Diferenças no Valor Adicionado em Empresas Familiares e Não Familiares Listadas na BM&FBovespa Outros Idiomas

ID:
52592
Resumo:
O objetivo do estudo é identificar as principais diferenças na geração e distribuição do valor adicionado entre empresas familiares e não familiares, listadas na BM&FBovespa no período de 2013 a 2015. Diferenças na criação de valor adicionado entre empresas familiares e não familiares se justificam, segundo Okimura, Silveira e Rocha (2007), pelo fato que o desempenho das empresas pode variar dependendo dos interesses do tipo de controlador. A amostra final considerou 739 observações de companhias não financeiras, familiares e não familiares listadas na BM&FBovespa, com dados disponíveis para operacionalizar as varáveis selecionadas, sendo 217 empresas em 2013, 260 em 2014 e 262 em 2015. Os resultados apontam que as empresas não familiares criam e distribuem maior quantidade de valor adicionado, comparativamente com as empresas familiares, nos quatros grupos analisados: pessoal, tributos, remuneração de capital de terceiros e remuneração de capital próprio. Considerando-se que o valor adicionado gerado e distribuído foi inferior nas empresas familiares, conclui-se que a gestão familiar pode estar contribuindo para que os proprietários familiares (majoritários) possam expropriar os acionistas minoritários.
Citação ABNT:
BIANCHET, T. D. S.; ZANIN, A.; MAZZIONI, S.; MOURA, G. D. Diferenças no Valor Adicionado em Empresas Familiares e Não Familiares Listadas na BM&FBovespa. Enfoque Reflexão Contábil, v. 38, n. 1, p. 85-104, 2019.
Citação APA:
Bianchet, T. D. S., Zanin, A., Mazzioni, S., & Moura, G. D. (2019). Diferenças no Valor Adicionado em Empresas Familiares e Não Familiares Listadas na BM&FBovespa. Enfoque Reflexão Contábil, 38(1), 85-104.
DOI:
10.4025/enfoque.v38i1.39681
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/52592/diferencas-no-valor-adicionado-em-empresas-familiares-e-nao-familiares-listadas-na-bm-fbovespa/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABDALLAH, A. A. N.; ISMAIL, A. K. Corporate governance practices, ownership struc-ture, and corporate performance in the GCC countries. Journal of International Financial Markets, Institutions and Money, v. 46, p. 98-115, 2017.

ANDERSON, R. C.; REEB, D. M. Found-ing-family ownership and firm performance: evidence from the S&P 500. The Journal of Finance, v. 58, n. 3, p. 1301-1328, 2003.

AROSA, B.; ITURRALDE, T.; MASEDA; A. Ownership structure and firm performance in non-listed firms: evidence from Spain. Journal of Family Business Strategy, v. 1, p. 88-96, 2010.

AROSA, B.; ITURRALDE, T.; MASEDA; A. Ownership structure and firm performance in non-listed firms: evidence from Spain. Journal of Family Business Strategy, v. 1, p. 88-96, 2010.

BAO, B. H.; BAO, D. H. Usefulness of val-ue added and abnormal economic economic earnings: an empirical examination. Journal of Business Finance & Accounting,v. 25, n. 1‐2, p. 251-264, 1998.

BOUZGARROU, H.; NAVATTE, P. Ownership structure and acquirers performance: Family vs. non-family firms. International Review of Financial Analysis, v. 27, p. 123-134, 2013.

BRAGA, P. T. S. Demonstração do valor adicionado (DVA): um estudo comparativo do per-fil de distribuição de riqueza pelas empresas estatais e privadas do Brasil. 2008. 98 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) - Programa Multi-institucional e Inter-regional de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Universidade de Brasília, Universidade Feder-al da Paraíba e Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2008.

BRASIL. Lei nº 11.638, de 28 de dezembro de 2007. Altera e revoga dispositivos da Lei no 6.404, de 15 de dezembro de 1976. .

BURCHELL, S.; CLUBB, C.; HOPWOOD, A. Accounting in its social context: towards a history of value added in the United Kingdom. Ac-counting, Organizations and Society, v. 10, n. 4, p. 381-413, 1985.

CAI, D.; LUO, J. H.; WAN, D. F. Family CEOs: do they benefit firm performance in China? Asia Pacific Journal of Management, v. 29, n. 4, p. 923-947, 2012.

CAIXE, D. F.; KRAUTER, E. A influência da estrutura de propriedade e controle sobre o valor de mercado corporativo no Brasil. Revista Contabilidade & Finanças, v. 24, n. 62, 142-153, 2013.

CAMPOS, T. L. C. Estrutura da propriedade e desempenho econômico: uma avaliação empírica para as empresas de capital aberto no Brasil. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 41, n. 4, p. 369-380, 2006.

CAPRIO, L.; CROCI, E.; DEL GIUDICE, A. Ownership structure, family control, and ac-quisition decisions. Journal of Corporate Finance, v. 17, p. 1636-1657, 2011.

CHAN, B. L.; SILVA, F. L. D.; MARTINS, G. D. A. Destinação de riqueza aos acionistas e aos empregados: comparação entre empresas es-tatais e privadas. Revista de Administração Contemporânea, v. 11, n. 4, p. 199-218, 2007.

CHARBEL, S.; ELIE, B.; GEORGES, S. Impact of family involvement in ownership manage-ment and direction on financial performance of the Lebanese firms. International Strategic Management Review, v.1, n. 1, p. 30-41, 2013.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. CPC 09. Demonstração do val-or adicionado. 2008. .

COSENZA, J. P. A eficácia informativa da demon-stração do valor adicionado. Revista Contabilidade & Finanças, v. 14, p. 07-29, 2003.

COSENZA, J. P.; TEIXEIRA, A. C. F.; LOPES, R. S. S. Reflexão sobre relações entre poder e contabilidade. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 15, n. 2, p. 78-94, 2012.

CRONQVIST, H.; NILSSON, M. Agency costs of controlling minority shareholders. Journal of Financial and Quantitative Analysis, v. 38, n. 4, p. 695-719, 2003.

DANI, A. C.; BECK, F.; ALMEIDA-SANTOS, P. S.; LAVARDA, C. E. F. Análise da estrutura de propriedade das empresas listadas no ISE por meio da aplicação de redes sociais. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, v. 7, n. 3, p. 240-258, 2013.

DE LUCA, M. M. M.; CUNHA, J. V. A.; RIBEIRO, M. S.; OLIVEIRA, M. C. Demonstração do valor adicionado: do cálculo da riqueza criada pela empresa ao valor do PIB. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

EVRAERT, S.; RIAHI-BELKAOUI, A. Use-fulness of Value Added Reporting: a review and synthesis of the literature. Managerial Finance, v. 24, n. 11, p. 1-15, 1998.

FERNANDES, V. L.; MARTINEZ, A. L.; NOSSA, V. The influence of the best corporate gov-ernance practices on the allocation of value added to taxes.A Brazilian case. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 16, n. 3, p. 58-69, 2013.

FOLLMANN, D. A.; PAIVA, K. S. E.; SOARES, S. V. Distribuição do valor adicionado nas empresas do novo mercado: análise setorial da destinação da riqueza em 2008 e 2009. Reunir: Revista de Administração, Contabilidade e Sustentabili-dade, v. 1, n. 2, p. 101-117, 2011.

FONSECA, M. V.; PAIVA, S. B. Demonstração do valor adicionado: uma análise do valor adicionado do Banco do Brasil no período 2008-2010. Revista Eletrônica de Ciências, v. 5, n. 2, p. 51-65, 2012.

FREEMAN, R. E. Strategic management: a stakeholder approach. Boston: Pitman, 1984.

FREITAS, E. C.; BARTH, M. De pai para filho: a complexidade e os desafios da gestão das empresas familiares. Revista de Administração da UFSM, v. 5, n. 3, p. 549-568, 2012.

GÓIS, A. D.; ALMEIDA T. A.; COSTA J. A.; DE LUCA M. M. M.; VASCONCELOS, A. C. Distribuição do valor adicionado em diferentes contextos societários à luz da teoria contratual da firma. Revista de Contabilidade e Controladoria, v. 8, n. 3, p. 45-64, 2016.

GUGLER, K.; IVANOVA, N.; ZECHNER, J. Ownership and control in Central and Eastern Europe. Journal of Corporate Finance, v. 26, p. 145-163, 2014.

HAHN, A. V.; NOSSA, S. N. TEIXEIRA, A. J. C.; NOSSA, V. Um estudo sobre a relação en-tre a concentração acionária e o nível de pay-out das empresas brasileiras negociadas na Bovespa. Contabilidade Vista & Revista, v. 21, n. 3, p. 15-48, 2010.

HAIR, J. F.; TATHAM, R. L.; ANDERSON, R. E.; BLACK, W. Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HEUGENS, P. P. M. A. R.; VAN ESSEN, M.; VAN OOSTERHOUT, J. H. Meta-analyzing ownership concentration and firm performance in Asia: Towards a more fine-grained under-standing. Asia Pacific Journal of Manage-ment, v. 26, n. 3, p. 481-512, 2009.

HIEBL, M. R. (2012). Peculiarities of financial management in family firms. The Internation-al Business & Economics Research Journal, v. 11, n. 3, p. 315-322, 2012.

HUYBRECHTS, J.; VOORDECKERS, W.; LYBAERT, N. Entrepreneurial risk taking of private family firms: The influence of a nonfamily CEO and the moderating effect of CEO tenure. Family Business Review, v.26, n. 2, p. 161-179, 2012.

LA PORTA, R.; LOPEZ-DE-SILANES, F.; SHLEIFER, A. Corporate ownership around the world. The Journal of Finance, v. 54, n. 2, p. 471-517, 1999.

LARRAZ, J. L. G.; GENÉ, J. M.; PULIDO, L. S. Productivity and value added distribu-tion in family-owned businesses. Intangible Capital, v. 13, n. 1, p. 4-24, 2017.

LEUNG, S.; RICHARDSON, G.; JAGGI, B. Corporate board and board committee inde-pendence, firm performance, and family ownership concentration: An analysis based on Hong Kong firms. Journal of Contemporary Accounting & Economics, v. 10, n. 1, p. 16-31, 2014.

LIMA, P. A. M.; GÓIS, A. D.; LUCA, M. M. M. Associação entre a distribuição do valor adicionado e a identidade do acionista. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 18, n. 3, p. 66-84, 2015.

MAZZIONI, S.; DIEL; F. J.; DIEL E. H.; KRU-GER S. D.; KLANN R. C. Análise dos Indi-cadores de valor adicionado das empresas participantes do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) e das demais empresas lis-tadas na BM&FBovespa. Contextus Revista Contemporânea de Economia e Gestão, v. 11, n. 2, p. 159-180, 2013.

MENDONÇA, L. R.; MACHADO, C. A. P. F. Governança nas organizações do terceiro setor: considerações teóricas. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 39, n. 4, p. 302-308, 2004.

MILLER, D.; LE BRETON-MILLER, I.; LESTER, R. H. Family ownership and acquisition behavior in publicly‐traded companies. Strategic Management Journal, v. 31, n. 2, p. 201-223, 2010.

MILLER, D.; LE BRETON-MILLER, I.; LESTER, R. H.; CANNELLA Jr, A. A. Are family firms really superior performer? Journal of Corporate Finance, v. 13, p. 829-858, 2007.

MORCK, R. K.; STANGELAND, D. A.; YEUNG, B. Inherited wealth, corporate control and economic growth: the Canadian disease? In: Morck, Randall K.; Concentrated Corporate Ownership. p. 319-369. Chicago: University of Chicago Press, 2000.

MOURA, G. D. Influencia na estrutura de propriedade e da gestão familiar no posi-cionamento em fusões e aquisições. 2014. 468 f. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis e Administração) - Programa de Pós-Gradu-ação em Ciências Contábeis da Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, 2014.

MÜLER, E. T. C.; BEUREN, I. M. Estrutura formal e práticas da controladoria em empresas familiares brasileiras. Gestão & Regionalidade, v. 26, n. 76, p. 105-120, 2010.

OKIMURA, R. T.; SILVEIRA, A. M.; ROCHA, K. C. Estrutura de propriedade e desempen-ho corporativo no Brasil. Revista de Administração Contemporânea, v. 1, n. 1, p. 119-135, 2007.

PEDERSEN, T.; THOMSEN, S. Ownership structure and value of the largest European firms: the importance of owner identity. Journal of Management and Governance, v. 7, n. 1, p. 27-55, 2003.

PENG, M. W.; JIANG, Y. Institutions behind family ownership and control in large firms. Journal of Management Studies, v. 47, n. 2, p. 253-273, 2010.

PESQUEUX, Y.; DAMAK-AYADI, S. Stake-holder Theory in Perspective. Corporate Governance. Bradford, v. 5, n. 2, p. 5-22, 2005.

SANTOS, A. Demonstração do valor adicionado: como elaborar e analisar a DVA. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

SANTOS, M. I. C.; SILVA, M. S. DVA como ferramenta na medição da riqueza no setor de telefonia no Brasil. Pensar Contábil, v. 11, n. 46, p. 39-45, 2009.

SARLO, A. N.; LOPES, A. B.; DALMÁCIO, F. Z. A influência da estrutura de propriedade sobre a informatividade dos lucros contábeis divulgados pelas empresas negociadas na Bovespa. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v. 7, n. 4, p. 301-314, 2010.

SCHMID, T. Control considerations, creditor monitoring, and the capital structure of family firms. Journal of Banking & Finance, v. 37, n. 2, p. 257-272, 2013.

SHIM, J.; OKAMURO, H. Does ownership matter in mergers?A comparative study of the causes and consequences of mergers by family and non-family firms. Journal of Banking and Finance, v.35, p. 193-203, 2011.

SILVEIRA, A. D. M.; PEROBELLI, F. F. C.; BARROS, L. A. B. C. Governança corporativa e os determinantes da estrutura de capital: evidências empíricas no Brasil. Revista de Administração Contemporânea, v. 12, n. 3, p. 763-788, 2008.

SOARES, R. O.; KLOECKNER, G. O. Endivid-amento em firmas com alta propensão à expropriação: o caso de firmas com um controlador. Revista de Administração de Empresas, v. 48, n. 4, p. 79-93, 2008.

TINOCO, J. E. P. Balanço social: uma abordagem sócio-econômica da Contabilidade. 1984. 111 f. Dissertação (Mestrado em Ciên-cias Contábeis) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1984.

VILLALONGA, B.; AMIT, R. How do family ownership, control and management affect firm value? Journal of Financial Economics, v. 80, n. 2, p. 385-417, 2006.

WEISS, C.; HILGER, S. Ownership concentra-tion beyond good and evil: Is there an effect on corporate performance? Journal of Management and Governance, v. 16, n. 4, p. 727-752, 2011.