O Trade Marketing e suas Atividades: Estudo de Casos no Setor Farmacêutico Outros Idiomas

ID:
52479
Resumo:
Em diversas empresas o desenvolvimento de departamentos de Trade Marketing está se tornando cada vez mais comum. Dessa forma, a pesquisa nessa área empresarial ganha importância. O Trade Marketing pode auxiliar na divulgação de produtos farmacêuticos, trabalhando o relacionamento com os canais de distribuição. Entretanto, são poucos os estudos relacionados ao Trade Marketing. A falta de trabalhos na academia deixa uma série de lacunas a serem preenchidas, como por exemplo: do que realmente trata-se o Trade Marketing? Quais são as funções desenvolvidas por esta área? E O que as empresas têm desenvolvido neste departamento? Sendo assim, com a escassez de trabalhos na área de Trade Marketing, relevância dessa função organizacional e importância do setor farmacêutico este trabalho propôs um aprofundamento do tema no intuito de responder ao seguinte questionamento: o que é e como funciona o Trade Marketing no setor farmacêutico? Diante deste problema de pesquisa apresentado, foi proposto o seguinte objetivo: verificar como ocorre o desenvolvimento das atividades de Trade Marketing na indústria farmacêutica.
Citação ABNT:
BARROS, T. F.; CAMPOMAR, M. C. O Trade Marketing e suas Atividades: Estudo de Casos no Setor Farmacêutico. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, v. 7, n. 3, p. 297-313, 2018.
Citação APA:
Barros, T. F., & Campomar, M. C. (2018). O Trade Marketing e suas Atividades: Estudo de Casos no Setor Farmacêutico. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 7(3), 297-313.
DOI:
https://doi.org/10.5585/rgss.v7i3.448
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/52479/o-trade-marketing-e-suas-atividades--estudo-de-casos-no-setor-farmaceutico/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Achrol, R. S.; Reve, T.; Stern, L. W. (1983). The environment of marketing channel dyads: a framework for comparative analysis. The Journal of Marketing, 47(4), 55-67. http://www.jstor.org/stable/10.2307/1251399

Almeida, V. M. C. de; Penna, L. S.; Silva, G. F. da; Freitas, F. Dá. (2012). Trade Marketing no Setor de Lojas de Conveniência. Revista de Administração de Empresas, 52(nov./dez.), 643-656. http://www.scielo.br/pdf/rae/v52n6/v52n6a06.pdf

Alvarez. (1999). A aplicação dos conceitos de Trade Marketing nas empresas de produtos alimentícios de consumo: um estudo exploratório. http://www.cegente.com.br/upload/tesesmonografias/arq_113.pdf

Alvarez, F. J. S. M. (2008). Trade Marketing: a conquista do consumidor no ponto de venda. 1 ed. São Paulo: Saraiva.

Alvarez, F. M.; Toledo, L. A.; Caigawa, S. M.; Jordão, T. R. (2004). Trade Marketing. Um estudo exploratório junto a empresas de produtos alimentícios. Congresso Virtual Brasileiro de Administração. http://www.convibra.com.br/2004/pdf/62.pdf

Anderson, J. C.; Narus, J. A. (1984). A Model of the Distributor’s Perspective of Manufacturer Working. Journal of Marketing, 48(Fall), 62-74. (2008).

Brown, J. R.; Dant, R. (2008). On what makes a significant contribution to the retailing literature. Journal of Retailing, 84(2), 131-135. https://doi.org/10.1016/j.jretai.2008.05.002

Campomar, M. C. (1991). Do uso de “estudo de caso” em pesquisas para dissertações e teses em administração. Revista de Administração, 26(3), 95-97. http://www.pessoal.utfpr.edu.br/luizpepplow/disciplinas/metodologia/O uso de estudos de caso.pdf

Campomar, M. C.; Ikeda, A. A. (2006). O planejamento de marketing e a confecção de planos: dos conceitos a um novo modelo. 1 ed. São Paulo: Saraiva.

Conselho Federal de Farmácia. (2010). Relatório da Comissão de Fiscalização.

Cônsoli, M. A.; D´Andrea, R. (2010). Trade Marketing: estratégias de distribuição e execução de vendas. (1st ed.). São Paulo: Atlas.

Corstjens, J.; Corstjens, M. (1995). Store Wars: the battle for mindspace and shelfspace. (1st ed.). Chichester: Wiley.

Crescitelli, E.; Shimp, T. A. (2012). Comunicação de Marketing: integrando propaganda, promoção e outras formas de divulgação. (1st ed.). São Paulo: Cengage Learning.

Davies, G. (1990). Marketing to retailers: a battle for distribution? Long Range Planning, 23(6), 101-108. http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/002463019090107F

Dawson, J.; Shaw, S. (1989). The move to administered vertical marketing systems by British retailers. European Journal of Marketing, 23(7), 42-52. http://www.emeraldinsight.com/journals.htm?articleid=853133&show=abstract

Dhar, S. K.; Hoch, S. J.; Kumar, N. (2001). Effective category management depends on the role of the category. (77), 165-184.

Dupuis, M.; Tissier-Desbordes, E. (1994). Trade Marketing: mode ou nouvelle approche des relations producteurs/distributeurs? Décisions Marketing, (2), 45-57.

Dupuis, M.; Tissier-Desbordes, E. (1996). Trade marketing and retailing: a European approach. Journal of Retailing and Consumer Services, 3(1), 43-51. http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/0969698995000453

Eliashberg, J.; Michie, D. (1984). Multiple business goals sets as determinants of marketing channel conflict: An empirical study. Journal of Marketing Research, 21(1), 75-88. http://www.jstor.org/stable/10.2307/3151794

Ferracciù, J. D. S. S. (2007). Marketing Promocional: a evolução da promoção de vendas. 6 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Geyskens, I.; Steenkamp, J.; Kumar, N. (1999). A meta-analysis of satisfaction in marketing channel relationships. Journal of Marketing Research, 36(2), 223-238. http://www.jstor.org/stable/10.2307/3152095

Interfarma. (2014). Guia 2014 Interfarma. São Paulo.

Kotler, P.; Keller, K. L. (2006). Administração de marketing 12 ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil.

Motta, R. (2007). Estratégias e estruturas de trade marketing na indústria de bens de consumo não-duráveis como resposta as transformações ocorridas no varejo alimentício do Brasil. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Motta, R.; Santos, N.; Serralvo, F. A. (2008). Trade Marketing: teoria e prática para gerenciar os canais de distribuição. 1 ed. Elsevier, Ed.: Rio de Janeiro.

Randall, G. (1994). Trade Marketing Strategies: the partnership between manufacturers, brands and retailers. 2 ed. Oxford: Butterworth-Heinemann.

Rosenberg, L. J.; Stern, L. W. (1970). Toward the Analysis of Conflict in Distribution Channels: A Descriptive Model. Journal of Marketing, 34(4), 40. https://doi.org/10.2307/1250710

Rosenbloom, B. (1973). Conflict and channel efficiency: some conceptual models for the decision maker. The Journal of Marketing, 37(3), 26-30. http://www.jstor.org/stable/10.2307/1249943

Serralvo, F. A.; João, B. N.; Cardoso, O. O. (2011). The importance of trade marketing on management relations in the consumer goods industry. International Journal of Business Research, 11(6), 148-153.

Shankar, V.; Inman, J. J.; Mantrala, M.; Kelley, E.; Rizley, R. (2011). Innovations in Shopper Marketing: Current Insights and Future Research Issues. Journal of Retailing, (87), S29-S42. Doi: https://doi.org/10.1016/j.jretai.2011.04.007

Shiraishi, G de F. (2009). Estratégias da empresa e as estruturas de marketing. Universidade de São Paulo.

Yin, R. K. (2015). Estudo de caso:planejamento e métodos. 5 ed. Porto Alegre: Bookman.

Zeyl, A.; Zeyl, A. (1997). Le trade marketing: ou la nouvelle logique des échanges producteurs-distributeurs. (1st ed.). Paris: Vuibert.