O Processo de Transformação do Exército Brasileiro a partir da Percepção de Oficiais da Força

ID:
52361
Resumo:
O estudo visou analisar a percepção de oficiais militares, na condição de alunos da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME), acerca do corrente processo de transformação do Exército Brasileiro (EB). Para atingir os objetivos, foram realizadas pesquisas bibliográfica e de campo, que foramsucedidas da análise quantitativa dos dados coletados. Na etapa de pesquisa bibliográfica, o foco esteve na compreensão do problema de estudo, notadamente a partir da teoria da transformação organizacional. Para compreensão do problema, foram analisadas as dimensões estratégica, estrutural, tecnológica, humana, cultural e política (MOTTA, 2001). A pesquisa de campo envolveu a coleta de dados por intermédio da aplicação de questionário tipo survey, com cinco níveis de resposta na escala Likert, objetivando verificar a percepção dos indivíduos representados pela amostra em relação ao processo estudado e as dimensões de análise supracitadas. A amostra foi composta de oficiais, integrantes do corpo discente do curso de Altos Estudos da ECEME, obtendo 148 (cento e quarenta e oito) questionários válidos. O tratamento dos dados envolveu o uso da Análise Fatorial e Regressão Logística. Os resultados do estudo indicaram que os oficias percebem como de maior influência para a condução do processo de transformação na organização estudada as variáveis cultural, humana e estrutural. Em contrapartida, destacaram-se como as de maior influência a respeito da percepção (positiva ou negativa) acerca do processo as variáveis estratégica, tecnológica e humana. Ao final do estudo são apresentadas sugestões direcionadas ao entendimento do processo de transformação do EB, bem como proposições para gestores acerca de possibilidades para a sua condução e melhoria de processos.
Citação ABNT:
MOREIRA, A. S.; SCHMITT, V. G. H. O Processo de Transformação do Exército Brasileiro a partir da Percepção de Oficiais da Força. Revista de Administração da UFSM, v. 11, n. 3, p. 657-678, 2018.
Citação APA:
Moreira, A. S., & Schmitt, V. G. H. (2018). O Processo de Transformação do Exército Brasileiro a partir da Percepção de Oficiais da Força. Revista de Administração da UFSM, 11(3), 657-678.
DOI:
10.5902/1983465915829
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/52361/o-processo-de-transformacao-do-exercito-brasileiro-a-partir-da-percepcao-de-oficiais-da-forca/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BRASIL. Exército. Estratégia braço forte. Brasília, 2009.

BRASIL. Exército. O processo de transformação do Exército. 3ª Ed. Brasília, 2010.

BRASIL. Ministério da Defesa. Estratégia Nacional de Defesa. 2ª Ed. Brasília, 2008.

BRASIL. Ministério da Defesa. Estratégia Nacional de Defesa. Brasília, 2013.

BRASIL. Ministério da Defesa. Política Nacional de Defesa. 2ª Ed. Brasília, 2005.

BRASIL. Ministério da Defesa. Política Nacional de Defesa. Brasília, 2013.

CAFORIO, G. Trends and evolution in the military profession. En: Social Sciences and the Military: An interdisciplinary overview. London: Routeledge, 2007.

CHANDLER, A. D. Strategy and structure: chapters in the history of the american industrial enterprise. 2ª Ed. Cambridge: MIT Press, 2000.

COSTA, R. P. The potential of research to improve military education and serve the public good, In: American Educational Research Association 2012, Vancouver, Canada. Disponível em: .

COSTA, R. P. The revolution in military affairs in the scope of military education. In: Dimitar Minchev; Jordan Baev; Kostadin Grozev. (Org.) Technology and Warfare. 1ed.Sofia: Urch Alma/ Sofia University Press, 2013, v. 1, p. 323-335.

COVARRUBIAS, J. G. A transformação da Defesa nos EUA e sua aplicação na América Latina. USA: Military Review, 2005, Ed. maio-junho.

CRUZ NETO, Arlindo José da. Redução dos encargos administrativos nas Organizações Militares Operacionais do Exército Brasileiro. Dissertação (Mestrado) Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, Rio de Janeiro, 2013.

DONATO, J. V.; KUBO, E. K. M.; DOMINGUES, C. R. conflito e obstáculos operacionais em gestão de projetos inovadores: um estudo empírico. Revista de Administração UFSM, v. 6, n. 4, p. 740-759, dez 2013.

DRUCKER, P. F. O melhor de Peter Drucker: obra completa. São Paulo: Nobel, 2002.

FARREL, T. The dynamics of British military transformation. International Affairs, v. 84, n. 4, p. 777–807, 2008.

FARREL, T.; TERRIFF, T. (orgs.) The sources of military change: culture, polytics, technology. Lynne Rienner Publishers: Boulder, 2002.

FLEURY, M. T. L. Organizational culture and the renewal of competences, en: Brazilian Administration Review, vol. 6, no. 1, 2009.

FRANCO-AZEVEDO, Carlos Eduardo. Gestão de Defesa: o sistema de inovação no segmento de não-guerra / Carlos Eduardo Franco Azevedo – 2013. 423 f. Tese (doutorado) – Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Centro de Formação Acadêmica e Pesquisa.

GUSMÁN, J. J. C. Transformação de um Exército. A cultura na transformação do Exército Chileno. Dissertação (Mestrado) Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, Rio de Janeiro, 2013.

GUSMÁN, J. J. C.; SCHMITT, V. G. H; MORETTO NETO, L. Una discusión de transformación: perspectivas para la transformación militar desde la cultura organizacional. Coleção Meira Mattos Revista das Ciências Militares, v. 8, p. 105-115, 2014.

HAIR, Jr. J. F. Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HAIR, Jr. J. F.; ANDERSON, R. E.; TATHAN, R. L.; BLACK, W. C. Análise multivariada de dados. 6. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HITT, M. A.; IRELAND, R.D.; HOSKISSON R. E. Administração Estratégica. Ed. São Paulo: Thomson, 2002.

HUNTINGTON, S. O soldado e o Estado: teoria e política das relações entre civis e militares. Rio de Janeiro, Biblioteca do Exército: 1996.

KALDOR, M. Elaborating the new war thesis, in Isabelle Duyvesteyn and Jan Angstrom, eds., Rethinking the Nature of War. New York: Frank Cass, 2005. p. 221.

KOHNKE, A.; GONDA, T. creating a collaborative virtual command center among four separate organizations in the United States Army: an exploratory case study. Organization Development Journal, v. 31, n. 4, p75-92.

LYNN Jr., L. E. Gestão pública. In: PETERS, B. G; PIERRE, J (ed.) Administração Pública: coletânea. Brasília: ENAP, 2010. p. 33-52.

MAIA NETO, J. O processo de transformação do Exército Brasileiro: um estudo sobre os reflexos da era do conhecimento. Coleção Meira Mattos/ Revista das Ciências Militares, n. 24, p. 1-10,2011.

MATHIAS, S. K. Ameaças às democracias da América Latina. In Eliézer Rizzo de Oliveira (Org.). Segurança e Defesa Nacional: da competição à cooperação regional. São Paulo: Fundação Memorial da América Latina, 2007. 288 p.

MINTZBERG, H. et al. O Processo de estratégia. 4. Ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MINTZBERG, H. et al.AHLSTRAND, B.; LAMPEL, J. Safári de estratégia. Porto Alegre: Bookman, 2000.

MOTTA, P. R. M. Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo: Atlas, 2009.

MOTTA, P. R. M. O estado da arte da gestão pública. Sao Paulo: RAE, Jan-fev, v. 53, n. 1, 2013.

MOTTA, P. R. M.. Transformação organizacional: a teoria e a prática de inovar. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2001.

PAIVA, D. S.; ANDRADE, J. C. S. Resistências à mudança organizacional: Análise do Processo de Implantação do Sistema de Gestão Integrada no SENAI-BA. Revista de Administração UFSM, v. 6, n. 3, p. 614-632, set 2013.

PORRAS, J.I.; SILVERS, R.C. Organizational development and transformation. Annual Review of Psychology. 1991, Vol. 42 Issue 1, p51. 28p.

PRETORIUS, J. The security Imaginary: explaining Military isomorphism. Security Dialogue, v. 39, n. 1, p. 97-118, 2008.

SCHEIN, E. Cultura organizacional e liderança. São Paulo: Atlas, 2009.

SCHMITT, V. G. H.; MARQUES, A. A. Práticas e proposições da carreira civil em Defesa. VII Encontro Nacional da Associação Brasileira de Estudos de Defesa. Belém – PA, 2013.

SCHMITT, V. G. H; COSTA, R. P. da; NETO, L. M. Desvendando a administração em ambientes militares. Coleção Meira Mattos/ Revista das Ciências Militares, n. 27, p. 1-15, 2012.

SECCHI, L. Modelos organizacionais e reformas da administração pública. Revista de Administração Pública, v. 43, n. 2. p. 347-369, 2009.

SILVA, F. de A. e; GONÇALVES, C. A. O processo de formulação e implementação de planejamento estratégico em instituições do setor público. Revista de Administração UFSM, v. 4, n. 3, p. 458476, set-dez, 2011.

SILVA, F. M. da; MELLO, S. P. T. de; TORRES, I. A. C. O que se discute sobre gestão por competências no setor público: um estudo preliminar das construções. Revista de Administração UFSM, v. 6, n. 4, p. 685-693, dez 2013.

VASCONCELLOS, C. A. R. de. Aproximação entre civis e militares com a criação do Ministério da Defesa. Dissertação de Mestrado em Administração Pública. Rio de Janeiro: EBAPE/FGV, 2011.

VIEIRA, P. R. Em busca de uma teoria de descentralização. Revista de Administração Pública, v. 46, n. 5, p. 1409-425, 2012.