Características Observáveis dos Gestores e a Utilização da Informação Contábil: Um Estudo com Base na Teoria dos Escalões Superiores Outros Idiomas

ID:
52591
Resumo:
O objetivo do artigo é analisar as características observáveis dos gestores, com base na Teoria dos Escalões Superiores (TES), que contribuem para a utilização de informações contábeis em MPEs. Para realizar o estudo, desenvolveu-se e aplicou-se um questionário junto 327 gestores de MPEs de Santa Catarina (Brasil). Para o tratamento dos dados, utilizou-se a análise de homogeneidade (HOMALS). Os resultados mostram que gestores com maior nível de escolaridade tendem a utilizar mais as informações da contabilidade financeira e de custos. Além disso, os resultados sugerem um padrão em que depois de certo nível de experiência, os gestores vão deixando de utilizar essas informações. Esta pesquisa pode ser um importante instrumento de consulta e orientação de pesquisadores e autoridades responsáveis pelas políticas públicas para empresas deste porte. Pode auxiliar também os responsáveis pela elaboração das informações bem como os próprios gestores na orientação e escolha de estratégias e ações mais eficazes. A originalidade do estudo concentra-se na pesquisa de características dos gestores e sua relação com uso de informações contábeis.
Citação ABNT:
MENDES, A. C. A.; LUNKES, R. J.; MENEGAZZO, G. D.; SCHNORRENBERGER, D.; LAVARDA, C. E. F. Características Observáveis dos Gestores e a Utilização da Informação Contábil: Um Estudo com Base na Teoria dos Escalões Superiores. Enfoque Reflexão Contábil, v. 38, n. 1, p. 67-84, 2019.
Citação APA:
Mendes, A. C. A., Lunkes, R. J., Menegazzo, G. D., Schnorrenberger, D., & Lavarda, C. E. F. (2019). Características Observáveis dos Gestores e a Utilização da Informação Contábil: Um Estudo com Base na Teoria dos Escalões Superiores. Enfoque Reflexão Contábil, 38(1), 67-84.
DOI:
10.4025/enfoque.v38i1.39192
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/52591/caracteristicas-observaveis-dos-gestores-e-a-utilizacao-da-informacao-contabil--um-estudo-com-base-na-teoria-dos-escaloes-superiores/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
GUPTA, A. K.; GOVINDARAJAN, V. Resource sharing among SBUs: Strategic antecedents and administrative implications. Academy of Management Journal, v. 29, n. 4, p. 695-714, 1986.

KAHNEMAN, D.; TVERSKY, A. Prospect theory: an analysis of decision under risk. Econometrica, v. 47, n. 2, p. 263-29, 1979.

ABDEL-KADER, M; LUTHER, R. Management accounting practices in the British food and drinks industry. British Food Journal, v. 108, n. 5, p. 336-357, 2006.

ALBUQUERQUE, E. M. N.; CARDOSO, L. A.; CARMO FILHO, M. M.; CAVALCANTE, T. S. B.; SOUZA, W. A. R. O uso de indicadores e relatórios contábeis para tomada de decisão nas micro e pequenas empresas do Estado do Amazonas. Revista de Administração da FATEA, v. 6, n. 6, p. 6-21, 2013.

AMOAKO, G. K. Accounting Practices of SMEs: A Case Study of Kumasi Metropolis in Ghana, International Journal of Business and Management, Canadian Center of Science and Education, v. 8, n. 24, 2013.

ARMITAGE, H. M.; WEBB, A.; GLYNN, J. The use of management accounting techniques by small and medium-sized enterprises: a field study of Canadian and Australian practice. Accounting Perspectives, v. 15, n. 1, p. 31-69, 2016.

BAGATINI, F. M. Informações financeiras utilizadas na gestão de pequenas e médias empresas industriais. Revista de Gestão Organizacional, v. 1, n. 2, 2008.

BORGES, L. F. M.; LEAL, E. A. Utilidade da informação contábil gerencial na gestão das micro e pequenas empresas: um estudo com empresas do Programa Empreender de Uberlândia - MG. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, v.4, n. 3, 2015.

BRASIL.MTE. Relação Anual de Informações Sociais: RAIS: microdados. Brasília, DF, 2007-2013.

CARPENTER, M. A.; GELETKANYCZ, M. A.; SANDERS, W. G. Upper echelons research revisited: antecedents, elements and consequences of top management team composition. Journal of Management, v. 30, n. 6, p. 749-778, 2004.

CHUANG, T-T.; NAKATANI, K.; ZHOU, D. An exploratory study of the extent of information technology adoption in SMEs: an application of upper echelon theory. Journal of Enterprise Information Management, v. 22, n. 1/2, p. 183-196, 2009.

COLLIS, J; JARVIS, R. Financial information and the management of small private companies. Journal of Small Business and Enterprise Development, v. 9, n. 2, p. 100-110, 2002.

DRECHSEL, E. A. O uso dos instrumentos de informação econômico-financeira no processo de gestão nas micro e pequenas empresas produtoras de cal e calcário da região metropolitana de Curitiba/PR. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis: UFSC, 2002.

FARIA, J. A.; AZEVEDO, T. C.; OLIVEIRA, M. S. A utilização da contabilidade como ferramenta de apoio à gestão nas micro e pequenas empresas do ramo de comércio de material de construção de Feira de Santana/BA. Revista da Micro e Pequena Empresa, v. 6, n. 2, p. 89-106, 2012.

FÁVERO, L. P.; BELFIORE, P.; SILVA, F. L.; CHAN, B. L. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. 4 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

FINKELSTEIN, S; HAMBRICK, D. C, Top management team characteristics and organizational outcome: the moderating role of managerial discretion.Administrative Science Quarterly, v. 35, p. 484-503, 1990.

GIBBONS, P.T.; O’CONNOR, T. Influences on strategic planning processes among Irish SMES. Journal of Small Business Management, v. 43, n. 2, pp. 170-186, 2005.

GIBSON, B.; CASSAR, G. Planning behaviour variables in small firms. Journal of Small Business Management, v. 40, n. 3, pp. 171-186, 2002.

HAIR JR, J.F.; BLACK, W.C.; BABIN, B.J.; ANDERSON, R.E.; TATHAM, R.L. Trad Adonai Schlup Sant ́Anna. Análise Multivariada de Dados. 6 ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HAMBRICK, D. C. Upper echelons theory: an update. Academy of Management Review, v. 32, n. 2, p. 334-343, 2007.

HAMBRICK, D. C.; FUKUTOMI, G. DS. The seasons of a CEO’s tenure. Academy of management Review, v. 16, n. 4, p. 719-742, 1991.

HAMBRICK, D. C; MASON, P. Upper echelons: the organization as a reflection of its top managers. Academy of Management Review, v. 9, p. 193-206, 1984.

HAMMOND, J. S.; KEENEY, R. L.; RAIFFA, H. Smart choices: a practical guide to making better decisions. Harvard Business School Press, 1999.

HOLMES, RM; BROMILEY P; DEVERS CE; HOLCOMB TR; MCGUIRE JB. Management theory applications of prospect theory: Accomplishments, challenges, and opportunities. Journal of Management, n. 37, p. 1069-1107, 2011.

HUNTER, J. E. Cognitive ability, cognitive aptitudes, job knowledge, and job performance. Journal of Vocational Behavior, v. 29, n. 3, p. 340-362, 1986.

JUDGE, W.Q.; FOWLER, D.M. A configurational approach to Enterprise Strategy Scope: An Upper Echelons Perspective. International Journal of Value-Based Management, v. 7, n. 2, p. 91-106, 1994.

KAHNEMAN, Daniel. Thinking, fast and slow. Macmillan, 2011.

KAHNEMAN. D.; TVERSKY. A. Judgment under uncertainry: heurisrics and biases. Cambridge: Cambridge University Press, 1974.

KIMBERLY, J. R; EVANISKO, M. J. Organizational innovation: the influence of individual, organizational and contextual factors on hospital adoption of technological and administrative innovations. Academy of Management Journal, v. 24, p. 689-713, 1981.

KING, T.; SRIVASTAV, A.; WILLIAMS, J. What’s in an education?Implications of CEO education for bank performance. Journal of Corporate Finance, v. 37, n. 2, p. 287-308, 2016.

LI, Y.; TAN, C. H. Aligning CIO characteristics to business strategy: an empirical investigation. 42nd Hawaii International Conference on System Sciences. Hawaii, USA, 2009.

LIPPERT, R. L.; PORTER, G. Understanding CEO pay: A test of two pay-to-performance sensitivity measures with alternative measures of alignment and influence. Journal of Business Research, v. 40, n. 2, p. 127-138, 1997.

LONGENECKER, J. G.; MOORE, C. W.; PETTY, J. W. Administração de pequenas empresas. São Paulo: Makron Books, 1998.

MASEKO, N.; MANYANI, O. Accounting practices of SMEs in Zimbabwe: An investigative study of record keeping for performance measurement (A case study of Bindura). Journal of Accounting and Taxation, v. 3, n. 8, p. 171-181, 2011.

MATTA E.; MCGUIRE J. Too risky to hold?The effect of downside risk, accumulated equity wealth, and firm performance on CEO equity reduction. Organization Science, 19, 567-580, 2008.

MEYER, M. W. Leadership and organizational structure. American Journal of Sociology, v. 81, n. 3, p. 514-542, 1975.

MICHEL, J. G.; HAMBRICK, D. C. Diversification posture and top management team characteristics. Academy of Management Journal, v. 35, n. 1, p. 9-37, 1992.

MORAES, G D de A.; ESCRIVÃO FILHO, E. A gestão da informação diante das especificidades das pequenas empresas. Ci. Inf., Brasília, v. 35, n. 3, p. 124-132. 2006.

ORTIGARA, A. A; GRAPEGGIA, M; CANDIDO, M da S. Causas que Condicionam a Mortalidade e/ou o sucesso das Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina. Revista CAP, v. 5, n. 5, p. 48-55, 2011.

PENI, E. CEO and Chairperson characteristics and firm performance. Journal of Management and Governance, v. 18, n. 1, p. 185-205, 2014.

PIVETTA, G. A utilização do fluxo de caixa nas empresas: um modelo para a pequena empresa. Revista Eletrônica de Contabilidade, v. 1, n. 2, p. 14, 2004.

PONDEVILLE, S.; SWAEN, V.; RONGÉ, Y. Environmental management control systems: The role of contextual and strategic factors. Management Accounting Research. v. 24, n. 4, p. 317-332, 2013.

PRENDERGAST, C.; STOLE, L. Impetuous youngsters and jaded old-timers: Acquiring a reputation for learning. Journal of political Economy, v. 104, n. 6, p. 1105-1134, 1996.

REHEUL A.M.; JORISSEN A. Do Management Control Systems In SMEs Reflect CEO demographics? Journal of Small Business and Enterprise Development, v. 21 n. 3, p. 470-488, 2014.

RUSSO, J. Edward; SCHOEMAKER, Paul J.H. Decisões vencedoras. Campus, 2002.

RUSSO, J. Edward; SCHOEMAKER, Paul J.H. Tomada de decisões: armadilhas. Saraiva, 1989.

SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Participação das Micro e Pequenas Empresas na Economia Brasileira. Brasília, 2014.

SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Sobrevivência das empresas no Brasil, Brasília, 2013.

SERFLING, MA. CEO age and riskiness of corporate policies. Journal of Corporate Finance, v. 25, p. 251-273, 2014.

SHEN, W.; CANNELLA A. A. Revisiting the performance consequences of CEO succession: The impacts of successor type, post succession senior executive turnover, and departing CEO tenure. Academy of Management Journal, v. 45, n. 4, p. 717-733, 2002.

SIMON, H. A. Administrative Behavior. New York, NY: Macmillan, 1947.

SOLOMON, S. A grande importância da pequena empresa: a pequena empresa nos Estados Unidos, no Brasil e no mundo. Rio de Janeiro: Nórdica, 1986. 408p.

STROEHER, A. M; FREITAS, H. O uso das informações contábeis na tomada de decisão em pequenas empresas. Revista de Administração Eletrônica RAUSP-e, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 1-25, 2008.

THALER, R. H.; SUNSTEIN, R. Cass. NUDGE: o empurrão para a escolha certa. Elsevier/Campus. Rio de Janeiro. 2009.

TOLEDO FILHO, J. R. de; OLIVEIRA, E. L. de; SPESSATTO, G. Fluxo de Caixa como Instrumento de Controle Gerencial para Tomada de Decisão: um estudo realizado em microempresas. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, v. 15, n. 2, p. 75-88, 2010.

WALLY, S.; BAUM, J. R. Personal and structural determinants of the pace of strategic decision making.Academy of Management Journal, v. 37, n. 4, p. 932-956, 1994.