Carne Fraca e Marca Forte: um Estudo sobre o Impacto do Marketing Boca a Boca no Consumo de Marcas de Carnes e Embutidos Outros Idiomas

ID:
52124
Periódico:
Resumo:
A operação Carne Fraca ocasionou boatos e comentários (presença de papelão na carne, carnes estragadas misturadas nos embutidos, etc.) que provocaram queda nas vendas e exportações brasileiras no período da operação. Este estudo tem por objetivo identificar se houve impacto dos comentários ou boatos no consumo de carnes e embutidos das marcas envolvidas na operação Carne Fraca, deflagrada em 2017 pela polícia federal brasileira. A pesquisa de natureza qualitativa descritiva contou com levantamento de dados primários através da aplicação de um questionário junto a consumidores de carnes e embutidos, além de dados secundários. Os resultados indicaram consumidores bem informados, que tendem a acreditar em boatos, que fazem confusão entre marcas e boatos envolvidos, mas que na maioria dos casos não deixou de consumir os produtos nem as marcas investigadas durante a operação.
Citação ABNT:
RICHARDE, A. P. M.; SILVA, G. C.; KAETSU, S. T. Carne Fraca e Marca Forte: um Estudo sobre o Impacto do Marketing Boca a Boca no Consumo de Marcas de Carnes e Embutidos. Gestão & Conexões, v. 8, n. 1, p. 119-135, 2019.
Citação APA:
Richarde, A. P. M., Silva, G. C., & Kaetsu, S. T. (2019). Carne Fraca e Marca Forte: um Estudo sobre o Impacto do Marketing Boca a Boca no Consumo de Marcas de Carnes e Embutidos. Gestão & Conexões, 8(1), 119-135.
DOI:
10.13071/regec.2317-5087.2019.8.1.18874.119-135
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/52124/carne-fraca-e-marca-forte--um-estudo-sobre-o-impacto-do-marketing-boca-a-boca-no-consumo-de-marcas-de-carnes-e-embutidos/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Aaker, D. (1998). Brand Equity: Gerenciando o Valor da Marca. Editora Negócio.

Balaji, M. S. Roy, S. K., & Lassar, W. M. (2017). Language divergence in service encounters: Revisiting its influence on word-of-mouth. Journal of Business Research. v.72, p. 210-213.

Bentivegna, F. J. (2002). Fatores de Impacto no Sucesso do Marketing Boca a Boca On-Line. RAE Revista de Administração de Empresas. v. 42(1), Jan./Mar.

BM&FBOVESPA (2017). BRF SA Informações Trimestrais 30/06/2017 – DRE. 2017. Disponível em: . Acesso em: 20 set.2017. Breuil, A. (1972). Image de Marque et Notoriété. Paris: Dunod. 1972.

Bruyn, A. D. & Lilien, G. L. (2008). A multi stage model of word of mouth influence through viral marketing. International. Journal of Research in Marketing. vol. 25, p. 151-163.

Churchill, G. A.; Peter, J. P. (2000). Marketing: Criando Valor para os Clientes. São Paulo: Saraiva.

Dicio (2017). Dicionário Online de Português. Disponível em: https://www.dicio.com.br/comentar/>. Acesso em: 07 out 2017.

Econoinfo (2017). Dados de mercado BRF. 2017. Disponível em: . Acesso em 02 out.2017.

EMPRAPA/CTAA. p. 1-18. Zucch, A. L. V. (2017). Excesso de ácido ascórbico utilizado em carne podre favorece formação de pedras nos rins e, possivelmente, câncer. Saúde. 2017. Disponível em: . Acesso em 25 set.2017.

Folha Uol (2017). Papelão e substância cancerígena ou exagero? O que se sabe na Operação Carne Fraca. 2017. Disponível em: . Acesso em 24 set.2017.

Futema, F., Machado, F., & Augusto, T. (2017). Carne Fraca: saiba quais são as acusações contra as 21 empresas.

G1 (2017). Países importadores anunciam restrições à carne brasileira após operação da PF. G1, Economia, 20 mar 2017. Disponível em: . Acesso em: 05 out.2017.

Kapferer (1993). Jean-Noël. Boatos: o mais antigo mídia do mundo. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. (2017). Quarta semana de março tem superávit de US$ 1,6 bi. Disponível em: < http://www.mdic.gov.br/component/content/article?id=2392>. Acesso em: 25 set 2017.

Nóbrega, C. (1999). Quero você. Exame. n. 8, ed. 686, p. 92-114.

Nogueira, R. (2002). Elaboração e análise de questionários: uma revisão da literatura básica e a aplicação dos conceitos a um caso real. Rio de Janeiro: UFRJ/COPPEAD.

Novaes, D.; Bomtempo, C. (2017). Operação revela venda de carne vencida e moída com papelão. G1. 17 mar 2017. Disponível em: . Acesso em 10 out. 2017.

Polícia Federal (2017). Nota à Imprensa – Operação Carne Fraca. 2017. Disponível em: . Acesso em: 24 set.2017.

Portal Anvisa (2017). Nota sobre a Operação "Carne Fraca". 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 set.2017.

Redação Revista Veja (2017). BRF tem prejuízo de R$ 167,3 milhões com impacto da Carne Fraca. Veja, Economia. Disponível em: . Acesso em: 20 set.2017. Relatório da Operação Carne Fraca (2017). Inquérito Policial Nº 0136/2015- SR/PF/PR. Estadão Política. Curitiba.

Renard, J. B. (2007). Um gênero comunicacional: os boatos e as lendas urbanas. Revista Famecos: mídia, cultura e tecnologia, n. 32, abril, p. 97-104.

Sciffman, L., & Kanuk, L. (1995). Consumer behavior. New Jersey: Prentice Hall, 1995.

Silvestre, P. (2017). Se a carne é fraca, as redes sociais são fortes e a imprensa é mole. Estadão. Disponível em: . Acesso em: 22 set.2017.

Tavares, M. C. (1998). A força da Marca. São Paulo: Harbra Editora

Terci, S. (2000). Razões da Notoriedade da Marca. 2000. 145 f. Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

Valor Econômico (2017). Críticas à Narrativa da PF na Carne Fraca. 2017. . Acesso em: 24 set.2017. Vieira, L. F. (1997). Agricultura e Agroindústria Familiar de Alimentos. Natal-RN:

Veja, Economia, 2017. Disponível em: Acesso em 04 set. 2017.