Fontes de Informação para Inovação: Estudo de Casos em Santa Catarina Outros Idiomas

ID:
52333
Resumo:
Aborda a investigação das fontes de informação para inovação utilizadas pelos programas e mecanismo para o desenvolvimento de startups em Santa Cataria no segmento de tecnologia e inovação. Trata-se de uma pesquisa exploratório-descritiva, com abordagem qualitativa e emprego do método de estudo de caso. O corpus da pesquisa foi constituído pelo Sinapse da Inovação e pela Incubadora Centro Empresarial para Laboração de Tecnologias Avançadas, ambos pertencentes a Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras. Constatou-se a pertinência de serem realizadas mais e densas pesquisas sobre a importância das fontes de informação para a Gestão da Informação e do Conhecimento na inovação. Em se tratando do setor de startups principalmente, pois remetem a empresas de base tecnológica que necessitam de um produto ou serviço inovador e escalável.
Citação ABNT:
SENA, P. M. B.; BLATTMANN, U.; FIATES, G. G. S. Fontes de Informação para Inovação: Estudo de Casos em Santa Catarina . NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, v. 9, n. 1, p. 192-200, 2019.
Citação APA:
Sena, P. M. B., Blattmann, U., & Fiates, G. G. S. (2019). Fontes de Informação para Inovação: Estudo de Casos em Santa Catarina . NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, 9(1), 192-200.
DOI:
http://dx.doi.org/10.22279/navus.2019.v9n1.p192-200.825
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/52333/fontes-de-informacao-para-inovacao--estudo-de-casos-em-santa-catarina-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BARRETO, Aldo Albuquerque. Uma quase história da ciência da informação. DataGramaZero, v. 9, n. 2, p. 118, 2008. http://www.dgz.org.br/abr08/Art_01.htm.

BLANK, Steve. Four steps to the epiphany. 2 ed. Louisville: Cafepress, 2007.

CÂNDIDO, Ana Clara. Gestão da informação e inovação aberta: oportunidades em ações integradas. Brazilian Journal of Information Science, Marília, v. 11, n. 2, p. 72-78, 2017. http://200.145.171.5/revistas/index.php/bjis/article/view/6515.

CHOO, Chun Wei. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. 2. ed. São Paulo: SENAC, 2006.

CHOO, Chun Wei. Perception and use of information sources by chief executives in environmental scanning. Library and Information Science Research, Boston, v. 16, p. 2340, 1994.

CLARIVATY ANALYTICS. Top 100 Global Innovators. 2016. http://top100innovators.stateofinnovation.thomsonreuters.com/. Acesso em 29 dez. 2016.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativos, quantitativos e mistos. Porto Alegre: Artmed, 2010.

CRISPIN, Adriana C. O uso da informação em empresas do Setor metal-mecânico do município de Joinville - SC . 2005. 116 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2005.

CUNHA, Murilo Bastos da. Para saber mais: fontes de informação em ciência e tecnologia. 2. ed. Brasília: Briquet de Lemos, 2016.

DRUKER, Peter Ferdinand. Inovação e espírito empreendedor. São Paulo: Editora Pioneira, 1987.

ENDEAVOR BRASIL. Índice de Cidades Empreendedoras (ICE). 2014. http://info.endeavor.org.br/ice2014.

ENDEAVOR BRASIL. Índice de Cidades Empreendedoras (ICE). 2015. http://info.endeavor.org.br/ice2015.

ENDEAVOR BRASIL. Índice de Cidades Empreendedoras (ICE). 2016. http://info.endeavor.org.br/ice2016.

ENDEAVOR BRASIL. Índice de Cidades Empreendedoras (ICE). 2017. http://info.endeavor.org.br/ice2017.

FUNDAÇÃO Centos de Referência em Tecnologias Inovadoras, CERTI. 2016. http://www.certi.org.br/pt/acerti-historico. Acesso em: 24 jul. 2016

GAZE; Laura. Thomson Reuters announces the 2015 Top 100 Global Innovators. Reuters, 19 nov. 2015. http://www.reuters.com/article/tr-pr-innovations-idUSKCN0T72RA20151119.

INCUBADORA Centro Empresarial para Laboração de Tecnologias Avançadas, CELTA. 2016. http://www.celta.org.br/o-celta.html. Acesso em: 24 jul. 2016.

LEGY, L. R. I; ALBAGLI, S. Construindo a sociedade da informação no Brasil: uma nova agenda. DataGramaZero, v. 1, n. 5, 2000. http://www.dgz.org.br/out00/Art_02.htm.

MINAYO, M.C.S. (org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 29 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

PINHEIRO, Lena Vania Ribeiro. Processo evolutivo e tendências contemporâneas da Ciência da Informação. Informação & Sociedade: Estudos, v. 15, n. 1, 2005. http://www.informacaoesociedade.ufpb.br/IS1510501.htm.

RODRIGUES, Charles; BLATTMANN, Ursula. Gestão da informação e a importância do uso de fontes de informação para geração de conhecimento. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 19, n. 3, p. 4-29, 2014. http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/1515/1451.

SARACEVIC, Tefko. Ciência da Informação: origem, evolução e relações. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 41-62, 1996. http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/235.

SINAPSE da Inovação. Histórico. 2016. http://sc.sinapsedainovacao.com.br/historico/.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.

BANCO MUNDIAL. Relatório sobre o Desenvolvimento Mundial de 2016: dividendos digitais.Overview booklet. Banco Mundial, Washington, D.C. 2016. Licença: Creative Commons Attribution CC BY 3.0 IGO. http://documents.worldbank.org/curated/en/788831468179643665/pdf/102724-WDRWDR2016Overview-PORTUGUESE-WebResBox-394840B-OUO-9.pdf.

BORKO, Harold. Information Science: what is it?American Documentation, v. 19, n. 1, p. 3-5, 1968.

PETRÓ, Bibiana. Análise do fluxo informacional dos gestores turísticos da unidade de conservação Parque Natural Municipal Mata Atlântica de Atalanta SC. 2008. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008. http://www.tede.ufsc.br/teses/PCIN0034-D.pdf.