O 'Balanced Scorecard' como Ferramenta Estratégica para Pequenos Municípios Outros Idiomas

ID:
52193
Resumo:
A Administração Pública requer de forma sistemática mecanismos de eficiência e eficácia na execução de suas ações. A Lei de Responsabilidade Fiscal proporcionou um completo e profundo reordenamento das finanças públicas, entretanto não apresenta uma visão de longo prazo, especialmente no que diz respeito à conformação estratégica dos órgãos públicos, orientada para elevação consistente de seu desempenho. O objetivo geral desta pesquisa consiste em apresentar uma estrutura de implantação do Balanced Scorecard e analisar as vantagens e benefícios, bem como os principais obstáculos à sua implantação nos pequenos municípios. Os procedimentos metodológicos são de pesquisa descritiva, bibliográfica e documental. Aestrutura do Balanced Scorecard proposta é construída a partirdo modelo aplicado no setor privado por Kaplan e Norton e adaptado às particularidades legais e necessidades gerenciais da gestão pública municipal. Os resultados da pesquisa indicam que a implantação do Balanced Scorecard como instrumento de tradução da visão, planos e estratégia de governo pode proporcionar inúmeros benefícios, ao contemplar medidas de efetividade, eficiência, eficácia e economicidade dos serviços públicos.
Citação ABNT:
TAFFAREL, M.O 'Balanced Scorecard' como Ferramenta Estratégica para Pequenos Municípios . Revista Brasileira de Políticas Públicas e Internacionais, v. 3, n. 2, p. 59-80, 2018.
Citação APA:
Taffarel, M.(2018). O 'Balanced Scorecard' como Ferramenta Estratégica para Pequenos Municípios . Revista Brasileira de Políticas Públicas e Internacionais, 3(2), 59-80.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/52193/o--balanced-scorecard--como-ferramenta-estrategica-para-pequenos-municipios-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Andrade, N de A. (2008). Contabilidade pública na gestão municipal: Métodos com base na LC no 101/00 e nas classificações contábeis advindas da SOF e STN. São Paulo: Atlas.

Annapurna, V.; Manchala, G. (2017). Balanced Scorecard Evaluation of the Performance of Indian Public Sector Banks. Indian Journal of Finance, 11(9), 7-21.

Atkinson, H. (2006). Strategy implementation: a role for the Balanced Scorecard? Management Decision, 44(10), 1441-1460.

Bergue, S. T. (2005). Gestão estratégica de pessoas e Balanced Scorecard em organizações públicas. Revista Análise, 16(2), 265-284.

Bezerra Filho, J. E. (2006). Contabilidade pública: teoria, técnica de elaboração de balanços e questões. Rio de Janeiro: Elsevier.

Blonski, F.; Prates, R. C.; Costa, M. (2017). Managerial Control Under The Perspective Of New Public Management: The Adoption Of The Balanced Scorecard By The Federal Revenue Service of Brazil (RFB). Administracão Pública e Gestão Social, 9(1), 15-30.

Bobe, B. J.; Mihret, D. G.; Obo, D. D. (2017).Public-sector reforms and balanced scorecard adoption: an Ethiopian case study. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 30(6), 1230-1256.

Diel, J. O.; Bampi, A. C. (2016). Benchmarking and Combined Balanced Scorecard: Tools for Decision Making in Public Management. Espacios, 37(06), 1-15

Dreveton, B. (2013). The advantages of the balanced scorecard in the public sector: beyond performance measurement. Public Money & Management, 33(2), 131-136.

Gabriel, T. L.; Gheonea, V.; Mihaela, T. (2017). Balanced Scorecard - Strategic Management Tool of Performance in Public Institutions. IMBIMA Conference, Viena, Austria, 29.

Ghelman, S.; Costa, S. R. R da. (2006). Adaptando o BSC para o setor público utilizando os conceitos de efetividade, eficácia e eficiência. Anais do Simpósio de Engenharia da Produção, Bauru, SP, Brasil, 12.

Irwin, D. (2002). Strategy mapping in the public sector. Long Range Planning, 35(6), 637-647.

Kaplan, S. R.; Norton P. D. (1997). A Estratégia em Ação.Balanced Scorecard. Rio de Janeiro: Editora Campus

Kohama, H. (2006). Contabilidade Pública: teoria e prática. 10a ed. São Paulo: Atlas.

Matias-Pereira, J. (2006). Finanças Públicas: A Política Orçamentária no Brasil. (3a ed.). São Paulo: Atlas.

Monteiro, S. S.; Ribeiro, V. P. L. (2017). The Balanced Scorecard as a tool for environmental management: approaching the business context to the public sector. Management of Environmental Quality: An International Journal, 28(3), 332-349, doi.org/10.1108/MEQ-112015-0201

Nd. Constituição da Republica Federativa do Brasil. http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/legislacaoConstituicao/anexo/CF.pdf

Nd. Lei Complementar nº 101, de 04 de maio de 2000. Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. (Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/lcp/Lcp101.htm

Nd. Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964. Estatui Normas Gerais de Direito Financeiro para elaboração e controle dos orçamentos e balanços da União, dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/l4320.htm

Niven, P. R. (2015). Adapting the balanced scorecard to fit the public and nonprofit sectors. In: Balanced Scorecard Step‐by‐Step for Government and Nonprofit Agencies. 2a ed. https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/9781119197287.ch2

Ozório, V. L. T. (2003). A Utilização do Balanced Scorecard no Aperfeiçoamento da Administração Pública Gerencial-Estudo de Caso de uma Autarquia Municipal (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.