1988 constitution. Social Indicators Research, 134(3), 1009-10268. doi: 10.1007/s11205-016-1459-2

Streeck, W. (2013). The politics of public debt: Neoliberalism, capitalista development, and the restructuring of the state. [Discussion Paper No 13/7]. Max Planck Institute for the Study of Societies (MPIfG). http://www.mpifg.de/pu/mpifg_dp/dp13-7.pdf

Suri, T.; Boozer, M. A.; Ranis, G.; Stewart, F. (2011). Paths to success: The relationship between human development and economic growth. World Development, 39(4), 506-522. doi: 10.1016/j.worlddev.2010.08.020

Tiebout, C. M. (1956). A pure theory of local expenditures. Journal of Political Economy, 64(5), 416-424.

United Nations Development Program. (1990). Human development report. New York, USA: United Nations Development Program.